Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Hipertensão arterial

No description
by

Priscila Missaki Nakamura

on 1 December 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Hipertensão arterial

Aferição da PA
Pressão arterial
Prevalência
Sistema Nervoso Simpático
Endotélio vascular
Sistema Renina- Angiotensina
Estresse
Alcool
Hipertensão arterial
Hipertensão arterial
Externo
Hipertensão arterial
Gastos
Mortes
http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs310/en/
Vigitel, 2013
http://www.worldlifeexpectancy.com/world-rankings-total-deaths

PA=
débito cardíaco
X resist. vascular periférica
DC=FC X V. Sistólica
Ação Rápida
Ação Lenta
Barorreceptores-
neural
Barorreflexo
Sono, exercício físico, mudança postural,etc
PA estável
PA=
Diminui simpático

Aumento vagal
PA=
Aumento simpático

Diminui vagal
Receptores
Cardiopulmonar - Câmaras cardíacas e vasos pulmonares
Fibras vagais mielinizadas - aumento da
atividade renal e aumento do fluxo urinário
e diminuição da vasopressina plasmática
Quimiorreceptores arteriais
Corpúsculos aórticos e carotídeos
Ph, PO2, PCO2
Barorreceptores ou Quimíco
Rim-
Renal
Sistema Renina- Angiotensina
Hormonal
Enzima- Renina
Controle Miogênico
Angiotensina I
Angiotensina II
Proteina
Angiotensinogênio
1) Ação simpática- Noradrenalina - Justaglomerulares - Renina
2) Barorreflexo -Justaglomerulares
3) Diminuição do sódio- Justaglomerulares
Furchgott e Zawadzki, 1980
Relaxamento da músculatura lisa dos vasos
Oxido nitrico - NO
endotélio vascular
Formação NO
L-Argina
Óxido nítrico sintase (NOs)
NO e Citrulina
Inflamatório
Imunológicos
Induzidos
endotélio- eNOS
neurônio- nNOS
Indúzivel- iNOS
NOS
Acetilcolina, adrenalina, ATP, angiotensina II e tensão de cisalhamento
Ca
eNOS (+)
NO (+)
Relaxamento
Musculatura lisa
Monofosfato cíclico de guanina (GMPc)
Proteina quinase depen. GMPc (PKG)
Canais de K (+)
Ca
http://www.dableducational.org/
sphygmomanometers/devices_2_sbpm.html e http://www.
bhsoc.org/bp_monitors/automatic.stm
Há diferença?
http://www.efdeportes.com/efd106/avaliacao-da-pressao-arterial.htm
http://rmmg.org/artigo/detalhes/426
Como aferir?
1- 5 min de repouso e sem conversar
2- beixa cheia, praticou exercício intenso 60 min, bebidas alcoolicas, fumou 30min
3- Sentado, pernas descruzadas, pés apoiados no chão, dorso encostado na cadeira e relaxado
4- Braço na altura do coração; livre de roupas, apoiado com a palma da mão voltada para cima e o cotovelo ligeiramente fletido
1. Obter a circunferência aproximadamente no meio do braço. Após a medida selecionar o manguito de tamanho adequado ao braço*.
2. Colocar o manguito, sem deixar folgas, 2 a 3 cm acima da fossa cubital.
3. Centralizar o meio da parte compressiva do manguito sobre a
artéria braquial.
4. Estimar o nível da pressão sistólica pela palpação do pulso radial. O seu reaparecimento corresponderá à PA sistólica.
5. Palpar a artéria braquial na fossa cubital e colocar a campânula ou o diafragma do estetoscópio sem compressão excessiva.
6. Inflar rapidamente até ultrapassar 20 a 30 mmHg o nível estimado da pressão sistólica, obtido pela palpação.
7. Proceder à deflação lentamente (velocidade de 2 mmHg por
segundo).
11. Se os batimentos persistirem até o nível zero, determinar a pressão diastólica no abafamento dos sons (fase IV de Korotkoff) e anotar valores da sistólica/diastólica/zero.
12. Sugere-se esperar em torno de um minuto para nova medida, embora esse aspecto seja controverso.
13. Informar os valores de pressões arteriais obtidos para o paciente.
14. Anotar os valores exatos sem “arredondamentos” e o braço em que a pressão arterial foi medido
8. Determinar a pressão sistólica pela ausculta do primeiro som (fase I de Korotkoff), que é em geral fraco seguido de batidas regulares, e, após, aumentar ligeiramente a velocidade de deflação.
9. Determinar a pressão diastólica no desaparecimento dos sons
(fase V de Korotkoff).
10. Auscultar cerca de 20 a 30 mmHg abaixo do último som para
confirmar seu desaparecimento e depois proceder à deflação rápida e completa.
Crianças e adolescentes
http://www.sbh.org.br
Fatores de risco
1- Idade
2- Gênero e etnia- Homens até os 50 anos e depois inverte, Cor não branca;
3-Excesso de peso e obesidade;
4-Ingestão de sal;
5-Ingestão de alcool;
6- Inatividade física
7- Sedentarismo;
8- Fatores socioeconômicos;
9- Genética
Genética
Sal
Sensíveis e resistentes
Hiperatividade do SNS, maior ganho de peso
dieta hipersódica,maior ingestão de sal espontânea;
Rim- Sensibilidade ao sal;
Resposta vascular renal alterada;
Sensibilidade a Renina com a presença do sal;
Alteração a resposta vascular de angiotensina II
PA=
débito cardíaco
X resist. vascular periférica
DC=FC X V. Sistólica
= Volume sanguineo - Normo e hipertenso
SNS
Aumento noradrenalina
Vasoconstrição
(intermitente)
Alterações renais (evitando diurese)
Simpático
Renina
Angiotensina
Lesões
SNS
Lesões
Hipertensos
Depressão no barroreflexo
Apnéia do sono, obesidade, síndrome metabólica, resistência a insulina
Rim
Inatividade física
Hemodinâmicos
Vasoconstrição sistêmica e renal;
Redução da sensibilidade dos barorreflexo;
Aumento do tônus simpático;
Retenção Hidrossalina
Não hemodinâmicas
Hipertrofia cardiaca;
Disfunção endotelial;
Remodelamento vascular;
Glomeruloesclerose renal
Hipertensão arterial
Relaxantes
Óxido Nitrico
;
Prostaciclina
(PGI2)
;
EDHF
- endothelium derived hyperpolarizing factors

Constritores
EDCF-
endothelium derived constrictor factors;
Espécies reativas do oxigênio
(EROS);
Ang II;
Prostaglandina H2;
Tromboxano A;
Endotelina 1;
1) Diminuição do NO;
2) Maior liberação dos EDCF;
Fatores patogênicos.....
Hipertensão arterial
Doenças renais crônicas
Sistema Renina-Angiotensina
Sistema Nervoso Simpático- Reabsorção de sal e água
Endotélio
Deficiência nos peptídios natriuréticos (5 tipos) -
Vasodilatadoras sistêmicas e renais, diuréticas,
inibem o sistema simpático e ang II, diminuem
reabsorção de sódio
Pressão Arterial
FC
Sistema Catecolaminérgico
Hipotalâmica-Hipofisiário-Adrenal
Conflitos psicossociais
Ativação Simpática
Esteroides adrenocorticais
Hipertensão arterial
Obesidade
Má alimentação
Estress.....
Hipertensão arterial
Mortalidade

Physical Activity and Public Health in Older Adults: Recommendation from the American College of Sports Medicine and the American Heart Association. Nelson et al (2007)
Atividade Física
Recomendações
http://www.acsm.org/public-information/position-stands
https://www.acsm.org/public-information/articles/2012/01/19/living-with-hypertension
Exercícios aeróbios
Evidência C- Altos nível de AF e aptidão física em homens brancos
Evidência A- PA em repouso
Evidência B- Maior em hipertenso
Treinamento aeróbio dinâmico - Normotenso e Hipertensos
Efeito agudo do exercício
- Evidência B- Diminuição após exercício aeróbio
Treinamento resistido
- Evidência C- Exercícios estáticos
Evidência C- Pouca redução pós exercício
Alterações com AF
Sistema Nervoso Simpático
Sistema Renina Angiotensina
Segurança
Histórico familiar, exame físico, doenças, orgãos afetados, doenças vasculares e causas da doença
Cuidado/ Dicas
Exercício Agudo
Exercício Crônico
Diminuição da PA
Diminuição da resist. periférica
Hipotensão Pós exercício
Diminuição - Simpático (Neural)
Local (Vascular)
Alterações nas respostas vasculares
Oxido nitrico,
prostagdinas;
adenosina e ATP
Vasodilatação
Hipotensão Pós exercício
Redução da resistência total periférica
Lei de Poiseuille - RTP=viscosidade do sangue e comprimento do vaso
Alteração do diâmetro do vaso
(vasodilatação- NO)
Adaptações estruturais
Neurohumoral
Genética + Ex. Físico
PA
Treinamento
Diminuição da atividade do nervo simpático (hipertensos)
Maior atividade do baroreflexo
Redução na norepinefrina
Melhora na sensibilidade da insulina
Diminuição da PA
3 mecanismos
Hipotensão pós exercício
Redução Ang II (normotenso)
Redução renina (normotenso)
Não ocorre em hipertensos
Exercício
Recomendações
Avaliação
Categoria A ou B- PA <180/110mm Hg - < 60% VO2R - sem teste

Categoria C sem doenças vasculares- PA >180/110mmg Hg 40% a 60% VO2R- teste

Pessoas com doenças vasculares (isquemia)- > 60% VO2 R (intenso) - Teste em clínicas

Idade,
Presença de doenças cardiovasculares,
Intensidade do exercício;
Frequência cardiaca- Beta bloqueadores
Parar o teste/exercício- > 250mm Hg e 115 mm Hg- Cuidado
Aeróbio- <220/105 mm Hg
1) Remédios- Problema em controlar a temperatura corporal-Ambientes quentes e umidos - Hipoglicemia
Cuidados- vestimenta, hidratação, redução do remédio, horário da atividade, sintomas de super aquecimento, hipoglicemia
2) Alfa bloqueadores, calcio bloqueador e vasodilatadores- Hipotensão durante o exercício
Cuidados- Momentos de volta a calma
3) Informar os alunos dos benefícios da prática regular de AF
Exercícios aeróbios- Evidência A
Exercícios resistidos- Evidência B
Full transcript