Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

As Três Revoluções Industriais

Mapa conceitual sobre as três Revoluções Industriais. 9º A, Pedro Casara Luz, nº 32.
by

Pedro Luz

on 13 March 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of As Três Revoluções Industriais

As Três Revoluções Industriais 9º A - Pedro Luz, nº 32 Primeira Revolução Industrial Época: fim do século XVIII até meados do século XIX.

Países participantes: Inglaterra (deu início ao processo), Bélgica, Holanda, França, Alemanha, Rússia e Estados Unidos. Inovações Surgiram as primeiras fábricas, nas quais a produção artesanal foi gradativamente mecanizada e substituída pela produção industrial.
Ocorre a divisão do trabalho (operários com uma função cada), que leva ao aumento da produção.
Surgiu a máquina a vapor, que permitiria a criação de máquinas e veículos.
A principal fonte de energia se tornou o carvão (para alimentar as máquinas a vapor).
O motor a vapor permitiu a invenção da locomotiva, que por sua vez permitiu o desenvolvimento do transporte ferroviário, muito utilizado a partir dessa época para o transporte de, por exemplo, matéria-prima.
A principal indústria de bens de consumo desenvolvida foi a têxtil, e a principal indústria de base foi a de ferro. Consequências Intenso crescimento urbano e êxodo rural devido aos novos postos criados nas fábricas.

Consolidação do capitalismo nos países da Revolução (novas tecnologias eram apropriadas pelos "capitalistas", ou seja, os donos dos meios de produção).

Produção em larga escala, desencadeada pelo emprego de tecnologia na atividade industrial.

Maior produção de lucro (devida à produção em larga escala e à divisão do trabalho).

Intensa exploração dos trabalhadores: eles produzem a mercadoria, mas a maior parte do lucro vai para os donos dos meios de produção. Segunda Revolução Industrial Época: fim do século XIX até início do século XX.

Países participantes: Inglaterra, Bélgica, Holanda, França, Alemanha, Rússia, Estados Unidos e Japão. Inovações Grande investimento em tecnologias de produção e pesquisas científicas por parte das empresas, visando o aumento da produção e dos lucros e a diminuição dos custos.

Principal fonte de energia: petróleo.

Desenvolvimento da indústria de aço como base para as metalúrgicas.

Invenção dos motores a combustão movidos a petróleo e óleo diesel.

Uso da força hidráulica para geração de energia.

Desenvolvimento de indústrias de grande porte (siderúrgicas, metalúrgicas, petroquímicas, automobilísticas e de transporte ferroviário e naval). Fordismo Sistema de produção criado por Henry Ford.

Objetivos: baratear o produto, para vender para maior número de consumidores; aproveitar ao máximo o esforço e o tempo gasto pelos operários na fabricação.

Criação das linhas de montagem: cada funcionário tinha um ponto fixo em frente a uma esteira rolante, por onde passava o produto, e cada um realizava uma etapa da produção.

Não era necessária mão-de-obra capacitada.

Sistema responsável pela produção em massa de diversas mercadorias. Consequências Alienação do trabalho: como cada operário realizava uma pequena tarefa, ele não tinha conhecimento da produção da mercadoria em si como um todo.
A população urbana passa a ser maior que a do campo.
Diversificação das empresas do setor terciário (bancos, estabelecimentos comerciais etc.).
Modernização do campo e aumento da produção agrícola (com o uso de arados mecânicos, semeadeiras etc.)
Aumento expressivo das linhas ferroviárias e rodovias.
Exploração das colônias da Europa na África e na Ásia (devida à demanda crescente por matérias-primas).
Integração entre as regiões do planeta (causada pela circulação e exportação de mercadorias entre os países do mundo, permitidas pelo desenvolvimento dos meios de transporte e pela invenção de novas formas de comunicação, como o telégrafo, o rádio e o telefone). Terceira Revolução Industrial Época: segunda metade do século XX. Inovações Aplicação quase imediata das descobertas científicas no processo de produção industrial.
Desenvolvimento das indústrias de alta tecnologia: destacam-se as áreas da informática, da microeletrônica, da robótica, da biotecnologia, da aeroespacial etc.
O desenvolvimento de tecnologias de ponta melhora os métodos de produção, permite a criação de produtos de melhor qualidade e a redução dos custos da produção.
Automatização e robotização das linhas de produção, bem como a mecanização e modernização do campo.
Fragmentação do processo produtivo: para reduzir os custos e aumentar a produtividade, ocorre a divisão da produção e montagem dos produtos entre as filiais das empresas em vários países do mundo. Essa fragmentação só existe porque os sistemas de transporte e comunicações em massa atuias são muito eficientes. Toyotismo Sistema de produção criado pela Toyota.

Objetivos: produção somente do necessário, evitando ao máximo o excedente, para reduzir os custos recorrentes deste.

Emprego de mão-de-obra altamente qualificada e multifuncional (podendo realizar várias funções).

Aplicação do sistema "Just in Time": programação da quantidade de matéria-prima para o número de produtos que será fabricado, produzindo-se somente o necessário, no tempo necessário e na quantidade necessária.

Implantação do sistema de qualidade nas etapas da produção e uso de pesquisas de mercado para produzir exatamente o que os consumidores desejam. Consequências A automatização e a robotização do processo produtivo das indústrias e do campo levou à dispensa de uma grande quantidade de mão-de-obra em diversos setores. Para aumentar a produtividade e reduzir os custos, máquinas são utilizadas para fazer tarefas antes feitas por humanos, precisando-se atualmente apenas de alguns funcionários para controlar as máquinas.
Ocorreu também a extinção de diversas profissões (como sineiros, datilógrafos, consertadores de guarda-chuvas etc.) e o surgimento de novos empregos relacionados, principalmente, às áreas da informática e da sustentabilidade ("webdesigneres", midiólogos, engenheiros ambientais).
O desenvolvimento tecnológico aumentou a exigência e a necessidade de diversificação do mercado de trabalho, tornando necessários profissionais que consigam atuar em vários campos diferentes.
Full transcript