Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Latim

Breve Histórico, Alfabeto, Pronúncia, Gêneros
by

Cristiano Moita

on 30 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Latim

MOTIVOS IMPORTÂNCIA DA CULTURA CLÁSSICA
AUTORES E OBRAS EM LATIM
MAIS UMA LÍNGUA
EXPRESSÕES LATINAS
DEFICIÊNCIA NA UNIVERSIDADE
... LATIM PRONÚNCIA Reconstituída (Clássica):
a) AE e OE = AI e OI ou AE e OE (poena=poina ou poena; caelum=cailum ou caelum);
b) I e V = I e U (iustitia=iustitia; video= uideo)
c) C = K (Cícero=Kikero);
d) G = Guê (gestus=guestus);
e) S = SS (casa=cassa; rosa=rossa);
f) H = leve aspiração (hodie=rodie);
g) T em qualquer posição e diante de qualquer vogal = T
h) X = KS (Alexander=aleksander);
i) Z = DZ (zona=dzona);
j) CH = K (pulcher=pulker);
l) QU = KU (quotidie=kuotidie);
m) S sem apoio vocálico = assibilação (spes=sspes);
n) Grupos consonantais são todos pronunciados (strepitus=sstrepitus);
o) Y, usado em palavras de origem grega = u do francês ou ü do alemão ALFABETO LATINO GÊNERO Femino
Masculino
Neutro BENEFÍCIOS CONTATO COM A CULTURA CLÁSSICA
ACESSO A AUTORES E OBRAS EM LATIM
CONHECIMENTO DE UMA LÍNGUA MILENAR
DOMÍNO DE EXPRESSÕES
CONHECIMENTO DO PORTUGUÊS
APRENDIZADO DE OUTRAS LÍNGUAS
... Tradicional (mais próxima da língua portuguesa):
a) AE e OE = É (poena = pena; caelum = kélum);
b) I e U podem ser pronunciados como J e V (ius=jus; uidĕo=vídeo)
c) PH = F (Zephirus=Dzéfirus);
d) TI = CI (amicitia=amicicia);
e) S, X e T antes de TI: T = T (hostia=hostia);
f) X = KS (rex=reks);
g) Z=DZ (zona=dzona) Cristã ou Eclesiástica (mais influenciou o italiano):
a) CE e CI = tche, tchi (caelum=tchelum);
b) SC = ch do português (scena=chena);
c) GE e GI = dge, dgi (genus=dgenus);
d) GN =nh (agnus= ánhus);
e) S final é forte (flores=floress);
f) Z = dz (zelus=dzélus). Sílaba Tônica:
Oxítonas: muito raras (ius, pax...)
Paroxítonas: maioria das palavras (societas, deus, amica...)
Proparoxítonas: várias palavras (indicadas por uma braquia na penúltima sílaba; fabŭla, iniurĭa, brachĭa...) Sinais de quantidade:
˘ (braquia) = vogal breve (anĭmus, habĕas, fabŭla);
¯ (mácron) = vogal longa, que equivale a duas breves (fīnis, puēlla) A a = [a]
B b = [bê]
C c = [kê]
D d = [dê]
E e = [é]
F f = [ef]
G g = [guê]
H h = [rrá]
I i = [i]
K k = [ká]
L l = [el]
M m = [em] N n = [en]
O o = [ó]
P p = [pê]
Q q = [ku]
R r = [er]
S s = [es]
T t = [tê]
V u = [u]
X x = [iks]
Y y = [i Graeca]
Z z = [dzeta] Obs.: Antes de vogal e no início de sílaba, o I e o U podem tornar-se consoante. É assim que os dicionários em sua maioria constumam representar: ieiunĭum -> jejunĭum; auarus -> avarus; fluuĭus -> fluvĭus. Obs.: Seres animados -> masculinos (puer, lupus, Mercurĭus), femininos (femĭna, aquĭla, Diana). Mas há seres inanimados que forma vistos como animados pelos latinos: fluuĭus (masc.), fagus (fem.), Aegyptus (fem.).
Seres inanimados -> maioria neutros (templum, aratrum, lucrum).
Obs.²: Todo substantivo neutro (arbustum, argentum, folĭum) refere-se a um ser inanimado, mas nem todo ser inanimado se expressa por meio de um substantivo neutro (campus e hortus são masculinos, pinus é feminino) habeas corpus rebus sic stantibus jus suum cuique tribuere Jus est realis ac personalis hominis ad hominem proportio, quae servata servat societatem, corrupta, corrumpit. pacta sunt servanda ad hoc ad quem; a quo honoris causa causa mortis ego, id, super ego, alter ego anĭmus contrahendi, jocandi, difamandi, necandi alea jacta est! habemus papam! obligatio ad rem argumentum ad homĭnem, petitio principii, post hoc ergo propter hoc conditio sine qua non iuris et de jure ipso facto ex nihilo nihil ecce homo! ipsis littĕris mutatis mutandis sui generis vade mecum Poesia: Catulo, Horácio, Ovídio, Virgílio, Fedro;
História: Tito Lívio, Suetônio, César;
Filosofia: Sêneca, Cícero mens legis mens sana in corpore sano Descartes: Principia Philosophae, Meditationes de Prima Philosophia qua Dei existentia et animae immortalitas demonstratur, Regulae ad Directionem Ingenii, Compendium Musicae Santo Tomás de Aquino: Scriptum super sententiis; Summa contra gentiles; Summa theologiae. Sêneca: De Brevitate Vitae, Epistulae Morales ad Lucilĭum, Questiones Naturales Virgílio: Aeneid, Eclogues, Georgicon Bacon: Novum Organum Erasmo de Roterdão: Moriae Encomium Galileo Galilei: Sidereus Nuncius Newton: Philosophiae Naturalis Principia Mathematica Justiniano: Institvtiones, Codex, Digesta Você sabia?! que, em 1803, foi encontrado em um monastério beneditino localizado na Alta Bavieria, o Codex Latinus Monacensis, um conjunto de textos poéticos em latim, alto alemão e antigo francês?
em 1847, Johann Andreas Schmeller, um estudioso de dialetos, publicou a obra como Carmina Burana (Cantigas de Benediktbeuern)?
em 1937, Carl Orff encenou, em Frankfurt, pela primeira vez, sua famosa cantata baseada nessa obra, agradando, inclusive, os grandes do partido nazista, como Hitler e Goebbels? MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
DIRETRIZES PARA O APERFEIÇOAMENTO DO ENSINO/APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA

Comissão Nacional para o Aperfeiçoamento do Ensino/Aprendizagem da Língua Materna
Relatório Conclusivo JANEIRO/1º86

ABGAR RENAULT - Presidente
ANTÔNIO HOUAISS
CELSO CUNHA
CELSO LUFT
FÁBIO LUCAS
JOÃO WANDERLEY GERALDI (substituindo Aurélio Buarque
de Holanda)
MAGDA BECKER SOARES
NELLY MEDEIROS DE CARVALHO (substituindo Francisco Go
mes de Matos)
RAYMUNDO JURANDY WANGHAM 1º. A QUESTÃO DO LATIM E 0 ENSINO DA LÍNGUA PORTUGUESA
A Comissão reconhece que, no segundo grau, na própria disciplina de Língua Portuguesa, deve haver um número de aulas dedicadas ao estudo das estruturas do Latim, com vista à compreensão mais lúcida da própria língua portuguesa, em sua história interna e seus recursos mórficos e semânticos.
A Comissão admite que, na hipótese de se desdobrar o segundo grau em científico e clássico, neste deverá ser reintroduzido o Latim.
No ensino superior, o Latim deve ser reabilitado em sua qualidade de matéria plena. Breve Histórico Pré-histórico (XI e VII a.C.)
Proto-histórico (VII a IV a.C.)
Arcaico (III a I a.C.)
Clássico (a partir do do séc. I a.C
Vulgar
Pós-clássico (I a V d.C.) Importância
Breve Histórico
Alfabeto
Pronúncia
Sintaxe Sintaxe
Informações Básicas Em Latim, não há artigo!! Magister bonus est.
"O professor é bom." ou " Um professor é bom."
Discipŭlus est sedŭlus.
"O aluno é dedicado." ou " Um aluno é dedicado." O sentido é determinado pela forma das palavras, não pela ordem!! No português, a ordem das palavras (SVO) costuma determinar o sentido.
Ex.: Pedro visita o amigo. S: Pedro; V: visita; O: o amigo
O amigo visita Pedro. S: O amigo; V: visita; Pedro

No latim, a forma das palavras, especificamente suas terminações, é que determinam o sentido.
Ex: Petrus visĭtat amicum. Petrus amicum visĭtat. Tradução: Pedro visita o amigo.
Amicum visĭtat Petrus. Amicum Petrus visĭtat.
Visĭtat amicum Petrus. Visĭtat Petrus amicum. Caso: Formas das palavras conjugadas com seus valores. Nominativo
Vocativo
Acusativo
Genitivo
Ablativo
Dativo Declinação: Conjunto de casos. 1ª declinação
2ª declinação
3ª declinação
4ª declinação
5ª declinação Latim de Tabeliães ou Latim Bárbaro
Eclesiástico
Científico custos legis dura lex, sed lex
Full transcript