Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Identidade e Diferença

No description
by

Mayana Rocha Soares

on 26 March 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Identidade e Diferença

BLOCO 1
Teorias sobre cultura, identidade e diferença, identidade nacional, etnicidades e pós-colonialismo
Por Mayana Soares
Ainda
sobre cultura...
a cultura é produto da ação humana, portanto, não existe ser humano desprovido de cultura;
a cultura é uma construção social;
não há nenhuma representação social humana que esteja fora da cultura;
a cultura não é uma essência fixa, é mutável ao longo do tempo e da história.
é na cultura que se estabelecem as relações de poder.
é na cultura que se estabelecem as noções de identidade e diferença.
O que são a identidade e a diferença? O que as produzem? Como são produzidas?

Multiculturalismo
Diversidade
problemas conceituais?
Numa perspectiva de análise, os conceitos de "multiculturalismo" e "diversidade" aparecem cristalizados numa suposta "identidade" e "diferença" entre os grupos.
a identidade seria aquilo que se é;
a diferença, aquilo que o Outro é.
 “Assim como a identidade depende da diferença a diferença depende da identidade. Identidade e diferença são, pois, inseparáveis.”
 A identidade e a diferença são produtos da linguagem.
A identidade e a diferença são nomeadas – atos da fala
 “A identidade e a diferença são criações sociais e culturais.”

 “A definição da identidade brasileira, por exemplo, o resultado da criação de variados e complexos atos linguísticos que a definem como sendo diferente de outras identidades”

 “Identidade e diferença são o resultado de um processo de produção simbólica e discursiva.”
As identidades não são fruto da nossa vontade: elas são compulsórias, e envolvem relações de poder.
As identidades servem para:
incluir/excluir, classificar, demarcar fronteiras, normalizar.
"Eu sou..."
Criação de hierarquizações
posições-de-sujeito
“Questionar a identidade e a diferença como relações de poder significa problematizar os binarismos em torno dos quais elas se organizam.”
 Como se fixa a identidade?
o Fixar é uma tendência e uma impossibilidade;
o Criação de mitos;
o Mito da “identidade original”
o Para que a identidade de instale é preciso que haja repetição.
o Justificativas na ciência (medicina, biologia), na religião, etc.

o Criação de uma identidade móvel
o Noção de hibridismo
o “o processo de hibridização confunde a suposta pureza e insolubilidade dos grupos que se reúnem sob as diferentes identidades nacionais, raciais e étnicas”.
o Hibridismo cultural: movimentos geográficos – diásporas, deslocamentos nômades, viagens, cruzamento de fronteiras.
o As identidades são superficiais;
o Funcionam como um sistema de representação.
SUBVERTENDO A IDENTIDADE
O que NÃO é a identidade:
Não é uma essência;
Não é um dado ou um fato;
Não é fixa;
Não é coerente;
Não é estável
Não é unificada e permanente;
Não é definitiva e acabada.
o Algo instável;
o Contraditória;
o Fragmentada
o Inconsistente;
o Inacabada;
o Ela está ligada à linguagem, portanto, é narrada;
o É um sistema de representação.
O que pode vir a ser a identidade:
é possível falar em uma identidade original?
Stuart Hall: teórico cultural jamaicano. Migrou para a Inglaterra, estudou e tornou-se professor da Universidade de Birmingham, principal referência nos estudos sobre cultura pós-moderna.
Noções de sujeito:
sujeito do iluminismo
concepção de pessoa humana como indivíduo centrado, dotado de razão, pautado por uma substância.
Sujeito sociológico
concepção de sujeito complexo, em crise com múltiplas identidades.
Sujeito pós-moderno
concepção de sujeito fragmentado, sem identidades fixas, sem coerência e sem pre-determinações.
Identidade cultural:
uma mescla de processos de identificações culturais, fragmentadas e incoerentes, construída ao longo do tempo e da história das sociedades, absorvendo e abandonando traços identitários.
Identidade Nacional
 O que constitui a identidade nacional, em primeira instância, é a identidade cultural.
 Quanto mais imaginamos perder a identidade, mais no agarramos a ela
“as identidades nacionais não são coisas com as quais nascemos (isso é uma ilusão criada), mas são criadas no interior das representações”
a nação é uma comunidade simbólica, sentimento de pertença que construimos coletivamente.
A identificação por meio de símbolos, religião, povo, língua e região dá origem à tribo

estado-nação;
 “A formação de uma cultura nacional contribuiu para criar padrões de alfabetização universais, generalizou uma única língua vernacular como o meio dominante de comunicação em toda uma nação, criou uma cultura homogênea e manteve instituições nacionais, como por exemplo um sistema educacional nacional”
A nação é uma comunidade imaginada.
 As culturas nacionais vão produzir os sentidos sobre a nação;
Como é contada a narrativa de uma cultura nacional?
 5 estratégias discursivas:
1ª: contada através das histórias populares e da literatura nacional, na mídia e na cultura popular;
(Ex. Jornal Nacional, 1969)
2ª: foco na origem, na tradição e nos costumes.
3ª: tradição inventada
4ª: Mito fundacional
Ex. Carta de Pero Vaz de Caminha, "descobrimento"
5ª: Ideia de povo puro, "raça pura".
 Algumas conclusões:
As nações foram unificadas por meio de muita luta e violência em busca de novos territórios;

A ilusão da unificação esconde as desigualdades entre classes sociais, grupos étnicos, gênero, etc.

Criação do ocidente

“As nações modernas são todas híbridos culturais”.

Raça, Etnia e Nação
Organização social de grupos humanos: sociedades;

Século XIX: criação da noção de etnia, raça e nação;

Instituições sociais: escola, família, grupos políticos, meios de comunicação, etc.

Organização das sociedades
(CONCEPÇÃO CLÁSSICA)

o Grupos étnicos: etnia
o Grupos sociais
o Nações: territórios
o Etnicidades: relações interrétnicas e intencionais de diversidade cultural e social – criação de diferenças;

Raça: associada à biologia (visão tradicional)
Crença subjetiva na origem comum.
Etnia: cultura- tradicionalmente, refere-se ao “Outro”;
Visão pós-moderna: Grupo político

Visão pós-moderna: ligada a ideia de pertencimento
Nação: entidade política, soberana, demarcada pelo idioma e pelos limites geográficos (conceito tradicional)

Comunidade imaginada (conceito pós-moderno);

Relação entre símbolos culturais e políticos

Teorias da etnicidade problematiza a existência de grupos étnicos;

A etnia serve para favorecer as interrelações socioculturais;

Quanto mais se expõe o pluralismo cultural, mais se fortalecem as especificidades culturais;
Full transcript