Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Apresentação_Tese

No description
by

Sandra Lopes

on 4 May 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Apresentação_Tese

Formação de professores em ferramentas Web 2.0 e infusão do pensamento crítico: um estudo de caso
Motivações
Aprendizagens no Programa Doutoral em Multimédia e Educação
(Recente) Experiência profissional nos
cursos EFA-NS
Aprendizagem ao
Longo da Vida
Ferramentas Web 2.0
Enquadramento Teórico

1. Desenvolver uma Oficina de Formação para a infusão do PC em articulação com a utilização de ferramentas da Web 2.0 no desenvolvimento de materiais/atividades;

2. Moderar e participar na comunidade EF@ - discussão de questões ligadas aos desafios ao alcance da Educação e Formação de Adultos;

3. Acompanhar e apoiar a implementação dos materiais/atividades desenvolvidas na Oficina de Formação;
Questão de Investigação e Objetivos
Qual o impacte da Oficina de Formação no desenvolvimento profissional dos professores?
Oficina de Formação
Finalidades
e Razões
Vetores de Desenvolvimento
Produção
Vertentes e Fases da Formação
Estratégias de Formação
Ambiente de Formação
Operacionalização do Referencial
Competências
TIC e PC
Formação de professores
Infusão do Pensamento Crítico
Ferramentas da Web 2.0
Trabalho colaborativo
Princípios da formação contínua
Implementação
Recursos Usados e Produzidos
Avaliação
Grupo de Formação
Sessões de Acompanhamento
Momentos de Avaliação
Triangulação: Técnicas e Instrumentos
(Bryman, 2001; Cresswell, 2003; Rocco et al., 2003; Brannen, 2005)
Testagem
Inquérito
Análise
Observação
Questionário 1:
Caracterização das conceções dos Professores ao nível EFA/TIC

Questionário 2:
Avaliação da Oficina de Formação
(Pré) Teste de PC - Cornell (Nível X)
(Pós) Teste de PC - Cornell (Nível X)
Diário da Investigadora
Posts da Comunidade EF@
Reflexões dos Professores
Apresentação e Discussão dos Resultados
Questionário 1: Caracterização das conceções dos Professores ao nível EFA/TIC
Impacte da Oficina no Desenvolvimento Profissional dos Professores
Impacte da Oficina no Desenvolvimento Profissional dos Professores

Processo de Formação
Impacte da Oficina do desenvolvimento Profissional dos Professores

Elementos de Concretização da Orientação PC/TIC
Questionário 2: Avaliação da Oficina de Formação
Reflexões Finais e Conclusões

compreensão da metodologia delineada para o desenvolvimento profissional do professores;

clarificação das práticas de educação e formação de adultos à luz da orientação PC/TIC;

A Oficina contribuiu para que o grupo de professores em formação refletisse sobre as suas práticas (antes, durante e após a Oficina) e (re)delineasse as suas conceções de modo a construir de forma intencional materiais/atividades com orientação PC/TIC, isto é, materiais/atividades que integram ferramentas da Web 2.0 em articulação com a infusão de PC.
Metodologia
Enquadramento Teórico
Questões de Investigação
Oficina de Formação
Metodologia
Apresentação e Discussão
dos Resultados

Reflexões Finais e Conclusões
Motivações para a génese do Projeto
Aprendizagem ao Longo da Vida
Competências TIC
Pensamento Crítico
Desenvolvimento Profissional de Professores
Programas de Formação de Professores
(Schön, 2002; Day, 2003, 2007; Imbernón, 2007; Nóvoa, 2007; Alarcão & Roldão, 2008)
(Perrenoud, 2000; Sá-Chaves, 2000; Villegas-Reimers, 2003; UNESCO, 2008)
(Vieira, 2003; Nóvoa, 2007; Roldão, 2007;
Tenreiro-Vieira, 2010)
(Silva 2000; Raposo & Leal, 2010;
Decreto-Lei nº 207/96)
(Dias, 2001; Wenger et al., 2002;
Henri & Pudelko, 2003; Meirinhos 2006; Ala-Mutka, 2009 )
Dez novas Competências para ensinar
ICT Competency Standards for Teachers
Decreto-Lei nº 240/2001
despacho nº16034/2010
(...) a ideia do professor reflexivo e de uma formação de professores baseada na investigação, as novas competências dos professores do século XXI, a importância das culturas colaborativas, do trabalho em equipa, do acompanhamento, da supervisão e da avaliação dos professores (...). (Nóvoa, 2007, p. 22)
centrada na visão de práticos reflexivos
focada nas atividades de sala de aula
assente no trabalho colaborativo
Oficinas de Formação

“promovem o desenvolvimento da partilha de experiências, dinâmicas reflexivas e a construção de conhecimento, (...)" (Silva, 2000, p. 101).
Comunidades de Prátiva e de Aprendizagem
(...) têm emergido como uma possibilidade para o DDP, potenciando a prática reflexiva dos professores e o trabalho colaborativo
Focados em CoP online
Focados no Pensamento Crítico
Focados em EFA
Com orientação CoP online e focados em TIC/EFA/PC
Lai et al., 2006
Meirinhos, 2006
Cruz, 2010
Rosa, 2010
Silva, 2010
Tenreiro-Vieira, 1994, 1999
Vieira, 2003
Fartura, 2007
Moreira, 2008
Carvalho, 2007
Costa, 2009
Pereira, 2010
Portugal, com base na análise de diferentes referenciais internacionais desenhou à escala nacional o
Programa de Formação e Certificação de Professores em TIC
, adotada no âmbito do Plano Tecnológico da Educação (PTE).
ICT Competency Standards for Teachers. UNESCO (2008).
Smart Classrooms Professional Development Framework. Department of Education/Training and the Arts (2000)
Building an ICT Research Network: Helping to Create Schools of the Future. ICTRN (2001).
Technology Standards and Performance Indicators for Teachers. ISTE (2000).
Participantes do Estudo
Tratamento dos Dados
Caracterização da Amostra

Validados 21 questionários
38% género masculino e 62% género feminino;
faixa etária [25, 55];
57% dos professores são QND da escola A;
67% dos professores com certificação TIC - nível I;
76% dos professores com 2 anos de experiência EFA-NS;
90% a 95% dos professores acedem à Web a partir de casa ou pela rede da escola;
Técnicas e Instrumentos
Serviços e Ferramentas da Web
em função da preferência de Implementação em cursos EFA
Frequência de Utilização de Serviços / Ferramentas da Web 2.0 nos cursos EFA-NS
Questionário 1
Questionário 2
Avaliação da Oficina de Formação
53% "Satisfaz Muito Bem"
47% "Satisfaz Bem"
Apreciação Global da Oficina de Formação
Valor e Utilidade da Formação para os Professores


integração e articulação das ferramentas colaborativas com o PC (100%);

reflexão sobre as práticas de ensino (100%);

identificação de mudanças nas práticas de ensino (94%);

reconhecimento de quadros conceptuais no desenvolvimento de capacidades de Pensamento Crítico (88%);
Matriz dos Resultados genéricos para o Processo de Formação
Matriz dos Resultados Genéricos para os Elementos de Concretização da Orientação PC/TIC
Estratégias
Os professores elegeram o trabalho colaborativo através de ferramentas da Web 2.0 e o questionamento como sendo o plano mais favorável para a implementação dos materiais/atividades da Oficina.
Materiais
Os professores apresentaram propostas de trabalho intencionalmente (re)construídas, como guiões de atividades, para o desenvolvimento das capacidades de PC em articulação com a integração de ferramentas da Web 2.0.
Ambiente
Nas sessões de Acompanhamento observou-se um ambiente de cooperação, interatividade, empatia e aceitação das diferenças e dificuldades dos alunos no questionamento, assim como no trabalho com as ferramentas da Web 2.0.
Reflexão sobre as Práticas Anteriores à Oficina
Trabalho
colaborativo
[…] é muito bom podermos partilhar as nossas "angustias", "vergonhas", o "quase nada", porque é partilhando que se constrói [...]. (Professor L)
Pensamento
Crítico
Observa-se a falta de capacidade generalizada do desenvolvimento do PC na massa de alunos que vão passando pelo sistema [...].(Professor J)
É preciso repensar […]e proporcionar aos professores formação e recursos para que eles ponham em prática o que melhor sabem fazer[...]. (Professor N)
Quando analiso os anos lectivos passados, facilmente reconheço a “pobreza” dos materiais que fui criando [...]. Sinto que podia ter produzido materiais mais motivantes, utilizado estratégias mais eficazes no desenvolvimento da consciência crítica dos meus alunos [...]. (Professor O)
EF@
Formação
Ferramentas da Web 2.0
Fico algo envergonhado por nunca ter considerado as potencialidades de tais ferramentas para uso contexto de Ensino Aprendizagem. (Professor M)
Reflexão sobre as Competências Adquiridas/em Desenvolvimento na Oficina
Reflexão sobre a Implementação das Práticas Desenvolvidas na Oficina
Trabalho colaborativo
Pensamento Crítico
Ferramentas da Web 2.0
Até ao momento, já aprendi algo: esta forma de trabalhar em rede, pode ser uma boa estratégia dentro de um curso EFA NS. Não tarda, estou a ensaiar num dos meus grupos. (Professor I)
Com a presente formação, sinto-me evoluir no conhecimento, no desenvolvimento e na utilização de novas metodologias e instrumentos educativos. (Professor O)
Tendo contactado com a taxonomia de Ennis, tive oportunidade de proceder a uma reflexão sobre o pensamento crítico e sobre a sua importância no quadro geral do processo ensino – aprendizagem.
(Professor H)
(…) Esta taxonomia apresenta várias etapas muito claras e objetivas que muito ajudam o professor na construção dos seus materiais pedagógicos. (Professor M)
A escola e os professores deverão ter a capacidade de fazer um upgrade nas suas estratégias / métodos, de modo a integrar as ferramentas disponibilizadas na Web ao processo de ensino/aprendizagem. (Professor I)
Ferramentas da Web 2.0
Pensamento Crítico
Trabalho colaborativo
Considero que a reação dos formandos foi positiva e as dificuldades surgidas foram facilmente ultrapassadas através da entreajuda e colaboração entre formadores e formandos [...].
(Professor A)
(…) a implementação das atividades obrigaram-nos a partilhar tarefas; a ler muito sobre o PC e descortinar formas que induzissem o PC nos formandos. (Professor J)
A Oficina de formação foi fundamental para a mudança da minha prática docente. Em primeiro ligar, na forma como serão preparados os materiais e redefinidas algumas estratégias e, acima de tudo, na forma como passarei a ler e a trabalhar o Referencial do nível secundário [...]. (Professor I)
(…) membros da comunidade Ef@: “Dêem-lhe vida, alimentem-na, não a deixem morrer” pois, só partilhando, colaborando, cooperando, podemos melhorar as nossas aprendizagens e as dos nossos formandos e “crescer” em conjunto. (Professor L)
Formação
Até ao momento, tem esta formação proporcionado não só a aquisição de capacidades para apropriação e uso das ferramentas da Web 2.0, mas também nos tem feito refletir, mais uma vez, na importância da nossa profissão enquanto agentes de formação de uma sociedade para o futuro. [...]
( Professor M)
EF@
EF@
PTE: Competências TIC para Professores (Costa, 2008)

Acompanha o desenvolvimento tecnológico no que implica a responsabilidade profissional do professor;

Detém conhecimento atualizado sobre recursos tecnológicos e seu potencial de utilização educativo;

Compreende vantagens e constrangimentos do uso das TIC no processo educativo e o seu potencial transformador do modo como se aprende;
(...)
A comunidade educativa tem vivido algumas tensões inibidoras de práticas mais colaborativas[...](Professor M)
Vejo a escrita colaborativa, como uma das formas de ultrapassar alguns constrangimentos quanto à elaboração de trabalhos de grupo que os nossos alunos colocam [...]. (Professor K)
Contributos do Estudo
Qual o Impacte da Oficina de Formação no
Desenvolvimento Profissional dos professores?
Questionário 2: Avaliação da Oficina de Formação
Não devemos esquecer a importância de ao elaborarmos uma proposta de atividade, procurar desenvolver sempre a capacidades do Pensamento Crítico de acordo com a taxonomia de Ennis. (Professor N)
Caracterização da amostra:
17 professores ( 11 F e 6M);
(47%) faixa etária [30, 40] anos;
(35%) faixa etária > 50 anos;
(18%) faixa etária [40, 50] anos;
8 grupos disciplinares diferentes;
59% professores >2 anos de serviço em EFA
Formação de
Professores
Grupos de Trabalho
Full transcript