Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Transportes Rodoviários

No description
by

Sofia Gomes

on 25 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Transportes Rodoviários

Curiosidades
Vantagens Desvantagens
Diferentes tipos de transportes rodoviários
Evolução dos Modos de Transporte
Vantagens e Desvantagens do T.Rodoviário
Conclusão
Grande mobilidade e flexibilidade nos itinerários.
Dispõe de uma rede muito ramificada.
Prático e económico para distâncias não muito grandes.
Grande grau de especialização (frigoríficos, cisternas, contentores,...)
Veículos de grande capacidade de carga.
Os transportadores não necessitam de grandes investimentos (além do custo dos veículos)

Impacto ambiental negativo (poluição atmosférica, sonora e dos solos).
Elevada sinistralidade.
Ocupação de grandes espaços pelas infraestruturas.
Impacto territorial negativo (separação de propriedades e aglomerados).
Elevado consumo energético (aumenta a dependência externa).
Congestionamento nas áreas urbanas.
Estacionamento (custos ou dificuldades).
Reduzida capacidade de carga (face aos transportes ferroviário e marítimo)
Elevados custos com a rede de infraestruturas.
Com este trabalho concluímos que há vários tipos de transporte, nomeadamente o rodoviário que é feito por estradas, rodovias, ruas e outras vias pavimentadas ou não, com a intenção de movimentar materiais, pessoas ou animais de um determinado ponto a outro. Representa a maior parte do transporte terrestre e é principalmente usado no transporte de passageiros e pequenas cargas, em curtas e médias distâncias, tendo como grande vantagem a enorme flexibilidade na sua utilização.
Professora Helena Fonseca
Geografia
Escola Básica 2,3/S Michel Giacometti
Introdução
Rodoviários
Evolução dos Modos de Transporte
As primeiras formas de transporte rodoviário foram a tração animal ou mesmo seres humanos, que transportavam mercadorias ou passageiros em estradas de terra.
Graças à revolução industrial, surgiram os primeiros motores a vapor. Com a invenção dos motores de explosão por Rudolf Diesel (que era um engenheiro mecânico alemão, inventor do motor a diesel), Henry Ford industrializou o automóvel.
Nos dias de hoje, com as estradas mais desenvolvidas, os transportes rodoviários chegam a todos os pontos do país.

Transportes Rodoviários
Neste trabalho vamos abordar o tema Transportes Rodoviários, apresentando dados como a evolução, o desenvolvimento, vantagens e desvantagens, redes e problemas, entre outros.

Em Portugal, a primeira cidade a acolher o Tuk-Tuk foi Coimbra e, é utilizado para fazer passeios turísticos pela alta e baixa da cidade.
Já existem Tuk-tuk distribuídos por Lisboa, Sintra, Cascais, Funchal e Porto etc. Os tuk tuk elétricos, que levam seis pessoas, têm uma autonomia de 74 quilómetros.
Tuk tuk.
O primeiro automóvel a chegar a Portugal foi um veículo da Panhard-Levassor tendo sido importado de Paris pelo 4.º Conde de Avilez, em 1895.
Este veículo ficou para a história por um acontecimento inesperado: na primeira viagem do mesmo, entre Lisboa e Santiago do Cacém, ocorreu o primeiro acidente de viação em Portugal, tendo por vítima um burro, atropelado a meio do percurso.
Autocarro
Bicicleta
Camiões
Caravana
Carrinhas
Carro
Ciclo-riquixá
Handcycles
Liteira

Mata-velhos
Monociclo
Motas
Riquixá
Skateboard
Transporte de tração animal
Triciclo
Tuk tuk
Exemplos Atuais
Exemplos Atuais
Exemplos Atuais
Desenvolvimento dos Transportes
Os transportes em Portugal foram encarados como uma prioridade na década de 1990, sobretudo devido ao aumento da utilização de veículos automóveis e à industrialização. Portugal foi um dos primeiros países do Mundo a ter uma auto-estrada, inaugurada em 1944, ligando Lisboa ao Estádio Nacional, a futura Auto-Estrada Lisboa–Cascais (actual A5). No entanto, apesar de terem sido posteriormente construídos alguns outros troços nas décadas de 1960 e 1970, só no final da década de 1980 foi iniciada a construção de auto-estradas em grande escala. Hoje em dia a rede de auto-estradas portuguesas é bastante desenvolvida e moderna percorrendo quase todo o território, que liga todo o litoral e as principais cidades do interior.
Relação com a intermodalidade
O transporte intermodal é aquele que requer tráfego misto ou múltiplo, envolvendo mais de uma ou várias modalidades de transporte, é indicado para atingir locais de difícil acesso.
A principal vantagem do transporte intermodal consiste em combinar as potencialidades dos diferentes modos de transporte, entre outras:
Reduzir a distância-custo,
Melhorar segurança rodoviária,
Diminuir a poluição,
Reduzir o consumo de energia,
Reduzir do tráfego rodoviário.

Para que tudo seja um sucesso é necessário possuir uma rede de infraestruturas, novas tecnologias, simplificação de processos administrativos e redução dos custos na mudança de modo de transporte.
Os meios que utiliza são contentores, caixas móveis, caminhões e semi-reboques sobre carruagens e barco. Utiliza-se o transporte de caminhões TIR sobre vagões e o autocarro como meio de transporte de passageiros.
Relação com a Intermodalidade
Curiosidades- Exemplos Atuais
Carro construído com 500 mil peças de Lego e movido a ar comprimido circulou pelas ruas de Melbourne, na Austrália.
Rede rodoviária de Portugal
Principais vias de transporte rodoviário.
A Rede Transeuropeia de Transportes engloba quer as infra-estruturas (estradas, vias férreas, portos, aeroportos, meios de navegação, plataformas intermodais, condutas de transporte de produtos) quer os serviços necessários ao funcionamento das mesmas. 

Objetivos:
Assegurar uma mobilidade das pessoas e mercadorias;
Oferecer aos utentes infra-estruturas de qualidade;
Combinar todos os modos de transporte;
Permitir a melhor a utilização possível das capacidades existentes;
Ser interoperável em todos os seus elementos;
Cobrir a totalidade do território da comunidade;
Prever a sua extensão aos Estados Membros da EFTA, países da Europa Central e Oriental e países mediterrâneos.

Rede Transeuropeia de Transportes
Mapas da Rede Transeuropeia de Transportes
Plano Rodoviário Nacional
O Plano Rodoviário Nacional (PRN2000), publicado em 2000, é um documento legislativo que estabelece as necessidades de comunicações rodoviárias de Portugal.
Este plano, tratou-se de um desenvolvimento do plano rodoviário de 1985, que por sua vez tinha substituido o de 1945.
O PRN2000 define a Rede Rodoviária Nacional como sendo constituída pela Rede Fundamental constituída por Itinerários Principais (IP), e pela Rede Complementar constituída por Itinerários Complementares (IC), que podem ter troços de diferentes tipologias: auto-estrada, via rápida ou estrada.
Na rede complementar, além dos IC, foram ainda incluídas as Estradas Nacionais (EN) que constituiam a Rede Rodoviária Nacional estabelecida em 1945 e que, no plano de 1985, eram apenas genericamente identificadas como "outras estradas".
O PRN2000 refere-se ainda às Redes de Estradas Municipais e cria um novo tipo de estradas, as Estradas Regionais (ER) a partir da transformação de parte das antigas EN.

Caraterísticas da Rede Rodoviária
É composta por auto-estradas e estradas de alta qualidade, sendo completada por ligações novas ou renovadas.
Engloba a gestão da circulação e um sistema de informação dos utentes, com base numa cooperação activa dos sistemas de gestão da circulação à escala europeia, nacional e regional;
garante aos utentes um nível de serviços, conforto e segurança elevado, homogéneo e constante.
Em 2003, deu-se uma nova revisão do Plano Rodoviário Nacional, segundo a qual a rede rodoviária nacional é constituída pela rede:
• Fundamental, que inclui os itinerários principais (IP);
• Complementar, que integra os itinerários complementares (IC) e as estradas nacionais (EN);
• De estradas regionais e municipais.
Corredores Estruturantes de Portugal.
Os Corredores multimodais evidenciam o percurso em comum dos transportes rodoviários e ferroviários que vão interligar portos principais e aeroportos a regiões do interior que, por sua vez, se vão interligar a uma rede transeuropeia.
Rede Transeuropeia de Transportes
Problemas e reflexos na qualidade de vida da população
A segurança
O crescimento do número de veículos fez aumentar bastante o número de acidentes com vítimas. A melhoria da segurança dos veículos e da rede rodoviária nacional permitiu que a gravidade dos acidentes diminuísse significativamente. As causas de sinistralidade rodoviária esta diretamente relacionadas com o comportamento dos condutores.
A resolução deste problema implica uma alteração de mentalidades e de comportamentos individuais, só possível através da educação e da formação para a segurança rodoviária.
Por isso foi criado o plano nacional de prevenção rodoviária com o objetivo de aumentar a segurança rodoviária, de modo a reduzir em 50% o número de vítimas mortais e feridos graves.

Problemas e reflexos na qualidade de vida da população
Ambiente e saúde
O sector dos transportes é um dos principais responsáveis pela emissão de gases que constitui um risco para a saúde humana. A poluição atmosférica é a causa de muitas doenças que afeta a população principalmente em áreas urbanas, como por exemplo:
Doenças do sistema respiratório;
Doenças de pele;
Alergias;
Problemas do sistema cardiovascular;
Alguns tipos de cancro.

A diminuição dos problemas ambientais e de saúde associados aos transportes tem tido medidas como:
Reduzir o peso do transporte rodoviário face aos restantes modos de transporte;
Quota mínima de biocombustíveis ou de outros combustíveis renováveis;
O aumento dos investimentos em investigação e desenvolvimento;
Iniciativas como o dia europeu sem carros.

Esta política tem como objectivo eliminar os obstáculos nas fronteiras entre os Estados-Membros, contribuindo assim para a livre circulação das pessoas e das mercadorias. Foi instituída no Tratado de Roma (com o objetivo de resolver os problemas relativamente ao uso dos transportes na Europa).
Nos seus grandes eixos, esta política visa:
realizar o mercado interno no sector dos transportes,
assegurar um desenvolvimento sustentável,
garantir a gestão de programas de apoio financeiro,
controlar o espaço,
reforçar a segurança,
desenvolver a cooperação internacional.

Política Comum dos Transportes
Política Comum dos Transportes
Problemas:
Assimetrias geográficas;
Existências de grandes disparidades entre os diferentes modos de transporte;
Dependência dos transportes face ao petróleo;
Elevados custos económicos e grau de impacte ambiental;
Congestionamento dos vários eixos europeus.

Soluções:
Reforçar a segurança rodoviária;
Melhorar as ligações às regiões mais periféricas;
Interligar as redes dos países candidatos com os da União;
Desenvolver cadeias de transporte intermodal;
Revitalização dos caminhos de ferro.

Netgrafia
Texto:
Google
Slideshare
Scribd
Wikipédia

Imagens:
Google Imagens

Vídeos:
Youtube
A classificação da rede viária sofreu várias alterações desde a primeira referência a uma classificação de estradas, datada de 1790, a saber:
− 1889: estradas reais, estradas distritais;
− Decreto 16:075, de 30 de Setembro de 1928: Estradas nacionais de 1.ª classe, estradas municipais e caminhos públicos;
− Decreto-lei 23:239, de 20 de Novembro de 1933: estradas nacionais de 1.ª e 2ª Classe, estradas municipais e caminhos vicinais.

O Plano Rodoviário de 1945 (Decreto-lei n.º35:543, de 11 de Março de 1945) surgiu, entre outros aspectos, devido à necessidade de rever a classificação existente, de modo a que esta correspondesse à função desempenhada pelas vias e que estas apresentassem as características técnicas adequadas a cada classe. Considerava-se que a rede existente apresentava algumas lacunas, designadamente ao nível da categoria das estradas e da inexistência de algumas ligações tidas como necessárias por razões económicas e sociais

Evolução da Rede Rodoviária de Portugal
Apesar da significativa melhoria da cobertura rodoviária do território, quer a nível nacional quer regional, continuam a persistir desigualdades. A rede rodoviária, no Continente, é mais densa ao longo do Litoral, onde se localiza também a maior parte da extensão da rede fundamental, nomeadamente das auto-estradas, que se incluem nos itinerários principais. O PNR 2000, assim como os novos empreendimentos rodoviários previstos pelo Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações procuram atenuar este desequilíbrio.

Nas Regiões Autónomas, também se tem verificado uma melhoria significativa da rede rodoviária, com a modernização e ampliação da rede existente, incluindo a abertura de vias rápidas, com túneis eviadutos, que encurtam distâncias entre diferentes pontos do litoral.
Evolução da extensão de auto-estradas em Portugal.
Rede Rodoviária de Portugal
Densidade da rede rodoviária, por distrito, prevista no PRN 2000.
Trabalho realizado por: Marcos Domingos nº10 11ºD
Sofia Gomes nº22 11ºD
Full transcript