Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

CRIATIVIDADEDECORAÇÃOVITRINA

No description
by

Raquelly Dias

on 26 April 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of CRIATIVIDADEDECORAÇÃOVITRINA

ÍNDICE INTRODUÇÃO
Problematização
Objetivos
Justificativa
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
METODOLOGIA
A LOJA - estudo de caso
PESQUISA DE CAMPO
O PROCESSO CRIATIVO
VALIDAÇÃO DA PESQUISA
RESULTADOS OBTIDOS
REFERÊNCIAS RESULTADOS OBTIDOS Raquelly Oliveira Dias
Orientação: Profª. M.Sc. Rosângela de Fátima Stankowitz Penteado CRIATIVIDADE APLICADA À DECORAÇÃO
DE VITRINA: ESTUDO DE CASO DE UMA
LOJA DE VAREJO FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA O VAREJO
MARKETING, COMPOSTO DE MARKETING E MERCHANDISING
VISUAL MERCHANDISING E VITRINISMO: DEFINIÇÃO, ATUAÇÃO E TÉCNICAS
O COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR METODOLOGIA Metodologia de projeto - Design Thinking
Vianna et al (2012, p.13) “se refere a maneira do designer de pensar, que utiliza um tipo de raciocínio pouco convencional no meio empresarial, o pensamento abdutivo”
Processo criativo dinâmico, não linear

DESENVOLVIMENTO EM ETAPAS INTEGRADAS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ - PUC PR
ESCOLA DE COMUNICAÇÃO E ARTES
GESTÃO DA CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO 2012/2013
Coordenadora: Miriam Fontoura Segundo Blessa (2003)
a maneira como as mercadorias são apresentadas é capaz de incentivar
o ato de comprar são necessárias maiores reflexões
sobre o consumo e o aumento de
problemas ambientais agravados
pelas suas consequências Variedade de produtos à disposição
Maior acesso às informações sobre
bens de consumo e de serviço

Processo decisório do consumidor proposta: identificar oportunidades a partir do descarte de resíduos sólidos
oriundos do varejo e desenvolver ideias de composição para a vitrina de uma loja da região de Curitiba Santos et al (2005)
“Hoje o consumidor é confrontado, a todo momento, com novas opções de compra e, a cada decisão, usa parâmetros subjetivos de comparação, que lhe permitam avaliar o valor agregado à emoção no momento da compra” Segundo Scorsiotta e Giuliani (2005), até meados dos anos 1990 o ponto-de-venda (PDV) era considerado um dos principais cenários em que ocorre o contato entre consumidor, produtos e marcas. Atualmente mantem sua importância enquanto local em que se estabelece o “marketing de relacionamento”. Para assegurar o relacionamento duradouro, o Marketing dispõe de diversas ferramentas Merchandising - funções de “lembrar, informar e persuadir o consumidor” (Scorsiotta e Giuliani 2005, p. 6), e auxiliar no processo decisório de compra. Quais técnicas de Visual Merchandising poderiam ajudar a minimizar a questão do impacto ambiental causado pela geração de resíduos sólidos oriundos do varejo e, ao mesmo tempo, atrair a atenção dos consumidores? Objetivo Geral:
Identificar oportunidades a partir do descarte de resíduos sólidos gerados pelas atividades comerciais e desenvolver ideias de composição de vitrina para um estabelecimento comercial da região de Curitiba, do ramo de confecções. a) Levantar informações sobre os materiais descartados pelo estabelecimento comercial objeto deste estudo;
b) Identificar as necessidades do lojista quanto à apresentação das mercadorias;
c) Identificar as características do perfil dos consumidores do estabelecimento comercial. A imagem que uma empresa transmite ao consumidor é considerada um dos principais fatores determinantes do seu sucesso ou fracasso no mercado

É preciso comunicar valores ao consumidor, que busca identificar afinidades nas marcas que consome Um importante aliado na construção e comunicação da imagem de uma marca de varejo é o Visual Merchandising Kotler (1998, p. 493) refere-se a “todas as atividades envolvidas na venda de bens e serviços diretamente aos consumidores finais para uso pessoal”

volume de vendas composto pelo “fornecimento por unidade ou pequenos lotes” Os primeiros registros da história do varejo remetem à antiguidade em Atenas, Alexandria e Roma. Durante o Império Romano as lojas de varejo se proliferaram nas cidades do império, e já naquela época se organizavam através de centrais de compras, sendo que cada qual identificava através de placas o tipo de produto que comercializava. Já a loja de varejo, como se conhece nos moldes atuais, surgiu no Japão no final do século XVII, para depois aparecer na Europa Ocidental. MAIA; VIEIRA; SILVA (2010, p. 41) 8 categorias de lojas de varejo:
lojas de especialidade, lojas de departamentos, supermercados, lojas de conveniência, lojas de descontos, varejo de liquidação, superlojas e showrooms de catálogos.
Kotler (1998) Comercialização de uma linha principal de produtos com uma grande variedade de mercadorias Las Casas (2012, p. 3): marketing “é uma atividade de comercialização que teve a sua base no conceito de troca.” “Marketing é um processo social e gerencial pelo qual indivíduos e grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros” KOTLER (1998, p. 27) Composto de Marketing série de elementos necessários para a realização da comercialização de produtos ou serviços, caracterizando a essência da oferta comercial
Kotler (1998) “4P's”: Produto (product, em inglês); Preço (price); Praça (place) e Promoção (promotion) Merchandising:
integrante do composto Promoção
Silva (1990, p. 15): o termo deriva da palavra inglesa merchandise (mercadoria) e do verbo comerchandise, que “significa operar mercadorias, [...], usar mercadorias para operar a sua própria venda” Merchandising é qualquer técnica, ação ou material promocional usado no ponto-de-venda que proporcione informação e melhor visibilidade a produtos, marcas ou serviços, com o propósito de motivar e influenciar as decisões de compra dos consumidores. É o conjunto de atividades de marketing e comunicação destinadas a identificar, controlar, ambientar e promover marcas, produtos e serviços nos pontos-de-venda. BLESSA (2003, p. 18) Blessa (2003, p. 55)
técnicas e ferramentas:
comunicação visual dos estabelecimentos, informação dos preços, material promocional (displays, placas, manequins, entre outros), organização do layout de loja (ou planta baixa), “exibitécnica” ou técnica de exposição dos produtos Blessa (2003, p. 22) Visual Merchandising é a técnica ou conjunto de técnicas aplicadas ao ambiente do ponto-de-venda que “usa o design, a arquitetura e a decoração para aclimatar, motivar e induzir os consumidores à compra”. Exibitécnica - origem remonta aos
mercadores da antiguidade

Exposição de produtos - vitrinas A vitrina, por estar inserida na paisagem urbana, participa do cotidiano das pessoas; portanto é uma mídia de amplo acesso para a sociedade e tem forte potencial para divulgar os conceitos sustentáveis. Assim como dita a moda, pode também contribuir na sedimentação da consciência sócio-ambiental. ANDRADE NETO; ONOFRE; LANDIM, (2010, p. 6) Ferraciù (2005, p. 55) - importância do Vitrinismo: “elemento de atração de clientes” "Muito engenho e arte se requer na elaboração de uma vitrina, [...], através de recursos de ambientação, cenário e técnicas de lojismo que configurem um estilo de comercialização e de clientes com quem a loja deseja se relacionar." Yansen (2000)
Técnicas - Vitrinismo
composição Tridimensional;
Alinhamento;
Simetria Rígida (mais indicada
para vitrinas pequenas) Pinheiro et al (2006, p. 13):
"processos cognitivos, motivacionais e emocionais que antecedem e sucedem a obtenção, o consumo e a disposição de bens tangíveis e intangíveis, produtos ou serviços” Teoria da Racionalidade Econômica;
Teoria Comportamental;
Teoria Psicanalista;
Teorias Sociais e Antropológicas;
Teoria Cognitivista Gade, (1980)
Karsaklian (2000)
Pinheiro et al (2006) Imersão
Imersão Preliminar
Imersão em Profundidade;
Análise e Síntese;
Ideação;
Prototipação Imersão Preliminar:
- promover a compreensão inicial do problema


Imersão em Profundidade:
- identificar as necessidades dos sujeitos envolvidos levantamento bibliográfico
(“pesquisa desk”);
pesquisa exploratória
(em campo) “Entrevistas” - realizadas com a sócia proprietária da loja;
"Sombra" (observação não participante) Análise e Síntese: - organizar as informações para auxiliar o entendimento do todo;
- prospectar oportunidades e desafios “Cartões de Insigths”;
“Mapa Conceitual”;
“Critérios Norteadores”; “Personas” Ideação: - geração de ideias e posterior seleção, com base nas ferramentas de síntese “Brainstorming”;
“Cardápio de Ideias”; Prototipação -validação das ideias selecionadas
ideias são representadas e testadas;
promover a interação do usuário com o modelo criado “Protótipo em Papel”
“Modelo de Volume” A LOJA HISTÓRICO
ANÁLISE DA ESTRUTURA FÍSICA DA VITRINA
SELEÇÃO DOS MATERIAIS PESQUISA DE CAMPO
PERSONAS
PROCESSO CRIATIVO DA DECORAÇÃO DA VITRINA
VALIDAÇÃO DA PESQUISA REFERÊNCIAS VIA BACK Confecções e acessórios femininos Rua Carlos Dietzsch, nº 448
Portão - Curitiba Há 16 anos no mercado
Sócias: Ivete Marochi e Vera Lúcia Prestes
visão das sócias de comercializar roupas diferenciadas, produtos da moda do RS Mulheres, de 25 à 80 anos Yansen (2000) classifica cada elemento (piso, laterais, fundo e teto) de acordo com suas características ou sua ausência na estrutura da vitrina Fundo Inexistente;
Piso elevado (40 cm);
Teto liso;
Laterais fixas (alvenaria) Dimensões Vitrina à esquerda
2,00m X 2,00m
Profundidade: 0,74m Vitrina à direita
2,00m X 2,55m
Profundidade:
0,71m Materiais Selecionados 16 potes vazios de vidro para conserva;
Caixas desmontadas de papelão p/ embalagem;
1 cesta com tampa retangular de trançado vazado de palha;
2m de papel metalizado cores azul e prata;
aprox. 3m de sobras de papel kraft;
Pedaços de corda de sisal;
1 esfera para decorar vitrinas feita com fios de lã na cor amarela e cola branca;
1 cesta oval feita em vime;
1 sacola de tamanho médio cheia de palha seca. Depósito da loja e da família
Prioridade p/ objetos já utilizados na loja Observação não participante - "Sombra" Clientes atendidos e em potencial
06, 07, 08 e 09 de março de 2013
entre 14 h e 18 h


Total observado: 49 clientes Vianna et al (2012, p. 80)
personas: consiste em arquétipos “concebidos a partir da síntese de comportamentos observados entre consumidores com perfis extremos” Identificação de características comuns
classificação dos perfis em um dos tipos básicos de estilo pessoal identificados por Vaz (2007) clássico, dramático, romântico, expressivo, natural, esportivo e sexy Planejamento;
Organização;
Geração e seleção de ideias;
Experimentação;
Preparação
Montagem da vitrina VALIDAÇÃO DA PESQUISA 03, 04, 05 e 06 de abril de 2013 2º Etapa Pesquisa de Campo Acréscimo de 55,14%, totalizando 77 clientes observados
Aumento do interesse também de clientes c/ outros perfis de estilo
Retirada de peças da vitrine para experimentação e compra
Aumento na movimentação de clientes em frente às vitrinas e próximo à entrada da loja Criatividade aplicada na decoração da vitrina - resultados positivos em relação à sensibilização dos consumidores e na promoção de vendas das peças estocadas
Importância da vitrina como espaço nobre de exposição e comunicação

Sugestões:
Criação de um “banco de ideias”;
Maior ênfase - sustentabilidade ambiental;
maior aprofundamento no tema referente ao Visual Merchandising e ao Vitrinismo ANDRADE NETO, M. L. ; ONOFRE, Carlos Eduardo Lins ; LANDIM, P. C. . Uma observação sobre a representação da sustentabilidade em vitrinas. In: NUTAU 2010 8º Seminário Internacional, Arquitetura Urbanismo e Design: mensagens e produtos para ambientes sustentáveis, 2010, São Paulo. Anais do NUTAU 2010 8º Seminário Internacional, Arquitetura Urbanismo e Design: mensagens e produtos para ambientes sustentáveis. São Paulo: FAUUSP, 2010.
BARBIER, René. A pesquisa-ação. Brasília: Liber Livro, 2007.
BLESSA, Regina. Merchandising no ponto-de-venda. 2 ed. São Paulo: Atlas, 2003
FERRACIÙ, João de Simoni Soderini. Promoção de vendas. São Paulo: Pearson Makron Books, 2005.
FIGUEIREDO, G. N. ABREU, R. L. LAS CASAS, A. L. Reflexos do índice de sustentabilidade empresarial (ISE) na imagem das empresas: uma análise do papel do consumidor consciente e do marketing ambiental. Pensamento & Realidade, v. 25, p. 23-23, 2009. Portal Empresa Responsável. Disponível em: <http://www.empresaresponsavel.com/links/jovempuc.pdf>. Acesso em 11 de fevereiro de 2013.
GADE, Christiane. Psicologia do consumidor. São Paulo: EPU, 1980.
KARSAKLIAN, Eliane. Comportamento do consumidor. São Paulo: Atlas, 2000.
KOTLHER, Philip. Administração de marketing: análise, planejamento, implementação e controle. 5 ed. São Paulo: Atlas, 1998.
LAS CASAS, Alexandre Luzzi. Administração de marketing: conceitos, planejamento e aplicações à realidade brasileira. São Paulo: Atlas, 2012.
MAIA, Galileu Limonta; VIEIRA, Francisco Giovanni David; SILVA, Luiz Carlos da. Características, desafios e perspectivas para o comércio da região noroeste do Paraná. Curitiba: Sebrae-PR, 2010.
PINHEIRO, Roberto M.; DE CASTRO, Guilherme C.; SILVA, Helder H.; NUNES, José M. Gonçalves. Comportamento do consumidor e pesquisa de mercado. 3 ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.
RODRIGUES, William Costa. Metodologia Científica. 2007. Apresentação em Power-point. Disponível em: <http://professor.ucg.br/SiteDocente/admin/arquivosUpload/3922/material/Willian%20Costa%20Rodrigues_metodologia_cientifica.pdf>. Acesso em 23 out. 2012.
SANTOS, Cláudio César dos ; SILVA, Maurício de Oliveira Quirino da ; GIULIANI, A. C. . Merchandising: Análise da Rentabilidade e Gestão de Produtos no Ponto de Venda. In: Antonio Carlos Giuliani. (Org.). Gestão de marketing no Varejo 2. 2 ed. São Paulo: O. L. M., 2005, v. 2, p. 215-237.
SCORSIOTTA, Sílvio Mandarano ; GIULIANI, A. C. . A importância da comunicação visual para o varejo. In: Antonio Carlos Giuliani. (Org.). Gestão de marketing no Varejo 2. 2ed.São Paulo: O. L. M., 2005, v. 2, p. 195-212.
SENAC. DRPR. Decoração de vitrinas. Agnaldo Yansen. Curitiba: SENAC/SEMUL, 2000.
SILVA, Joaquim Caldeira da. Merchandising no varejo de bens de consumo. São Paulo: Atlas, 1990.
THUMS, Jorge. Acesso à realidade: técnicas de pesquisa e construção do conhecimento. Canoas: Ed. ULBRA, 2003.
VAZ, Ana. Pequeno livro de estilo: guia para toda hora. Campinas: Versus, 2007.
VIANNA, Mauricio [et al]. Design thinking: inovacao em negocios. Rio de Janeiro: MJV Press, 2012. Razão social: Prestes e Marochi Ltda.
Full transcript