Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

GÊNEROS NA ARTE

No description
by

Wagner Bôa Morte

on 23 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of GÊNEROS NA ARTE

RETRATO
OS AUTORRETRATOS DE FRIDA KAHLO
GÊNEROS NA ARTE
Retratos e Autorretratos
AUTORRETRATO
De que forma o sofrimento pode esculpir um artista?  
O autorretrato é definido como um retrato (imagem, representação) que o artista faz de si mesmo, independente do suporte e da técnica escolhida. Em seus autorretratos, os artistas buscam evidenciar traços físicos e piscológicos.
Representam sua experiência pessoal.
Afirmam a identidade nacional mexicana (a artista adotava elementos do folclore e da arte popular do México).
Fatos da vida.
Por quê temos a necessidade de classificar fatos, objetos, pessoas ou lugares?
Classificar é inerente ao ser humano?
O que se entende por tipos e gêneros?
Que traços caracterizam os gêneros:
RETRATO
AUTORRETRATO
NU ARTÍSTICO
NATUREZA-MORTA
PAISAGEM
TIPOS E GÊNEROS
É uma pintura, escultura, fotografia ou outra representação artística de uma pessoa.
Ex: “La Gioconda”, de Leonardo da Vinci.

RETRATO CLÁSSICO – a pessoa não deve ficar de frente e no centro, como se faz quando se tira uma foto para documento.
O ideal – posição 3/4 - perfil parcial, com as costas próximas a uma das margens e frente voltada levemente para o lado maior da "foto" e os olhos direcionados à objetiva da câmera (fotografia). Olhos baixos podem significar depressão, tristeza, timidez, assim como olhos altos podem indicar orgulho, arrogância e contemplação.
Ex: "Moça com brinco de pérola", de Vermeer.
Rainha de Tunis
Cardos Drumond de Andrade
Moça com brinco de pérola
Servo de Dom Miguel de Castro
com cesto decorado
Dança dos Tapuias
O artista trabalhava os tons expostos à claridade.
Seus temas preferidos: os da vida privada e dos costumes da Holanda seiscentista.
Vermeer documentava os momentos da vida cotidiana com uma beleza delicada.
As cores empregadas e a ausência de cenário tornam, nesta obra, a moça o próprio tema da obra.
Retrato “ideal”.
Realismo
A obra está equilibrada assimetricamente.
Johannes Vermeer – Barroco holandês.
As Duas Fridas
Autorretrato com coluna partida
Autorretrato com vestido de veludo
O 1º autorretrato de Frida Kahlo
Adota estilo reconhecido como “ingênuo” (emprego de zonas de cores amplas e simples).
 "Pinto a mim mesma porque sou sozinha e porque sou o assunto que conheço melhor."
TEMAS MAIS RETRATADOS
Colares ortopédicos e cadeiras de rodas.
Roupas tradicionais mexicana/monoselha.
Pintava-se em quartos frios – solidão; sua figura com vastas paisagens vazias.
Vídeo - O acidente de Frida
Pinta suas angústias, suas vivências, a intensidade dos seus sentimentos, os medos, as raivas, os sonhos e o amor por Rivera.
Telas cheias de revolta e tristeza: gravidez e abortos.
Autorretrato dedicado a Trotsky
Vídeo - Dor e Arte
Fazer uma visita ao sítio http://fridakahlofans.com./
- Menu principal
- Ler biografia da artista
- Galeria de pinturas por ano
- Nos autorretratos - escolha dois para detalhar sua visita, dando atenção para:
- nome da obra/ano/técnica
- características da obra
- simbologia, etc.
A ARTE FLAMENGA NO BRASIL
Arte do período colonial - 1ª metade do século XVII
Nordeste brasileiro - Pernambuco
Como surgiu?
Comitiva da “missão científica” de Maurício de Nassau – 1637 a 1644.
Artistas – Albert Eckhout e Frans Post.
Um médico, um astrônomo e um poeta.
Objetivo – registrar o governo do representante holandês e da nova terra, que era desconhecida pela maioria dos europeus.
OS TEMAS de ECKHOUT
Retratos de nativos, habitantes do Brasil e originários da África (Índio Tupi) e naturezas-mortas.
OS TEMAS de POST
Paisagens (Vista de Olinda), estudos topográficos e cenas de batalhas.
Efeitos visuais que aproximam o espectador da obra de Eckhout
Frutas brasileiras
A produção de Eckhout
Em terras brasileiras – problemas com a nudez do indígena brasileiro – formação calvinista.
Com relação ao contexto e à técnica as pinturas são divididas em retratos e naturezas-mortas.
No Brasil, o artista produz um conjunto de cerca de 400 desenhos e esboços a óleo originados da observação direta de espécimes vivos encontrados em suas excursões pelo território brasileiro ou pelo jardim botânico criado por Nassau.
Eckhout torna-se conhecido principalmente pelo conjunto de 21 telas a óleo sobre motivos brasileiros. Tal conjunto é constituído de:
quatro pares de retratos etnográficos dos habitantes do Brasil no século XVII - Homem Tapuia, 1643 e Mulher Tapuia, 1641; Homem Tupi, 1643 e Mulher Tupi, 1641; Homem Mulato, s.d. e Mulher Mameluca, 1641 e Homem Negro e Mulher Negra, ambos de 1641.
uma série de 12 naturezas-mortas com frutas e vegetais tropicais ou cultivados em solo brasileiro (todas sem indicação de data)..
um painel - “Dança dos Tapuias (óleo s/madeira, 168x294cm).
Os retratos de Eckhout
O número de pinturas, seus temas (o exótico) a composição sugerem claramente que foram concebidas como decoração.
O conteúdo botânico, zoológico e etnográfico é menos relaista do que se supõe normalmente.
8 grandes telas – quatro pares de retratos em tamanho natural (tipologia dos habitantes da colônia (negro, índio e o mestiço) inseridos em uma cena narrativa.
Pinturas imponentes pelas dimensões e temas; concebidas, provavelmente, para impressionar o apreciador europeu do século XVII.

VAMOS OBSERVAR ALGUNS DETALHES:

Note que a composição dos quatro pares etnográficos segue um padrão encontrado em ilustrações de livros de viajantes: a figura é colocada no centro do primeiro plano, , solitária, em tamanho natural e em posição frontal (figuras vestidas) e em posição 3/4 (figuras desnudas). Suas posturas remetem a retratos europeus da época.
Ao fundo, tem-se a linha do horizonte situada bem abaixo da linha mediana, separando a longínqua paisagem e o céu.
Na composição, elementos característicos do habitat de cada etnia aparecem por todo o quadro e servem a sua construção simbólica (cultura e costumes, a fauna e a flora, em alguns casos objetos africanos ou indígenas misturados a objetos típicos europeus.
Até a década de 70, o valor artístico da obra de Eckhout era contestado, pois sua produção era vista somente como documento histórico.
Eckhout não deu título para as telas brasileiras e assinou apenas 7 delas.
Por causa do tamanho, as telas foram pintadas para ficar no Palácio de Friburgo, residência oficial do Conde de Nassau no Brasil.
Com a expulsão dos holandeses pela coroa portuguesa, o conde as levou para a Dinamarca.
Albert Eckhout nasceu em 1610 e morreu de malária em 1666..
Considerações
Este quadro destaca o registro da cena de um ato cerimonial, a dança Tapuia, que representa a preparação para o confronto com o inimigo. A cena é composta por oito índios e duas índias, além de um animal específico, um tatu, representando a zoologia. O movimento, as sombras e as características peculiares dos índios ficam evidentes na composição, declarando fortemente relações entre composição, harmonia e vitalidade.
Dança dos Tapuias, de Eckhout (Obra PAS)
Servo de Dom Miguel de Castro com cesto decorado (Obra PAS)
Diferente dos outros quadros, não apresenta frontalidade e nem a paisagem entorno da figura. Um africano ricamente vestido, um paradigma dos escravos negros do Brasil, mas este, serve ao embaixador do Congo. O que nos chama a atenção é o olhar deste escravo, que nos mostra, por exemplo, a submissão e oferenda do objeto em sua mão.
Homem e Mulher Tapuia
Homem e Mulher Tupi
Homem mulato e mulher mameluca
Naturezas-mortas
Homem africano e mulher africana
Valorizados por sua qualidade documental, hoje se sabe que uma intricada relação entre ideal e realidade deu origem a essas pinturas.
Talvez por isso essa mulher assemelhe-se tão pouco a imagem real de uma escrava da época.
 Chapéu decorado com penas de pavão.
Os adornos da Mulher Negra
Brincos e gargantilha com pingente de pérolas, colar de coral vermelho.
Pulseira de ouro ou latão e um bracelete de miçangas nos alertam para o caráter idealizado da figura enfocada.
Mulher negra (1641)
O cesto em sua mão direita é originário de Angola ou da República Democrática do Congo, associando a mulher ao ponto de origem da maioria dos escravos negros dos holandeses no Brasil.
Do mesmo modo, os porquinhos-da-índia aos pés da Mulher Mameluca e o cão selvagem entre as pernas da Mulher Tapuia devem ser entendidos como sinais exteriores do índice de civilidade de cada personagem. Nesse sentido, deve-se sempre ter em mente que esses retratos de certa forma fixam mais a perspectiva da dominação holandesa no Brasil do que o próprio Brasil.
A série de naturezas-mortas, com medidas entre 85 x 85 cm e 93 x 93 cm, impressiona pela riqueza de cores e detalhes e naturalmente pelo tamanho das frutas e vegetais. A disposição dos frutos sobre uma mesa ou parapeito, em primeiro plano muito próximo ao espectador e em contraste com o fundo acinzentado do céu, realça o caráter exótico do conjunto. Por outro lado, tal composição restabelece os vínculos de Albert Eckhout com o ramo mais "especializado" da pintura de gênero holandesa do século XVII: a pintura de natureza-morta.
Dom Miguel de Castro
Na cintura, um cachimbo semelhante ao dos holandeses.
Brasil, o Novo Mundo de Eckhout - Vídeo (9:54)
Full transcript