Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Classificação e Efeitos das Substâncias Psicoativas.

No description
by

Juliana Neta

on 4 November 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Classificação e Efeitos das Substâncias Psicoativas.

Classificação e Efeitos das Substâncias Psicoativas. Você sabe o que são Substâncias Psicoativas (Drogas)? Segundo a definição da Organização Mundial da Saúde (OMS) é qualquer substância não produzida pelo organismo que tem a propriedade de atuar sobre um ou mais de seus sistemas, produzindo alterações em seu funcionamento. Drogas Lícitas: As drogas lícitas são aquelas legalizadas, produzidas e comercializadas livremente e que são aceitas pela sociedade. Os dois principais exemplos de drogas lícitas na nossa sociedade são o cigarro e o álcool.

Drogas Ilícitas: São Proibidas por lei, ou seja, são drogas cuja comercialização é proibida pela legislação. Como por exemplo: cocaína, a maconha, o crack, a heroína, dentre outras. Classificação das Drogas do Ponto de Vista Legal: Tabaco

É uma planta cujo nome científico é Nicotiana tabacum, da qual é extraída uma substância chamada nicotina. Começou a ser utilizada aproximadamente no ano 1000 a.C., nas sociedades indígenas da América Central.
Classificação sobre o Sistema Nervoso Central: Estimulantes: “são aquelas que estimulam atividade do sistema nervoso central (SNC). Depressoras: “diminuem a atividade do sistema nervoso central (SNC), ou seja, esse sistema passa a funcionar lentamente. Perturbadoras: “são aquelas que produzem uma mudança qualitativa no funcionamento do sistema nervoso central (SNC). Álcool
Registros arqueológicos revelam que os primeiros indícios sobre o consumo de álcool pelo ser humano datam de aproximadamente 6000 a.C., sendo, portanto, um costume extremamente antigo e que tem persistido por milhares de anos. O álcool presente nas bebidas alcoólicas é o etanol, produzido pela fermentação ou destilação de vegetais - como a cana-de-açúcar e também de frutas e grãos.
Efeitos:
Nos primeiros momentos após a ingestão de álcool, podem aparecer os efeitos estimulantes, como euforia, desinibição e loquacidade. Com o passar do tempo, começam a surgir os efeitos depressores, como falta de coordenação motora, descontrole e sono. Quando o consumo é muito exagerado, o efeito depressor fica exacerbado, podendo até mesmo provocar o estado de coma. Efeitos: A nicotina produz um pequeno aumento no batimento cardíaco, na pressão arterial, na freqüência respiratória e na atividade motora.

O consumo de cigarro aumenta o risco de problemas no coração e na circulação, tais como hipertensão, entupimento dos vasos e infarto do coração. A maioria das mortes que poderiam ser evitadas é causada pelo uso do cigarro. Maconha A maconha (haxixe, erva, baseado) é o nome dado a uma planta conhecida cientificamente como Cannabis sativa. Em outros países é conhecida por diferentes nomes como: THC, Hashishi, Bangh, Ganja, Diamba, Marijuana, Marihiana. O THC (Tetraidrocanabinol) é uma substância química produzida pela planta da maconha, sendo essa a principal responsável pelos efeitos psíquicos da droga no organismo. Os efeitos provocados pelo THC no sistema nervoso central dependem da dose consumida, da experiência, da expectativa e do ambiente. Os efeitos esperados são: leve estado de euforia, relaxamento, melhora da percepção para música, paladar e sexo, prolonga a percepção de tempo, risos imotivados, devaneios e fica mais falante. Histórico
Era conhecida como a “planta divina dos Incas”, as mais antigas folhas de coca foram descobertas na região do Peru em 2500 – 1800 a.C. Ao chegar a esta região, no século XVI, os espanhóis entraram em contato com os índios, que costumavam mascar folhas de coca no dia a dia. A cocaína é uma substância psico-estimulante extraída das folhas de uma planta originária da América do Sul, popularmente chamada coca (Erythroxylon coca). A cocaína pode ser consumida de diferentes formas. A cocaína também pode ser encontrada sob a forma de base, conhecida como crack e merla (mela, mel ou melado), que por serem pouco solúveis em água, mas se volatilizarem quando aquecidas, são fumadas em “cachimbos” ou cigarros de tabaco ou maconha. Efeitos no Organismo
Os principais efeitos desencadeados pela cocaína são: sensação intensa de euforia e poder, estado de excitação, hiperatividade, insônia, falta de apetite, perda da sensação de cansaço, dilatação de pupilas e aumento da temperatura corporal. Solventes ou Inalantes Mecanismo de Ação
Assim como ocorre com o álcool, os solventes são substâncias que têm efeito bifásico, ou seja, causam uma excitação inicial, seguida por depressão do funcionamento cerebral, que dependerá da dose inalada. Os solventes começam a ser utilizados como droga de abuso por volta de 1960 nos Estados Unidos. No Brasil, o uso de solventes aparece no período de 1965-1970. O início dos efeitos, após a aspiração, é bastante rápido – de segundos a minutos no máximo – e em 15 a 40 minutos já desaparecem. Assim, o usuário repete as aspirações várias vezes para que as sensações durem mais tempo. Universidade Federal da Bahia
Faculdade de Medicina da Bahia
Fundada em 18 de Fevereiro de 1808
Extensão Permanente do Departamento de Saúde da Família Largo Terreiro de Jesus, s/n – Pelourinho.
CEP 40.026- 010 - Salvador / Bahia
Telefone: (71) 3283 5571 TELFAX: (71) 3321 4888 www.medicina.ufba.br/ard-fc ardfc@ufba.br Docente: Leila Pinto
Discente: Juliana Neta
Full transcript