Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Roberto Lobato Corrêa

No description
by

Leandro Pedro

on 28 February 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Roberto Lobato Corrêa

Roberto Lobato Corrêa
Nasceu no Rio de Janeiro em 1939. Bacharel e Licenciado em Geografia pela Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil (atual Universidade Federal do Rio de Janeiro), Rio de Janeiro, 1961. Em 1959 vinculou-se ao Conselho Naconal de Geografia. Ainda no IBGE toma contato com a Geografia Quantitativa. Nos Estados Unidos tomou conhecimento de alguns trabalhos de Geografia Crítica, e a partir de 1978 participa da nova fase da Geografia.
Possui mais de 200 (duzentos) trabalhos publicados, e um dos seus últimos livros foi: CAMINHOS PELA GEOGRAFIA (2008). Livro inédito que contém diversos textos produzidos pelo autor a partir de 1998 e que pretende ser uma amostra de uma visão plural da Geografia.

“(...) o presente volume reúne textos distintos em termos temáticos, teóricos e metodológicos. Pois os caminhos pela geografia são numerosos, alguns assumindo a forma de árvore, enquanto outros se entrelaçam como se fossem rizomas, mas ambos estão assentados sobre um fértil terreno que é a espacialidade humana. Qual deles é o melhor caminho? A priori não há um melhor caminho, pois isto depende dos objetivos do condutor, de sua problemática, mas, sobretudo, de sua habilidade em conduzir a pesquisa. Habilidade e imaginação geográfica.
Organizados em três partes, os textos deste volume revelam uma mistura de temas e métodos. Assim, encontram-se textos sobre a teoria dos grafos, de inquestionável matriz quantitativa, sobre as formas simbólicas espaciais, calcados na geografia cultural, e outro que é uma crítica à mercantilização da produção acadêmica. Cada um deles, assim como os demais, responde a distintos questionamentos, todos, no entanto, envolvendo a complexa e variada espacialidade humana, os modos de se pensá-la e divulgar os resultados das nossas pesquisas. Se a geografia está em toda parte, como afirmou Denis Cosgrove, os caminhos para conhecê-la também estão por toda parte.”
(Corrêa, 2008).
Em sua vasta produção, publicou vários artigos em diversas revistas de âmbito geográfico.

Foi o organizador de alguns livros e escreveu ainda três pequenos manuais (A Rede Urbana, o Espaço Urbano e Região e Organização Espacial) que são de fundamental importância para o entendimento do espaço geográfico.

Os congressos e encontros de geógrafos têm sido coroados com sua participação e suas pesquisas, que vêm sendo de fundamental importância para o avanço da ciência geográfica brasileira.
O livro "Trajetórias Geográficas"
Possui graduação em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1961), mestrado em Geografia Urbana - University of Chicago (1974) e doutorado em Geografia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999). Roberto Lobato Corrêa exerceu a função de pesquisador no Departamento de Geografia do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no período de 1959 à 1993 e atualmente é professor do Departamento de Geografia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde atua desde 1971. Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: espaço, cultura, rede urbana, geografia cultural e redes.
“Trajetórias Geográficas” (Bertrand Brasil, 1997), é o resultado de diversas pesquisas realizadas pelo professor e investigador Roberto Lobato Corrêa ao longo de sua caminhada e trajetória. O mesmo está dividido em cinco partes, com apenas dois textos inéditos. Os outros textos (todos de grande importância) foram originalmente publicados em revistas, coletâneas e anais de congressos no âmbito das Ciências Sociais e principalmente da Geografia.
Trajetórias Geográficas reúne 14 artigos referentes a cinco temas ou trajetos percorridos pelo autor. Redes Geográficas, o espaço urbano, a região, espaço e empresa e, finalmente, espaço, tempo e cultura. Trata-se de uma coletânea com textos teóricos e estudos empíricos, nos quais o Brasil como um todo, a cidade do Rio de Janeiro e o Sudoeste paranaense são abordados.

O livro revela os diversos trajétos metodológicos seguidos pelo autor, indicando, sem dúvida, a pluralidade dos caminhos que os geógrafos podem seguir para tornar inteligível a organização espacial.
Para entender e conhecer um pouco mais sobre o espaço, tempo e cultura, na quinta parte o autor pesquisa sobre a história geográfica do Sudoeste Paranaense e a importância dos conceitos de espaço e cultura para a geografia. Nos estudos sobre a geografia cultural, Roberto Lobato Corrêa contempla de forma esclarecedora os principais estudos de Carl Sauer. Com a retomada das discussões sobre a geografia cultural após os anos 80, o autor coloca que é preciso realizar um debate a respeito da geografia cultural "tradicional" e a "nova" geografia cultural. Resgatando alguns temas específicos que foram abordados pelos geógrafos, como a paisagem natural, percepção ambiental e cultura, espaço e simbolismo, cultura e lugares centrais, propõe principalmente aos geógrafos brasileiros um conjunto de temas sobre a dimensão espacial da cultura, pois poucos são os estudos realizados que possam efetivamente ser caracterizados como relacionados a um aspecto da cultura em sua dimensão espacial (exemplos de temas citados: o caráter simbólico de determinados prédios, monumentos, praças, a paisagem rural brasileira, trocas comerciais através de mercados periódicos e do comercio itinerante, cultura popular, entre outros).
GEOGRAFIA CULTURAL:

"(...)
A Geografia Cultural me enriqueceu muito, pelo fato de que ela deixa de lado essa perspectiva essencialista do marxismo, e passa a adotar uma perspectiva existencialista.
Numa sociedade plural, numa sociedade de classes, com uma fragmentação enorme, o mundo não é visto nem vivido da mesma maneira, e os diferentes grupos socias e plurais, étnicos e religiosos, e o que mais for, constróem, a partir de sua vivência, um mundo de significados próprios, que podem ser alienantes, mas que são reais, reais no sentido de que eles são voltados para as experiências vividas deles, da existência deles, e reconstróem o mundo à sua maneira. Uma das tarefas da geografia cultural é tornar inteligível o que os outros pensam do espaço, não quer dizer que seja concordar ou discordar, mas o que é o espaço de um grupo “x”, de um grupo “y”, e como isso tem retorno sobre as práticas socias e espacias desses grupos.
"
1. Estudos Comparativos sobre a Rede Urbana

Objetivo: Visa-se compreender as relações entre cidades nos diferentes contextos sociais. Particularmente, procura-se comparar a prática espacial de agentes sociais no processo de diferenciação entre cidades.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Geografia / Subárea: Geografia Humana / Especialidade: Geografia Urbana.
Setores de atividade: Desenvolvimento Urbano.
Palavras-chave: Rede Urbana.
2.Espaço e Cultura

Objetivo: Esta linha privilegia a dimensão cultural do espaço, uma de suas dimensões. Entende-se que na produção do espaço são projetados valores, crenças, utopias que dizem respeito às diversas esferas da vida..

Grande área: Ciências Humanas / Área: Geografia / Subárea: Geografia Humana / Especialidade: Geografia Urbana.
Setores de atividade: Desenvolvimento Urbano.
Palavras-chave: Espaço; Cultura.
3. Organização Interna da Cidade

Objetivo: Este linha objetiva compreender os processos e as formas espaciais vinculados à produção do espaço intra-urbano, abrangendo cidades em diferentes contextos e escalas dimensionais.

Grande área: Ciências Humanas / Área: Geografia.
Setores de atividade: Planejamento e Gestão das Cidades, Inclusive Política e Planejamento Habitacional.
Palavras-chave: Cidade.
LINHAS DE PESQUISA:
O que é Espaço Urbano?


Em termos gerais, o conjunto de diferentes usos da terra justapostos entre si. Tais usos definem áreas, como: o centro da cidade, local de concentração de atividades comerciais, de serviço e de gestão; áreas industriais e áreas residenciais, distintas em termos de forma e conteúdo social; áreas de lazer; e, entre outras, aquelas de reserva para futura expansão. Este conjunto de usos da terra é a organização espacial da cidade ou simplesmente o espaço urbano fragmentado.
Eis o que é espaço urbano: fragmentado e articulado, reflexo e condicionante social, um conjunto de símbolos e campo de lutas. É assim a própria sociedade em uma de suas dimensões, aquela mais aparente, materializada nas formas espaciais.

REFERÊNCIAS:
CORRÊA, Roberto Lobato. O ESPAÇO URBANO. São Paulo: Editora Ática, 2005.

PRATES, Arlene M.M; MAMIGONIAN, Armen; DIGIACOMO, Milton; SILVA, Odair Gercino da. Entrevista com Roberto Lobato Côrrea. Revista GEOSUL nº 2, Ano I, 29º semestre de 1986, p.23-42.

ROBERTO LOBATO CORRÊA. Disponível em: <https://sites.google.com/site/robertolobatocorrea/home> . Acesso em: 20 fev 2014.

ROBERTO LOBATO CORRÊA. Disponível em: <http://www.ub.edu/geocrit/b3w-74.htm>. Acesso em: 20 fev 2014.

STALLONE, S. R. Disponível em: < Acesso em: 21 fev 2014.
Full transcript