Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Curimba e Pontos Cantados

No description
by

Sergio Varela

on 3 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Curimba e Pontos Cantados

Curimba e Pontos Cantados
O que é “Curimba”?
Qual a sua importância?Quem integra a Curimba?Pontos Cantados
Toques
Atabaques
Como nos portar
Mitos
Perguntas
O que veremos hoje?
O que é "Curimba"?
Curimba é o nome que se dá ao grupo de filhos de um terreiro responsável por entoar os pontos cantados e tocar os atabaques nos rituais Umbandistas.
S.C.C.T. Water Mello e
T. Sérgio Varela
Palestrantes
Qual a sua importância?
A Curimba tem um papel fundamental no ritual Umbandista. É por meio da entoação dos diversos pontos cantados e da percussão dos atabaques que a Curimba movimenta as energias no congá, criando condições para a formação da corrente mediúnica e sustentando essa corrente do início ao fim dos trabalhos.
As vibrações criadas pela Curimba (ondas sonoras criadas pela voz e pelo som dos atabaques) agem diretamente sobre os “chacras” (ou centros de força) dos médiuns e neófitos da corrente e também dos assistentes, afetando assim a sua rotação.
Os chacras que são mais estimulados são o “Coronário” (glândula pineal ou epífise), “Frontal” (glândula hipófise) e o “Básico” (Gônodas).
Essa estimulação ajuda:
- no transe mediúnico daqueles que estão incorporados;
- favorece a manutenção da egrégora;
- permite que os assistentes absorvam melhor as energias do plano espiritual;
- dispersam os fluídos negativos;
- contribuem para que todos fiquem focados na engira (deslocamento de formas-pensamento).
A Curimba também ajuda quem está chefiando os trabalhos (Guias e a Madrinha Claudete) na determinação das diversas partes da engira (defumação, abertura dos trabalhos, firmeza, chamada dos guias, firmeza do terreiro, passe, quebra de demanda, limpeza, trabalhos, despedida dos guias, agradecimento, encerramento).
Uma Curimba firme, segura, que canta e toca bem os pontos certos na hora certa só traz benefícios a todos.


Por outro lado, uma Curimba insegura, que canta e toca mau os pontos errados na hora errada, traz enormes prejuízos à corrente mediúnica, atrapalha a incorporação dos médiuns, não estimula os chacras de maneira adequada, favorece a dispersão mental e a criação de diversos buracos negros na corrente, prejudicando médiuns, neófitos e assistentes.
“Uma Curimba pode tanto elevar como afundar um terreiro.”
Engels de Xangô
(Escola de Curimba Aldeia de Caboclos)
Quem integra a Curimba na Umbanda?

Os curimbeiros e os atabaqueiros.
Tanto os curimbeiros, como os atabaqueiros tocam e cantam. No entanto, é o curimbeiro que “puxa” os pontos e que recebe ordens e orientações diretas dos guias e da chefe de terreiro. É o curimbeiro que, autorizado pelo dirigente dos trabalhos, possui uma pequena autonomia de ir puxando os pontos conforme sua intuição (mediunidade) vai lhe guiando no transcorrer dos trabalhos.

É função primordial do curimbeiro criar uma sintonia com o dirigente dos trabalhos (Guias e a Madrinha Claudete) para que a Curimba auxilie ao máximo no que for preciso e nas diversas situações que podem ocorrer durante a engira.
Full transcript