Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Ascensão de Vasco da Gama

No description
by

Beni Barreiros

on 7 April 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Ascensão de Vasco da Gama

Introdução
Breve introdução a Vasco da Gama e onde o poema se ensere na obra Mensagem
Estâncias de Os Lusíadas onde o poema se identifica
Leitura e análise do poema
Conclusões
Estrutura Externa de Mensagem
Vasco da Gama
Ascensão de Vasco da Gama
Vasco da Gama nasceu em Sines entre1460 e 1469 (não se sabe ao certo) e morreu em Cochim (Índia) a 24 de dezembro de 1524.
Foi navegador e explorador português.
Na Era dos Descobrimentos, destacou-se por ter sido o comandante dos primeiros navios a navegar da Europa para a Índia, na mais longa viagem oceânica até então realizada, superior a uma volta completa ao mundo pelo Equador.
No fim da vida foi, por um breve período, Vice-Rei da Índia.
Mensagem, Fernando Pessoa
Mensagem
1ª Parte- Brasão
2ª Parte- Mar Português (12 poemas)
IX. Ascensão de Vaco da Gama
3ª Parte
O encoberto
Os Lusíadas
Ascensão de Vasco da Gama
Estrutura Externa
Os Deuses da tormenta e os gigantes da terra
Suspendem de repente o ódio da sua guerra
E pasmam. Pelo vale onde se ascende aos céus
Surge um silêncio, e vai, da névoa ondeando os véus,
Primeiro um movimento e depois um assombro.
Ladeiam-no, ao durar, os medos, ombro a ombro,
E ao longe o rastro ruge em nuvens e clarões.

Em baixo, onde a terra é, o pastor gela, e a flauta
Cai-lhe, e em êxtase vê, à luz de mil trovões,
O céu abrir o abismo à alma do Argonauta.
A

A
B
B
C
C
D
E
D
E
Análise do Poema
Conclusão
Os Lusíadas
Mensagem
Canto IV (estância 83) - no momento em que partem para a Índia, também são comparados aos argonautas
Canto IX - os marinheiros portugueses ascendem ao lugar dos deuses como prémio por se terem superado a si mesmos e aos seus medos- Ilha dos Amores
Canto X - é levado ao cumo do monte, por Thetis, para receber a imortalidade como recompensa por ter conseguido levar a armada à Índia

Vasco da Gama é chamado de
Argonauta
Sob o olhar assombrado dos deuses,
ascende aos céus, num movimento de elevação/distanciação do que é terreno, atravessa o vale ladeado de medos que ele ultrapassa, elevando-se a uma condição semelhante à dos Deuses
Conclusão Final
Trabalho realizado por:
Benedita Barreiros 12ºE nº18
Canto VI
Já a menham clara dava nos outeiros
Por onde o Ganges murmurando soa,
Quando celsa gávea os marinheiros
Enxergaram terra alta, pela proa.
Já fora de tormenta e do primeiros
Mares, o temor vão do peito voa.
Disse alegre o piloto Melindano:
"Terra é de Calecu, se não me engano;
Full transcript