Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O Estabelecimento dos Reinos Germânicos

Estabelecimento dos Reinos Germânicos quando da queda do Império Romano do Ocidente
by

Kelly Cristina Araujo

on 18 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O Estabelecimento dos Reinos Germânicos

OCUPAÇÃO E ESTABELECIMENTO DOS REINOS GERMÂNICOS NOS TERRITÓRIOS CONQUISTADOS DO IMPÉRIO ROMANO DO OCIDENTE
Texto para análise comparativa entre a imagem de Odoacro e Rômulo Augusto:
As imagens se referem ao fim do período da Antiguidade, e seu tema remete ao fim do Império Romano do Ocidente, pois já há uma estátua de Odoacro, bárbaro federado que tomou o poder em 476 d.C.
As duas imagens representam homens que detinham poder, o que pode ser comprovado pelo fato de haver uma estátua deles e pelas insígnias de poder que carregam, como as armas de Odoacro e o dedo em riste de comando de Rômulo Augusto. Uma diferença importante entre as duas imagens está no fato de que o chefe bárbaro é representado sentado, como se descansasse de uma batalha, enquanto o chefe romano é representado em pé, em ação.
Apenas um dos homens, Odoacro, está representado com armas, o que simboliza o comando do exército de um povo guerreiro; já Rômulo Augusto não possui armas em sua representação, indicando que seu poder era mais importante em termos de governo administrativo.
Com relação às suas religiões, podemos observar no escudo de Odoacro uma imagem que remete ao panteão politeísta, assim como Rômulo Augusto se faz acompanhar de um anjo, figura da mitologia cristã.
CRITÉRIOS PARA ANALISAR IMAGENS
* DESCREVA
- todos os elementos que estão na imagem;
- não faça inferências e evite adjetivos.

* INDIQUE OU IDENTIFIQUE
- o período em que foi feito ou sobre o qual se refere;
- o tema abordado: lugar, acontecimento. personagens etc.

* JUSTIFIQUE a sua indicação ou identificação
- com elementos selecionados na descrição;
- houve intenção de construir a imagem? Se sim, qual? Qual interferência isso produz?

A ocupação do Império Romano do Ocidente pelos povos germânicos:
Em 476 d.C., um chefe bárbaro visigodo, chamado Odoacro, depôs o Imperador Romano do Ocidente, um adolescente de nome Rômulo Augusto, que, após renunciar ao trono, deixou seu palácio em Roma e se retirou para viver em um convento napolitano, recebendo uma confortável pensão até o fim de sua vida.
Odoacro era um antigo membro da corte de Átila, rei dos hunos. Ele esteve a serviço dos romanos, enquanto bárbaro federado, no comando de tropas do exército, e auxiliou um patrício, chamado Orestes, a colocar seu filho, Rômulo Augusto, no poder. No entanto, as reivindicações das legiões sob seu comando não estavam sendo satisfeitas, levando Odoacro a entrar em conflito com Orestes.
Odoacro se fez proclamar rei por suas tropas em 476 d.C., matou Orestes e retirou Rômulo Augusto do poder.
Ele enviou a coroa de Rômulo para Zenão, imperador do Oriente que reinava em Constantinopla, com a intenção de demonstrar que as duas metades do Império permaneciam unidas.
Os germânicos encontraram muitas dificuldades para se estabelecerem no poder – entre elas estão:
1) Apesar de serem conquistadores, os bárbaros eram minoria em relação ao número de romanos;
2) Havia uma grande rivalidade entre reinos e tribos, levando a que ficassem muito tempo em guerra uns contra os outros;
3) Os germânicos não tinham Estado, instituições fortes, grande número de funcionários e administração centralizada eficiente, por isso não sabiam como agir para manter em funcionamento a estrutura que os romanos haviam criado;
4) Os germânicos acreditavam em seus deuses ancestrais, eram politeístas, o que entrava em conflito com a religião cristã, monoteísta, que já havia conquistado muito poder nesse período.
BANCO DE PALAVRAS

Estado: órgão jurídico, mais ou menos centralizado, que impõe normas e organiza a sociedade. O Estado é composto de funcionários submetidos ao governo e dispõe de grande poder.

Depor: destituir; depor as armas; render-se.

Fonte primária: uma fonte primária é um documento de primeira mão utilizado para informar sobre determinado tema do passado. Esse documento pode ser um diário, um artigo de imprensa, um vídeo, um documento de arquivo público etc. Essa fonte não pode ter sido trabalhada por outro pesquisador; ela serve de base para a formação de fontes secundárias.
Fonte primária não é sinônimo de verdade. Na história, muitas fontes primárias de um mesmo acontecimento podem descrevê-lo de maneira muito diferente.

Ancestrais: antepassados de um passado longíquo.

Insígnias de poder: conjunto de objetos que simbolizam o poder, como, por exemplo, o cetro, o manto e a coroa de um rei ou imperador.
Full transcript