Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

FIGURAS DE LINGUAGEM

No description
by

Graciana Lenzi

on 24 February 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of FIGURAS DE LINGUAGEM

FIGURAS DE LINGUAGEM
São recursos que tornam as mensagens que emitimos mais expressivas.
Subdividem-se em
figuras de som
,
figuras de palavras
,
figuras de pensamento
e
figuras de construção
.

As figuras de construção ocorrem quando desejamos atribuir maior expressividade ao significado. Assim, a lógica da frase é substituída pela maior expressividade que se dá ao sentido.
Figuras de Construção ou Sintáticas
Dentre as figuras de pensamento, as mais comuns são:
Figuras de Pensamento
A figura de palavra consiste na substituição de uma palavra por outra, isto é, no emprego figurado, simbólico, seja por uma relação muito próxima (contiguidade), seja por uma associação, uma comparação.
Figura de palavra ou semânticas
Metáfora:
É uma comparação subentendida.
" Sua boca
é um cadeado
/ E meu corpo
é uma fogueira
"
(Chico Buarque de Holanda)

Comparação:
A comparação é feita por meio de um conectivo e busca realçar determinada qualidade do primeiro termo.
A chuva caía
como
lágrimas de um céu entristecido.



Antítese:
consiste no emprego de termos com sentidos opostos.
"
Tristeza
não tem fim.
felicidade
sim ...." (Vinícius de Moraes)

Paradoxo:
ideias contraditórias.
"Pra se
viver
do amor
Há que
esquecer
o amor."
(Chico Buarque de Holanda)

Elipse:
Ocorre quando há omissão de um termo, que fica subentendido pelo contexto e que é facilmente identificado.
À direita da estrada, sol, à esquerda, chuva.
(omissão da forma verbal estava: estava o sol, estava
chuva)


Metonímia:
É a substituição do sentido de uma palavra ou expressão por outro sentido, havendo entre eles uma reação lógica.
São muitas as famílias que procuram um
teto
para morar.



Ironia:
Consiste na inversão de sentido: afirma-se o contrário do que se pensa, visando à sátira ou à ridicularização.
“Cada vez que você interrompe seu colega, sem pedir licença, percebo
como é bem educado

Assíndeto:
Ocorre quando há a supressão do conectivo.
O vento zunia, as folhas caíam.

Polissíndeto:
Ocorre quando há repetição do conectivo.
E falei, e gritei, e tentei, e gesticulei e pedi ajuda, mas ninguém parou para socorrer o gato acidentado.
PROFESSORA GRACIANA LENZI
Comparação
Metáfora
Catacrese
Sinestesia
Antonomásia
Sinédoque
Metonímia
Onomatopeia
Perífrase
Antítese
Paradoxo
Ironia
Eufemismo
Hipérbole
Gradação
Prosopopeia
Apóstrofe
Elipse - Zeugma
Polissíndeto
Assíndeto
Pleonasmo
Hipérbato
Anacoluto
Anáfora
Silepse
Assonância
Aliteração
Sinestesia:
consiste na união de impressões sensoriais diferentes.
Um
doce abraço
indicava que o pai desculpara.
Catacrese:
É o emprego de um termo figurado por falta de um termo próprio para designar determinadas coisas.
Sentou-se no
braço da poltrona
para descansar
Eufemismo:
consiste no abrandamento de uma expressão de sentido desagradável.
Aqueles homens públicos
propriam-se
do dinheiro.
Hipérbole:
exagero procura tornar mais expressiva uma ideia.
Na época de festa junina, sempre
morro de medo
de fogos de artifício.
Perífrase:
designa qualquer sintagma ou expressão idiomática (e mais ou menos óbvia ou direta) que substitui outra.
A
Cidade Maravilhosa
segue cheia de sol.
Quando a perífrase indica uma pessoa, recebe o nome de
ANTONOMÁSIA
.
O
Príncipe dos poetas...
Gradação:
Consiste em dispor as ideias por meio de palavras, sinônimas ou não, em ordem crescente ou decrescente.
"O trigo...
nasceu, cresceu, espigou, amadureceu, colheu-se
." (Padre Antônio Vieira)
Zeugma:
Omissão de um termo (verbo) já enunciado antes.
“Ele prefere um passeio pela praia; eu, cinema.”
Hipérbato:
É a inversão da ordem natural (direta) dos termos na oração.
Viajam cansados os pescadores de ilusões.
Silepse:
Ocorre quando se realiza a concordância com a ideia e não com os termos expressos.
A silepse pode ser:

de gênero
Vossa Excelência ficou
cansado
com o discurso.

de número
A família do réu procurou advogado e
queriam
saber se ele poderia ficar em liberdade durante o processo.

de pessoa
Os brasileiros
somos
muito crédulos.
Anáfora:
É a repetição de termos no início de cada verso ou frases.
"
Era a mais cruel
das cenas.
Era a mais cruel
das situações.
Era a mais cruel
das missões..."
Prosopopeia:
atribui características humanas a outros seres que não tem tal características.
"Ah!
cidade maliciosa
de
olhos de ressaca
(...)" (Ferreira Gullar)
Apóstrofe
- Consiste em interromper a narração para dirigir a palavra a pessoas ausentes ou ao leitor.
Ex: Tende piedade de mim,
Senhor
, de todas as mulheres (Vinícius de Moraes)
Assonância
- Consiste na repetição ordenada de sons vocálicos idênticos.
Ex: "Sou um mulato nato no sentido lato
mulato democrático do litoral."
Aliteração
- Consiste na repetição de consoantes como recurso para intensificação do ritmo ou como efeito sonoro.
Ex: Três pratos de trigo para três tigres tristes.
Full transcript