Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

HORA - Hospital de Olhos

No description
by

Marco Olyntho

on 13 February 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of HORA - Hospital de Olhos

Região de São José do Rio Preto
Região com aproximadamente 2 milhões de habitantes
Baixa razão de dependência
3o Movimento aeroportuário do interior
Dr. Marco Antonio Olyntho Junior
Dr. Carlos Cury
Dra. Fabiana Funes Cury
Corpo
Clínico

Dr. Alexandre Cury Jr.
Dr. Alexandre Funes
População estimada 2014 (1)438.354
População 2010 408.258
Área da unidade territorial (km²)431,963
Densidade demográfica (hab/km²)945,12
Com um investimento de 293 milhões de reais, o shopping recém-inaugurado foi responsável pela geração de 3.500 empregos — e continua contratando.
A Multiplan, que gerencia o MorumbiShopping, também estaria à procura de espaço na cidade para uma construção própria.

A CIDADE É UMA DAS QUE MAIS CRESCE NO INTERIOR PAULISTA E APRESENTA PIB PER CAPITA DE R$ 18.776,00.
“O grande desafio da próxima década, em nossa cidade, é capacitar as pessoas”, diz Adriana Neves, presidente da Associação Comercial e Empresarial de São José do Rio Preto.
A entidade abriu, no mês passado, cursos básicos para vendedores e gerentes do comércio e da área de serviços.

“Os alunos da Faculdade de Tecnologia de São Paulo (Fatec) têm 100% de empregabilidade.
Agora nos reunimos com a Universidade Estadual Paulista (Unesp) e com outras universidades para discutir a necessidade da criação de cursos para suprir as demandas do mercado de trabalho da cidade”, diz Adriana.

Uma solução encontrada por Anderson Silva, diretor de desenvolvimentoorganizacional da Rodobens, grupo empresarial que opera nos setores de varejo, financeiro e imobiliário, para encontrar mão de obra qualificada é o programa de trainee, com inscrições abertas até o dia 20 de julho e salário de 5.000 reais — bem acima da média regional, de 1.714 reais.

Nos próximos meses, a cidade deverá ganhar um Parque Tecnológico (ParTec), que já está em fase de implantação em uma área de 1 milhão de metros quadrados, onde antes ficava um instituto penal agrícola. O ParTec terá 250 lotes destinados a entidades de ensino e pesquisa, como a Fatec e a Unesp.

O ParTec também vai receber empresas de tecnologia biomédica.
Uma das que já confirmaram a transferência de suas instalações para o local é a Braile Biomédica, que exporta produtos como válvulas cardíacas, marca-passos e equipamentos de circulação extracorpórea para 20 países.

O setor de serviços em saúde é um dos que mais movimentam a cidade. Com uma média de 5,5 médicos por 1.000 habitantes — mais do que o dobro da média estadual, de 2,6, e quase o triplo da nacional, de 2 —, a cidade é procurada por pacientes de todo o Brasil por ser um centro de excelência no tratamento de HIV e câncer, transplantes de órgãos e tecidos (especialmente rim, fígado e córneas) e cirurgias cardíacas e plásticas.
O maior dos nove hospitais da cidade, o Hospital de Base (HB), atende uma população de 2 milhões de pessoas de 108 municípios. “Aqui, falamos com todos os sotaques. Os 411 residentes que trabalham no HB também vêm de todos os lugares do país”, afirma Horácio Ramalho, diretor executivo da Funfarme, que controla o HB, a Faculdade de Medicina de Rio Preto e outras instituições.
Há também residência para enfermeiros, nutricionistas e farmacêuticos. Com quase 5.000 funcionários, o complexo médico-hospitalar contrata 400 pessoas por ano, e não apenas na área da saúde. “Temos um sistema informatizado entre todas as nossas unidades e precisamos dele 24 horas, todos os dias. A impressão que tenho é que faltam profissionais de TI na cidade”, diz Horácio.

O fenômeno que explica o crescimento de São José do Rio Preto é o mesmo que provocou o desenvolvimento de outros municípios do interior paulista em anos anteriores. Atraídas por menores custos de operação, boa infraestrutura logística, oferta de mão de obra qualificada e proximidade com importantes centros de ensino e pesquisa, muitas empresas têm se transferido para o interior.
“Como as capitais estão muito caras e cheias há muito tempo, o desenvolvimento está sendo empurrado cada vez mais para o interior. Hoje, até a região do ABCD e a de Campinas já estão bastante saturadas, então as empresas começam a buscar novas fronteiras”, diz Paulo Vicente Alves, professor de estratégia da Fundação Dom Cabral, escola de negócios de Minas Gerais.
“Outra questão é que o Noroeste Paulista fica no meio do caminho entre o Centro-Oeste brasileiro, região de grande produção rural, e as grandes capitais e os portos, por onde a produção é escoada.” Rio Preto está no limite entre o interior do Brasil e a capital do estado, São Paulo, e o porto de Santos.
O aspecto geográfico, aliado aos custos de operação, instalação, produção e oferta de mão de obra, tem atraído empresas para a região. Com mais empregadores, há mais oportunidades de trabalho.
Cirurgia Refrativa
Olho &Visão
Retina
Plástica ocular
Catarata
Glaucoma
Retina
GLAUCOMA
REFERENCE CENTER
Projeção de Cirurgias 2014 / 2015
Catarata
REFRATIVA
Full transcript