Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Figuras de Linguagem

No description
by

Marília Araujo

on 19 June 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Figuras de Linguagem

Figuras de Linguagem
Funciona como uma comparação que produz sentido figurado por meio das ideias implícitas, Essa comparação não se dá por meio de conjunção comparativa.
Metáfora, o incontível
As figuras de linguagem servem para criar efeitos de sentido na construção das orações.
Há substituição do sentido original da palavra por uma outra palavra que o represente
Metonímia
Emprego de palavras para criar sentidos opostos. Abaixo temos dois exemplos de como a antítese é um interessante recurso na construção de sentido em poemas, por exemplo.
Antítese
Na música Monte Castelo percebemos o paradoxo a partir do uso de ideias contraditórias (intertextualidade com Camões).
Paradoxo
Forma sutil e branda de expor um assunto que, às vezes, é delicado ou desagradável. Observe como as propagandas utilizam esse recurso.
Eufemismo
Personificação e Ironia
A música "Exagerado", Cazuza, utiliza hipérbole quando cria sentidos absurdos com o exagero: "morrer de fome , se você não me amar" e assim por diante.
Hipérbole
A primeira diz respeito à atribuição de sentimentos e ações humanas a seres inanimados (sem vida) ou irracionais. Já a ironia é inversão do sentido pretendido visando à sátira.
Fica a dica!
As fábulas são textos que trazem uma moral por meio de metáforas. Para isso, a personificação é um recurso importante, já que as personagens das fábulas são seres irracionais, como os animais, ou inanimados.

Deixo a indicação de um texto do Machado de Assis, que além da metáfora (na moral da história), faz uso da personificação de uma simples linha e agulha.

http://www.releituras.com/machadodeassis_apologo.asp
À instabilidade das coisas no Mundo

Nasce o sol
,
e não dura mais que um dia
Depois da luz

se segue a noite escura
Em tristes sonhos morre a formosura,
Em contínuas tristezas a alegria.

Porém se acaba o sol, por que nascia?
Se é tão formosa a luz, por que não dura?
Como a beleza assim se transfigura?
Como o gosto da pena assim se fia?

Mas no sol e na luz falte a firmeza
Na formosura não se dê constância
E na
alegria
sinta-se
tristeza
.

Começa o mundo enfim pela ignorância
E tem qualquer dos bens por natureza
E firmeza somente na inconstância.

Gregório de Matos


Soneto da separação

De repente do
riso
fez-se o
pranto
Silencioso e branco como a bruma
E das bocas unidas fez-se a espuma
E das mãos espalmadas fez-se o espanto.

De repente da
calma
fez-se o
vento
Que dos olhos desfez a última chama
E da paixão fez-se o pressentimento
E do momento imóvel fez o drama.

De repente, não mais que de repente
Fez-se de
triste
o que se fez amante
E de sozinho o que se fez
contente

Fez-se do amigo
próximo
o
distante
Fez-se da vida uma aventura errante
De repente, não mais que de repente.

Vinicius de Moraes
Fica a Dica!

Na música há uma passagem que diz: "Por você eu largo tudo, carreira, dinheiro,
canudo
...".
A palavra destacada mostra o uso da metonímia, figura de linguagem que substitui uma ideia por meio de forma lógica.
A marca representa o produto.
A marca é o produto.
Sedex resolvendo a metonímia :)
Full transcript