Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Teoria das Organizações

Desenvolvimento de um framework para compreensão das tecnologias de gestão
by

Andrei Andrade

on 26 April 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Teoria das Organizações

Teoria da
Pequena Empresa

Desenvolvimento de um
framework
conceitual para compreensão da
Gestão de Pequenas Empresas

Teoria das
Organizações

AMBIENTE
certeza e estabilidade
incerteza e mudança
DISCURSO
ESTRATÉGIA
Planejamento
como formalização da execução

Experimentação
como busca por um modelo de negócios

INOVAÇÃO
Desenvolvimento de
Produtos

(Processo sequencial)
Desenvolvimento de
Produtos e Clientes

(Processo cíclico)
PRODUÇÃO
em
grandes lotes

em
pequenos lotes

(concepção de projeto acabado)
(concepção de projeto iterativo e incremental)
CULTURA
medição da
Eficiência

medição de
Valor

(ampliação da produtividade)
(ampliação do conhecimento)
TRABALHO
(abordagem ocidental)
perspectiva
científica

perspectiva
filosófica

(abordagem oriental)
o erro é esperado e
fonte de aprendizado

o erro é punido e
fonte de conflito

DESEMPENHO
PENSAR
TRANSFORMAR
AGIR
1
2
3
4
Modelo de
GESTÃO

a ação conforme o pensamento
o pensamento conforme à ação
PENSAR
AGIR
Modelo de
GESTÃO

conhecimento
estratégia
tomada de decisão
Explícito
Tácito
Deliberada
Emergente
Racional
Intuitiva
Nonaka e Takeuchi (1995)
Mintzberg (1994)
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Pensar
1
Alinhar
2
Agir
3
Aprender
4
5) Fluxo cíclico
Modelo de
GESTÃO DA PEQUENA EMPRESA
estratégia
cultura
estrutura
tecnologia
decisão
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
1) Pensar
2) Alinhar
3) Agir
4) Aprender
5) Fluxo cíclico
Modelo de
GESTÃO DA PEQUENA EMPRESA
Modelo de Gestão CIRCUITO FECHADO
2.1 Traduzir a estratégia em mapas, indicadores e metas
2.2 Alinhar a organização
2.3 Planejar as operações
3. Executar
4.1 Testar e adaptar
4.2 Monitorar e aprender
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
1) Pensar
2) Alinhar
3) Agir
4) Aprender
5) Fluxo cíclico
Modelo de Gestão
DA GRANDE EMPRESA
1. Desenvolver a estratégia
2. Alinhar a criação de valor conforme às necessidades não satisfeitas dos clientes
3. Criar valor
4. Entregar o valor ao cliente e aprender sobre a satisfação das necessidades dos clientes
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Pensar
1
T2
Agir
3
T4
5) Fluxo cíclico
1. Pensar sobre as necessidades não satisfeitas dos clientes
5. Perseguir a melhoria contínua
Modelo de Gestão PENSAMENTO ENXUTO
Modelo de Gestão
DA GRANDE EMPRESA
Pensar

Agir

5) Fluxo cíclico
1. Desenvolver as suposições sobre os negócios
Modelo de Gestão TEORIA DOS NEGÓCIOS
A INTERDEPENDÊNCIA ENTRE PENSAMENTO E AÇÃO
1.1 Ambiente
1.2 Missão Específica
1.3 Competências Essenciais
2. Validar as hipóteses sobre os negócios
2.4 Melhoria contínua
2.1 Realidade
2.2 Comportamento sistêmico
2.3 Cultura
2. Traduzir a visão em hipóteses verificáveis sobre o modelo de negócios
3. Criar Produtos Mínimos Viáveis e testar
4. Decidir entre perseverar, pivotar ou perecer
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
1) Pensar
2) Alinhar
3) Agir
4) Aprender
5) Fluxo cíclico
1. Desenvolver a visão do negócio
5. Repetir até o product-market fit
Modelo de Gestão STARTUP ENXUTA
Modelo de Gestão
DA PEQUENA EMPRESA
DIRIGENTE
Modelo de Gestão ABORDAGEM CLÁSSICA - Henri Fayol
2. Organizar
Constituir o duplo organismo material e social da empresa
3. Comandar
Dirigir e orientar a organização
4. Coordenar
Unir e harmonizar os atos e esforços coletivos
5. Controlar
Verificar se as normas e regras estabelecidas estão sendo seguidas
AMBIENTE
Pensar
T1
Agir

T2
5) Fluxo cíclico
Modelo de Gestão
DA GRANDE EMPRESA
1. Planejar
Visualizar o futuro e traçar o programa de ação
2. FLUXO DE VALOR
Identificar o fluxo de valor p/ cada família de produtos

3. FLUIR
Fazer o valor fluir sem interrupção
4. PUXAR
Deixar o cliente puxar o valor
5) Fluxo cíclico
1. VALOR
Especificar precisamente o valor sob a ótica do cliente
5. PERFEIÇÃO
Perseguir a melhoria contínua
5 PRINCÍPIOS DO PENSAMENTO ENXUTO
Modelo de Gestão
DA GRANDE EMPRESA
3. Combinação
Construção de protótipos
4. Internalização
Justificação de conceitos
1. Socialização
Compartilhamento de conhecimento tácito
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Pensar
1
T2
Agir
3
T4
2. Externalização
Criação de conceitos
Modelo de GESTÃO DO CONHECIMENTO
Modelo de Gestão
EMPRESARIAL

DIRIGENTE
Fluxo cíclico
5
Nivelamento do conhecimento
Modelo da PEQUENA EMPRESA
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Modelo da
PEQUENA EMPRESA
PENSAR
AGIR
1
3
Modelo de Gestão
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Pensar
1
T2
Agir
3
T4
Fluxo cíclico
5
PEQUENA EMPRESA
Modelo de Gestão da
Fluxo cíclico
5
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Conhecimento
EXPLÍCITO
Conhecimento
TÁCITO
o imperativo no
EMPREENDER
o imperativo no
PLANEJAR
o imperativo no
EXPERIMENTAR
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
imperativo no
LIDERAR
imperativo no
PLANEJAR
imperativo no
EXPERIMENTAR
Liderança
Estratégia como criação de significado
Planejamento
Estratégia como formalização da execução
Experimentação
Estratégia como busca por um modelo de negócios
DIRIGENTE
Pensar

T2
Agir

T4
TRANSFORMAR
4
o pensamento conforme à ação
TRANSFORMAR
TRANSFORMAR
2
a ação conforme o pensamento
1. Estratégias
Pretendidas

2.1 Estratégias
Não-realizadas
2.3 Estratégias
Emergentes
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Pensar
1
T2
Agir
3
T4
Modelo de GESTÃO DAS ESTRATÉGIAS
Modelo de Gestão
EMPRESARIAL

DIRIGENTE
3. Estratégias
Realizadas
2.2 Estratégias
Deliberadas
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
EMPREENDER
PLANEJAR
EXPERIMENTAR
EMPREENDER
a inspiração e a urgência por

comunicação
PLANEJAR
a concepção e a urgência por
organização
EXPERIMENTAR
o aprendizado e a urgência por
validação
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
EMPREENDER
a inspiração e a urgência por

comunicação
PLANEJAR
a concepção e a urgência por
organização
EXPERIMENTAR
o aprendizado e a urgência por
validação
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
EMPREENDEDORISMO
Inspiração
PLANEJAMENTO
Concepção
EXPERIMENTAÇÃO
Aprendizado
Técnica de transformação organizacional
TECNOLOGIA DE GESTÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Papéis
Informacionais
Papéis
Decisionais
Papéis
Interpessoais
VISÃO
AÇÃO
PENSAMENTO
Doing
first
Seeing
first
Thinking
first
Doing
first
Seeing
first
Thinking
first
Técnica de
tomada de decisão
Mintzberg (2001) MIT Sloan Management Review.
Criação de direção
Formalização da execução
Busca por um modelo de negócios
Busca por um modelo de negócios
Formalização da execução
Criação de direção
Dinâmica da Estratégia
ideias
fatos
experiências
arte
ciência
habilidade prática
Direção e motivação pelo
aprendizado
Direção e motivação pela
concepção
Direção e motivação pela
interpretação
Recomendações ao PENSAMENTO
Recomendações à AÇÃO
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
1.1 Ambiente
1.2 Missão Específica
1.3 Competências Essenciais
Pensar
Agir
Fluxo cíclico
DESENVOLVIMENTO DE CLIENTES
Modelo de Gestão
Modelo de Gestão
CUSTOMER DEVELOPMENT
(Desenvolvimento de Clientes)
Blank, Steven Gary (2012)
1. Descoberta do cliente
2. Validação pelo cliente
3. Geração de demanda
4. Estruturação do negócio
REPRESENTANTE
LÍDER
CONTATO
PORTA-VOZ
DISSEMINADOR
MONITOR
EMPREENDEDOR E NEGOCIADOR
SOLUCIONADOR DE DISTÚRBIOS
ALOCADOR DE RECURSOS
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
o imperativo no
EMPREENDER
o imperativo no
PLANEJAR
o imperativo no
EXPERIMENTAR
O ADMINISTRAR
entendido como a congruência

entre
EMPREENDER, PLANEJAR E EXPERIMENTAR
PENSAMENTO
AÇÃO
VISÃO
Escola administrativa
Escola filosófica
HUMANISMO
RACIONALISMO
EMPIRISMO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Pensar
Agir
Fluxo cíclico
5
GRANDE EMPRESA
Modelo de Gestão da
1. Planejar
2. Organizar
3. Liderar
4. Controlar
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Modelo da
PEQUENA EMPRESA
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Modelo da PEQUENA EMPRESA
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Pensar

T2
Agir
T4
Fluxo cíclico
5
PEQUENA EMPRESA
Modelo de Gestão
Proposição de um
Modelo de Gestão
Teoria dos Negócios
Peter Drucker (1994)
Modelo de Gestão
Mentalidade Enxuta
James Womack/Daniel Jones (2004)
Modelo de Gestão
Gestão do Conhecimento - SECI
Nonaka e Takeuchi (1997)
Imperativo estratégico
EMPREENDEDORISMO
PLANEJAMENTO
EXPERIMENTAÇÃO
O
DIRIGENTE
: Visualizar
Agir no
AMBIENTE
e Pensar na
ORGANIZAÇÃO
O
CONHECIMENTO:
A Dinâmica da Espiral
Pensar no
AMBIENTE
e Agir na
ORGANIZAÇÃO
1
2
3
4
Desenvolver a visão: criar um significado que inspire as pessoas a trabalhar e viver em conformidade com suas necessidades existenciais
Escutar, observar os problemas do cliente e entender quais são os recursos e esforços necessários para criar um produto mínimo viável capaz de prover aprendizagem validada por meio de sua experimentação
Entender sobre os problemas do cliente e reunir as competências essenciais para produzir valor ao cliente
Estabelecer meios para que a visão oriente o fluxo cíclico entre o pensamento e a ação
Modelo de Gestão
orientado pela indissociabilidade entre
PENSAMENTO E AÇÃO
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ESCOLA ADMINISTRATIVA
Empreendedorismo
Planejamento
Experimentação
Século XIX - XX
Século XX
Século XX - XXI
Século XXI
Transformação organizacional
INSPIRAÇÃO
CONCEPÇÃO
APRENDIZAGEM
imperativo administrativo
visão
pensamento
ação
Pensar
Agir
Conhecer
Visualizar
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
INFORMAÇÃO
framework
para a compreensão das TECNOLOGIAS DE GESTÃO
TECNOLOGIAS DE GESTÃO
1. Visualizar
para Direcionar
2. Pensar
para Conceber
e Agir
para Aprender
3. Pensar e Agir
para Criar conhecimento
Modelo de Gestão DINÂMICA
1. Visualizar
3. Pensar e Agir
5. Conhecer
2. Direcionar
4. Conceber e Aprender
Pensar
Agir
Visualizar
Direcionar
Aprender
Conceber
Modelo de Gestão
EMPREENDEDORES
Filion (1999)
Modelo de Gestão
2. Criar uma arquitetura de negócios
3. Animar / dar vida
4. Monitorar
5. Aprender
Pensar
Agir
1. Visualizar
Modelo de Gestão
CIRCUITO FECHADO
Kaplan e Norton (2008)
Modelo de Gestão
GRANDE EMPRESA
2.1 Traduzir a estratégia em mapas, indicadores e metas
2.2 Alinhar a organização
2.3 Planejar as operações
3. Executar
4.1 Testar e adaptar
4.2 Monitorar e aprender
Pensar
Agir
Fluxo cíclico
5
1. Desenvolver a estratégia
Ênfase no
PLANEJAR
Modelo de Gestão
STARTUP ENXUTA
Ries (2012)
2. Traduzir a visão em hipóteses verificáveis sobre o modelo de negócios
3. Criar Produtos Mínimos Viáveis e testar
4. Aprender para decidir entre perseverar, pivotar ou perecer
5) Fluxo cíclico
1. Desenvolver a visão do negócio
5. Repetir até o product-market fit
Modelo de Gestão
STARTUP ENXUTA
Ênfase no
EXPERIMENTAR
Visualizar
Pensar
Agir
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
1
2
3
4
5
1
2
3
4
5
1
2
3
4
5
Conceber
METÁFORA
Eixo-Espiral
Ampliação da Espiral
Eixo
PENSAR + AGIR
VISUALIZAR
A VISÃO direciona a reciprocidade entre o PENSAMENTO e a AÇÃO
Dinâmica Espiral
CONHECER
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
o imperativo no
EMPREENDER
o imperativo no
PLANEJAR
o imperativo no
EXPERIMENTAR
O ADMINISTRAR
entendido como a congruência entre
EMPREENDER, PLANEJAR, EXPERIMENTAR E GERIR INTANGÍVEIS
PENSAMENTO
AÇÃO
VISÃO
Escola administrativa
Escola filosófica
HUMANISMO
RACIONALISMO
EMPIRISMO
Imperativo estratégico
EMPREENDEDORISMO
PLANEJAMENTO
EXPERIMENTAÇÃO
Transformação organizacional
INSPIRAÇÃO
CONCEPÇÃO
APRENDIZAGEM
INTANGÍVEIS
CRIAÇÃO DE CONHECIMENTO
CONHECIMENTO
o imperativo no
GERIR INTANGÍVEIS
RACIONALISMO + EMPIRISMO
Visualizar
Pensar
Agir
Visualizar
para Inspirar
Pensar
para Conceber
Agir
para Aprender
DIRECIONAR como
Transformar o PENSAMENTO e a AÇÃO conforme a VISÃO
CONCEBER como
Transformar a AÇÃO conforme o PENSAMENTO
APRENDER como
Transformar o PENSAMENTO conforme a AÇÃO
DIRECIONAR como
Transformar o PENSAMENTO e a AÇÃO conforme a VISÃO
CONCEBER como
Transformar a AÇÃO conforme o PENSAMENTO
APRENDER como
Transformar o PENSAMENTO conforme a AÇÃO
EMPREENDEDORISMO
EXPERIMENTAÇÃO
TECNOLOGIA DE GESTÃO
Busca por um modelo de negócios
Formalização da execução
Criação de direção
Dinâmica da Estratégia
Gestão do conhecimento
PLANEJAMENTO
INTANGÍVEIS
Visualizar
Pensar
Agir
Criar conhecimento
Inspirar
Conceber
Aprender
Conhecer
Modelo CONCEITUAL
Modelo DINÂMICO
O EIXO DIRECIONADOR
A INTERDEPENDÊNCIA DA ESPIRAL
A DINÂMICA ENTRE O EIXO E A ESPIRAL
MODELO METÁFORICO
A AMPLIAÇÃO DA ESPIRAL
ADMINISTRAÇÃO
Administrar
Dinâmica Eixo-Espiral
A Dinâmica
para administrar
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Dinâmica Eixo-Espiral
ADMINISTRAR
A reciprocidade entre o PENSAMENTO e a AÇÃO cria o CONHECIMENTO
INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO
Intangíveis
VISUALIZAR como
o processo visionário
PENSAR como
o processo analítico
AGIR como
o processo empírico
CONHECER como
a dinâmica de interdependência entre o PENSAMENTO e a AÇÃO
EMPREENDER
PLANEJAR
EXPERIMENTAR
GERIR INTANGÍVEIS
3. Combinação
Construção de protótipos
4. Internalização
Justificação de conceitos
1. Socialização
Compartilhamento de conhecimento tácito
Pensar
T1
Agir
T2
2. Externalização
Criação de conceitos
Modelo de Gestão
GESTÃO DO CONHECIMENTO
Fluxo cíclico
5
Nivelamento do conhecimento
Conhecimento
EXPLÍCITO
Conhecimento
TÁCITO
Modelo de Gestão
Gestão do Conhecimento - SECI
Nonaka e Takeuchi (1997)
1
2
3
4
5
Ênfase no
GERIR INTANGÍVEIS
INFORMAÇÃO
ESTRUTURA
urgência por
COMUNICAÇÃO
urgência por
ORGANIZAÇÃO
urgência por

VALIDAÇÃO
urgência por

INOVAÇÃO
INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
imperativo no
GERIR INTANGÍVEIS
INTANGÍVEIS
Estratégia como criação de conhecimento
Direção e motivação pela
inovação
INFORMAÇÃO
metáfora
ilustração
conceito
EIXO
INTERDEPENDÊNCIA
RECIPROCIDADE
DINÂMICA
ESPIRAL
DINÂMICA EIXO-ESPIRAL
Visualizar
Pensar
Agir
Conhecer
ADMINISTRAR
Conhecer
ADMINISTRAR
Conceber
Aprender
Inspirar
Criar conhecimento
Cultura
visionário
analítico
prático
sistêmico
DISCURSO
DISCURSO
DISCURSO
DISCURSO
INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO
imperativo no
GERIR INTANGÍVEIS
GERIR INTANGÍVEIS
a criação de conhecimento e a urgência por
inovação
GERIR INTANGÍVEIS
INFORMAÇÃO
As
TECNOLOGIAS DE GESTÃO
e suas implicações no comportamento organizacional
Conhecer
ADMINISTRAR
CRIAR CONHECIMENTO como
Transformar a interdependência entre o PENSAMENTO e a AÇÃO em CONHECIMENTO
6. Criar conhecimento
A VISÃO:
o eixo direcionador
O PENSAMENTO E A AÇÃO:
a espiral do trabalho
O CONHECIMENTO:
a ampliação da espiral
discurso
A ADMINISTRAÇÃO:
a dinâmica eixo-espiral
CRIAR CONHECIMENTO como
Transformar a interdependência entre o PENSAMENTO e a AÇÃO conforme o CONHECIMENTO
Pensar e Agir
para criar conhecimento
Criar conhecimento
INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO
LIDERANÇA
PLANEJAMENTO
EXPERIMENTAÇÃO
INTANGÍVEIS
TECNOLOGIA DE GESTÃO
Tecnologia de
Transformação Organizacional
Interpretação
Concepção
Aprendizagem
Criação de conhecimento
Conhecimento
Ação
Pensamento
Visão
Imperativo Estratégico
LIDERANÇA
PLANEJAMENTO
EXPERIMENTAÇÃO
INTANGÍVEIS
Interpretação
Concepção
Aprendizagem
Criação de conhecimento
Conhecimento
Ação
Pensamento
Visão
Resposta à
VISÃO
Resposta à
VISÃO
Resposta à
AÇÃO
Resposta ao PENSAMENTO
Aprender
Interpretar
Conceber
Aprender
Conceber
Aprender
Pensar
Agir
Conhecer
Visualizar
1
2
4
5
T2
T3
T1
Papéis
Informacionais
Papéis
Decisionais
Papéis
Interpessoais
REPRESENTANTE
LÍDER
CONTATO
PORTA-VOZ
DISSEMINADOR
MONITOR
EMPREENDEDOR E
NEGOCIADOR
SOLUCIONADOR DE DISTÚRBIOS
ALOCADOR DE RECURSOS
3
Modelo de Gestão
6
Criar conhecimento
Modelo evolutivo
CICLO DE VIDA DAS ORGANIZAÇÕES
Greiner (1998)
Modelo de Ciclo de Vida Organizacional
Efficiency of Operations
Expansion of Market
Make and Sell
Visualizar
1
2
3
4
5
Agir
Pensar
Conhecer
Criar conhecimento
Consolidation of Organization
Problem solving and innovation
A interdependência entre Pensar e Agir
LIDERANÇA
PLANEJAMENTO
EXPERIMENTAÇÃO
INTANGÍVEIS
Interpretação
Concepção
Aprendizagem
Criação de conhecimento
Conhecimento
Ação
Pensamento
Visão
LÍDER é visionário e interpretativo
é enxergar o futuro
é comunicar o futuro
PLANEJADOR é analítico e conceptor
é padronizar o futuro
é organizar o futuro
EXPERIMENTADOR é intuitivo e aprendiz
é praticar o futuro
é validar o futuro
GESTOR DE INTANGÍVEIS é sistêmico e criador de conhecimento
é descobrir o futuro
é inovar o futuro
falácia
Pensar e Agir SEM VISUALIZAR
Pensar SEM AGIR ou Agir SEM PENSAR
Pensar e Agir SEM CONHECER
Visualizar, Pensar e Agir para Conhecer
A Espiral SEM EXPANSÃO
A Espiral SEM FORÇA PROPULSORA
A Espiral SEM DIREÇÃO
A Dinâmica Eixo-Espiral SEM FALÁCIA
INTERDEPENDÊNCIA ENTRE
O PENSAMENTO E A AÇÃO
A FORÇA PROPULSORA
da Espiral
A EXPANSÃO DO
CONHECIMENTO
A AMPLIAÇÃO
da Espiral
1
2
3
4
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Concepção de Gestão
IMPERATIVO ESTRATÉGICO
VISÃO
PENSAMENTO
AÇÃO
Gestão analítica
Gestão visionária
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Modelo de Gestão
Proposição de um
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
3. O Pensamento
4. A Concepção: a transformação da ação conforme o pensamento
5. A Ação
6. A Aprendizagem: a transformação do pensamento conforme a ação
7. O Conhecimento
Dimensão
Epistemológica
Dimensão
Ontológica
1. O
AMBIENTE
2. O
DIRIGENTE
3. A
ORGANIZAÇÃO
4. A
INFORMAÇÃO
Modelo de Gestão SÍNTESE + DINÂMICA
1. Visualizar
para Interpretar
2. Pensar
para Conceber
e Agir
para Aprender
3. Pensar e Agir
para Conhecer
e Conhecer
para Criar conhecimento
Modelo de Gestão SÍNTESE + DINÂMICA
1. Visualizar
3. Pensar e Agir
5. Conhecer
2. Interpretar
4. Conceber e Aprender
Pensar
Agir
Visualizar
Interpretar
Aprender
Conceber
Interpretar
INTERPRETAR como
Transformar o PENSAMENTO e a AÇÃO conforme a VISÃO
CONCEBER como
Transformar a AÇÃO conforme o PENSAMENTO
APRENDER como
Transformar o PENSAMENTO conforme a AÇÃO
Conhecer
CRIAR CONHECIMENTO como
Transformar a interdependência entre o PENSAMENTO e a AÇÃO em CONHECIMENTO
6. Criar conhecimento
Criar conhecimento
A ADMINISTRAÇÃO:
a dinâmica eixo-espiral
8. A Criação de conhecimento: a transformação do pensamento e da ação em conhecimento
1. A Visão
2. A Inspiração: a transformação do pensamento e da ação conforme a visão
9. A Administração
10. A Dinâmica Eixo-Espiral
INFORMAÇÃO
Modelo de Gestão PROCESSO ADMINISTRATIVO
1
2
3
4
T1
T2
1
2
3
4
ORGANIZAÇÃO
AMBIENTE
DIRIGENTE
Gestão empírica
3E Escrivão Filho (2007)
Mintzberg (2001) MIT Sloan Review
argumento
Dimensão
EPISTEMOLÓGICA
INFORMAÇÃO
Dimensão
ONTOLÓGICA
Proposição de um
Inspirar
Aprender
Conceber
Criar conhecimento
A Dinâmica Eixo-Espiral
INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO
é visualizar para criar direção que inspire o trabalho
é pensar para conceber recomendações sobre as ações
é agir para aprender conforme a validação pelo cliente
é pensar e agir para criar conhecimento
1
2
3
4
LIDERANÇA
PLANEJAMENTO
EXPERIMENTAÇÃO
INTANGÍVEIS
Interpretação
Concepção
Aprendizagem
Criação de conhecimento
Conhecimento
Ação
Pensamento
Visão
Weick
Filion
Papéis Gerenciais
Mintzberg
Kaplan e Norton
Womack
Processos Admistrativos
Fayol - Atualidade
Ries
Blank
Nonaka e Takeuchi
Michael Porter
Peter Drucker
Karl Weick
Robert Burgelman
Mintzberg (2007) Tracking Strategies
Kotter
Processo de criação de Estratégias
FORMULAÇÃO
FORMAÇÃO
Planejamento Estratégico
Visão
Estratégica
Experimentação
Estratégica
Aprendizadagem
Estratégica
Perspectiva
Posição
Modelo de Gestão
Proposição de um
A ADMINISTRAÇÃO:
a dinâmica eixo-espiral
A INTERPRETAÇÃO DA
VISÃO
Pensar
Agir
A INTERDEPENDÊNCIA ENTRE
PENSAMENTO E AÇÃO
INTERDEPENDÊNCIA ENTRE
PENSAMENTO E AÇÃO
PARA CRIAR
CONHECIMENTO
Temática
Elementos constituintes
Nadler e Tushman
Theory of the Business
Peter Drucker
Peter Senge
?
?
Pensar
Agir
Conhecer
Visualizar
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
INFORMAÇÃO
framework
para o mapeamento das TECNOLOGIAS DE GESTÃO
INFORMAÇÃO
ADMINISTRAR
Dimensão
EPISTEMOLÓGICA
INFORMAÇÃO
Dimensão
ONTOLÓGICA
Proposição de um
Criar significado
Aprender
Criar conhecimento
A Dinâmica Eixo-Espiral
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Empreender
Direcionar
Inspirar
Planejar
Posicionar
Decidir
Criar competências
Liderar
Experimentar
Pensar
Agir
Conhecer
Visualizar
Interpretar
Aprender
Criar conhecimento
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Empreender
Direcionar
Inspirar
Planejar
Posicionar
Decidir
Criar competências
Liderar
Experimentar
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
o imperativo nas
INDIVIDUALIDADES
o imperativo nos
PROCESSOS
o imperativo nos
PAPÉIS
O ADMINISTRAR
entendido como a congruência entre as Tecnologias de Gestão
VISIONÁRIA, ANALÍTICA, EMPÍRICA E DE INTANGÍVEIS
PENSAMENTO
AÇÃO
VISÃO
Tecnologias de Gestão
Escola filosófica
CRIATIVIDADE
RACIONALISMO
EMPIRISMO
Imperativo estratégico
LIDERANÇA
Tecnologias de transformação organizacional
CRIAÇÃO DE SIGNIFICADO
DECISÃO
APRENDIZAGEM
INTANGÍVEIS
CRIAÇÃO DE CONHECIMENTO
CONHECIMENTO
o imperativo nos
INTANGÍVEIS
RACIONALISMO + EMPIRISMO
Busca por um modelo de negócios
Formalização da execução
Criação de direção inspiradora
Dinâmica da Estratégia
Gestão do conhecimento
ESTRUTURA
urgência por
COMUNICAÇÃO
urgência por
ORGANIZAÇÃO
urgência por

VALIDAÇÃO
urgência por

INOVAÇÃO
INFORMAÇÃO
Cultura
visionário
analítico
empírico
sistêmico
DISCURSO
DISCURSO
DISCURSO
DISCURSO
EMPREENDEDORISMO
EXPERIMENTAÇÃO
VISIONÁRIA
PLANEJAMENTO
POSICIONAMENTO
Peter Senge
Nonaka e Takeuchi
Prahalad
Ries -
The Lean Startup
Weick
Michael Porter
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Fayol - Kaplan e Norton
Filion (1999, 2000)
Peter Drucker -
Theory of the Business
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
PENSAMENTO
AÇÃO
VISÃO
ANALÍTICA
INTANGÍVEIS
CONHECIMENTO
VISIONÁRIA
Visualizar
Pensar
Agir
Conhecer
Empreender
Inspirar
Direcionar
Posicionar
Decidir
Planejar
Experimentar
Interpretar
Liderar
Criar competências
Criar conhecimento
Aprender
ESTRUTURA
urgência por
COMUNICAÇÃO
urgência por
ORGANIZAÇÃO
urgência por

VALIDAÇÃO
urgência por

INOVAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Peter Drucker
Theory of the Business
Um modelo científico é uma
representação simplificada da realidade
e portanto deve ser apreendido apenas como um mapa temporário em vez de ser tomado como uma lente a ser usada durante todo o tempo.
urgência por
COMUNICAÇÃO
urgência por
ORGANIZAÇÃO
urgência por

VALIDAÇÃO
urgência por

INOVAÇÃO
Relação entre as variáveis do modelo e o referencial teórico
Dimensão
EPISTEMOLÓGICA
Representação de um sistema de administração estratégica
Conhecer
Criar conhecimento
De acordo com Mintzberg (2007), Drucker (1994) é formulação enquanto perspectiva
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Blank
Um modelo representa não mais que uma parcialidade, uma percepção isolada e remota...
Terence (2008)
3 Variáveis
4 Variáveis
Nadler e Tushman
Ries
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Nadler e Tushman -
Modelo de Congruência
Simon
Mintzberg - Kotter
Lucas
VISÃO
PENSAMENTO
AÇÃO
CONHECIMENTO
Gestão visionária
Gestão analítico-experimental
Gestão sistêmica
?
?
?
?
?
EMPÍRICA
GESTÃO
IMPERATIVO
Modelo
?
?
ANALÍTICA
EMPÍRICA
?
?
X
Dimensão
ONTOLÓGICA
Processo Histórico
Ciência Administrativa
Publicações acadêmicas
1776
Adam Smith
- A Riqueza das Nações
1916
Henri Fayol
- Administração Industrial e Geral
F. W. Taylor -
The Principles of Scientific Management
1911
1954
Peter Drucker -
The Practice of Management
Mintzberg
- The Nature of Managerial Work
1973
Nonaka e Takeuchi -
Criação de Conhecimento na Empresa
1995
Neocolonização
contexto de iminência de guerra em massa
Desenvolvimento científico e tecnológico
Potencial para trabalho e consumo
Necessidade de PRODUÇÃO EM MASSA
alta demanda de trabalhadores e consumidores
Preocupação em impor PADRÃO
Imperativo na eficiência e produtividade
pensamento
Globalização e aumento da concorrência
Imprevisibilidade do Mercado
entrada dos países asiáticos no mercado global
Necessidade de INOVAÇÕES E VARIEDADE
Preocupação em impor FLEXIBILIDADE
Imperativo na mudança e experimentação
ação
Preocupação em impor SÍNTESE
+
pensamento
ação
ERA DA INFORMAÇÃO
ERA INDUSTRIAL
Teoria da VISÃO
Empreendedorismo
Direcionamento
Inspiração
Teoria do PENSAMENTO
Posicionamento
Planejamento
Tomada de Decisão
Teoria da AÇÃO
Experimentação
Liderança
Interpretação
Teoria do CONHECIMENTO
Criação de Conhecimento
Criação de competências
Organização de Aprendizagem
Teoria da VISÃO
Empreendedorismo
Direcionamento
Inspiração
Teoria do PENSAMENTO
Posicionamento
Planejamento
Tomada de Decisão
Teoria da AÇÃO
Experimentação
Liderança
Interpretação
Teoria do CONHECIMENTO
Criação de Conhecimento
Criação de competências
Organização de Aprendizagem
Proposição conceitual com AUTOCRÍTICA:
?
?
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Modelo de Gestão
Proposição de um
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
3. O Pensamento
4. A Concepção: a transformação da ação conforme o pensamento
5. A Ação
6. A Aprendizagem: a transformação do pensamento conforme a ação
7. O Conhecimento
Dimensão
Epistemológica
Dimensão
Ontológica
1. O
AMBIENTE
2. O
DIRIGENTE
3. A
ORGANIZAÇÃO
4. A
INFORMAÇÃO
A ADMINISTRAÇÃO:
a dinâmica eixo-espiral
8. A Criação de conhecimento: a transformação do pensamento e da ação em conhecimento
1. A Visão
2. O Empreendedorismo: a transformação do pensamento e da ação conforme a visão
9. A Administração
10. A Dinâmica Eixo-Espiral
INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO
INFORMAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
VISÃO
PENSAMENTO
AÇÃO
gestão
analítica
gestão
visionária
gestão
empírica
INFORMAÇÃO
CONHECIMENTO
gestão
sistêmica
Pensar
Agir
Conhecer
Visualizar
Criar significado
Criar conhecimento
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Empreender
Planejar
Posicionar
Decidir
Liderar
Experimentar
Nonaka e Takeuchi
Ries -
The Lean Startup
Weick
Michael Porter
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Fayol - Kaplan e Norton
Filion
Peter Drucker -
Theory of the Business
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Relação entre as variáveis do modelo e o referencial teórico
Dimensão
EPISTEMOLÓGICA
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Blank
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Nadler e Tushman -
Modelo de Congruência
Simon
Mintzberg - Kotter
VISÃO
PENSAMENTO
AÇÃO
CONHECIMENTO
X
Dimensão
ONTOLÓGICA
Aprender
Peter Senge
DIRIGENTE
Seria essa uma
representação científica válida??
Não estou satisfeito
com o modelo proposto...

gostaria de
enriquecê-lo!!!
cientista
artista
?
Proposição conceitual do estudo:
A constituição do Modelo de Gestão proposto:
Síntese
proposta:
Contribuições do
framework
conceitual proposto:
Pretende colaborar para a compreensão da
Gestão de Pequenas Empresas
Petende contribuir como uma ferramenta para a
investigação da heterogeneidade
das Pequenas Empresas
Pretende contribuir como um instrumento para o
mapeamento das Tecnologias de Gestão
gestão
visionária
gestão
analítica
gestão
sistêmica
gestão
empírica
o pensamento
a visão
a ação
o conhecimento
EMPREENDEDORISMO
TEORIA
discurso estratégico
imperativo
administrativo
POSICIONAMENTO
PLANEJAMENTO
TOMADA DE DECISÃO
EXPERIMENTAÇÃO
LIDERANÇA
CRIAÇÃO DE SIGNIFICADO
CRIAÇÃO DO CONHECIMENTO
imperativo
estrutural
a urgência por
comunicação
a urgência por
organização
a urgência por
validação
a urgência por
inovação
Capítulo 1
Capítulo 2
Capítulo 3
Capítulo 4
Teoria da
Pequena Empresa

Desenvolvimento de um
framework
para compreensão da
Gestão de Pequenas Empresas

Desenvolvimento de um
framework
para a
investigação sobre a heterogeneidade
das Pequenas Empresas

Desenvolvimento de um
framework
para o mapeamento das
Tecnologias de Gestão

Teoria dos Papéis Gerenciais - Mintzberg
profissional
A constituição do Modelo de Gestão proposto:
2011
Eric Ries -
The Lean Startup
Desenvolver clientes
DESENVOLVIMENTO DE CLIENTES
TEORIA DOS NEGÓCIOS
A inspiração e urgência por
COMUNICAÇÃO
A concepção e a urgência por
ORGANIZAÇÃO
A criação de conhecimento e a urgência por
INOVAÇÃO
O aprendizado e a urgência por
VALIDAÇÃO
Desenvolver clientes
Nonaka e Takeuchi
Ries -
The Lean Startup
Weick
Michael Porter
Fayol - Kaplan e Norton
Filion
Peter Drucker
Blank
Simon
Mintzberg - Kotter
TEORIA DOS NEGÓCIOS
DESENVOLVIMENTO DE CLIENTES
Concepção de gestão
visionária
empírica
analítica
PENSAR
VISUALIZAR
AGIR
CONHECER
CONCEPÇÃO DE GESTÃO
Pensamento
Ação
Visão
Conhecimento
AMBIENTE
certeza e estabilidade
incerteza e mudança
DISCURSO
ESTRATÉGIA
Executar um
Plano de Negócios

Buscar um
Modelo de Negócios

CONCEPÇÃO
Ação ensina como
PENSAR

INFORMAÇÃO
LÓGICA
ADMINISTRAÇÃO
gestão
analítica

gestão
empírica

Composição das partes em todo
Decomposição do todo em partes
Planejamento X Experimentação
Pensamento ensina como
AGIR

Dedução
Indução
Concepção para um
modelo de gestão

TEORIA
Funções
Gerenciais

Papéis
Gerenciais

VISÃO
AÇÃO
PENSAMENTO
Doing
first
experiências
habilidade prática
Thinking
first
fatos
ciência
Seeing
first
ideias
arte
urgência por
COMUNICAÇÃO
urgência por
ORGANIZAÇÃO
urgência por

VALIDAÇÃO
visionária
analítica
empírica
GESTÃO
EMPREENDEDORISMO
MÁQUINA
EXPERIMENTAÇÃO
(Adhocracia+Professional)
PENSAR
Sistemático
Ordenador
Organizador
Controlador
Planejador
Padronizador
AGIR
Relacionar
Experimentar
Praticar
Liderar
Aprender


PENSAR
Fora da caixa
Desenfreado
Com asas para voar
Imaginar
Visualizar
Insights criativos
Visão
Planejamento
Aprendizado
GESTÃO
GESTÃO
Pensamento
CRIATIVO
Pensamento
DEDUTIVO
Pensamento
INDUTIVO
Pensar
Agir
Criar significado
Criar conhecimento
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Empreender
Planejar
Posicionar
Decidir
Liderar
Experimentar
Nonaka e Takeuchi
Ries -
The Lean Startup
Weick
Michael Porter
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Fayol - Kaplan e Norton
Filion
Peter Drucker -
Theory of the Business
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
Relação entre as variáveis do modelo e o referencial teórico
Dimensão
EPISTEMOLÓGICA
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Blank
AMBIENTE
ORGANIZAÇÃO
DIRIGENTE
Nadler e Tushman -
Modelo de Congruência
Simon
Mintzberg - Kotter
VISÃO
PENSAMENTO
AÇÃO
CONHECIMENTO
X
Dimensão
ONTOLÓGICA
Aprender
Peter Senge
DIRIGENTE
Teoria da
PEQUENA EMPRESA
Desenvolver clientes
Mintzberg (2009) Managing
Mintzberg (2007) Tracking Strategies
Mintzberg (2007) Tracking Strategies
Mintzberg (2001) MIT Sloan Review
Mintzberg (2001) MIT Sloan Review
Mintzberg (2001) MIT Sloan Review
define os fins
define os meios
sem definição
Full transcript