Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Evolução teórica do Behaviorismo

Evolução teórica do Behaviorismo
by

Sérgio Silva

on 8 June 2010

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Evolução teórica do Behaviorismo

Evolução do Behaviorismo Como referido na escola de pensamento behaviorista pode ser estudada em três momentos Primeiro momento Segundo momento Neo-behaviorismo (1930-1960) Behaviorismo (1913-1930) John Watson Burrhus Skinner Terceiro momento Sócio-behaviorismo
(1960-até hoje) Albert Bandura Neo-behaviorismo
Burrhus Skinner e o condicionamento operante Os estudos de Skinner permitem a compreensão das concepções que marcam o neo-behaviorismo. doutrina que pretendia tornar a ciência mais precisa pelo uso de terminologia objectiva e pela exclusão dos problemas não observáveis. Skinner defendia Operacionalismo preocupação com o estudo do comportamento observável despreocupação com o estudo das ocorrências internas entre o indivíduo e entre o estímulo e a resposta considerar que o indivíduo é regido por forças do meio e não internas Os trabalhos de Skinner introduziram três conceitos fundamentais para o Psicologia da Aprendizagem Comportamento operante Condicionamento operante Esquemas de reforço Procedimento composto por um estímulo, comportamento e uma consequência. Complementa a proposta teórica de Pavlov e muitos são os pressupostos gerais que caracterizam as duas perspectivas, mas é importante não perder de vista o que as distingue Condicionamento Clássico - Condicionamento Operante DIFERENÇAS Durante o condicionamento, o estímulo incondicionado e o estímulo neutro associam-se. A resposta é involuntária, reflexa. A atitude do sujeito é passiva, mecânica. Experiências de Skinner As experiências de Skinner mais conhecidas foram realizadas com ratos que eram colocados em gaiolas experimentais com uma barra. Lei da aquisição a força de um comportamento operante (voluntário) aumenta quando este é seguido por uma resposta reforçadora. Logo, o reforço é necessário para que haja aquisição. Exemplo: O rato prime a alavanca (comportamento operante) para receber alimento (reforço). Se, por algum motivo, o rato deixar de receber o reforço, o comportamento operante deste tende para a extinção, tal como sucedia no condicionamento clássico. Esquemas de reforço Condições que envolvem os diferentes intervalos de tempo entre os reforços. Em relação às diversas possibilidades de esquemas de reforço, podemos considerar os extremos reforço contínuo o rato recebe alimento a cada resposta; extinção o rato nunca recebe reforço; Entre estes dois é possível estabelecer: Esquemas de reforço parcial ou intermitente (depois de estabelecido o condicionamento, o rato recebe alimento ocasionalmente) As ideias do comportamento operante e dos esquemas de reforço foram contribuições fundamentais para a evolução do behaviorismo e para as teorias da aprendizagem Sócio-behaviorismo
Albert Bandura e a aprendizagem por modelagem Bandura questiona a desconsideração dos processos mentais e cognitivos na abordagem de Skinner e defende uma teoria social e cognitiva. Reconhece também a existência de esquemas de reforço externo nos processos de pensamento e concorda com a possibilidade de mudança comportamental por meio de reforço. Mas defende também a possibilidade de mudança comportamental sem existência de reforço directo, através de um reforço vicariante. Para este autor, o comportamento humano é então frequentemente mediado pela imitação, por processos de atenção, retenção, reprodução e motivação, que facilitam a aprendizagem. Estes processos constituiram a base de aprendizagem por observação ou modelagem. É no contexto do processo de modelagem que, para Bandura, é possível falarmos de dois tipos distintos de reforço: o reforço directo, que segue o comportamento desejado; (exemplo: a criança é elogiada por ter imitado um comportamento correcto);

o reforço vicariante, um exemplo de reforço indirecto, que resulta da observação de um modelo cujo comportamento foi directamente reforçado; (exemplo: uma criança observa que um modelo é elogiado pelo seu comportamento, essa constatação estimulá-la-á a imitar o comportamento observado). Bandura defende o processo cognitivo como essencial para a aprendizagem porque Acredita que o ser humano tem a capacidade de antecipar e de avaliar as consequências de um comportamento observado (não experimentado) e de decidir conscientemente produzir respostas semelhantes ou não às observadas. Deram origem FIM Durante o condicionamento, a resposta é acompanhada de consequências. A resposta é voluntária, intencional. A atitude do sujeito é activa, toma a iniciativa.
Full transcript