Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

alergias

Olá.
by

Helder Pereira

on 8 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of alergias

Alergias Respiratórias
Las causas de las alergias son diversas. Generalmente una alergia es de origen hereditario, sin embargo no es común que se herede la alergia a una sustancia en específico, sino la tendencia a ser alérgico a alguna sustancia.
Causas
Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho
Biologia 2014/2015

4- Alergias
Trabalho realizado por:
Filipe Lagoa nº3
Hélder Pereira nº9
Pedro Filipe nº17

Profª Cecília Alves
Moreira, 18 fevereiro

O alergénio liga-se à IgE, que por sua vez se liga aos mastócitos, isto ocorre em todo o sistema gastrointestinal originando, por exemplo, hipersensibilidade intestinal.
Uma alergia a um alimento ocorre quando o sistema imunológico reconhece, erradamente, um alimento como um agressor.
Sendo apenas uma fração do alimento reconhecida como alergénio.
As alergias alimentares surgem rapidamente podendo ser moderadas, graves ou até fatais.

Podem ser:

Embora existam medicamentos estes são apenas utilizados para o tratamento dos sintomas (crises).

Tratamento
Por isso o tratamento da alergia alimentar consiste principalmente na evicção alimentar
Em alguns casos pode ser induzida a tolerância ao alimento, sendo necessária uma ingestão regular do antígeno para manter a tolerância conseguida.
Alergias cutâneas
A alergia na pele é uma reação inflamatória a uma substância estranha ao organismo que, geralmente, provoca comichão, vermelhidão, descamação e presença de bolinhas brancas ou avermelhadas na pele, em um local do corpo ou pelo corpo todo.
Introdução
As alergias são respostas exageradas a determinados antigénios do meio ambiente, designados alergénios, resultantes de uma hipersensibilidade do sistema imunitário relativamente a alguns elementos (pólen, àcaros, particulas de pelos, pó, entre outros).
Tipos de Hipersensibilidade
Tipo I - Hipersensibilidade imunologicamente mediada pela IgE ( imediata)
-Atopia
É o grupo de doenças ( rinite alérgica, asma, dermatite, gastroênteropatia alérgica) que ocorre em certas pessoas com uma tendência hereditária a desenvolver anticorpos IgE contra múltiplos órgãos envolvidos com antigénios "ambientais".
-Anafilaxia
Certos alergénios ( especialmente drogas, picadas de insetos, látex e alimentos) podem induzir a resposta mediada pela IgE, causando uma generalizada libertação de mediadores pelos mastócitos e resultando em anafilaxia sistémica.
Conclusão
SINTOMAS

coceira;
rubor;
manchas vermelhas


Mesmo quando a infeção desaparece no final da infância, os doentes podem permanecer atópicos, ou seja, com uma alta suscetibilidade ao desenvolvimento de uma inflamação cutânea.

Tipo IV - Hipersensibilidade mediada por células ( linf. T) ou retardada ( tardia)
Tipos de dermatite cutânea:

-Alérgica:
resulta do contato da pele com uma substância alergénica. Clinicamente caracteriza-se por apresentar vasodilatação e edema.

-Irritante:
resulta do contato da pele com alguma substância que causa uma lesão na pele química ou fisicamente. Clinicamente este tipo de dermatite apresenta ressecamento cutâneo,fissuras ou arranhaduras.


Choque anafilático
O choque anafilático depende da exposição e do próprio organismo, mas divide-se essencialmente em reações graves e brandas.
Grave
Desenvolvimento de urticária;
Dificuldades respiratórias;
Queda de pressão arterial;
Caso o individuo sobreviva o cérebro e os rins podem ficar permanentemente danificados.

Ligeira
Desenvolvimento de eczema moderado ou uticária
Tratamento
Atualmente, o único tratamento eficaz para a anafilaxia é uma injeção intramuscular de adrenalina
Eczema Atópico
CAUSAS

- alteração da barreira epidérmica (défice de
filagrina
) que torna a pele seca e anormalmente sensível a todas as agressões,

- uma tendência para as sensibilizações aos alérgenos com IgE.

NOTA: difere de outros eczemas por não ser perciso contacto prévio com alergénios.
CUIDADOS
A prioridade: apaziguar o prurido
O acto de coçar, embora possa acalmar temporariamente as irritações, mantém o eczema, agravando o fenómeno de alteração cutânea.

lavar o rosto com um produto "adequados"

aplicar diariamente um emoliente corporal que permite restaurar o filme hidrolipídico,reestruturar a barreira cutânea e limitar a penetração de factores potencialmente irritantes.
É uma doença atópica, hereditária e não-contagiosa, caracterizada por inflamação crônica da pele.
Dermatite de contacto
Urticária
É um processo inflamatório da zona superficial da pele que se manifesta através de erupções e sensação de queimadura e comichão. Pode ser local ou espalhar-se por todo o corpo.

Por vezes a urticária surge subitamente pouco depois de a pessoa ingerir uma quantidade ínfima de um determinado alimento. Noutros casos a urticária aparece apenas depois de se comer grandes quantidades de um alimento em particular.

Causas

Em cerca de 50% dos casos, as causas são desconhecidas.

Nos casos restantes: infecções, doenças endócrinas ou auto-imunes, alguns medicamentos e alimentos, agentes físicos (sol, frio, exercício...) e picadas de insectos,infecções respiratórias ou
alergias alimentares.
Tratamento

Como primeira medida é habitual iniciar uma medicação anti-histamínica. Se esta não der resultado, pode recorrer-se ao uso de corticoesteróides. Nos casos mais graves, administra-se adrenalina subcutânea.
A dermatite de contato, também denominada Eczema de contacto , é um processo inflamatório resultante de uma reação cutânea a diferentes tipos de alergénios,sendo que os sintomas podem

aparecer horas ou semanas após a sensibilização da pele.
O tratamento é feito com uso de esteróides tópicos ou orais, dependendo da gravidade do caso.

Para eliminar o prurido, utilizam-se anti-histamínicos, e caso haja infecção secundária, administram-se antibióticos.

A melhor forma de prevenir esta infeção é evitando o contato com substâncias responsáveis por desencadear crises anteriores, bem como lavar as mãos após a exposição ao agente.

No caso dos eczemas alérgicos, o teste de contato, pode ser de grande ajuda para se descobrir o que está a causar a alergia.
Ele é realizado colocando-se 20 a 30 das principais substâncias alergênicas em contensores que são deixados em contato com a pele por 48 horas. Aquelas que causarem reação devem ser evitadas.
Tratamento e Prevenção
Alergia alimentar
1- Quando indivíduos propensos a alergias são expostos pela primeira vez a um alérgeno, os linfócitos B diferenciam-se em plasmocitos e produzem anticorpos do tipo IgE específicos contra essa substância.


















2- Os anticorpos produzidos vão se ligar a receptores especificos.
É dessa ligação que consiste a sensibilização: a partir dessa, os mastócitos do indivíduo estarão “armados” e, caso o alérgeno penetre no organismo novamente, eles serão ativados para combatê-lo.
3- No caso de uma segunda exposição, ocorrerá a ligação do alérgeno no anticorpo do mastócito, o que leva à sua ativação.
A ativação dos mastócitos origina a libertação e sintese de substancias quimicas que são responsaveis pelos sintomas
Asma
Rinite
Sinusite
Asma é uma doença inflamatória crónica das vias aéreas. O pulmão do asmático é diferente de um pulmão saudável. Os sintomas de asma estão associados a uma obstrução parcial ou à presença de mucosidade nas vias respiratórias, ambos contribuindo para o estreitamento dos brônquios e para a dificuldade em respirar.

Grau 1: sintomas leves e intermitentes até dois dias por semana e até duas noites por mês, com predomínio dos sintomas no inverno.

Grau 2: sintomas persistentes e leves mais do que duas vezes por semana, mas não mais do que uma vez em um único dia.

Grau 3: sintomas persistentes moderados uma vez por dia e mais de uma noite por semana.

Grau 4: sintomas graves persistentes ao longo do dia na maioria dos dias e frequentemente durante a noite.

Tipos de Asma
Fatores responsaveis pelo aparecimento de asma:
Alergénios;
Mudanças de temperatura;
Circadiano;
Exercício fisico;
Ocupacional;
Infeção;
Heretariedade;
Os sintomas incluem:
Tosse com ou sem produção de muco;
Retrações intercostais;
Deficiência respiratória;
Respiração ofegante;
Padrão de respiração anormal;
Dor no peito com aperto no tórax;
''Pieira'';

Medicamentos contínuos
Broncodilatadores
Rinite
A rinite alérgica é uma reação imunológica do corpo a partículas inaladas que são consideradas estranhas, isto é, alergénios.
Alguns sintomas da rinite alérgica surgem logo após entrar em contato com o alérgénio. Os principais sintomas da crise de rinite alérgica são:

Irritação no nariz, na boca, nos olhos, na garganta, ou na pele;
Problemas com odores;
Coriza - inflamação mucosa;
Espirros;
Congestão nasal;
Diminuição da audição e do olfato;
Dor de garganta
O tratamento dos pacientes portadores de rinite alérgica é composto por três pilares principais:

Higiene ambiental;
Medicamentos;
Imunoterapia;
Sinusite é uma inflamação da mucosa dos seios da face. A doença pode ser secundária a uma infecção, quadro alérgico ou qualquer fator que interfira a correta drenagem de secreção dos seios da face. O nome mais utilizado para esse problema é rinossinusite, pois o processo inflamatório atinge tanto a mucosa dos seios da face como a mucosa nasal.
Sinusite:
A sinusite pode ser causada por:
Agentes infecciosos;
Poeira, choque térmico e cheiros ativos, (responsaveis por rinopatia alérgica);
Exposição a determinados agentes químicos e alterações na anatomia nasal ou dos seios da face;
Presença de um tumor;
Aguda, quando os sintomas estão presentes por um período inferior a 12 semanas;

Crónica, quando o inchaço e a inflamação dos seios nasais estão presentes por mais de 12 semanas;
Obstrução nasal ou secreção nasal associados a:
Pressão ou dor facial;
Redução ou perda do olfato;
Dor nos ouvidos;
Dores no maxilar superior e dentes;
Tosse, que pode ser pior durante a noite;
Garganta inflamada;
Mau hálito (halitose);
Fadiga ou irritabilidade;
Náusea;


Alguns tratamentos são recomendados para ajudar a aliviar os sintomas da sinusite:
Solução salina;
Corticoides nasais;
Corticosteroides orais ou injetáveis; Descongestionantes;
Antibióticos;
Cirurgia;

Asma
Tratamento:
Sintomas de Rinite alérgica
Tratamento
Fig. 1.1- Tipos hipersensibilidade
Fig. 1.2- Mecanismos de hipersensibilidade
Causas
A sinusite pode ser:
Sintomas:
Tratamento:
Na tentativa de encontrar os alergénios responsaveis pelas reações alérgicas que alguns individuos desenvolvem, procede-se a testes clinicos:
Para relembrar:
Bibliografia/Webgrafia:
Figura 3.2 - Causas da asma
Figura 4 - Crise de asma
Fig. 2- Mecanismos de Hipersensibilidade
Figura 5 - Broncodilatador
Figura 6 - Rinite
Índice
Mecanismos de hipersensibilidade
Se um individuo for hipersensivel, desenvolve-se uma inflamação nessa zona, visivel através do inchaço/induração e da ruborização.

Desta forma a prevençao torna-se mais simples e concreta.
Figura 7 - Tratamento Rinite
Figura 8 - Sinusite
Figura 9 - Cirurgia
Teste de alergia com agulha; Teste de alergia com gotas; Teste de alergia nas costas;

Figura 10 - Tipos de alergias alimentares
Figura 13 - Tipo IV de hipersensibilidade
Figura 15 - Resumo
4- Introdução
6- Alergia tipo I
7- Mecanismo de hipersensibilidade
8- Alergias respiratórias
9-Asma
14- Rinite
18- Sinusite
26- Alergia Alimentar
29- Choque anafilático
32- Urticária
32- Dermatite de contacto
36 - Alergias Cutâneas
42 - Alergias tipo IV
50 - Resumo
52- Conclusão
57- Bibliografia
http://www.ebah.pt/content/ABAAAAmMcAG/alergias-doencas-hipersensibilidade
http://www.infoescola.com/doencas/dermatite-de-contato/
http://www.atlasdasaude.pt/publico/content/eczema-de-contacto
http://www.dermatologia.net/novo/base/doencas/ecz_ctto.shtml
http://lifestyle.sapo.pt/saude/saude-e-medicina/artigos/eczema-atopico-2?artigo-completo=sim
http://www.laroche-posay.pt/artigo/Pele-at%C3%B3pica/a4564.aspx
http://www.tuasaude.com/urticaria/
http://lifestyle.sapo.pt/saude/saude-e-medicina/artigos/urticaria?artigo-completo=sim
http://www.dgs.pt/
http://evunix.uevora.pt/~sinogas/TRABALHOS/2002/imuno02_alergias.htm
http://www.minhavida.com.br/saude/temas/alergia-alimentar

Matias, Osório, Martins, Pedro, Biologia 12, parte 1, Areal, 1ª Edição, 2013, pag 214,215 e 216
Imagens
5- Fig. 1- Tipos de hipersensibilidade
7- Fig. 2- Mecanismo de Hipersensibilidade
9- Fig. 3.1 - Brôquio asmático vs Bronquio normal
10- Fig. 3.2 - Asma
11- Fig. 4- Crise de asma
12- Fig. 5- Broncodilatador
14- Fig. 6- Rinite
17- Fig. 7- Tratamento da rinite
19- Fig. 8- Sinusite
24- Fig. 9- Cirurgia
27- Fig. 10- Tipos de alergias alimentares
34- Fig. 11-Urticária
38- Fig. 12 - Eczema atópico
44- Fig. 13- Tipo IV de hipersensibilidade
46- Fig. 14 - Dermatite de contacto
51- Fig.1- Resumo
Figura 3.1 - Brônquio normal vs Brônquio asmático.
Fig. 11- Urticária
Fig. 12 Eczema atópico
Fig. 14- Dermatite de Contacto
Full transcript