Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Escravidão na Antiguidade Clássica

No description
by

Ingrid Paula

on 17 April 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Escravidão na Antiguidade Clássica

Os escravos valorizados e os desvalorizados
A captura de guerras
Se a escravidão não é crime, não há crimes.
Como se tornava um escravo
Os escravos na Grécia Antiga
Na Grécia Antiga uma pessoa tornava-se escrava de diversas formas. A mais comum era através da captura em guerras. Várias cidades gregas transformavam o prisioneiro em escravo. Estes, eram vendidos como mercadorias para famílias ou produtores rurais. Em Esparta, por exemplo, cidade voltada para as guerras, o número de escravos era tão grande que a lei permitia aos soldados em formação matarem os escravos nas ruas. Além de ser uma
forma de treinar o futuro soldado, controlava o excesso de escravos na cidade (fator de risco de revoltas).
Em algumas cidades-estado gregas havia a escravidão por dívidas. Ou seja, uma pessoa devia um valor para outra e, como não podia pagar, transformava-se em escrava do credor por um determinado tempo. Em Atenas, este tipo de escravidão foi extinto somente no século VI a.C, após as reformas sociais promovidas pelo legislador Sólon.
A base da economia da Grécia antiga era a mão-de-obra escrava, os trabalhos manuais e pesados,ou seja, grande parte dos trabalhos, eram rejeitados pelos cidadãos gregos, sendo assim, logo eram passados para os escravos. Os cidadãos gregos valorizavam apenas as atividades intelectuais, artísticas e políticas, logo o trabalho manual era desprezado, sendo assim, os trabalhos nos campos, nas minas de minérios, nas olarias e na construção civil, por exemplo, eram executados por escravos. A mão-de-obra escrava também era muito utilizada domesticamente, os escravos que prestavam serviços no lar de seus proprietários, como limpeza, preparar alimento, cuidar dos filhos dos proprietários etc, tinham condições de vida melhor do que a de outros escravos.
$3.50
Quinta, Abril, 17/2014
Vol 1 n° 3
A antiguidade clássica e os escravos
Um pouco sobre a antiguidade clássica
Como era a escravidão na Roma antiga
Os escravos na Roma antiga
A antiguidade clássica surgiu no período clássico, onde as sociedades Grega e Romana se destacaram devido ao seu desenvolvimento. Esse período iniciou no seculo VIII a.C. e terminou ao início da idade média, em 300 d.C. Nesse periodo a sociedade grega passou de cidade-estado a uma metrópole do império de Alexandre o Grande, que conquistou Roma e tornou o centro do Imperio Bizantino. A língua grega foi uma grande influencia para o mundo de hoje. Na antiguidade ela representava o que o inglês representa hoje para nós, com bastante utilização e muito conhecido. Com isso as
polis
gregas formaram grandes intelectuais em várias áreas, como Sócrates, Aristótoles, Anaximandro e outros que são conhecidos por tamanha inteligência. Com isso a Roma absorveu esse legado e conforme as conquistas de vários povos soube criar tal cultura marcante. Apesar de não ter consequencias semelhantes aos gregos ela deixou vários outros legados como, os idiomas da língua latina, o alfabeto e, raízes que influenciaram todo o mundo.
Durante a antiguidade clássica, tanto em Roma como na Grécia, era “comum” a existência de escravos, que eram uma camada sem nenhum direito social e em sua grande maioria eram prisioneiros de guerra e/ou filho de escravos. Eram “vendidos” para homens ricos e poderosos e até para comerciantes, que logo viriam a ser seus “donos”, executavam os trabalhos mais pesados na sociedade e não recebiam nada em troca, além de comida e roupa, que muitas vezes eram de mau estado.
No Império Romano a utilização da mão-de-obra escrava teve sua mais significativa importância. Em geral, os escravos trabalhavam na casa dos patrícios, que eram um grupo social que tinham mais poder. Assim como em Atenas, o escravo também poderia exercer varias funções ou ter sua própria liberdade. A única restrição jurídica contra um ex-escravo impedia-o de exercer qualquer cargo público.

Uma das obrigações essenciais do senhor consistia em dar uma boa alimentação ao seu escravo e mantê-lo bem vestido. No século I, os senhores foram proibidos de castigar seus escravos até a morte e, caso o fizessem, poderiam ser julgados por assassinato.
Escravidão na Antiguidade Clássica
Full transcript