Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Tratado de Argumentação - Chaim Perelman

No description
by

Geizy Fernandes

on 1 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Tratado de Argumentação - Chaim Perelman

Técnicas Argumentativas Chaïm Perelman Argumentos quase lógicos - Os argumentos quase lógicos são aqueles que, por sua estrutura, lembram os raciocínios formais. Os Argumentos Baseados na Estrutura do Real Os argumentos fundados na estrutura do real servem-se de formas lógicas ou matemáticas para estabelecer uma solidadriedade entre juízos aceites e outros que procura desenvolver. As Ligações que Fundam a Estrutura do Real São ligações que fundam o real como caso particular. Pode desempenhar papéis muito diversos: como exemplo, permitirá uma generalização, como ilustração, apoiará uma regularidade já estabelecida; como modelo, incitará à imitação. (Tratado de Argumentação) A linguagem vulgar = argumentação com possibilidade de interpretações variadas.
Uma palavra repetida duas vezes numa mesma proposição pode ser tomada, se tal for necessário, em dois sentidos diferentes.

Ex.: Entramos e não entramos duas vezes no mesmo rio. Os argumentos quase lógicos são aqueles que lembram os raciocínios formais, dedutivos, no entanto, pelo fato de empregarem a linguagem natural, isto é, ordinária, vulgar, são suscetíveis de interpretações variadas, o que não é possível com a linguagem formal que é unívoca. Tautologias: “crianças são crianças”. A linguagem formal admite apenas uma única forma de interpretação A linguagem natural, vulgar, porque quase sempre se pode encontrar uma escapatória, graças a reinterpretação dos termos utilizados. Vertentes utilizadas por Perelman nos argumentos quase lógicos:

- Absurdo e Incompatibilidade
- Retorsão
- Identidade formal e identificação
- Reciprocidade e Regra da Justiça
- Trasitividade
- O Todo e suas partes (A concepção de um todo como a soma de suas partes pode servir de fundamento a uma série de raciocínios que se podem qualificar de argumentos de divisão e de argumentos de espécies)
- Dilema
- Comparação
- Probabilidade não-calculáveis (Aos argumentos quase lógicos ligam-se todos os que se referem a probabilidades não calculáveis)
O Vínculo causual e a argumentação que permite argumetações de três tipos:

- As que tendem a ligar um ao outro dois acontecimentos sucessivos dados, por meio de um vínculo causual.
- As que, sendo dado um acontecimento, tendem a descobrir a existência de uma causa que o tenha podido determinar.
- As que, sendo dado um acontecimento, tendem a pôr em evidência o efeito que dele deve resultar.
Algumas vertentes utilizadas por Perelman Argumento Pragmático que transita da causa para o efeito e do efeito para a causa.

Ex.: Nunca se poderá estabelecer ou salvaguardar a paz, nem a segurança, nem sequer a simples amizade entre os homens, enquanto prevalecer a opinião de que o poder é fundado na Graça e a religião deve ser propagada pela força das armas. (Locke)
O Vínculo causal como relação de um facto com a sua consequência ou de um meio com um fim. Um mesmo acontecimento será interpretado, e diferentemente valorizado, consoante a ideia que formarmos da natureza, deliberada ou involuntária, das suas consequências.

Os fins e os meios, existe uma interação entre os objetivos que se perseguem e os meios postos em ação para os realizar.
Ex.: Propaganda e publicidade.

Ligação simbólica. O vínculo simbólico é encarado como fazendo parte do real, mas não se refere a uma estrutura definida deste último.

Entre outras.

Full transcript