Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Tecnologia Educacional

No description
by

Marcos Lopes

on 8 October 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Tecnologia Educacional

Tecnologia Educacional
A tecnologia é,
como a escrita, na definição de Lévy (1993), uma tecnologia da inteligência, fruto do trabalho do homem em transformar o mundo em ferramenta desta transformação.
A tecnologia
deve estar inserida de forma adequada na construção do projeto pedagógico da escola como uma das maneiras de proporcionar a professores e alunos uma relação profunda com o conhecimento...
O professor acreditar e se apropriar do saber relativo às tecnologias:
CONSCIENTIZAÇÃO (Porque, e para que?)
CONHECIMENTO TÉCNICO (Como usar?)
CONHECIMENTO PEDAGÓGICO (Como integrar?)
A presença
inegável da tecnologia em nossa sociedade constitui a justificativa para que haja necessidade de sua presença na escola.
"O conceito
de alfabetização do professor consiste no domínio contínuo e crescente das tecnologias que estão na escola e na sociedade, mediante o relacionamento crítico com elas.
A trabalhar
com os princípios da Tecnologia Educacional o professor estará criando condições para que o aluno em contato crítico com a tecnologia da/na escola, consiga lidar com as tecnologias da sociedade sem ser por elas dominado.
Isto ocorrerá quando:
Este domínio se traduz em uma percepção global do papel das tecnologias na organização do mundo atual e na capacidade do professor em lidar com as diversas tecnologias, interpretando na linguagem e criando novas formas de expressão, além de distinguir como, quando e por que são importantes e devem ser utilizadas no processo educativo."
(SAMPAIO & LEITE, 1999)
Planejando as aulas
Objetivo e competência a serem atingidos
Conhecimento que se tem sobre os alunos
A tecnologia que se pretende usar
As sugestões a seguir foram retiradas do livro "TECNOLOGIA EDUCACIONAL - Descubra suas possibilidades, de Ligia Silva Leite, Claudia Lopes Pocho, Márcia Narcizo de Medeiros Aguiar e Marisa Narcizo Sampaio;

O Livro é fruto de uma pesquisa feita na UFRJ. Tem como objetivo principal auxiliar os professores no planejamento de aulas utilizando recursos tecnológicos.
Tecnologias independentes
são as que não dependem de recursos elétricos ou eletrônicos para a sua produção e/ou utilização.
Tecnologias dependentes
São as que dependem de um ou vários recursos elétricos ou eletrônicos para serem produzidas e/ou utilizadas.
As autoras dividem a tecnologia em:
TECNOLOGIAS INDEPENDENTES
Álbum Seriado
Conceitos e características
Composto de um conjunto de folhas, geralmente presas em madeira, papelão ou até mesmo em um cabide. Nesse conjunto de folhas, um tema é apresentado com frases curtas, palavras-chave, ilustrações, gráficos, mapas, históricas ou quealquer outra forma de representação que simbolize as ideias a serem trabalhadas de forma sintética e sequenciada.
Sua construção
O álbum seriado pode ser construído sobre uma base de madeira ou de qualquer outro material resistente, na qual as folhas serão encaixadas e presas por prendedores ou parafusos. Também pode ser improvisado com um cabide prendendo as folhas.
Em um projeto sobre dengue em uma tuma turma do 5º ano (EF) foi definido, como produto final, a realização de palestras sobre o assunto em outras escolas. O objetivo é explicar como a doença é transmitida e como preveni-la. Com o apoio da ilustração para o texto elaborado, a turma confeccionou um álbum seriado que facilitou a apresentação em qualquer lugar.
Pode ser usado para roteiro de aula, como apresentação, verificação e conclusão de um assunto, facilitando a compreensão do tema
Como utilizar
Uma possibilidade
Para maior eficiência em sua utilização deve-se:
Planejar a apresentação;
colocar o álbum seriado em lugar visível;
desenvolver com calma o assunto de cada página;
combinar a utilização do álbum seriado com a de outras tecnologias, para explicar qualquer assunto que não tenha ficado claro;
material impresso distribuído para completar a explicação;
pesquisa na internet como atividade prévia, antes da conclusão do álbum seriado.
Cartão-relâmpago
Conceito e características
Consiste em cartões que contêm em um dos lados uma determinada informação e/ou pergunta que é mostrada rapidamente ao aluno.
Sua construção
Os cartões-relâmpago podem ser feitos de cartolina, papel-cartão, etc.. O importante é que a informação seja clara e bem visível para os alunos. Existem diversos modelos de cartão-relâmpago no mercado.
Como utilizar
Podem ser usados de várias formas com perguntas, informações, figuras etc. As respostas devem estar no verso do cartão para posterior comparação.
Essa técnica é usada para incentivar a aprendizagem e a socialização dos alunos, pois eles podem usar juntos, uns desafiando aos outros, podem também levar a ideia para casa ou para utilizar com seus grupos de amigos fora da escola. O cartão-relâmpago é uma forma de fazer com que os alunos participem do próprio processo de aprendizagem.
Uma possibilidade
Os cartões-relâmpago foram utilizados com uma turma do 3º ano do Ensino Fundamental como uma das atividades para a aplicação da tabuada.
Após a realização de uma sequência de atividades com as operações de multiplicação e divisão, a professora realizou um jogo em duplas no qual os alunos apresentavam o produto para o aluno dizer a operação; na segunda vez era mostrada a operação para que o colega desse a resposta.
Ao final de cada etapa as operações e as respostas eram registradas no caderno.
Conceito e características
Uma representação visual de dados numéricos. Existem vários tipos e entre os mais conhecidos estão os de barra, linear e de setores. Os infográficos são gráficos com algumas informações. Em revistas os infográficos são caracterizados pela junção de textos breves com ilustrações explicativas para o leitor entender o conteúdo.
Apresentam a realidade quantificada. Como forma de expressão, envolve a utilização de símbolos e a interpretação de legendas. os dados numéricos devem ser apresentados de forma visualmente atraente, para facilitar sua análise e comparação.
Sua construção
Os gráficos ou infográficos devem ser eleborados obdecendo as técnicas para o seu traçado, encontradas em livros de estatísticas básicas ou outras publicações especializadas.
Para o professor que não estiver muito seguro para elaborar diferentes tipos de gráfico, sugere-se que ele utilize com seus alunos gráficos publicados em livros, revistas e jornais e discuta o assunto com seus colegas.
Como utilizar
Como são utilizados para organizar dados numéricos, é importante participar com os alunos em sua elaboração e orientá-los quanto à sua interpretação.
Podem ser utilizados nos diversos componentes curriculares para resumir, comparar e interpretar dados quantitativos de qualquer área.
Uma possibilidade
Antes de serem desafiados a elaborar gráficos, os alunos devem ter a oportunidade de analisar e interpretar diversos tipos.
Para familiarizar seus alunos com diferentes tipos de gráficos, o professor pediu que cada um retirasse alguns gráficos de jornais e revistas. Durante a aula, orientou-se em suas análises, considerando os seguintes aspectos: formato, assunto, variáveis e elementos.
Realizada esta atividade de familiarização, o professor propôs que os alunos realizassem uma enquete para saber qual time de futebol que a maioria dos alunos torcia. Divididos em grupos, os alunos entrevistaram todas as turmas do colégio e, depois, na sala de aula fizeram a tabulação de dados com o professor.
Com os dados tabulados, os alunos tiveram a oportunidade de elaborar gráficos com populações específicas. Ex.: Ranking do time mais votados na escola; o time de preferência das meninas; o time predileto da turma 401, etc.
Gráficos/infográficos
Conceito e características
As histórias são formadas por sequências de quadros que utilizam dois códigos de signos gráficos - a imagem e a linguagem escrita - conjugando dois tipos de arte - literatura e desenho.
Sua construção
Sugere que os alunos, sob orientação do professor, selecionem temas e desenvolvam histórias que depois possam ser representadas em quadrinhos. Pode ser um trabalho de equipe, no qual diferentes alunos, com diferentes habilidades, possam contribuir de maneira diversa durante o desenvolvimento de todo o trabalho.
Após ser escolhido o tema da história e suas personagens principais, deve-se redigi-la e transformá-la na sequência de desenhos com as falas (balões). O professor pode pedir também que os alunos utilizem os desenhos e falas de histórias em quadrinhos publicadas para compor novas histórias, criadas por eles.
Como utilizar
Primeiro, os alunos devem ler e analisar diversas histórias em quadrinhos, observando o título, o enredo, os personagens, o tipo de linguagem, a estrutura (fala e balões). Em seguida podem compor outras que só possuam ilustrações e/ou transformar diálogos em histórias em quadrinhos.
Já familizarizados com esta linguagem e tipo de texto, os alunos poderão criar suas próprias histórias em quadrinhos. Durante esse processo o professor observa e proporciona condições para que os alunos desenvolvam criatividade, sequência lógica, domínio da língua, independente das áreas de conhecimento dos conteúdos.
O recurso pode ser usado também para introduzir novo assunto, desenvolver o conteúdo de uma área de conhecimento (há, por exemplo, no mercado, um livro de História do Brasil em quadrinhos), suscitar debates e/ou concluir uma unidade do programa.
Uma possibilidade
Após duas semanas de pesquisas, leituras de textos informativos sobre poluição (...), uma das atividades de sistematização desses assuntos tratados foi a criação de uma história em quadrinho.
Os alunos, sob a orientação do professor, criaram uma história que abordava os temas antes estudados. Depois, em conjunto, leram a história e foram destacando o texto para cada quadro.
O terceiro passo foi levantar as caracteristicas físicas dos personagens e do ambiente em que se passava a história.
A turma foi dividida em duplas. E cada dupla criou um quadro da história de acordo com a parte do texto indicada e considerando as caracteristicas listadas anteriormente.
Quando cada dupla finalizou, a história em quadrinhos foi montada respeitando a sequência lógica da história.
No ensino ele pode ser usado como:
• Instrutor, para ensinar um determinado conteúdo;
• Colega, nos jogos e programas interativos;
• Orientador, quando corrige e analisa trabalhos dos alunos;
• Ferramenta, ao fazer simulações, concretizar experiências, acessar e armazenar informações, etc;
• Meio de comunicação, através da utilização de redes internas de computadores (intranets), correios eletrônicos e internet.
TECNOLOGIAS DEPENDENTES
Outras tecnologias independentes:
blocão (flip chart);
cartaz;
ensino por fichas;
flanelógrafos;
ilustração/gravuras;
instrução programada;
jogo;
jornal/jornal escolar;
livro didático
livro infanto-juvenil;
mapa e globo;
modelos;
módulo instrucional;
mural;
quadro (giz, pincel);
quadro de pregas;
sucata;
texto;
dentre outros...

Ambiente Virtual
de Aprendizagem

Conceito e características
Os Ambientes Virtuais de Aprendizagem (AVA) são programas de computador desenvolvidos para oferecer um ambiente que possibilite a realização de atividades de ensino-aprendizagem online, ou seja, a distância. São exemplos desses ambientes os softwares como TelEduc, Moodle, Solar, Sócrates, dentre outros.
Os AVAs utilizam, dentre outras ferramentas, e-mails, fóruns, conferências, chats, arquivos de textos, arquivos de sons, arquivos de imagens, wikis, blogs que facilitam o processo de ensino-aprendizagem a distância.
Sua construção
Em geral sua construção é complexa, requer conhecimento técnico específico e quipe multidisciplinar. É necessário pelo menos um especialista em educação (designer instrucional) para definir o conteúdo e princípios pedagógicos a serem utilizados, e um especialista em linguagem computacional (analista/programador). O ambiente dever ser testado com alunos e professores antes de ser implantado, além de estar em constante processo de avaliação para que seja permanentemente atualizado.
Como utilizar
Os professores, gestores e alunos que vão utilizar o AVA precisam estar familiarizados com conceitos básicos de informática para que possam navegar pelo ambiente, além de possuírem equipamento compatível com as configurações do sistema.
Toda instituição ao desenvolver ou adotar um AVA deve realizar capacitação dos seus gestores e professores, além de oferecer aos alunos a oportunidade de se familiarizar com suas ferramentas, seja mediante um tutorial, help-desk ou curso presencial.
Uma possibilidade
O grupo de dirigentes e professores de uma escola de EF, de pois de algumas pesquisas, selecionou um AVA disponível no mercado para utilizar como complemento ao ensino presencial. No ambiente foi disponibilizado para cada ano, com suas respectivas disciplinas, atividades de aprendizagem que enriqueciam os conteúdos trabalhados em sala de aula. Essas atividades podiam ser realizadas individualmente e também previam a comunicação entre alunos e professores, para oportunizar a construção coletiva do conhecimento.
Conceito e características
É um equipamento que recebe, guarda, manipula e gera dados e símbolos. Suas principais características são:
Acessa e armazena grande quantidade de informações para a solução de uma grande variedade de problemas, podendo ser útil para o ensino de diversos conteúdos;
Segue, automaticamente, instruções longas e complexas para a solução de problemas;
É muito rápido no processamento de dados.
Como utilizar
Uma possibilidade
Uma escola oferece aos pais um serviço informatizado de acesso online. Qualquer aluno ou responsável pode acessar os sistemas de computadores da escola, recebendo várias informações.
Os computadores não funcionam sem programas (softwares), que são ferramentas de trabalho, contendo instruções ao computador sobre o que fazer.
A grosso modo, existem dois tipos de programas: Sistemas operacionais (Windows, Linux, Androide, etc.) e os aplicativos (editores de textos, editores de imagens, planilhas, banco de dados, etc.).
Os sistema operacionais gerenciam o funcionamento básico do computador, criando um ambiente adequado para a utilização e execução de outros programas; os aplicativos são os destinados à execução de tarefas específicas, de acordo com as necessidades e interesse do usuário.
Na educação, dependendo do programa utilizado, o computador pode estar presente em atividades de administração, ensino e pesquisa.

A tecnologia do computador vem sendo desenvolvido com muita rapidez.
O professor deve levar em consideração a qualidade do equipamento que a escola possui e a quantidade de máquinas para poder planejar as atividades nas quais o computador será utilizado.
Quanto à qualidade:
• A velocidade do processador;
• Memória RAM compatível com os softwares utilizados;
• HD (disco rígido) com bastante memória, placa de som, placa de rede (física ou wireless), placa de vídeo etc.;
• Softwares para executar vídeo, áudio, imagens;
• Browser (programa específico) para navegar na internet;
• Periféricos: impressora, scanner, microfone, caixas de som e/ou fones de ouvidos, joystick etc.
Quanto à quantidade:
• Número de computadores compatível com a atividade proposta. Eles podem ser usados para atividades individuais ou coletivas.
Cada vez mais escolas possuem computadores ligados em rede e que, portanto, comunicam-se entre si.
Com o advento da internet, algumas escolas de Ensino Fundamental já estão conectadas a outras no país e no mundo, trabalhando em projetos pedagógicos comuns. A escola que possui acesso à internet abre um leque de possibilidades pedagógicas para a construção individual e coletiva de conhecimentos.
Para utilizar bem o computador é importante saber que diferentes programas devem ser utilizados de diferentes maneiras. Sugere-se a leitura do manual do programa selecionado a fim de verificar se os procedimentos indicados são adequados à situação de ensino-aprendizagem na qual o professor pretende usar o programa, ou se podem se adaptados.
O serviço garante o acesso às ocorrências escolares em todos os níveis, aos resumos das atividades aula/casa e aos assuntos e tarefas dados em cada dia letivo e o que será ministrado na aula seguinte.
É possível consultar um banco de dados de exercícios que úne numerosas questões agrupadas em diversos temas, acessar pequenos jogos, programas educacionais e teses de inteligência, além da consulta a livros na biblioteca.
Computador
Comunidade Virtual
de Aprendizagem
Conceito e características
Segundo Lévy (1999) e Pallof e Pratt (1999), uma comunidade virtual é formada a partir de afinidades de interesses, de conhecimentos, de projetos mútuos e valores de troca, estabelecidos num processo de cooperação, ou seja, a simples comunicação entre as pessoas não garante a formação de comunidades virtuais de aprendizagem; é necessário que o motivo que as une seja o processo de construção do conhecimento – a aprendizagem, sendo realizada de maneira coletiva e a partir do interesse mútuo dos participantes.
Sua Construção
Para Pallof e Pratt (2002), os passos básicos que devem ser observados para a construção de comunidades virtuais de aprendizagem são as seguintes:
Definir claramente a proposta do grupo;
Criar um local diferenciado para o grupo;
Promover lideranças internas eficientes;
Definir normas e um claro código de conduta;
Permitir que haja uma variedade de papéis para os membros do grupo;
Permitir e facilitar subgrupos;
Permitir que os participantes resolvam suas próprias discussões.

Como funciona
As comunidades virtuais são organismos vivos e em constante mutação que requerem atitude atenta do moderador, que deve procurar manter o processo interativo dinâmico, provocando a participação dos membros da comunidade virtual.

Cada CVA tem a sua dinâmica própria, porém existem determinados princípios que, se observados, podem favorecer o funcionamento dos CVAs. A postura do moderador em uma lista de discussão pode favorecer a criação de uma identidade entre os participantes da lista de modo a transformá-la em uma comunidade virtual de aprendizagem. Essa moderação deve ser competente em relação ao conteúdo da lista, calorosa, porém sem trazer problemas pessoais para o ambiente. Estes devem ser tratados em ambientes reservados.
O moderador deve promover e criar oportunidades para a participação dos membros do grupo de modo a construir acordos de conduta a partir dos objetivos desse grupo, tornando a moderação descentralizada, liberal e sem imposição de normas e comportamentos rígidos que podem não ser adequados ao grupo.
Como utilizar
Uma CVA, é utilizada para desenvolver e expandir o conhecimento de um grupo sobre determinado tema.

Uma dica
Ao se decidir trabalhar com CVAs, Pallof e Pratt (2002) nos lembram que o moderador precisar estar consciente de que é preciso criar situações pedagógicas que estimulem a aprendizagem colaborativa.

Uma possibilidade
Com o advento do PAN (jogos Pan-americanos), realizados no Brasil, uma escola, percebendo o interesse dos alunos pelo assunto, estimulou o debate das modalidades esportivas em sala de aula. Os alunos, ultrapassando os limites físicos da sala de aula, deram a sugestão de criar um ambiente online para discussão. A escola acatou a ideia e, no seu site, abriu espaço para o debate, formando assim uma comunidade virtual.

Internet e suas
ferramentas
Conceito e características
É a rede universal da qual todo e qualquer usuário, com um computador com dispositivo de conexão e acesso a um provedor local – diretamente ou interligado a uma rede -, pode participar.
Surgiu em 1969 com o objetivo de tornar possível a comunicação entre pesquisadores de algumas universidades norte-americanas que utilizavam diferentes tipos de computadores e sistemas. Popularizou-se a partir da década de 1980, permitindo o acesso individual e comercial.
A internet põe à disposição de quem a acessa uma infinidade de informações sobre os mais variados assuntos, ao mesmo tempo e em todos os cantos do mundo.
Como funciona
Para ter acesso à internet é necessário um computador, linha telefônica, cabo ou transmissão rádio e um provedor.
A internet é formada por milhares de locais virtuais chamados de site ou sítios, em que ficam armazenadas as informações. Esses sites estão interligados entre si através de roteadores, que são computadores dispositivos capazes de decidir como transmitir os dados da forma mais eficiente possível entre os diferentes pontos que compõe a rede.

Para que seja possível a comunicação entre esses computadores, foi criado um conjunto de regras complexas para orientá-la. Essas regras recebem o nome de TCP/IP, que significa Protocolo de Controle de Transmissão (Transmission Control Protocol).
Como utilizar
A internet pode e deve ser utilizada em diversas situações de aprendizagem. Nessa rede encontramos ambientes virtuais de aprendizagem, e várias outras interfaces como chats, fóruns, lista de discussão, FAQs, correio eletrônico, podcasting, etc.

Algumas das vantagens de se utilizar a rede universal como Tecnologia Educacional são:
A possibilidade de combinação de diversas linguagens audiovisuais (vídeo, áudio, texto) que, juntas, estimulam o processo de aprendizagem independente;
A utilização de diferentes ferramentas para a comunicação entre as pessoas;
Rapidez na busca de informações;
Interatividade em tempo real com pessoas de qualquer parte do mundo.

Uma possibilidade
Os alunos do 7º ano do EF estavam desenvolvendo um projeto sobre a escassez da água, com o intuito de informar, sensibilizar e alavancar a participação da comunidade para a utilização racional deste recurso.

A primeira etapa do estudo consistiu em pesquisar, inclusive na internet, os recursos hídricos disponíveis no planeta, formas de poluição, experiências de preservação das nascentes e ações para evitar o desperdício da água.
No segundo momento, foram levantados materiais educativos já existentes sobre o tema. Para isso, acessaram a internet com o objetivo de identificar listas de materiais e verificar os já publicados na rede.
Durante o desenvolvimento do estudo, alunos e professores trocaram informações entre si e com pessoas que trabalham em pesquisa sobre o assunto através de chat e correio eletrônico.
Após uma análise crítica das informações e dos materiais, segundo os princípios e práticas de educação ambiental, decidiram as ações a serem tomadas para que os objetivos do projeto fossem alcançados:
Criação de uma lista de discussão com o título “A água vai acabar?”;
Construção de um site para disponibilizar informações e dados sobre a escassez da água;
Estruturação de um FAQ;
Disponibilização de um endereço eletrônico para o recebimento de contribuições, críticas e sugestões sobre o trabalho desenvolvido.

Lousa interativa
Como funciona
O ideal das lousas é estarem conectadas a internet para que ela possa ser acessada durante a aula. Caso não esteja, assim mesmo pode-se escrever no quadro (utilizando o dedo ou com a caneta eletrônica) e salvar as telas.
Como utilizar
Pode ser usado como quadro branco tradicional. Ele precisa estar conectada a um computador para que as funções de escrever, sublinhar, ressaltar, entre outras, sejam ativadas. Quando conectada a internet, pode-se trazer para a aula qualquer página web e, mediante interação com o seu conteúdo, pode-se fazer anotações nas mesmas, que podem ser salvas para consulta posterior.
Uma possibilidade
Um número crescente de professores tem integrado a lousa interativa em suas aulas. Por exemplo, em uma aula de Ciências a lousa interativa pode ser usada para demonstrar várias situações de um fenômeno, de modo a contar com a participação do aluno registrando na tela seus conhecimetno à medida que as situações são estudadas.

Tablet
Conhecido como tablet PC ou simplesmente tablete em português, é um dispositivo pessoal em formato de prancheta que pode ser usado para acesso à Internet, organização pessoal, visualização de fotos, vídeos, leitura de livros, jornais e revistas e para entretenimento com jogos.
Conceito e características
Apresenta uma tela sensível ao toque (touchscreen) que é o dispositivo de entrada principal. A ponta dos dedos ou uma caneta aciona suas funcionalidades. É um novo conceito: não deve ser igualado a um computador completo ou um smartphone, embora possua funcionalidades de ambos.
Como utilizar
Por meio dos aplicativos, os tablets podem realizar as mesmas tarefas que um PC. É possível navegar na internet, editar documentos, rodar jogos, comunicar-se por Messenger, realizar videoconferências, explorar mapas, etc. A diferença é que, em vez de usar teclado e mouse, usa-se uma interface 100% tátil, que é a tela.
Mas também existem os acelerômetros, ou seja, sensores de movimento que são incorporados nos tablets. Graças a esses sensores de movimentos é possível jogar uma corrida de carros e girar o tablet como se fosse um volante. Outro exemplo, mais básico ainda, é colocar o tablet na horizontal ou na vertical enquanto olhamos fotos, conforme a orientação da imagem.
1) Tweetdeck: Por meio desse aplicativo, os alunos podem ser responsáveis por uma conta comunitária no Twitter e monitorar diferentes correntes de tweets, hashtags e respostas, analisando quais são os fatores que contribuem ou não para a popularidade de um post.
16 atividades para desenvolver com seus alunos usando tablets (Universia)
2) Google Earth: Use um personagem de um livro estudado em sala de aula para traçar a rota de uma viagem fictícia. Um exemplo é o livro do escritor francês Júlio Verne, “A volta ao mundo em oitenta dias”.
Atividades de Aproveitamento
Atividades de Colaboração
Atividades de Produção
3) YouTube: Use aulas online disponíveis no YouTube para estudar temas como direitos civis e história da arte com professores das melhores universidades do mundo.
4) Khan Academy: Pratique matemática e outros conceitos de economia com os gênios da Khan Academy.
5) Pearltress: Permite que você reúna conteúdos de sua preferência, fotos, e outras fontes. Você pode organizá-los e dividir com a sala.
6) Wunderlist: Ajuda você a planejar tarefas e outros projetos.
7) Google Docs: Salve documentos online para que qualquer um do grupo possa acessá-los e conferir textos, artigos, aulas e outros conteúdos complementares e de revisão.
8) Twitter: Fique conectado com mentores, especialistas e profissionais de sucesso por meio do Twitter.
9) iCalendar: Use esse aplicativo para planejar provas, outras atividades e prazos de entrega.
10) Edmodo: Fornece aos professores e alunos um ambiente seguro para se conectarem, colaborarem, dividirem conteúdos. Os estudantes também podem acessar as lições de casa, notas, debates em sala e outros avisos. CVA
11) Google Docs: Crie um projeto de escrita colaborativa em que todos os alunos são envolvidos na confecção de um romance.
12) YouTube: Os alunos podem produzir vídeos de resumo e explicação daquilo que aprenderam durante o semestre ou sobre profissões que desejam seguir.
13) Instagram: Colete evidências visuais de um problema (como o trânsito) ou evento usando o Instagram.
14) Google Maps: Demonstre como uma filosofia ou ideia é espalhada pelas diferentes culturas usando o Google Maps.
15) Visual.ly: Crie infográficos que expliquem os conteúdos analisados em sala de aula e simplificam dados estatísticos.
16) Diptic: Crie uma foto-colagem que demonstre o impacto de determinado evento, como a poluição, uma guerra ou eleições.
Outras tecnologias dependentes:
Audioconferencias;
blogs;
Chat;
E-mail;
DVD;
FAQs;
Fórum de discussão;
Lista de discussão;
Mídia Sonora;
Sites;
Podcasting;
Smartphones;
Rádio;
TV;
video conferência;
Wiki;
outros...
Full transcript