Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Ergonomia

No description
by

Júlia Monteiro

on 12 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Ergonomia

Ergonomia - Definição
Ergon =

Nomos =


Ergonomia significa “regras para execução do trabalho”.

“Ergonomia é o estudo do relacionamento entre o homem e o seu trabalho, equipamento, ambiente e, particularmente, da aplicação dos conhecimentos de anatomia e fisiologia na solução dos problemas surgidos desse relacionamento”.

Ergonomia - Conceito
A ergonomia é uma ciência interdisciplinar que compreende a fisiologia e a psicologia do trabalho.
Montmollin

Estudo científico das relações entre o homem e o seu ambiente de trabalho.
Murrel

Reúne os conhecimentos da fisiologia e psicologia e das ciências vizinhas aplicadas ao trabalho humano, na perspectiva de uma melhor adaptação ao homem dos métodos, meios e ambientes de trabalho.
Self

Conjunto dos conhecimentos científicos relacionados ao homem e necessários à concepção de instrumentos, máquinas e dispositivos que possam ser utilizados com o máximo de conforto, segurança e eficiência.
Couto

Ergonomia
A ergonomia

surgiu
em função da necessidade do ser humano cada vez mais querer aplicar menos esforço físico e mental, nas atividades diárias.

Ergonomia
Entende-se por Ergonomia:

O
estudo das interações
das pessoas com a tecnologia, a organização e o ambiente, objetivando
avaliações
e
projetos
que visem melhorar de forma integrada e não dissociada a segurança, o conforto, o bem estar e a eficácia das atividades humanas.

Análise Ergonômica

Ação Ergonômica

Projetos de situações
Ergonomia - Pratica Profissional
E... Nessa abordagem holística e sistêmica, deve se levar em conta considerações de ordem física, cognitiva, social, organizacional, ambiental.
Intervenção Ergonômica
O trabalho de preparar um diagnóstico é irrelevante se este não criar mudanças positivas.

Logo a intervenção ergonômica é uma
tecnologia da prática
que objetiva modificar a situação de trabalho para torná-la mais adequada às pessoas que nela operam.
GOAL!
Ergonomia
Saúde do Trabalhador

Júlia Monteiro
Fisioterapeuta - ISECENSA
Ergonomista - UFRJ / COPPE


Ergonomia
Ergonomia Física

Ergonomia Cognitiva

Ergonomia Organizacional
Ergonomia Física
Ergonomia Cognitiva
LER/DORT
Esforço
Biomecânica
Arranjo físico
Antropometria
Postura
Movimentos repetitivos
Transporte de cargas
Posto de trabalho

Raciocínio
Erro Humano
Carga de Trabalho Mental
Desempenho de atividades
Atenção
Memória
Tomada de decisão

Ergonomia Organizacional
Comunicação, Equipe,
Gestão de Recursos
Organização do tempo de trabalho
Trabalho em equipe
Comunicação
Gestão de qualidade
Produtividade

A NR 17 conceitua a Ergonomia como “Parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente”.

Na pratica quer dizer que o trabalho deve estar atendendo as condições que proporcionem conforto e segurança, sem riscos à saúde do trabalhador.
Ergonomia - Conceito
Nascimento e Evolução da Ergonomia
Século 18 –
Revolução Industrial

sujas;
barulhentas;
perigosas;
escuras.
Jornadas de trabalho de até 16 horas.
Regime de trabalho de semi-escravidão sem direito a férias.

No início do século 20
- Estados Unidos:
- Movimento da Administração Científica, conhecido como
Taylorismo.

1900
- Europa, Alemanha e França - começam a expor pesquisas na
área de fisiologia do trabalho.
Nascimento e Evolução da Ergonomia
1914 - 1917 - 1ª Guerra Mundial
- Psicologos e fisiologistas - aumentar a produção.

1939 - 1945 - 2ª Guerra Mundial
- Conhecimentos científicos e tecnológicos - construção instrumentos bélicos.

Objetivo: adapta-los às características e capacidades do operador.
Visando: Melhorar o desempenho e reduzindo a fadiga e os acidentes.

Após 2ª Guerra Mundial
- Departamento de Defesa dos Estados Unidos:
- Apoiar pesquisas na área.

1857
- Publicação de “Ensaios de Ergonomia ou ciência do trabalho, baseada nas leis objetivas da ciência sobre a natureza”.

Em 12 de julho de 1949
, na Inglaterra:
- Cria-se um grupo de cientistas pesquisadores.

16 de fevereiro de 1950
- ERGONOMIA

1961
- Europa
- “Associação Internacional de Ergonomia – IEA”

1983
- Brasil
- Associação Brasileira de Ergonomia – ABERGO (www.abergo.org.br)
*
Norma Regulamentadora NR 17 – Ergonomia, Portaria nº. 3.214 de 08.06.1978 do Ministério do Trabalho.
Nascimento e Evolução da Ergonomia
Ergonomia - Interdisciplinar
Ergonomia
Disciplina prática:
Encaminhar soluções adequadas aos usuários, operadores e à realidade das empresas e organizações onde as intervenções ergonômicas têm lugar.

Disciplina aplicada:
Traz os resultados dos tratamentos científicos de modelagem da realidade e de levantamento do estado do problema ao desenvolvimento de tecnologia de interfaces para a concepção, análise, testagem, normatização e controle dos sistemas de trabalho.


Analisar os
problemas retrospectivos
e
emergentes
devido a ausência de ergonomia na organização e sugerir programas com finalidade preventiva para os
prospectivos
.

* Problemas Retrospectivos:
Referentes ao histórico da empresa.

* Problemas Prospectivos:
Disposição para mudanças.

* Problemas Emergentes:
Urgentes e/ou desconhecidos ate então.

Ergonomia
* Problemas Retrospectivos:

* Problemas Prospectivos:

* Problemas Emergentes:

-
Precisa -se da construção do
diagnóstico ergonômico
de um sistema de trabalho
>
vai requerer o levantamento de problemas.

*
Custo de doenças ligadas ao trabalho;

*
Inadequação dos postos de trabalho ou dos ambientes;

*
Qualidade insatisfatória dos produtos e dos processos de produção;

*
Ineficiências dos métodos de produção e de inspeção;

*
Efeitos dos produtos, com conseqüente perdas de mercado e aumento do nível de reclamações dos clientes;

*
Funcionamento inadequado de equipamentos e softwares.
-

O
diagnóstico ergonômico
está formado, logo é preciso agir para adequar as diferentes interfaces.

*
Concepção de novos produtos, de sistemas de produção, de novas instalações ;

*
as inovações nos equipamentos: mobiliário, maquinário, instrumentos e acessórios;

*
a construção da formação de novos empregados na implantação de novas tecnologias

*
e/ou novos sistemas organizacionais;
*
Necessário que o sistema de trabalho responda a situações inusitadas e tenha a capacidade de absorver fatos novos.

*
Assim sendo a Ação Ergonômica é indicada para tratar de alguns problemas emergentes, sobretudo para gerar cenários de simulação de situações novas e estruturar o treinamento necessário e dali advindo.
ABERGO
Associação Brasileira de Ergonomia

Ergonomia - Pratica Profissional
*
Devem ter uma compreensão abrangente da amplitude de seu papel,
que é, com a Ergonomia, promover uma abordagem holística do trabalho.

*
O ponto de partida de qualquer Intervenção, Estudo ou Pesquisa em Ergonomia se dará através de uma abordagem sistêmica.

*
Do ponto de vista ergonômico, uma situação de trabalho é um sistema complexo dinamicamente inter-relacionado.




Caracterização
O que caracteriza uma intervenção ergonômica é a construção que vai viabilizar a mudança necessária.

Possibilidade de inserir os resultados nas crenças e valores das organizações.
Sociedade de Ergonomia – Inglaterra década de 50

Ergonomia - Pratica Profissional
Conceitos Básicos - Pratica Profissional
* Situação de Trabalho

*
A
análise ergonômica da

atividade
de trabalho repousa sobre a idéia de que exista uma
construção permanente pelo operador de seus modos operatórios para atingir objetivos
em condições socialmente determinadas (ligados à situação e as características pessoais) e um conjunto de critérios de desempenho.

*
Definida como a atividade humana num processo de produção, resultando sobre a interação entre fatores internos e externos.
Fatores internos: o operador com seu estado orgânico, sua competência, sua capacidade.
Fatores externos: normas, os meios de trabalho, mobiliários.


Conceitos Básicos - Pratica Profissional

* Carga de Trabalho:


*
Resultante das exigências sobre o indivíduo no decorrer de sua atividade de trabalho que pesam sobre o desempenho.

*
Logo, em uma atividade normal, bem dimensionada e coerente com as capacidades e limitações da pessoa não implica carga de trabalho.

*
A ideia de carga de trabalho quer traduzir que a capacidade individual é um limitante.

Conceitos Básicos- Pratica Profissional
* Estresses e Contrantes:

*
Numa situação ergonomicamente correta, a pessoa tem como gerenciar sua carga de trabalho, isto é, deverá dispor dos meios para regular sua performance em função das exigências que deverão se estabelecer em limites razoáveis.

*
Uma situação inadequada do ponto de vista ergonômico coloca uma série de obstáculos nessa governabilidade, fatores que lhe são contrários, ou seja, contrantes.

Conceitos Básicos - Pratica Profissional
* Trabalho Prescrito e Trabalho Real:

*
A atividade de trabalho é determinada socialmente pela organização do trabalho.


*
Em situações diversas, como as linhas de montagem e certos escritórios, ela resulta de uma divisão do trabalho que separa de forma radical a concepção do método de trabalho, especificado pela organização da execução da tarefa por meio do modo operatório.

Conceitos Básicos - Pratica Profissional
* Trabalho Prescrito & Trabalho Real

-
Deve-se sempre definir:

*
Produção;
*
O trabalho e os meios para realiza-lo;
*
Posto de Trabalho;
*
Trabalhador;
*
Ao grupo de trabalhadores - atribuído determinada tarefa;
*
Qualidade de produção;
*
Meios de trabalho para sua consecução (instrumentos de trabalho, máquinas, espaço).

Conceitos Básicos - Pratica Profissional
* Trabalho Prescrito & Trabalho Real

*
O trabalho prescrito jamais corresponde ao trabalho real, aquele que é efetivamente executado pelo operador.

*
A Ergonomia se interessa em compreender o distanciamento entre prescrição e a realidade, porque isso provoca inadequação da carga de trabalho:

*
Inadequações Físicas: Diversos problemas no posto de trabalho e no ambiente.

*
Inadequações Cognitivas: Dificuldades de raciocinar, executar os procedimentos corretamente.


Conceitos Básicos - Pratica Profissional
* Modo Operatório

*
É a maneira como as atividades ou operações são executadas
para se atingir o resultado final desejado. Ele se configura a partir da prescrição de métodos de trabalho quase sempre modificado pelos trabalhadores para enfrentar as diversas variabilidades.

*
O modo operatório é, pois, o resultado da regulação, pelo trabalhador, entre o que lhe é solicitado (tarefa), com que fazê-lo (meios de trabalho) e se realiza mediante ajustes de comportamento e de procedimentos (regulação), daí resultando o modo operatório.

Ergonomia na Empresa
É uma aplicação de conhecimentos multidisciplinares articulados com uma
finalidade
de transformação positiva.
E
R
G
O
N
O
M
I
A
Atividade de Trabalho
Transformação
Posiiva
Situação de Trabalho
TAREFA

EXECUÇÃO

REQUISITOS
CONDIÇÕES

CONTEXTO

POSSIBILIDADES
Ergonomia na Empresa - Estrutura
*

A ergonomia não é um caso causal, mas a resultante de uma atuação planejada.

*
As estruturas da ergonomia na empresa:
-
Grupo de Facilitadores:

-
Grupo técnico de ergonomia:

-
Grupo de Interessados:

-
Comitê de Ergonomia:

-
Grupos Externos:

Grupo de facilitadores
Colaboradores distribuídos geograficamente por toda a organização.
*
Auxílio através da coleta do registro de queixas, desconformidades e problemas de diversas ordens.

*
Fornecer suporte para a implementação do projeto já definido
Treinameto especial e diferenciado;

Sessões de realinhamento - empresa.
Grupo Técnico de
Ergonomia
Colaboradores com componentes no nível estratégico e tatico, ESPECIALISTAS.
*
Ergonomistas
*
Medicina do trabalho;
*
Engenharia de Segurança;
*
Definir os conteúdos das ações;
*
R
ecursos necessários para estabelecer metas;

Treinamentos específicos
Treinamentos da Cultura de Gestão
Grupo de Interessados
Colabordores que se beneficiam diretamente com os resultados.
*
Diretorias;
*
Gerência SSO;
*
Gerência de Qualidade ;
*
Gerência de Recursos Humanos
Participar das ações ergonômicas;
Contribuição para o gerenciamento
ágil do projeto - mudanças.
Comitê de Ergonomia
Grupo de suporte das ações, logo possuem poder de decisão quanto aos investimentos em Ergonomia.
*
Diretoria;
*
Gerências de inovação tecnológica;
*
Gerências de produção;
*
Gerência de RH;
*
Gerência
Financeira.
Aprovar os planos de ação;
Promover recursos e cobrar resultados.

Grupos Externos
Para muitas empresas a existência de uma estrutura completa de ergonomia pode ser inevitável.

Mesmo em empresas de grande porte, o aporte externo de consultoria é em geral um prática de excelência.
*
Ajudar a empresa a definir os caminhos
da ergonomia;
*
Tem sua ação fiscalizada pela empresa.
Implantação & Gerenciamento
da Ergonomia
Ergonomia física
*
O foco é sobre os
aspectos físicos
de uma situação de trabalho.
*
Trabalhar engaja o corpo do trabalhador exigindo-os de várias formas ao longo da jornada de trabalho.

*
Adequar as exigências aos limites e capacidades do corpo, através do projeto
de
interfaces adequadas
para o
relacionamento físico homem-máquina:
-
Interfaces de informação (displays)
-
Interfaces de acionamentos (controles).
Caracterização
* O sistema esquelético confere ao corpo suas dimensões antropométricas:
- Estatura, comprimento dos membros, capacidades de movimentação limitadas, alcances mínimos e máximos.
*
Os aspectos + importantes da Ergonomia: posto de trabalho, seus utensílios e elementos estejam de acordo com as dimensões do ocupante do posto de trabalho.

Ergonomia física
*
A inadequação antropométrica produz o desequilíbrio postural estático, fator causal das LER/DORT, lombalgias, ciáticas e outros problemas.

*
Para que o sistema esquelético se movimente e se mantenha em determinadas posições, a ele está acoplado o sistema muscular.

*
O sistema muscular tem a propriedade de poder se contrair e inversamente se distender e essa propriedade requer consumo de energia.

*
A atividade de trabalho deve estar adequada às possibilidades musculares e do metabolismo humano.

O Sistema músculo-esquelético interage com o ambiente através de temperaturas elevadas e baixas, odores, sabores, qualidades acústicas e lumínicas, vibrações sendo facilitado ou dificultado.
Ergonomia Cognitiva
*
Trata dos aspectos mentais da atividade de trabalho dos indivíduos, homens e mulheres.

- Importância do pensamento do trabalhador na consecução de suas tarefas??
- Em quais contextos podem até cometer erros??
- Errar é humano?!!
- Mas... de quem é o erro?
- Que erro é esse?
- Como é que se produziu e como evitá-lo?

*
Se subdivide em dois campos:
cognição individual e cognição coletiva ou social
. -
Individual:
acontece da

reunião de estudos sobre o raciocínio e tomada de decisão que auxilia na elaboração de procedimentos e normas operacionais.
Muitos estudos voltados para a formação profissional, de qualificação.

-
Coletiva
, o foco está nos sistemas de interconecção de múltiplos agentes.
Os sistemas de controle em rede que envolvem a intervenção simultânea de vários operadores comuns, por exemplo no controle de trafego aéreo, têm se disseminado em outras situações industriais e de serviços.

*
A ergonomia cognitiva visa a mobilização operatória das capacidades mentais do ser humano em situação de trabalho através de
programas
:

· Inovações nos equipamentos, sobretudo que no que tange à
usabilidade das interfaces
entre o operador e os equipamentos;

·
Confiabilidade humana
na condução de processos, prevenindo as conseqüências dos erros humanos no controle de sistemas complexos e perigosos;

·
Otimização na operação
de equipamentos informatizados e seus softwares, prevenindo seu funcionamento inadequado ou bloqueios;

· A construção da
formação
de novos empregados na implantação de novas tecnologias e/ou novos sistemas organizacionais;

·
Estabelecimento e manutenção
de sistemas seguros, confiáveis e eficientes de comunicação e de cooperação.

Ergonomia Cognitiva
O grande perigo do campo cognitivo é seu aspecto fortemente abstrato.
*
Se constrói a partir de uma constatação óbvia, que toda a atividade de trabalho ocorre no âmbito de organizações.
Macroergonomia
.

*
A organização do trabalho envolve ao menos seis aspectos interdependentes:

1)
Repartição de tarefas no tempo (estrutura temporal, horários, cadencias de produção) e no espaço (arranjo físico);

2)
Sistemas de comunicação, cooperação e interligação entre atividades, ações e operações;

3)
Formas de estabelecimento de rotinas e procedimentos de produção;

4)
Formulação e negociação de exigências e padrões de desempenho produtivo, aí incluídos os sistemas de supervisão e controle;

5)
Os mecanismos de recrutamento e seleção de pessoas para o trabalho;

6)
Os métodos de formação, capacitação e treinamento para o trabalho.
Ergonomia Organizacional
As maiores aplicações da ergonomia no campo organizacional têm sido:

1)
Modelagem de processos para a elaboração de cenários e roteiros para as mudanças organizacionais;

2)
Análise dos requisitos das novas propostas organizacionais em termos de capacidades, limitações e demais características, especificando necessidades de treinamento e de novas competências;

3)
Construção de roteiros de implementação para evitar a descapitalização ou desaproveitamento do capital de competência (know-how) existente sobretudo no nível operacional;

4)
Perícia e prevenção de acidentes.
Ergonomia Organizacional
Ferramentas - Métodos e Técnicas
*
Conhecer as Ferramentas de Análise Ergonômica, incluindo softwares; protocolos; filtros; critérios quantitativos, qualitativos e semiquantitativos; e checklists ergonômicos.
Análise Ergonômica do Trabalho – AET

Laudo Ergonômico –Perícia

Gerenciamento de queixas.

Programas de Qualidade de Vida.

Ferramentas - Métodos e Técnicas
Análise Ergonômica do Trabalho
-

Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego - MTE:

“A
análise ergonômica do trabalho
é um processo construtivo e participativo
para a resolução de um problema complexo que exige o conhecimento das tarefas, da atividade desenvolvida para realizá-las e das dificuldades enfrentadas para se atingir o desempenho e a produtividade exigidos”.


-
Metodologia da AET compreende:


*
Análise da Demanda;

*
Análise ergonômica da tarefa e condições de trabalho;

*
Análise ergonômica da atividade real;

*
O diagnóstico em ergonomia;

*
Recomendações ergonômicas e/ou projeto da nova situação e/ou projeto de produtos.

-
Análise da Demanda:

Demanda inicial - Gerencial
Apresentação do setor da companhia;
Produto e clientela;
Localização da empresa;
Aspectos legais e normativos;

Problema apresentado pela gerência;
Impressões do grupo.

*
Objetivando investigar os reais motivos que levaram a empresa a solicitar AET e localizar as necessidades reais da empresa.

Metodologia - AET
Análise da Tarefa:

A análise da tarefa é o estudo do que o trabalhador deve realizar e as condições ambientais, técnicas e organizacionais.
Indica as situações onde o estudo deverá ser aprofundado e quais variáveis deverão ser investigas com maior rigor.

Análise da Atividade:

Para realizar a tarefa, com os meios disponíveis e nas condições definidas, o operador desenvolve uma atividade.
A atividade é a resposta do indivíduo ao conjunto desses meios e condições, caracterizada pelos comportamentos reais do mesmo em seu local de trabalho.
Os comportamentos podem ser físicos, tais como gestos e posturas, ou mentais, representados por competências, conhecimentos e raciocínios que guiam os procedimentos realmente seguidos.


Metodologia - AET
*
Construção Social

Consiste na integração participativa de todos os envolvidos, diretos ou indiretos, com a situação de trabalho, analisando o sistema de produção como um todo em o contexto social, técnico e gerencial.

Objetivo, obter o levantamento de dados e informações, de modo a confrontar opiniões e realidades, com o propósito de sugestão de melhorias.

Metodologia - AET
-
Análise dos postos de trabalho:

Mobiliários;

Espaços;

Equipamentos dos postos de trabalho.

Medições nos níveis de iluminamento, ruído e temperatura.

Organização do trabalho: objetiva obter informações sobre a tecnologia administrativa utilizada e sobre a organização do trabalho, tanto sob o ponto de vista da chefia quanto dos funcionários.

*
Análise Global

*
Contingências e Contexto da empresa:

-

História da firma:
Origem;
Tempo de existência;
Evolução;
Estratégias;
Elementos de Geografia:
Localização;
Tecido industrial (Outras firmas por perto? Quais serviços oferecem?)

-
Estudo da População Trabalhadora:
Repartição por gênero e por faixa etária;
Distribuição entre turnos e divisões da firma;
Onde moram e como vêm para empresa;
Tempo de permanência na firma e na profissão;
Grau de instrução e escolaridade;
Regime salarial. Existem premiações e outros benefícios?
Quais doenças e problemas de saúde existem junto a essa população?
Existe muita rotatividade?


*
Construção Social


-
Bases do Funcionamento Global:

Econômica – Posicionamento da empresa no mercado;
Social – Dados coletivos sobre a saúde dos trabalhadores;
Legislativa – Regulamento da atividade específica;
Geográfica – Localização e acessibilidade; Variação de clima;
Técnica – Objetivos quantitativos de produção;
Ambiental - Riscos ambientais;
Organizacional – Programas já realizados, Reestruturações.


-
Análise do Fluxo de Produção:

Materiais, Informações,
Fluxogramas, Mapofluxogramas.



-
Zona do Trabalho:
Sistema de trabalho, processo de trabalho, produto ou resultados.

-
Interfaces com outras “Zonas de Trabalho”:
O que acontece antes?
O que acontece depois?

-
Manifestações do Problema a ser investigado:
Conforto, saúde, segurança, desempenho, metas, resultados.

Metodologia - AET
*
Reconstrução da Demanda

*
Reconstrução da Demanda

-
Demanda Ergonômica
-
Plano de Ação

-

Impactos Econômicos
Metodologia - AET
*
Focalização

O ajuste focal se inicia quando há necessidade de aprofundar a analálise em um(s) componente de uma situação, em geral composta por mais de um posto de trabalho.
-
Visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

Finalidade:
modificar os sistemas de trabalho.

Propósitos:
adequar as tarefas/atividades nele existentes às características, habilidades e limitações das pessoas.

Critérios:
Eficiência, conforto e segurança.
Ergonomia - NR 17
1ª Demanda:

Norma Regulamentadora 17

2ª Demanda:
Ministério do Trabalho e Emprego

3ª Demanda:
Atender auditorias

4ª Demanda:
Processos Trabalhistas

5ª Demanda:
Afastamento

6ª Demanda:
Melhoria de Procesos

7ª Demanda:
Proatividade
Demandas Ergonômicas
Ergonomia Física
Movimentos repetitivos;
Transporte de cargas;
Posto de trabalho
- Dort;
- Desconforto;
- Absenteísmo;
- Rotatividade.
Ergonomia Cognitiva
Desempenho das atividade;
Carga de trabalho mental;
Atenção, Raciocíneo
- Erro Humano;
- Stress, ansiedade;
- Frustação;

- Motivação.
Ergonomia Organizacional
Comunicação;
Trabalho em equipe;
Organização do tempo
de trabalho;
- Desentendimentos;
- Qualidade;
- Produtividade
- Lucro
Full transcript