Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Bullying

Alguma informação para jovens
by

Marta Miguel

on 14 August 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Bullying

Bullying é um comportamento agressivo, que é
intencional
,
repetido
e envolve um
desequilíbrio de força ou poder
.

Pode ser praticado por
uma pessoa
ou
grupo de pessoas
e pode ser
físico
,
verbal
ou
relacional
: empurrões, chamar nomes, excluir, roubar ou até mesmo bisbilhotar ou lançar boatos.

Também existe o
cyberbullying
(agressão através de tecnologias de informação e comunicação), que inclui o envio de mensagens ofensivas ou ameaçadoras, espalhar rumores, divulgar fotografias constrangedoras dos outros ou criar perfis em nome dos outros.

A pessoa intimidada normalmente não faz nada para o provocar e tem dificuldade em se defender.
Espectador
Vítima
Não aceites o bullying na tua escola, grupo ou comunidade!
O bullying não é "uma parte da vida" ou uma "parte normal do crescimento"!

O bully
Bullying é um comportamento, é algo que as pessoas aprendem. Como tal, também pode ser desaprendido.

Os bullies também podem ser ou já ter sido intimidados num momento ou noutro da sua vida.

Intimidam porque os faz sentir superiores aos outros.

Podem obter poder e força da intimidação dos outros.

Fazem-no para conseguir atenção.

Acham que os torna populares, ou que pode ser uma forma de se integrarem.
Estão presentes na maioria das vezes (85%), quando há um episódio de bullying no recreio ou na sala de aula.

A maioria dos jovens sentem-se desconfortáveis ao testemunhar situações de bullying, mas muito poucos intervêm.

Quando intervêm, em 57% das vezes a situação de
bullying para em dez segundos.
Muitas vezes têm medo de algo sobre si mesmos, por isso tentam assustar os outros para esconder os seus sentimentos ou meter-se com os outros para que não se metam com eles.

São infelizes e intimidam para atirar a sua infelicidade aos outros.

Muitas vezes sentem necessidade de controlar os outros e necessidade de vencer.

Escolhem intimidar a pessoa que sabem que podem vencer.

Usam as diferenças para que as vítimas se sintam mal consigo mesmas.

Ex: "És feio, estúpido, gordo"...

Não é a "diferença" na vítima, que é o problema. O agressor é que tem o problema, porque tem medo, ciúmes, inveja, está irritado, é inseguro e infeliz.
O que deves fazer se és um bullie:
Precisas de perceber que magoar as outras pessoas não faz de ti importante, apenas te faz ser mau.

Pensa em maneiras de seres um líder sem magoar os outros, como envolveres-te em desportos, grupos escolares e atividades comunitárias. Se precisares de ajuda ou conselhos, conversa com alguém em quem confies.

Lembra-te que o bulluing não é só bater em alguém.

Espalhar boatos, chamar nomes ou deixar alguém de fora de um jogo ou recusar-se a fazer alguma coisa com essa pessoa são outras formas de bullying.

Trata os outros como gostarias de ser tratado.
Os espectadores têm o poder de ajudar a parar o bullying
És um "espectador" se assistires a uma situação de bullying, mas não fizeres parte dela.

Na verdade, és exatamente o público que o agressor quer.

No entanto, podes ajudar a parar o bullying.

Aqui estão algumas dicas:

Reconhece situações de bullying;
Vai-te embora ;
Incentiva os outros espectadores a envolverem-se como um grupo;
Mantém o controlo de locais onde o bullying está a acontecer;
Fala;
Ajuda a vítima;
Não participes;
Sê amigo para quem está a ser intimidado;
Acredita em quem está a ser intimidado e no que ele diz;
Procura ajuda dos professores, pais, amigos, ou outros adultos;
Não lutes com o agressor.
Não há espectadores inocentes
Se te manténs em torno a assistir, és parte do problema, não a solução.

Fazer queixa de bullying não é chibar. Chibar é quando queres prejudicar alguém.

Quando denuncias uma situação de bullying estás a ajudar alguém. É importante conhecer e entender a diferença.

Se te encontras numa situação em que te sentes pressionado a fazer algo que não queres fazer, tenta usar estas ferramentas.

Rapazes e raparigas têm diferentes experiências com o bullying, por isso apresentamos dicas diferentes.
Rapaz
Para e pensa. Não entres na situação.

Vai-te embora.

Diz uma piada, às vezes, o humor é a melhor maneira de aliviar a tensão.

Deixa passar, ignora a situação e continua como se nada tivesse acontecido.

Conversa. Pode ser com um professor ou um amigo. Se algo está realmente a incomodar-te, falar sobre isso.

Faz qualquer coisa para tirar a atenção da situação de bullying. Tenta afastar as pessoas do agressor.
Rapariga
Fala! Tens o direito de ser ouvida.

Tem uma atitude positiva.

Faz a tua própria mente. Só porque toda a gente está a fazer uma coisa, isso não significa que também tenhas que a fazer.

Escolhe os teus amigos com cuidado. Gosta deles pelas suas boas qualidades, não apenas por serem populares.

Sê fiel a ti mesma. No final, ninguém é mais importante do que tu.
O bullying é assustador e embaraçoso.

Pode fazer-te sentir que a culpa é tua – mas não é!


Algumas coisas que deves lembrar:

Isso vai acabar. Não tens que te sentir assim tão mal para sempre!

Mantém-te calmo, os bullies adoram uma reacção, por isso não lha dês.

Fica longe de quem achas que não gosta de ti.

Não lutes, podes aleijar-te ou piorar a situação.

Não fiques furioso. Isso vai piorar a situação . Os agressores tentam fazer os outros perderem o controlo, por isso não o deixes.

Mantém-te calmo.

Tenta calmamente retirar-te da situação.

Evita situações em que os bullies estejam e evita estar sozinho. Tenta estar sempre acompanhado por amigos ou colegas.
Na escola, tenta estar em sítios onde estejam adultos.

Tenta participar em grupos e encontrar amigos que gostem das mesmas coisas.

Olhe em teu redor. Provavelmente não és o único que está a ser vítima de bullying. Faz amizade com outros jovens que estejam sozinhos, talvez se possam ajudar mutuamente.

No autocarro, senta-te perto do motorista.
Não te enerves, tenta encarar a situação com humor. Isso mostra que não estás com medo e pode aliviar a situação.

Demonstra confiança.

Verifica a tua maneira de agir. Andar desleixado, olhar para o chão ou para os pés e remexeres-te mostra que não estás seguro de ti.

Mantém a cabeça erguida e fica em pé. Olha de forma confiante, os agressores metem-se contigo se acharem que estás com medo deles.

Não ajas com medo. Se acreditares em ti os outros vão notar.
Pensa previamente em coisas a dizer. Diz frases curtas e não digas nada de mal (não sejas tu também um agressor).

Não tragas material caro ou muito dinheiro para a escola. Os agressores metem-se com quem tem coisas que eles podem tirar.

Se o agressor não ficar longe de ti, então ignora-o e vai-te embora. Ele quer que te irrites, então não o faças.

Não tenhas medo de dizer a um adulto da tua confiança.
O que deves dizer aos outros?
O que aconteceu contigo e o que fizeste.

Quem te agrediu e quem viu acontecer.

Onde e quantas vezes aconteceu.

Anota tudo o que te aconteceu num diário. Não te esqueças de escrever sobre coisas que os outros colegas e adultos fizeram por ti. Isso ajuda-te a lembrar das coisas boas que aconteceram.

Procura ajuda. Fala com um professor. É da sua responsabilidade parar o bullying. Se estás com medo, leva um amigo contigo. Fala com o professor quando o agressor não estiver por perto.
Para termos uma escola sem bullying
Não temos de ser todos iguais.

Não temos de pensar todos da mesma maneira.

Não temos de fazer as mesmas coisas.

Não temos de falar das mesmas coisas.

Não temos de nos vestir da mesma maneira.

Não temos de acreditar nas mesmas coisas.

Temos o direito de sermos nós próprios.

Gostamos que as pessoas sejam diferentes umas das outras.


Sabemos que as nossas diferenças nos tornam especiais e únicos.

Damos o mesmo valor a todas as formas de ser, de atuar e de acreditar - mesmo quando não concordamos com elas.

Fazemos tudo o que está ao nosso alcance para resolvermos os nossos problemas de forma pacífica.

Manifestamos a nossa indignação quando vemos alguém a ser tratado injustamente.

Tratamos os outros como gostaríamos de ser tratados.

Tratamo-nos uns aos outros com respeito.
Em 2012, mais de um terço das 1.240 pessoas inquiridas pela revista Proteste afirmaram já ter sido vítimas de bullying na escola, no trabalho ou na Internet.
12% das vítimas de bullying escolar mantêm recordações que os perturbam mesmo na idade adulta.
Famosos vítimas de bullying
David Beckham (jogador de futebol)


Demi Lovato (atriz)


Michael Phelps (nadador olímpico)


Eminem (cantor)
Full transcript