Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Concordância Verbal - Noções Gerais

No description
by

Robson Gimenes

on 30 October 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Concordância Verbal - Noções Gerais

Concordância Verbal - Noções Gerais
Robson Gimenes, Prof.

Concordância Verbal
Concordância verbal ocorre quando o verbo se flexiona para concordar com o seu sujeito.

Pronome de Tratamento
O verbo fica sempre na 3ª pessoa (ele - eles).

- Vossa Alteza deve viajar.
- Vossas Altezas devem viajar.

Sujeito Coletivo
(Sujeito Simples)
- O cardume escapou da rede.
- Os cardumes escaparam da rede.

Nesses dois exemplos o verbo concordou com o coletivo (sujeito simples).

Sujeito: Que ou Quem
QUE: se o sujeito for o pronome relativo "que", o verbo concorda com o antecedente do pronome relativo.

- Fui eu que falei. (eu falei)
- Fomos nós que falamos. (nós falamos)

Sujeito: Que ou Quem
QUEM: se o sujeito for o pronome relativo "quem", o verbo ficará na terceira pessoa do singular ou concordará com o antecedente do pronome (pouco usado).

- Fui eu quem falou. (ele - 3ª pessoa - falou)

Observação:
Nas expressões “um dos que” e “uma das que”, o verbo deve ir para o plural. Porém, alguns estudiosos e escritores aceitam ou usam a concordância no singular.

- João foi um dos que saíram.

Dar - Bater - Soar
Quando houver sujeito (relógio ou sino), os verbos concordam normalmente com ele.

- O relógio deu onze horas.
(O relógio: sujeito // deu: concorda com o sujeito)

Dar - Bater - Soar
Quando não houver sujeito, o verbo concorda com as horas que passam a ser o sujeito da oração.

- Deram onze horas.
- Deram três horas no meu relógio.

Sujeito formado por coletivo singular seguido de complemento no plural, admitem-se duas concordâncias:

1ª) verbo no singular:
- O bando de passarinhos cantava no jardim.
2ª) o verbo pode ficar no plural.
Nesse caso o verbo no plural dará ênfase ao complemento:

- O bando de passarinhos cantavam no jardim.
Se
Verbos trans. dir. e ind. mais a partícula "se":

Se o termo que recebe a ação estiver no plural, o verbo vai para o plural;
se estiver no singular, o verbo deve ir para o singular.

- Alugam-se cavalos.
Outros exemplos:
- Vendem-se casas.
- Alugam-se apartamentos.
- Exigem-se referências.

OBS: Somente os verbos transitivos diretos têm voz passiva.

Outros exemplos:
Qualquer outro tipo de verbo (transitivo indireto ou intransitivo) fica no singular.

- Precisa-se de professores. (Precisar é verbo transitivo indireto)
- Trabalha-se muito aqui. (trabalhar é verbo intransitivo)
Haver e Fazer
"Haver" como “existir”, indicando “tempo” ou no sentido de “ocorrer”, ficará na terceira pessoa do singular. É impessoal, ou seja, sem sujeito.

"Fazer" quando indica “tempo” ou “fenômenos da natureza”, também é impessoal e deverá ficar na terceira pessoa do singular.
- Naquela reunião há bons e maus cidadãos. (= existe)
- Já houve muitos acidentes aqui. (= ocorrer)
- Faz 10 anos que me formei. (= tempo decorrido)

Sujeito Composto
SUJEITO COMPOSTO RESUMIDO POR UM INDEFINIDO
O verbo concordará com o indefinido.

- Tudo, jornais, revistas, TV, só trazia boas notícias.
- Ninguém, amigos, primos, irmãos, veio visitá-lo.
- Amigos, irmãos, primos, todos foram viajar.

Pessoas Diferentes
O verbo flexiona-se no plural na pessoa que prevalece (a 1ª sobre a 2ª e a 2ª sobre a 3ª).
Eu e tu: nós Eu e você: nós
Ela e eu: nós Tu e ele: vós
- Eu, tu e ele resolvemos o mistério. (1ª pessoa prevalece)
- O diretor, tu e eu saímos apressados. (1ª pessoa prevalece)
Nomes Próprios
Se o nome vier antecedido de artigo no plural, o verbo deverá concordar no plural.

- Os Andes ficam na América do Sul.

Se não houver artigo no plural, o verbo deverá concordar no singular.

- Santos fica em São Paulo.
Observação 1
Com nome de obras artísticas, admite-se a concordância ideológica com a palavra “obra”, que está implícita na frase.

- “Os Lusíadas” imortalizou Camões.
Com o verbo “ser” e o predicativo no singular, o verbo fica no singular.

- “Os Lusíadas” é a maior obra da Literatura Portuguesa.

Observação 2
Verbo "Ser"
O verbo “Ser” concordará com o predicativo, quando o sujeito for o pronome interrogativo “que” ou “quem”.

- Quem são os eleitos?
- Que são células?
- Quem foram os responsáveis?

Quando o verbo “ser” indicar tempo, data, dias ou distância, deve concordar com a palavra seguinte.

- É uma hora.
- São duas horas.
- São nove e quinze da noite.
- Da praia até a nossa casa, são cinco minutos.

Se um dos elementos (sujeito ou predicativo) for pronome pessoal, o verbo concordará com ele.

- Eu sou o chefe.
- Nós somos os responsáveis.
- Eu sou a diretora.

Quando o sujeito é um dos pronomes isto, isso, aquilo, o, tudo, o verbo “ser” concordará com o predicativo.

- Tudo são flores.
- Isso são lembranças de viagens.

Pode ocorrer também o verbo no singular concordando com o pronome (raro).

- Tudo é flores.

Quando o verbo “Ser” aparece nas expressões “é muito”, “é bastante”, “é pouco”, “é suficiente” denotando quantidade, distância, peso, etc., ele ficará no singular.

- Oitocentos reais é muito.
- Cinco quilos é suficiente.

Concordância Verbal
Noções Gerais

Robson Gimenes, Prof.

2013
Full transcript