Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

PROJETO DE PESQUISA

No description
by

Suzan Toller

on 19 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PROJETO DE PESQUISA

Desenho no desenvolvimento da criança
Pesquisar situações que demonstrem que os primeiros desenhos são um importante passo no desenvolvimento da criança.
Pergunta de Pesquisa:
Por que trabalhar com desenho na educação infantil?

O que podemos aprender sobre as crianças quando propomos situações de desenho para elas?

Como organizar um projeto de trabalho sobre desenho para e com as crianças de 14 meses até os 4 anos anos ao longo de um ano?
Origem da pergunta de pesquisa:

A partir de observações de crianças desenharem, em espaços diferentes, não estabelecidos, mesmo sendo "rabiscos" é possível notar professores, adultos, interferirem para mostrar um padrão pré-estabelecido de desenho correto, ou até mesmo com a ideia que desenhar não tem sentido nenhum para a criança, a não ser como passa tempo, ou apenas para diversão. 
Em virtude de casos como estes, resolvi escolher essa pergunta de pesquisa, para provar
os benefícios que o desenho proporciona ao longo do desenvolvimento da criança
. 
Fase da Garatuja:
PROJETO DE PESQUISA
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Educação
Disciplina: Ação Padagógica com Crianças de 0 a 10 anos
Professor: Gabriel de Andrade Junqueira Filho
Aluna: Suzan Töller
2014/2

Thank you!
RECORTE DO TEMA:
UNIVERSO DO TEMA:
O primeiro contato da criança com o lápis e o papel, ainda que pareça um ato mecânico é a imitação do adulto. É experimentando traços aparentemente sem nexo - as chamadas garatujas - que as crianças pequenas desenham na tentativa de representar o que interpretam do mundo à sua volta. A criança faz rabiscos inicialmente sem atribuir sentido, posteriormente o investe de significado de seu mundo imaginário. A partir deste momento, cada garatuja passa a representar um universo e uma identidade pessoal e por isso é tão importante.
"Cada rabisco, uma descoberta"

Desde a década de 1970, a pesquisadora americana Rhoda Kellog estuda os primeiros traços das crianças. Kellog mapeou 20 tipos de rabiscos de crianças de até dois anos de idade, produzidos de maneira bastante primitiva em variadas combinações.
A garatuja é o nome dado aos rabiscos infantis, eles podem não fazer muito sentido, mas é uma maneira da criança se comunicar.
Justificativa
Acredito que os primeiros rabiscos, desenhos, são um importante passo no desenvolvimento da criança, pois é neste momento que a criança se expressa e automaticamente conduzirá a criança não só ao desenho e á pintura, mas também à palavra escrita.
Desta maneira a criança começa a estabelecer padrões de aprendizagem, e poderá contribuir imensamente para seu desenvolvimento através da interação entre a criança e seu meio, iniciando a aprendizagem.
E a forma como os rabiscos, desenhos forem recebidos pode ter enorme importância em seu contínuo crescimento.
"Todas as crianças começam com rabiscos, mesmo que sejam chinesas ou esquimós, americanas ou europeias." (Kellogg, 1967)
Assim, com esta pesquisa, pretendo procurar alternativas para ressignificar o trabalho do professor na educação infantil, valorizando as crianças e as suas produções de conhecimento nos diferentes níveis de aprendizagem em que eles se encontram em relação à rabiscos, desenhos.
Encontrar formas de valorização nos desenhos, evidente que são parte natural do desenvolvimento completo das crianças, e dessa nova descoberta estimula, a qual reflete sua evolução.
Objetivos:
Em determinado tempo, à criança descobrirá que existe uma ligação entre seus movimentos e os traços que faz no papel. Isto pode ocorrer, mais ou menos seis meses após ter começado a garatujar. Trata-se de um passo muito importante, pois a criança já descobriu o controle visual sobre os traços que está fazendo. A criança compreende e desfruta a prática dessa nova aptidão.
A partir desse recorte e dos estudos realizados para este projeto, é possível pensar que uma importante conquista é o
controle sobre a capacidade motora
.
Algumas vezes, as garatujas serão feitas nas imundícies,
nas paredes ou nos móveis, se os instrumentos e um lugar adequado não forem proporcionados
ao trabalho criador infantil.
É com a exploração desses rabiscos que a criança vai construir sua produção autorial.
É papel do professor criar um ambiente em que o desenho possa ser cultivado (exemplo de atividade: Criação com desafio).

Quando possível, oferecer diversidade de materias e suportes colabora para ampliar o repertório e estimula a viagem criativa da criança.
Criação com desafio:

Objetivos
- Desenhar de acordo com diferentes estímulos sensoriais.

- Descobrir possibilidades gráficas.

- Trocar repertório gráfico com os colegas.

- Produzir interferências criativas.
Conteúdos:
- Desenho
- Texturas
- Grafismos

Ano:
Pré-escola

Tempo estimado:
Aulas de 50 minutos
Materiais necessários:

Vários sacos opacos com objetos de texturas diferentes (pedras, tecidos, lixas, botões, grãos, folhas etc.); papel sulfite recortado em tamanhos pequenos; cartolina branca cortada em pedaços maiores que os de papel sulfite; pedaços de tecido, lixas, papelão ondulado, papel de seda ou outro material para suporte; molho de chaves; sino de mesa; casca de coco; sachês de chá de diferentes aromas e canetas hidrográficas pretas.
• Atividade 1

Coloque os sacos plásticos com as diferentes texturas sobre uma mesa e peça para que as crianças coloquem a mão dentro e percebam a superfície deles. Depois de cada toque, elas devem desenhar em um pedaço pequeno de sulfite de acordo com a sensação que tiveram. Elas só poderão ver o que tem dentro depois.
• Atividade 2

Ofereça suportes de diferentes cores, tamanhos e texturas. Solicite que todos fechem os olhos e produza estímulos sonoros e olfativos: chacoalhe chaves, toque um sino de mesa, bata na casca do coco e balance os sachês de chá próximo às crianças. A cada ação, peça que abram os olhos e façam um desenho, todos no mesmo suporte.
• Atividade 3

Coloque as produções das atividades anteriores em dois sacos. Cada criança retira um pedaço de papel de dentro deles, escolhe um pedaço de cartolina para colá-lo e desenha com caneta hidrográfica preta com base nele. Esse papel já com a intervenção será o suporte de uma obra maior. Algumas crianças podem realizar um único trabalho enquanto outras, vários. O tempo de envolvimento de cada uma também é traço da marca pessoal. Por isso, as atividades precisam ser flexíveis para atender essas diferenças.
Avaliação:
Observe as diferenças de resultados após os estímulos táteis, sonoros e olfativos e identifique a troca de repertório entre o grupo. Faça uma apreciação coletiva do que foi criado nas diferentes situações, identificando o uso de grafismos e texturas. Verifique as transformações nos desenhos realizados em várias situações e, quando julgar necessário, faça intervenções individuais.
A força que faz inventar os modos de desenhar, de jogar com a percepção, de brincar com linhas, formas e cores tem de ser potencializada pelo educador.
Lembre- se, por trás de cada rabisco existe um pensamento que expressa o tipo de personalidade de cada criança. Assim, é preciso que o educador faça uma planilha comparando as características ao longo do ano, conforme a criança vai desenvolvendo.
PROJETO DE TRABALHO:
Full transcript