Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

CUSTOS DIRETOS / CUSTOS DE TRANSFORMAÇÃO

No description
by

Vivian Naomie

on 3 December 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of CUSTOS DIRETOS / CUSTOS DE TRANSFORMAÇÃO

CUSTOS DIRETOS / CUSTOS DE TRANSFORMAÇÃO
CUSTO FABRIL / CUSTO DE PRODUTOS VENDIDOS
ORIGEM

A necessidade da análise e do controle dos gastos empresariais acentua-se à medida que cresce a competição entre as empresas, a Contabilidade de Custos – que atende essa necessidade – destina-se à geração de informações contábeis de interesse dos usuários internos da empresa, servindo de apoio indispensável a decisões gerenciais das mais diversas naturezas.
DEFINIÇÃO

É a contabilidade interna econômica. Tem por objetivo determinar o custo de fabricação e comercialização de um produto ou serviço.

IMPORTÂNCIA E FINALIDADE

A determinação do preço de custo dos bens e serviços é necessária para fixação do preço de venda desses mesmos bens e serviços.

ELEMENTOS BÁSICOS DO CUSTO

Materiais
Mão de obra
Gastos Gerais de Fabricação
MATERIAIS
MATÉRIAS PRIMAS

São os materiais principais e essenciais na fabricação do produto. A matéria-prima para uma indústria de móveis de madeira é a madeira; para uma indústria de confecções é o tecido; para uma indústria de massas alimentícias é a farinha.
CONTABILIDADE DE CUSTOS
UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO
CONTABILIDADE GERAL E DE CUSTOS
EQUIPE 1

VIVIAN NAOMIE C. RODRIGUES
JAIZA MUNIZ DA SILVA
WALACY MOREIRA RODRIGUES
ALEX OLIVEIRA CUNHA
MATERIAIS SECUNDÁRIOS

São os materiais que entram em menor quantidade na fabricação do produto. Esses materiais são aplicados juntamente com a matéria-prima, complementando-a ou até mesmo dando o acabamento necessário ao produto. Os materiais secundários para uma indústria de móveis de madeira são: pregos cola, verniz, dobradiças, fechos etc.; para uma indústria de confecções são: botões, zíperes, linha etc.; para uma indústria de massas alimentícias são: ovos, manteiga, fermento, açúcar etc.
MATERIAIS DE EMBALAGEM

São os materiais destinados a acondicionar ou embalar os produtos, antes que eles saiam da área de produção. Os materiais de embalagem, em uma indústria de móveis de madeira, podem ser caixas de papelão, que embalam os móveis desmontados; em uma indústria de confecções, caixas ou sacos plásticos; em uma indústria de massas alimentícias, caixas, sacos plásticos etc
CUSTOS DIRETOS

São os que podem ser diretamente, apropriados aos produtos, bastando existir uma medida de consumo (quilos, horas de mão-de-obra ou de máquina, quantidade de força consumida etc.). Em geral, identificam-se com os produtos e variam proporcionalmente à quantidade produzida. São aqueles que podem ser apropriados diretamente aos produtos fabricados, porque há uma medida objetiva de seu consumo nesta fabricação.
A EXEMPLO PODE-SE CITAR:

Matéria – prima
Mão de obra Direta
Material de embalagem
Depreciação de equipamento - quando é utilizado para produzir apenas um tipo de produto.
Energia elétrica das máquinas - quando é possível saber quanto foi consumido na produção de cada produto.
EXEMPLOS

Matérias-primas usadas na fabricação do produto
Mão-de-obra direta
Serviços subcontratados e aplicados diretamente nos produtos ou serviços.

Sua formula é:
MD = EI + C – EF
CUSTOS INDIRETOS

São os que, para serem incorporados aos produtos, necessitam da utilização de algum critério de rateio. Exemplos: aluguel, iluminação, depreciação, etc. Sua maior relevância é o grau de dificuldade de medição. A exemplo, o gasto de energia elétrica (força) é, por sua natureza, um custo direto, porém, devido às dificuldades de medição do consumo por produto e ao fato de que o valo obtido por rateio, em geral, pouco difere daquele que seria obtido com uma medição rigorosa, quase sempre é considerado como custo indireto de fabricação.
CUSTOS DE TRANSFORMAÇÃO

Representam o esforço empregado pela empresa no processo de fabricação/transformação de determinado item (mão-de-obra direta e indireta, energia, horas de máquina etc.). É o somatório da mão-de-obra direta mais os gastos gerais de fabricação. Não inclui matéria-prima e outros produtos adquiridos prontos para consumo. Também chamado de Custo de Conversão, sendo a sua fórmula:
CT = MOD + CIF
CUSTO FABRIL

Correspondem aos demais gastos necessários para a fabricação dos produtos, como: aluguéis, energia elétrica, serviços de terceiros, manutenção da fábrica, depreciação, seguros diversos, material de limpeza, óleos e lubrificantes para as máquinas, pequenas peças para reposição, telefones e comunicações etc., sua fórmula é:
CF = MP + MOD + CIF


CUSTOS PRIMÁRIOS

É a soma simples de matéria-prima e mão-de-obra direta. Não é o mesmo que o custo direto, que é mais amplo, incluindo, por exemplo: materiais auxiliares, energia elétrica etc., cuja fórmula é:
CP = MD + MOD + CIF

CUSTOS POR FUNÇÃO

Materiais Diret
os
São os materiais que se incorporam (se identificam) diretamente aos produtos. Exemplos: matéria-prima, embalagem. Materiais auxiliares tais como cola, tinta, parafuso, prego etc.

Mão-de-obra direta
Representa custos relacionados com pessoal que trabalha diretamente na elaboração dos produtos, por exemplo, o empregado que opera um torno mecânico. A mão-de-obra direta não deve ser confundida com a de um operário que supervisiona um grupo de torneiros mecânicos.
Como regra prática, podemos adotar o seguinte critério: sempre que for possível medir a quantidade de mão-de-obra aplicada a determinado produto é mão-de-obra direta, caso contrário, havendo necessidade de rateio, é mão-de-obra indireta.
CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS

É a soma de todos os custos incorridos na fabricação dos produtos que foram vendidos em determinado período.

APURAÇÃO DO CPV

A apuração do Custo dos Produtos Vendidos é o último estágio do controle de custos, que teve como precedentes as seguintes etapas:
Separação entre custos e despesas;
Separação entre Custos Diretos e Indiretos;
Apropriação dos Custos Diretos aos produtos;
Rateio dos custos indiretos aos produtos.

Para apuração do Custo dos Produtos Vendidos, é necessário conhecer os seguintes conceitos:

Custo de Produção – É a soma dos Materiais Diretos, Mão de Obra Direta e Custos Indiretos de Fabricação, ou seja:
CP = MD + MOD +CIF

Custo dos Produtos Acabados – É a somatória de todos os custos necessários para fabricar um produto, cuja fórmula é a seguinte:
CPA = EIPP + CP + EFPP

Custo dos Produtos Vendidos – É o valor que será levado a resultado (despesa), por ter contribuído diretamente na obtenção de uma receita. Sua fórmula é:
CPV = EIPA + CPA - EFPA
REFERÊNCIAS

MARTINS
, Eliseu.
Contabilidade de Custos
. 9ª. ed. São Paulo: Atlas, 2003. p. 262.

Famanet.br
. Disponivel em: <www.famanet.br/ambientes/adm/PDF/custos_teoria_21_02_07.doc>. Acesso em: 02 nov. 2014.

Tec Ciência
. Disponivel em: <http://tecciencia.ufba.br/so-matematica/a-origem-dos-numeros>. Acesso em: 03 nov. 2014.

Finanças
, 2011. Disponivel em: <http://cotidianofinanceiro.blogspot.com.br/2011/03/o-que-e-custo-de-transformacao.html>. Acesso em: 02 nov. 2014.
Full transcript