Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Idade Moderna - Renascimento, Barroco, Rococó

No description
by

Roberto Mazinini

on 27 April 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Idade Moderna - Renascimento, Barroco, Rococó

Tintoretto

Nome Completo: Jacopo Comin.
Nascimento: Veneza (Itália) em 29 de setembro de 1518.
Falecimento: Veneza (Itália) em 31 de maio de 1594.

Pintor: Importante pintor da fase final do Renascimento Italiano (segunda metade do século XVI).
Foi um dos grandes representantes da escola veneziana de pintura renascentista.
Considerado também um dos precursores do Barroco.

Principais realizações
Fez várias pinturas no palácio do Duque de Veneza.
Pintou o teto e paredes da Escola de São Marcos.
Decorou a escola da Igreja de São Roque.

Principais obras
São Marcos libertando o escravo (1548)
O Lavatório (1550)
Vênus, Vulcano e Marte (1555)
São Jorge lutando contra o dragão (1560)
A adoração do bezerro de ouro, o Juízo Final (1562)
Glorificação de São Roque (1564)
Alegorias (1577)
O paraíso (1579)
A origem da Via Láctea (1582)
A Última Ceia (1594)

Idade Moderna
Michelangelo
Giotto di Bondone
1453
Leonardo da Vince
RENASCIMENTO
Transição do Feudalismo para o Capitalismo.

Fortalecimento das monarquias nacionais europeias.

Predominância de um regime político caracterizado, principalmente, pela centralização do poder nas mãos do monarca (rei).

Descobrimentos marítimos feitos pelos europeus (principalmente Portugal e Espanha) e colonização e exploração das terras descobertas (principalmente na América e África).

Comércio marítimo como principal fator de desenvolvimento econômico das nações.

Fortalecimento da burguesia comercial europeia.

Surgimento de movimentos de contestação ao poder da Igreja Católica (Reforma Religiosa) e formação de novas igrejas (Luterana, Calvinista e Anglicana).

Desenvolvimento das artes plásticas e da cultura sob uma nova perspectiva (humanismo), principalmente com o Renascimento Cultural.

Amplo desenvolvimento científico (Astronomia, Engenharia, Matemática, Anatomia, Biologia, etc.) no contexto do Renascimento Científico.

Acúmulo de riquezas na Europa, fruto da exploração das colônias na América.

Início da Revolução Industrial no final da Idade Moderna.

Contestação, principalmente com o Iluminismo, do regime Absolutista e crise deste sistema de governo no final da Idade Moderna (segunda metade do século XVIII
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS NO MUNDO OCIDENTAL
IDADE MODERNA

Tem início em 1453 com a tomada de Constantinopla pelos turcos otomanos e se estende até 1789 com o início da Revolução Francesa.
1455
1475
CRONOLOGIA DA IDADE MODERNA

1453 - Tomada de Constantinopla pelo império Turco-Otomano.

1479 - Formação da monarquia nacional espanhola.

1492 - Descobrimento da América por Cristóvão Colombo.

1498 - Chegada da esquadra de Vasco da Gama às Índias.

1500 - Chegada dos portugueses ao Brasil, liderados por Pedro Álvares Cabral (Descobrimento do Brasil).

1508 - Michelangelo começa a pintar o teto da Capela Sistina. A obra é uma das mais representativas do Renascimento Cultural.

1517 - Início da Reforma Protestante com Martinho Lutero na Alemanha.

1532 - Iinício da colonização espanhola na América, após a destruição do Império Inca, comandada pelos conquistadores espanhóis Francisco Pizarro e Diego de Almagro.

1534 - Fundação da Companhia de Jesus, organização jesuítica da Igreja Católica, como resposta à Reforma Protestante. Esta organização atuou no Brasil, principalmente, na catequização dos índios.

1542 - Restabelecimento da Inquisição, que atuou, principalmente, na Itália, Portugal e Espanha.

1618 a 1648 - Guerra dos Trinta Anos.

1642 a 1660 - Revolução Puritana (guerra civil) na Inglaterra.








1688 a 1689 - Fim do regime absolutista na Inglaterra com a Revolução Gloriosa.

1765 - Aperfeiçoamento do motor a vapor pelo escocês James Watt (marco inicial da Revolução Industrial).

1776: Declaração da Independência dos Estados Unidos.

1789 - Início da Revolução Francesa, que derrubou a monarquia e terminou com o absolutismo na França.

1452
Autor: Leonardo da Vinci
Data: 1490
Técnica: Lápis e tinta sobre papel
Dimensões: 34 cm × 24 cm
Localização: Gallerie dell'Accademia
http://www.florence-museum.com/?gclid=CJ77gYCnv8QCFSNk7AodZjsA8w
FRAMES

FRAMES
01. Visão Geral
02. Frames
03. Índice
04. Idade Moderna
05. 1453
06. Tomada de Constantinopla pelos Turcos Otomanos
07. Cronologia da Idade Moderna
08. Cronologia da Idade Moderna
09. Cronologia da Idade Moderna
10. Principais Características no Mundo Ocidental
11. Principais Características no Mundo Ocidental
12. Principais Características do Renascimento
13. Principais Características da Pintura
14. Principais Características da Pintura
15. Pintores Renascentistas
16. Principais Pintores Renascentistas
17. 1266 – 1337
18. Giotto de Bondone
19. Cappella degli Scrovegni
20. Cappella degli Scrovegni
21. O Beijo de Judas
22. A Lamentação
23. Julgamento Final
24. 1453 – 1519
25. Leonardo da Vinci
26. O Homem Vitruviano
27. O Homem Vitruviano
28. Mona Lisa
29. Mona Lisa: um código oculto em seus olhos
30. Mona Lisa: um código oculto em seus olhos
31. Vídeo Mona Lisa
32. 1475 - 1564
33. Michelangelo
34. Santa Ceia
35. Vídeo – Réquiem
36. A Criação de Adão
37. A Criação de Adão – Cérebro
28. Bibliografia
29. Referências Internete
30. Vídeos

BIBLIOGRAFIA

Leonardo da Vinci
Autor: Clark, Kenneth
Editora: Penguin UK

Michelangelo - Coleção L&pm Pocket
Autor: Sautel Nadine
Editora: L&pm

Rafael
Autor: Thoenes, Christof
Editora: Taschen do Brasil

100 Famous Paintings
Autor: Marina Vaizey
Editora: Tiger



Referências da Internete

http://www.suapesquisa.com/historia/idade_moderna.htm
http://www.historiadomundo.com.br/idade-moderna/transicao-feudalismo-para-capitalismo.htm
http://www.dicionarioinformal.com.br/burguesia/
http://www.dicio.com.br/burguesia/
http://mundoestranho.abril.com.br/materia/o-que-foi-o-imperio-otomano
http://tmsfranceschetto.blogspot.com.br/2009/11/principais-caracteristicas-da-pintura.html
http://www.colegioweb.com.br/trabalhos-escolares/historia/renascimento-e-reforma/caracteristicas-do-renascimento.html
http://www.colegioweb.com.br/trabalhos-escolares/historia/renascimento-e-reforma/caracteristicas-do-renascimento.html
http://revoada.net/10-pinturas-famosas-com-codigos-escondidos/
http://www.megacurioso.com.br/misterios/39489-arte-oculta-confira-alguns-codigos-secretos-escondidos-em-pinturas-famosas.htm
http://www.significados.com.br/iluminismo/
http://www.sohistoria.com.br/resumos/iluminismo.php
http://revoada.net/10-pinturas-famosas-com-codigos-escondidos/
https://renzomora.wordpress.com/2010/02/04/o-mais-famoso-mal-dotado-da-historia/
http://www.estudopratico.com.br/resumo-sobre-a-reforma-protestante/
http://www.suapesquisa.com/o_que_e/humanismo.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_dos_Trinta_Anos
http://www.infoescola.com/historia/revolucao-puritana/
http://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=it&u=http://it.wikipedia.org/wiki/Cappella_degli_Scrovegni&prev=search
http://www.cappelladegliscrovegni.it/index.php/en/book-now/information-on-ticket-reservation
https://issoeunaosabia.wordpress.com/2011/11/16/homem-vitruviano/
https://www.google.com.br/?gws_rd=ssl#q=Humanismo
http://www.suapesquisa.com/o_que_e/humanismo.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Domenico_Ghirlandaio
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pareidolia
http://www.suapesquisa.com/grecia/periodos_historia_grecia.htm
http://www.suapesquisa.com/o_que_e/positivismo.htm

Vídeos
https:// www.youtube.com/watch?v=8BxwsKtRdFs
https:// www.youtube.com/watch?v=JFTSAjZEqPw

PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DO RENASCIMENTO

• Racionalismo – a razão é o único caminho para se chegar ao conhecimento.

• Experimentalismo – todo o conhecimento deverá ser demonstrado racionalmente.

• Antropocentrismo – colocava o homem como a suprema criação de Deus e como o centro do universo.

• Humanismo – glorificação do homem e da natureza humana, em contraposição ao divino e ao sobrenatural.

1337
1266
A CAPELA DE SCROVEGNI

Contrução: 1303 – 1305.
Internamente possui 29,26 metros de comprimento, largura e altura de 12,80 8,48 ponto superior.
Centro histórico de Pádua, região de Veneto, Itália.
Também conhecida como a Arena ou a Anunciação,
Abriga afrescos de Giotto do início do século XIV.
Considerada uma das obras-primas da arte ocidental .

O Beijo de Judas - Giotto
A Lamentação - Giotto
O Julgamento Final- Giotto
1519
Mona Lisa - Leonardo da Vince
1564

O nome “homem vitruviano” deriva de um trabalho realizado pelo arquiteto romano Marcus Vitruvius Pollio que apresentou um estudo matemático no século I a. C.

Nesse estudo Vitruvius descreve, num Tratado de Arquitetura, as proporções ideais do corpo humano.

Da Vinci representou as proporções ideais do corpo humano masculino. As proporções são perfeitas e expressam o ideal clássico da beleza. Expressa o conceito da “Divina Proporção” que se fundamenta numa das leis que regem o equilíbrio dos corpos, a harmonia das formas e dos movimentos. E esse conceito pode ser estendido ao Universo como um todo. Isso pode ser observado no mundo que nos cerca. Assim, quando achamos algo bonito, harmonioso, significa que essas formas obedecem a uma regra geométrica especial chamada proporção áurea.

Esse estudo demonstra que todas as medidas têm uma proporção exata, podendo ser comprovada.
Mona Lisa: um código oculto em seus olhos
A Última Ceia - leonardo da Vinci
Além do sorriso enigmático.
Vista sob um microscópio, os olhos da “Mona Lisa” revelam pequenos números e letras.
Especialistas dizem que as letras e números mal distinguíveis representam um “código Da Vinci” da vida real: no olho direito parecem estar as letras LV, que poderiam ser a assinatura de Leonardo Da Vinci, enquanto no olho esquerdo há símbolos ainda não definidos. É muito difícil vê-los claramente, mas eles parecem ser as letras EC, ou poderia ser a letra B. No fundo, o número 72 pode ser visto, ou pode ser um L e o número 2. Além disso, o número 149, com um quarto número apagado, aparece por trás da imagem, o que sugere que Da Vinci o pintou quando estava em Milão na década de 1490.
www. prezi.com/user/robertomazinini
Também alvo de muita especulação, geralmente centrada em torno de supostas mensagens ocultas ou sugestões encontradas dentro da pintura. Slavisa Pesci, tecnólogo da informação, criou um efeito visual interessante, sobrepondo uma versão semitransparente e espelhada da pintura em cima da original. O resultado é que duas figuras que se parecem com cavaleiros aparecem em ambas as extremidades da mesa, enquanto alguém possivelmente segurando um bebê está a esquerda de Jesus.

Giovanni Maria Pala, músico italiano, indicou que as posições das mãos e pães podem ser interpretadas como notas em uma pauta musical. Lidas da direita para a esquerda, como era característico da escrita de Leonardo, elas formam uma composição musical.

Sabrina Sforza Galitzia, investigadora do Vaticano, afirmou ter decifrado o enigma “matemático e astrológico” de Leonardo em “A Última Ceia”. Ela disse que ele previu o fim do mundo em um “dilúvio universal”, que começaria em 21 de março de 4006 e terminaria em 01 de novembro do mesmo ano. Ela acredita que isso marcará “um novo começo para a humanidade”.

ROCOCÓ
BARROCO
PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DA PINTURA

• Perspectiva: arte de figura, no desenho ou pintura, as diversas distâncias e proporções que têm entre si os objetos vistos à distância, segundo os princípios da matemática e da geometria.

• Uso do claro-escuro: pintar algumas áreas iluminadas e outras na sombra, esse jogo de contrastes reforça a sugestão de volume dos corpos.

• Realismo: o artista do Renascimento não vê mais o homem como simples observador do mundo que expressa a grandeza de Deus, mas como a expressão mais grandiosa do próprio Deus. E o mundo é pensado como uma realidade a ser compreendida cientificamente, e não apenas admirada.

• Inicia-se o uso da tela e da tinta à óleo.

• Outra característica da arte do Renascimento, em especial da pintura, foi o surgimento de artistas com um estilo pessoal, diferente dos demais, já que o período é marcado pelo ideal de liberdade e, consequentemente, pelo individualismo.

Idade Moderna
Pintura
Escultura
Renascimento
Barroco
Rococó
Capela de Scrovegni
IDADE MODERNA

Tem início em 1453 com a tomada de Constantinopla pelos turcos otomanos e se estende até 1789 com o início da Revolução Francesa.
RENASCIMENTO
Arquitetura
Fachada
Igreja de São Francisco
São João Del Rei - MG
Aleijadinho
Retábulo
Igreja de São Francisco
São João Del Rei - MG
Aleijadinho
Fachada
Igreja de Nossa Senhora do Carmo
Ouro Preto - MG
Aleijadinho
Retábulo
Igreja de Nossa Senhora do Carmo
Ouro Preto - MG
Aleijadinho
Retábulo
Igreja de São Francisco
Ouro Preto - MG
Aleijadinho
Os Doze Profetas
Santuário do Bom Jesus de Matosinhos
Congonhas - MG
Aleijadinho
Projeta Daniel
Santuário do Bom Jesus de Matosinhos
Congonhas - MG
Aleijadinho
Jesus no Horto
Santuário do Bom Jesus de Matosinhos
Congonhas - MG
Aleijadinho
BARROCO
BARROCO
RENASCIMENTO
ROCOCÓ
ROCOCÓ
Contexto histórico

Apesar de perder muito espaço e poder após as Reformas Religiosas Ocorridas no século XVI, a Igreja Católica continua influenciando e muito o cenário político, econômico e religioso da Europa.

A arte barroca surge neste contexto e expressa todo o contraste deste período: a espiritualidade e o teocentrismo da Idade Média com o racionalismo e antropocentrismo do Renascimento.

Artistas patrocinados por monarcas, burgueses e pelo clero.

As obras de pintura e escultura deste período são rebuscadas, detalhistas e expressam as emoções da vida e do ser humano.

A palavra barroco tem um significado que representa bem as características deste estilo. Significa "pérola irregular" ou "pérola deformada" e representa de forma pejorativa a ideia de irregularidade.

O período final do barroco (século XVIII) é chamado de rococó e possui algumas peculiaridades, embora as principais características do barroco estão presentes nessa fase.

Contexto histórico

O período final do barroco (século XVIII) é chamado de rococó e possui algumas peculiaridades, embora as principais características do barroco estão presentes nessa fase.

No rococó existe a presença de curvas e muitos detalhes decorativos (conchas, flores, folhas, ramos). Os temas relacionados à mitologia grega e romana, além dos hábitos das cortes também aparecem com frequência.



Barroco Europeu
As obras valorizavam as cores, as sombras e a luz, e representam os contrates.

As imagens não são tão centralizadas quanto às renascentistas e aparecem de forma dinâmica, valorizando o movimento.

Os temas principais são: mitologia, passagens da Bíblia e a história da humanidade.

As cenas retratadas costumam ser sobre a vida da nobreza, o cotidiano da burguesia, naturezas-mortas entre outros.

Muitos artistas barrocos dedicaram-se a decorar igrejas com esculturas e pinturas, utilizando a técnica da perspectiva.

O pintor renascentista italiano Tintoretto é considerado um dos precursores do Barroco na Europa, pois muitas de suas obras apresentam, de forma antecipada, importantes características barrocas.

Podemos citar como principais artistas do barroco: o espanhol Velásquez, o italiano Caravaggio, os belgas Van Dyck e Frans Hals, os holandeses Rembrandt e Vermeer e o flamengo Rubens.

Tintoretto
Caravaggio
Rubens
Fran Hals
Gean Lourenzo Bernini
Antoon Van Dyck
Diego Velásquez
Rembrandt
Vermeer
Barroco Brasileiro

Diretamente influenciado pelo barroco português, porém, com o tempo, foi assumindo características próprias.

A grande produção artística barroca no Brasil ocorreu nas cidades auríferas de Minas Gerais, no chamado século do ouro (século XVIII). Estas cidades eram ricas e possuíam uma intensa vida cultural e artística em pleno desenvolvimento.

O principal representante do barroco mineiro foi o escultor e arquiteto Antônio Francisco de Lisboa também conhecido como Aleijadinho.

Sua obras, de forte caráter religioso, eram feitas em madeira e pedra-sabão, os principais materiais usados pelos artistas barrocos do Brasil. Podemos citar algumas obras de Aleijadinho: Os Doze Profetas e Os Passos da Paixão, na Igreja de Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas do Campo (MG).

Outros artistas importantes foram: o pintor mineiro Manuel da Costa Ataíde e o escultor carioca Mestre Valentim.

No estado da Bahia, o barroco destacou-se na decoração das igrejas em Salvador como, por exemplo, de São Francisco de Assis e a da Ordem Terceira de São Francisco.

Vênus, Vulcano e Marte (1555) - Tintoretto
São Marcos libertando o escravo (1548) - Tintoretto
O Lavatório (1550) - Tintoretto
São Jorge lutando contra o dragão (1560)
A adoração do bezerro de ouro, o Juízo Final (1562) - Tintoretto
Nome:
Michelangelo Merisi da Caravaggio.
Nascimento:
Em 29 de setembro de 1571 – Milão, Itália.
Falecimento:
Em 1610 - Porto Ercole (Região da Toscana), Itália
Vida e Obra:
Foi um importante pintor italiano do final do século XVI e início do XVII
Retratava personagens bíblicos, principalmente Jesus e Maria, baseando-se em pessoas comuns que encontrava nas ruas de Roma.
Usava um forte realismo na pintura de suas obras.
Colocava o foco da imagem nos rostos dos personagens.
Usava efeitos de sombras e luzes.
Pintava o fundo de suas obras de cores escuras, principalmente de cor preta. Este recurso dava um aspecto obscuro em suas pinturas.
Aos 5 anos de idade foi morar com sua família na comuna italiana de Caravaggio.
Em 1577 seu pai, decorador e arquiteto, faleceu.
Em 1584 foi trabalhar como aprendiz do pintor Simone Peterzano.
Em 1592 retornou para Roma, sem condições financeiras. Foi trabalhar no ateliê de Giuseppe Cesari.
Em 1594, abandonou a ateliê de Cesari e começou a investir em sua própria carreira, buscando influências nos altos escalões artísticos e culturais de Roma.
Em 1594, faz sua primeira grande obra: Os jogadores de Cartas.
Em 1599, foi contratado pelo cardeal Del Monte para decorar a Capela Contarelli.
Em 1602, pintou uma de suas poucas obras de tema não religioso, O Triunfo do Amor.
No começo do século XVII, Caravaggio já era um pintor famoso em Roma e realizou a decoração de diversas capelas, igrejas e catedrais em Roma, Nápoles e Malta.
Em 1606, envolveu-se numa briga e matou um jovem, provavelmente por acidente. Teve que fugir de Roma e foi morar em Malta. Porém, envolveu-se em outras brigas e confusões. Expulso de Malta foi morar na Sicilia (sul da Itália).
Em 1607, retornou para a cidade de Nápoles, após conseguir o perdão do novo papa, Paulo V.
Principais obras de Caravaggio:
Os jogadores de cartas (1594)
Canastra de Fruta (1595)
Repouso na Fuga para o Egito (1596)
A Ceia em Emmaus (1596)
Invocação de São Mateus (1600)
A Prisão de Cristo (1602)
São Mateus e o Anjo (1602)
Martírio de São Mateus (1600)
Crucificação de São Pedro (1601)
O Sacrifício de Isaac (1603)
Conversão de São Paulo (1601)
Deposição (1604)

Os jogadores de cartas (1594) - Caravaggio
A Ceia de Emaus (1596) - Caravaggio
A Prisão de Cristo (1602) - Caravaggio

Nome:
Peter Paul Rubens
Nascimento:
Em 28 de junho de 1577 – Siegen, Alemanha.
Falecimento:
Em 30 de maio de 1640 – Antuérpia, Bélgica.
Vida e Obra:
Foi um importante pintor barroco flamengo do século XVII.
Considerado por muitos historiadores da arte como um dos principais pintores do barroco europeu. Também atuou como diplomata nas negociações de paz entre Espanha e Inglaterra.
No início da carreira de artista foi morar por oito anos na Itália, onde recebeu importante influência artística.
Ao retornar para Antuérpia, onde viveu grande parte de sua vida, recebeu várias encomendas de reis e nobres da época.
Em 1603 foi para a Espanha em missão diplomática.
Em 1609 foi escolhido como pintor da corte do arquiduque da Áustria, Alberto VII.
Entre setembro de 1628 e abril de 1629, fez sua segunda visita à Espanha. A viagem tinha como objetivo informar Felipe IV sobre a situação das negociações de um tratado de paz com a Inglaterra. Rubens foi um defensor da paz entre Espanha e Inglaterra.
Morou em Londres no começo do ano de 1630.
Valorizou a plasticidade da forma.
Pintou mulheres voluptuosas e corpulentas.
Pintura de paisagens com valorizações das cores e movimentos.
Cenas mitológicas.
Cenas dramáticas e paixão religiosa.
Composições dinâmicas.
Principais obras
A adoração dos reis magos (1609)
Prometeu acorrentado (1611 - 1618)
A deposição da cruz (1611 - 1614)
Vênus frígida (1614)
Os silenos bêbados (1617)
O sentido da visão (em parceria com Peter Brueghel em 1617)
A adoração dos reis magos (1624)
Retrato de Suzanne Fourment (1625)
A assunção da Virgem Maria (1625)
Alegoria sobre as bênçãos da paz (1630)
O casaco de peles (1638)

A adoração dos reis magos (1609) - Rubens
Prometeu acorrentado (1611 - 1618) - Rubens
A deposição da cruz (1611 - 1614) - Rubens
Jeremias prevê a destruição de Jerusalém (1630) - Rembrandt
The Mill ( 1645 - 1648) - Rembrandt
1500
1595
1590
1585
1580
1575
1594
1570
1565
1560
1555
1550
1571
1545
1540
1535
1530
1525
1594
1520
1515
1510
1505
1500
1518
1583
1598
1577
1599
1600
1625
1610
1605
1615
1620
1645
1630
1635
1640
1650
1675
1660
1655
1665
1670
1695
1680
1685
1690
1700
1725
1710
1705
1715
1720
1745
1730
1735
1740
1750
1775
1760
1755
1765
1770
1795
1780
1785
1790
Aleijadinho
1800
1810
1805
1815
1814
1666
1641
1606
1669
1632
Narcissus-Caravaggio_(1594-96)
Baldaquino-de-San-Pedro (1634) - Gian Lorenzo Bernini
O Rapto de Proserpina (1621–1622) - Gian Lorenzo Bernini
David (1623–1624) - Gian Lorenzo Bernini
Apolo e Dafne (1622–1625) - Gian Lorenzo Bernini
Nome:
Frans Hals
Nascimento:
Em 1583, Antuérpia – Bélgica.
Falecimento:
Em 10 de agosto de 1666 - Haarlem, Países Baixos.
Vida e Obra:
Foi um pintor naturalista belga. Famoso por retratar a sociedade dos Países Baixos.
Aos três anos de idade mudou-se com a família para os Países Baixos, depois de Antuérpia cair diante dos espanhóis na guerra dos anos e onde viveu o resto de sua vida.
Estudou pintura com o pintor Flemish Karel (1548-1606) que também havia fugido dos espanhóis.
Sua primeira obra foi o retrato do pastor católico de Haarlem “Jacobus Zafftus” em 1611.
Sua primeira esposa, com quem teve duas filhas foi Anneke Hermansz (Annetje Harmensdochter Abeel), que morreu em 1616. Em 1617 casou-se com casou-se de novo com Lysbeth Reyniers e tiveram oito filhos.
Embora bastante procurado por seu trabalho Frans Hals teve grandes dificuldades financeiras durante toda sua vida.
Além da pintura, trabalhou como negociante em um ateliê, foi militar quando a nação neerlandesa lutou pela independência, foi membro da câmara de Rhetoric e presidente em 1644 da Corporação dos Pintores em Haarlem.
Faleceu em Haarlem em 1666 e foi sepultado na igreja de São Bavão da cidade.
Pintou retratos de grupo, retratos individuáis e cenas do cotidiano.
Famoso por seus "schutterstukken", retratos em grupo dos guardas cívicos da época. Ser nomeado "schutterstuk" era considerado uma grande honra e uma tarefa considerável. Frans Hals foi contratado para criar esse importante trabalho cinco vezes.
Seus quadros eram vívidos e pareciam estar em movimento.
Sabia como capturar um momento no tempo e dar a ele vida na tela.
Ao olhar um dos retratos de grupo de Frans Hals, é como se estivessemos interrompendo um momento entre amigos.
Frans Hals esteve à frente de seu tempo, e sua obra seria uma grande influência para muitos grandes impressionistas do século XIX, como Monet, Corbet e Manet. Todos eles visitaram o Museu Frans Hals para admirar sua arte.
Endereço do site do museu Frans Hals: http://www.franshalsmuseum.nl/nl/
Principais obras:
Os cinco "schutterstukken"
O Bebedor Alegre
Malle Babbe
•Garota Cigana
•Cavaleiro Rindo

El alegre bebedor ( 1627-1628) - Frans Hals
Jacobus Zaffius (1611) - Frans Hals
Garota Cigana (1628 - 1630) - Frans Hals
La Malle Babbe, ou Hille Bobbe ou a bruxa de Haarlem (1633 - 1635) - Frans Hals
The Officers of the St George Militia Company (1639) - Frans Hals

Nome:
Gian Lourenzo Bernini
Nascimento:
Em 07 de dezembro de 1598 – Nápoles, Itália.
Falecimento:
Em 28 de novembro de 1680 – Roma, Itália.
Vida e obra:
Foi escultor, arquiteto e pintor.
Estudou em Roma com o pai, também escultor, e em 1616 já dava mostras do seu talento.
Autor de inúmeras obras célebres, entre as quais se destaca o baldaquino da basílica de São Pedro em Roma.
Um dos pioneiros da arte barroca, juntamente com seu rival Francesco Borromini.
Suas primeiras esculturas já eram altamente revolucionárias pelo movimento, valores tácteis e a expressão dos rostos.
Por encomenda do cardeal Borghese, realizou várias obras num estilo independente que representava uma reação contra os conceitos da estatuária renascentista então em voga.
Entre esses trabalhos destacam-se "David lançando a pedra" (1619), "O rapto de Prosérpina" (1621) e "Apolo e Dafne" (1623), hoje na Galleria Borghese, em Roma. Seu "David", no mesmo museu, retratado no ato de lançar a pedra, tem o mérito de envolver o espectador na ação, característica que lhe marcou outras obras.
Matteo Barberini, eleito papa em 1623 com o nome de Urbano VIII, foi seu maior patrono. Durante seu pontificado, o artista criou o baldaquino de São Pedro (1624), as fachadas da igreja de Santa Bibiana e do palácio Propaganda Fide (1627), o projeto dos campanários da basílica de São Pedro. Essa estrutura simbólica, montada em bronze sobre o túmulo do apóstolo Pedro, constitui uma nova fusão de escultura e arquitetura e, pela perfeição de suas proporções, serve de mediador entre o visitante e as dimensões gigantescas da basílica.
Da mesma época datam inúmeros túmulos e fontes, como a da Barcaccia, na Piazza di Spagna, em Roma. Além disso, pintou, fez gravuras e escreveu para o teatro.
Com a sucessão de Inocêncio X após a morte de Urbano VIII em 1644, Bernini perde seu lugar privilegiado no Vaticano para o rival Borromini.
Em 1647 Bernini completou, na capela Cornaro da igreja de Santa Maria della Vittoria, em Roma, o "Êxtase de santa Teresa", um dos pontos altos da escultura barroca.
Pouco depois reconciliou-se com o novo papa, que lhe encomendou a "Fonte dos quatro rios" (1648-1651), peça central da Piazza Navona, também em Roma.
Em 1656, já no pontificado de Alexandre VII, projetou a colunata da praça de San Pietro, a igreja de Sant'Andrea al Quirinale e a escada régia do Vaticano.
Na basílica de São Pedro há outras obras notáveis de sua autoria, como o túmulo de Urbano VIII (1628-1647), que mostra o papa sentado, o braço alçado em gesto de comando. Abaixo, ladeando o sarcófago de bronze, encontram-se duas virtudes em mármore branco, a Caridade e a Justiça. Por cima do sarcófago a figura da Morte parece escrever o nome de Urbano numa folha.
Outro famoso túmulo é o de Alexandre VII (1671-1678), executado, porém, em grande parte, por seus discípulos.
A fama do escultor e arquiteto ultrapassou as fronteiras da Itália. A convite de Luís XIV, Bernini passou algum tempo em Paris. Seus projetos para a fachada do Louvre não chegaram, no entanto, a ser executados. De sua estada na França só ficaram um busto de Luís XIV, vários desenhos e a estátua equestre do rei francês.
Em seus últimos anos Bernini restaurou a ponte do castelo de Sant'Angelo (1667-1669), para a qual criou uma série de anjos amargos e dolentes.
Bernini foi durante mais de dois séculos desprezado pelos acadêmicos e classicistas e considerado o melhor exemplo do mau gosto e da monstruosidade artística. Com a reabilitação do estilo barroco no século XX, voltou a ser reconhecido como um dos maiores escultores e arquitetos de todos os tempos.
De suas pinturas, conservam-se o "Martírio de são Maurício" (c. 1630), no Studio del Musaico, do Vaticano, e o auto-retrato na Galleria degli Uffizi em Florença.

Contexto social e histórico
Século XVII. França e Inglaterra dominavam as disputas diplomáticas da Europa. Enquanto a Inglaterra era uma potencia marítima, a França dominava a exportação de produtos manufaturados como tecidos (seda, lãs, fitas, malharia), roupas e artigos de luxo.

As pesquisas científicas iniciadas pelos iluministas durante o Renascimento trouxeram inovações para o século XVII na área de estudos das cores: Isac Neuxton (1642-1727) isola as cores principais do espectro da luz – as cores primárias (azul, amarelo e vermelho), delas nascem todas as outras cores. Johann Tobias Mayer estabelece a gama de nuances listando 91 principais e 9381 tonalidades discerníveis pelo olho humano. Através destes conhecimentos os fabricantes de tintas trazem novos avanços para seus produtos. Durante o reinado de Luís XV (1715 - 1774) de tons mais sutis, já seu sucessor Luís VXI (1774 -1789) viveu durante seu reinado uma moda de cores mais fortes e vibrantes.

O reinado da Regência (1715-1723) teve como característica: perda do sentimento de corte, a necessidade de ver e ser visto foi ofuscado pela pompa e etiqueta de Versalhes, onde privilegiava-se encontros que enalteciam o dom da conversação. Com a chegada de Luís XV, a corte volta a desfrutar de uma certa liberdade, deixando um pouco de lado o cerimonial do palácio de Versalhes.

A burguesia passa a ansiar pela vida de prazeres da corte, assim ostentar grandes fortunas em salões decorados com todo o luxo e requinte os fazia sentirem-se mais perto da nobreza. As vestimentas também refletiam essa necessidade, sendo tão ricas e originais quanto a de qualquer nobre.

Neste contexto de riqueza, luxo e prazer surge a estética rococó, também conhecido como “Estilo Regência”. Surge em 1700 na cidade de Paris, buscando a sutileza em contraposição a dramaticidade do Barroco, adotando ares mais frescos e alegres ao enaltecer o lado belo da vida. Teve grande desenvolvimento entre 1715 e 1730, durante a regência de Filipe de Orléans. Reflete o comportamento próspero, feliz de luxo e ostentação da elite francesa de Paris e Versailles. Espalha-se na Europa, principalmente na Alemanha e na Austria. Chegou à América em meados deste século XVIII. Esteve presente na pintura, arquitetura, música e escultura.
O nome vem do francês rocaille (concha), e que é um dos elementos decorativos mais característicos desse estilo.

Principais características:
Existe uma alegria na decoração carregada, na teatralidade, na refinada artificialidade dos detalhes, mas sem a dramaticidade pesada nem a religiosidade do barroco.
Pelo exagero, tenta-se comemorar a alegria de viver, inclusive nas obras sacras, em que o amor de Deus pelo homem assume agora a forma de uma infinidade de anjinhos rechonchudos.
Tudo é mais leve, como a despreocupada vida nas grandes cortes de Paris ou Viena.
Uso de cores luminosas e suaves, em contraposição às cores fortes do Barroco.
Estilo artístico marcado pelo uso de linhas leves, sutis e delicadas.
Utilização de linhas curvas.
Uso de temas da natureza: pássaros, flores delicadas, plantas, rochas, cascatas de águas.
Uso de temas relacionados a vida cotidiana e relações humanas.
Representação da vida profana da aristocracia.
Arte sem influência de temas religiosos (exceção do Brasil).
Busca refletir o que é refinado, agradável, sensual e exótico.

Exemplos de artistas do Rococó:
Pierre Lepautre – decorador francês
Jean Bérain – gravurista francês
Jean-Antoine Watteau – pintor francês
Juste-Aurèle Meissonier – pintor, escultor, desenhista de móveis e arquiteto francês.
Nicolas Pineau – entalhador e designer de interiores francês.
Jean-Honoré Fragonard - pintor francês

O Rococó no Brasil
Ao contrário do que aconteceu em grande parte dos países europeus, o Rococó ao chegar ao Brasil em meados do século XVIII teve influência de temas religiosos, manifestando-se, principalmente, no campo da arquitetura. A arquitetura religiosa do Rococó brasileiro pode ser vista nas cidades históricas de Minas Gerais, em Belém e Pernambuco.

Além de ser um artista do Barroco, Aleijadinho foi também um dos principais representantes do Rococó no Brasil.
Full transcript