Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Lição 3

No description
by

Michelson Borges

on 17 January 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Lição 3

Origens michelson borges www.criacionismo.com.br ...e das plantas, com seu papel indispensável na produção de alimentos e oxigênio, é outra evidência do cuidado de Deus que pensou em cada detalhe em nosso benefício.

1. Gênesis menciona que “no princípio criou Deus”. Que tempo é esse?

2. Que luz foi aquela criada no primeiro dia da semana da criação? O que a luz e outros elementos criados nos primeiros dias revelam sobre o cuidado de Deus?

3. A atmosfera e as plantas também “falam” de design inteligente. Em que sentido? Para refletir A criação
concluída 3 Vendo por espelho,
obscuramente 7 O pecado estragou
a criação, mais ou menos
como se alguém borrasse
uma pintura antes perfeita.
Ainda é possível ver o
estilo do Pintor aqui e ali, mas os borrões atrapalham bastante. Os espinhos, a doença e a morte, para um observador desavisado, atentam contra o caráter do Criador. Por isso Deus nos deu a revelação escrita, a Bíblia Sagrada, a fim de que nela Ele pudesse explicar o que aconteceu e o que acontecerá com a Terra. O dilúvio também afetou grandemente o mundo originalmente criado por Deus (e soluciona certos “mistérios geológicos”), o que torna ainda mais necessária a revelação divina a fim de que entendamos muita coisa relacionada com este planeta. Embora seu poder seja misericordiosamente restringido por Deus, Satanás tem certo domínio sobre este mundo, o que explica as muitas tragédias que assolam a humanidade (não fosse essa restrição, certamente, este planeta já estaria no caos absoluto). Assim, devemos ter cuidado com a maneira com que interpretamos o mundo a nossa volta. Violência, competição e predatismo não são coisas “normais” da natureza, mas consequências do pecado intensificadas
pela atuação de Satanás. Tudo isso faz com que “toda a criação [suporte] angústias até agora” (Rm 8:22). Devido às informações “truncadas” provenientes da natureza caída e mesmo da nossa mente fragilizada pela decadência
do pecado, não podemos nos amparar unicamente em nossa sabedoria (1Co 3:19, 20). Não dá para confiar somente nos pensamentos que nosso cérebro é capaz
de gerar. Precisamos da Revelação. 1. Por que a natureza por si só
é incapaz de nos fornecer uma compreensão adequada de Deus?

2. De que forma o dilúvio afetou nossa compreensão do mundo criado e o que o estudo dele e
de seus efeitos pode responder? Para refletir 3. De que forma a revelação sobre o grande conflito entre o mal e o bem nos ajuda a entender as mazelas do mundo?

4. Por que não podemos confiar unicamente em nossas capacidades mentais para entender o mundo que nos rodeia? Para refletir Jesus, provedor
e mantenedor 8 Ao contrário do que pensam os deístas, Deus não “apenas” criou o Universo, Ele
o mantém e cuida das necessidades de Seus filhos (Fp 4:19). Jesus é a fonte
da energia mantenedora de
tudo o que existe (Hb 1:3;
Cl 1:16, 17), portanto, Ele
não é o Universo, como
sugerem os panteístas.
O Universo depende dEle
e Ele existe antes
de toda criação. Deus é provedor dos seres criados e isso fica claro no primeiro capítulo de Gênesis. No
verso 29, está descrita a dieta originalmente estabelecida para a manutenção da vida humana, dieta esta que não envolvia a morte
de nenhum ser vivo. Também não era necessária a competição por recursos,
como acontece hoje na
natureza. Havia o suficiente
e o ideal para todos
os seres criados. Se Deus é o mantenedor da vida e zela por Suas criaturas, como explicar a existência do mal? Há até quem diga que o mal constitui argumento para a inexistência de Deus. Será? Que é o mal? Por definição, mal é o contrário do bem. É a sensação de que algo deveria ser diferente. E se há o bem, tem que haver uma regra que mostre o que é um e outro. Caso contrário, ninguém se sentiria desconfortável com o mal, pois só existiria ele. Assim, se há uma regra que mostre que o mal e o bem existem, essa regra inteligível demanda uma inteligência pessoal e superior que a estabeleceu. Mas, se Deus não existe, não há regra. Se não há regra, não há mal nem bem. E se não há mal nem bem, como o mal pode ser argumento para se negar a existência de Deus? Na verdade, a existência do mal afirma duas coisas: (1) Deus existe e (2) Ele criou seres dotados de livre escolha. Como Deus é amor (1Jo 4:8),
em Sua infinita sabedoria, Ele usa em benefício dos seres criados o mal que Ele não causou; e um dia vai acabar definitivamente com todo mal que nos faz sofrer. 1. Além de Criador, Deus é mantenedor
do Universo. O que essa revelação lhe
diz, pessoalmente?

2. Gênesis 1:29 traz a dieta originalmente estabelecida por Deus para os seres humanos. Que dieta era essa e como isso fala de nossa responsabilidade diante da criação?

3. A existência do mal refuta a existência
de Deus? Explique. Para refletir “Havendo Deus terminado no dia sétimo a Sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a Sua obra que tinha feito.” Gênesis 2:2 Sol, Lua e estrelas Gn 1:14-19 1. Luz da presença de Deus
2. Supernova
3. Funções designadas no 4º dia
4. "Revelação" do Sol e da Lua

"...e fez também as estrelas" (v. 16)
Frase parentética Aves e animais marinhos Gn 1:20-23 1. Engenharia do voo
2. Sonar dos golfinhos
3. Os seres criados foram
dotados da capacidade de produzir
variedades (microevolução ou
diversificação de baixo nível) Animais terrestres Gn 1:24-31 1. Não há um ancestral
único de todos os animais terrestres.
Em vez disso, Deus criou muitas
linhagens distintas e separadas
2. A fixidez das espécies não é compatível com a Bíblia (predadores e parasitas)
3. Segundo a sua espécie = de vários tipos "Não se vendem dois pardais por uma moedinha? Contudo, nenhum deles cai no chão sem o consentimento do Pai de vocês. Até os cabelos da cabeça de vocês estão todos contados. Portanto, não tenham medo; vocês valem mais do que muitos pardais." Mt 10:29-31 NVI Trabalho acabado Gn 2:1-3 1. Shabat = conclusão
de um projeto
2. Deus não estava cansado
Ele concluiu a obra e parou
3. O sábado não é apenas abençoado; é santificado (separado) "O sábado foi feito por causa do homem, e não
o homem por causa do sábado. Assim, pois, o Filho do homem é Senhor até mesmo do sábado." Marcos 2:27 NVI Depois do pecado Descanso físico
Materialismo Dia literal Gn 1:5, 8, 31


1. Uma noite e uma manhã
2. "Seis dias trabalharás, mas
o sétimo dia será o sábado
do descanso." Levítico 23:3
3. Êxodo 20:9, 11 Nas Escrituras, a palavra yom (“dia”) invariavelmente significa um período literal de 24 horas, quando precedida por um numeral, o que ocorre 150 vezes no Antigo Testamento. É claro que Deus poderia ter criado a vida neste mundo em seis mil anos ou em seis segundos, mas a revelação bíblica deixa claro que Ele escolheu criar
em seis dias e “descansar” no sétimo. Em Sua sabedoria e soberania, Deus decidiu realizar a criação
em sete dias literais de 24 horas, ciclo que permanece até hoje, independentemente de quaisquer movimentos astronômicos, como os que determinam os dias,
os meses e os anos. Organização Segundo dia - atmosfera, separação águas
Quinto dia - aves e peixes

Terceiro dia - separação água/mar
Sexto dia - animais terrestres e ser humano

Sétimo dia - conclusão
Full transcript