Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

A DIMENSÃO DA AFETIVIDADE NA CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA INFANTIL

Fabrícia Medeiros. Mestrado em Educação.
by

Fernanda Mendes

on 9 June 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A DIMENSÃO DA AFETIVIDADE NA CONSTRUÇÃO DA AUTONOMIA INFANTIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA
CENTRO DE EDUCAÇÃO
DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA – DEBAS
CAMPOS I – JOÃO PESSOA
Processo Seletivo Simplificado para Professor Substituto


INTRODUÇÃO E MOTIVAÇÃO

Propostas Pedagógicas da Educação Infantil no no contexto das Políticas Educacionais
Fundamentos, possibilidades e limites da Educação Infantil.
Objetivos da Proposta Pedagógica
Criança: Sujeito histórico e de direitos que, nas interações, relações e práticas cotidianas que vivencia, constrói sua identidade pessoal e coletiva, brinca, imagina, fantasia, deseja, aprende, observa, experimenta, narra, questiona e constrói sentidos sobre a natureza e a sociedade, produzindo cultura.
A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA EDUCAÇÃO INFANTIL:
possibilidades e limites.
João Pessoa - PB
2016
Dialogando com a Educação Infantil - Conceitos e perspectivas atuais.

Organização de Espaço, Tempo e Materiais

Proposta Pedagógica e Crianças Indígenas
Para efetivação de seus objetivos, as propostas pedagógicas das instituições de Educação Infantil deverão prever condições para o trabalho coletivo e para a organização de materiais, espaços e tempos que assegurem a educação em sua integralidade, cuidado indissociável ao processo educativo, considerando as dimensões famíliares, comunidade local, gestão democrática, saberes da comunidade, especificidades, deslocamentos e os movimentos nos espaços internos e externos às salas.

Proposta Pedagógica e Diversidade

Principio fundamental da escola inclusiva é o de que todas as crianças devem aprender juntas, sempre que possível, independentemente de quaisquer dificuldades ou diferenças que elas possam ter. Escolas inclusivas devem reconhecer e responder às necessidades diversas de seus alunos, acomodando ambos os estilos e ritmos de aprendizagem e assegurando uma educação de qualidade à todos através de um currículo apropriado, arranjos organizacionais, estratégias de ensino, uso de recurso e parceria com as comunidades.

Proposta Pedagógica e as Infâncias do Campo
Garantida a autonomia dos povos indígenas na escolha dos modos de educação de suas crianças de 0 a 5 anos de idade, as propostas pedagógicas para os povos que optarem pela Educação Infantil devem: conhecimentos, crenças, valores, concepções de mundo, a identidade étnica e a língua materna, educação tradicional oferecida na família, articular-se às práticas socioculturais de educação, adequar calendário, a atender as demandas de cada povo indígena.


As propostas pedagógicas da Educação Infantil das crianças filhas de agricultores familiares, extrativistas, pescadores artesanais, ribeirinhos, assentados e acampados da reforma agrária, quilombolas, caiçaras, povos da floresta, devem: Reconhecer no campo como fundamentais para a constituição da identidade das crianças moradoras em territórios rurais, suas culturas, tradições e identidades.
Valorizar os saberes e o papel dessas populações, conhecimentos sobre o mundo, que respeitem as características ambientais e socioculturais da comunidade.

As Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil articulam-se às Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica e reúnem princípios, fundamentos e procedimentos definidos pela Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação, para orientar as políticas públicas e a elaboração, planejamento, execução e avaliação de propostas pedagógicas e curriculares de Educação Infantil.

Educação Infantil: primeira etapa da educação básica, oferecida em creches e pré-escolas, como espaços institucionais não domésticos, estabelecimentos educacionais públicos ou privados que educam e cuidam de crianças de 0 a 5 anos de idade, no período diurno, em jornada integral, supervisionados por órgão do sistema de ensino e submetidos a controle social.

Proposta Pedagógica
Oferecer condições e recursos para que as crianças usufruam de seus direitos civis, humanos e sociais;
Possibilitando tanto a convivência entre crianças e entre adultos e crianças quanto à ampliação de saberes e conhecimentos de diferentes naturezas;


Objetivos da Proposta Pedagógica

Educação Infantil, garantir à criança acesso a processos de apropriação, conhecimentos e aprendizagens de diferentes linguagens;
o direito à proteção, à saúde, à liberdade, à confiança, ao respeito, à dignidade, à brincadeira, à convivência e à interação com outras crianças.

Organização de Espaço, Tempo e Materiais

Organizar o cotidiano das crianças na Escola Infantil pressupõe pensar que o estabelecimento de uma sequencia básica de atividades diárias é, antes de mais nada, o resultado da leitura que fazemos do nosso grupo de crianças, a partir, principalmente, de suas necessidades. É importante que o educador observe que as crianças brincam, como estas brincadeiras se desenvolvem, o que mais gostam de fazer, em que espaços preferem ficar, o que lhes chama mais atenção, em que momentos do dia estão mais tranquilos ou mais agitados. Este conhecimento é fundamental para que a estruturação espaço-tempo tenha significado.


 O trabalho pedagógico na Educação infantil: um esboço final
REFERÊNCIAS
AMORIN, Ana Luisa Nogueira de. Sobre educar na creche: é possível pensar em currículo para crianças de zero a três anos? Tese de Doutorado em educação. Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, 2011.
BARBOSA, Maria Carmen S. Práticas Cotidianas na Educação Infantil: bases para a reflexão sobre as orientações curriculares. Projeto de cooperação técnica MEC e UFRGS para construção de orientações curriculares para Educação Infantil. Ministério da Educação. BRASÍLIA, 2009.
BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE∕CEB nº 5/2009. Diretrizes curriculares nacionais para a educação infantil. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 18 dez de 2009. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/rceb05_09.pdf> Acesso em: 11/01/2011.
_______. Ministério da Educação. Referencial curricular nacional para a educação infantil: introdução. Brasília, DF: MEC/SEF/DPE/COEDI, 2002a.
_____. Ministério da Educação. Referencial curricular nacional para a educação infantil: formação pessoal e social. Brasília, DF: MEC/SEF/DPE/COEDI, 2002b.
_____. Ministério da Educação. Referencial curricular nacional para a educação infantil: conhecimento de mundo. Brasília, DF: MEC/SEF/DPE/COEDI, 2002c.
_____. Presidência da República. Casa Civil. Lei nº 9.394/1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF: Diário Oficial 23 dez 1996b. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm> Acesso em: 11/01/2011.
BORBA, Culturas da infância nos espaços-tempos do brincar: um estudo com crianças de 4-6 anos em instituição pública de educação infantil. 2005. Disponível em http://www.uff.br/pos_educacao/joomla/images/stories/Teses/angelaborba05.pdf Acesso em 04/09/2013.
KISHIMOTO, Tizuko M.Jogos infantis: o jogo, a criança e a educação. 6a ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.
KRAMER, Sônia. O papel social da educação infantil. 1996. Disponível em http://dc.itamaraty.gov.br/imagens-e-textos/revista-textos-do-brasil/portugues/revista7-mat8.pdf Acesso em: 04/09/2013.
OLIVEIRA, Zilma Ramos de. Educação Infantil: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez Editora. 2002.
MUITO OBRIGADA!
Luciane Carneiro De Souza
Com o apoio da união e dos estados, os municípios vêm ampliando suas redes de educação infantil em defesa da universalização das vagas para aqueles que assim o desejam. Se por muito tempo a educação infantil vem sendo afirmada como um direito apenas da família trabalhadora, atualmente novas necessidades e perspectivas são a ela agregadas: garantir o direito de todas as famílias, independente de suas configurações, à creche e pré-escola e, especialmente, defendê-la enquanto um direito de toda criança à educação e à infância. Com a mobilização social, a expectativa é a de que, em poucos anos, esses direitos das crianças sejam também um fator para a existência de vagas nas creches e pré-escolas
Proposta Pedagógica
Concepção de Proposta Pedagógica
Objetivos da Proposta Pedagógica
Organização de Espaço, Tempo e Materiais
Proposta Pedagógica e Diversidade
Proposta Pedagógica e Crianças Indígenas
Proposta Pedagógica e as Infâncias do Campo

Proposta Pedagógica:
Proposta pedagógica ou projeto político pedagógico é o plano orientador das ações da instituição e define as metas que se pretende para a aprendizagem e o desenvolvimento das crianças que nela são educados e cuidados.


Concepção de Proposta Pedagógica
Na observância das Diretrizes, a proposta pedagógica das instituições de Educação Infantil deve garantir que elas cumpram plenamente sua função sociopolítica e pedagógica:
Oferecendo condições e recursos para que as crianças usufruam seus direitos civis, humanos e sociais;
Assumindo a responsabilidade de compartilhar e complementar a educação e cuidado das crianças com as famílias;


A proposta pedagógica das instituições de Educação Infantil deve ter como objetivo garantir à criança acesso a processos de apropriação, renovação e articulação de conhecimentos e aprendizagens de diferentes linguagens, assim como o direito à proteção, à saúde, à liberdade, à confiança, ao respeito, à dignidade, à brincadeira, à convivência e à interação com outras crianças.

As Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil.
Currículo: Conjunto de práticas que buscam articular as experiências e os saberes das crianças com os conhecimentos que fazem parte do patrimônio cultural, artístico, ambiental, científico e tecnológico, de modo a promover o desenvolvimento integral de crianças de 0 a 5 anos de idade.

Jornada:
Tempo parcial, a jornada de, no mínimo, quatro horas diárias e, em tempo integral.




Princípios

Éticos: da autonomia, da responsabilidade;
Políticos: dos direitos de cidadania;
Estéticos: da sensibilidade, da criatividade.
A CRIANÇA COMO UM SUJEITO DE DIREITOS, POSSUI SUAS PRÓPRIAS FORMAS DE PERCEBER O MUNDO;

A PROPOSTA PEDAGÓGICA DA EDUCAÇÃO INFANTIL É CONSTRUÍDA NAS ESPECIFICIDADES E SUBJETIVIDADES DE SEUS SUJEITOS;

O CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO INFANTIL COMPREENDE O UNIVERSO INFANTIL VALORIZANDO A CULTURA, O CONHECIMENTO (EM SUAS VÁRIAS ABORDAGENS), O LÚDICO (ATRAVÉS DOS JOGOS E BRINCADEIRAS) E O UNIVERSO INFANTIL (COM SUAS LINGUAGENS E REPRESENTAÇÕES.
Full transcript