Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Links entre letramentos digitais e o ensino de língua materna

No description
by

araujo _jc

on 17 September 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Links entre letramentos digitais e o ensino de língua materna

Júlio Araújo (Hiperged - UFC)
www.julioaraujo.com
araujo@ufc.br

Links entre letramentos digitais e o ensino
de língua materna

O que é língua?
“...a língua é o que é por causa daquilo que ela tem que fazer...” Halliday (1994, p. 19)
O que é sujeito?
Se a língua é um lugar, então é preciso que existam pessoas se (des) (re) encontrando neste lugar.
Não é apenas um sistema estável, mas, antes de tudo, é um lugar de interação humana.
Língua e os usuários não podem ocupar posições dicotômicas. Não reduzo a língua a uma mera abstração científica (Bakhtin, 1981, p. 127).
Se a língua é um lugar onde nos encontramos, então é natural que estes encontros se tornem complexos e, em função disso, mobilizamos um infinito arsenal de textos para nos dar suporte verbal.
Letramento Visual
“A experiência visual humana é fundamental no aprendizado para que possamos compreender o meio ambiente e reagir a ele”. (Donis, 1997, p. 7).
Iluminuras da Idade Média
Letramento Visual
Stokes (2001) diz que o ato de ler somente palavras e números é, por vezes, insuficiente para a compreensão de uma gama de textos que põem em interação as linguagens de ordem verbal e visual.
Escrita cuneiforme com os sumérios
Por meio deste programa, o nosso desejo é que a escola, desde cedo, crie situações didáticas através das quais seja possível trazer para o espaço educativo situações concretas de escrita digital com as quais o educando sinta desejo e necessidade de interagir, pois percebe que são ferramentas sociais portadoras de sentidos, de propósitos comunicativos, e que se traduzem em fontes de informações variadas e de saberes a serem explorados.
Fenícios
Letramento Digital
“um certo estado ou condição que adquirem os que se apropriam da nova tecnologia digital e exercem práticas de leitura e de escrita na tela, diferente do estado ou condição – do letramento – dos que exercem práticas de leitura e de escrita no papel” (Soares, 2002, p.151)
Vejamos os seguintes textos:
Wileman (1993) define este tipo de letramento como a habilidade de realizar leitura compreensiva de uma informação presente em imagens gráficas.
Mas o letramento visual não é novidade. Não é coisa que surgiu com a web
Voltemos ao Paleolítico
Desde o paleolítico, tecer linguagens e combinar ideias, designam práticas sofisticadas de letramento e, por isso, ao pintarem a escrita de um texto na caverna, os homens estavam trabalhando com as linguagens e delas extraindo sentidos compartilhados.
Como podemos ver, os letramentos visuais são tão antigos quanto o homem. Eles acompanham os sistemas letrados criados pela humanidade.
Mas como a escola lida com esses letramentos?
Faz algum tempo que, para protagonizarmos cenas de letramentos mais complexas, não usamos apenas a caneta, a tinta e o papel (Lemke, 2010)
O Programa de Extensão
“nós não ensinamos os alunos a integrar nem mesmo desenhos e diagramas à sua escrita, quanto menos imagens fotográficas de arquivos, vídeo clips, efeitos sonoros, voz em áudio, música, animação, ou representações mais especializadas (fórmulas matemáticas, gráficos e tabelas etc.)” (Lemke, 2010, p. 461)
Atualmente, o AMPLINKS atende:

a 4 escolas públicas de Fortaleza e 2 da região metropolitana

Realizamos uma série de oficinas de letramentos digitais por meio de várias ferramenta de elaboração de HQs virtuais

http://www.pixton.com/br/
http://www.maquinadequadrinhos.com.br
http://www.toondoo.com

Nessas ferramentas, os estudantes encontram vários personagens, cenários, objetos e balões pré-formatados.
Procedimentos que adotamos nas oficinas
Leitura de HQs impressas;
Estudo das características;
Distribuição de HQs xerocadas com os balões em branco
Apresentação das ferramentas
Cadastro e uso das ferramentas
Esses problemas nortearam as intervenções didáticas que foram realizadas nas outras fases das OLDs.

Os alunos mostraram uma acentuada dificuldade na operação dos aspectos relacionados à sintaxe visual, tornando-se esse o maior desafio para a produção das HQ’s digitais. Essa valiosa informação nos estimulou a dar um destaque especial na apresentação que aqui empreendemos.
todas as intervenções realizadas durante as OLDs foram baseadas nos problemas apresentados pelos alunos tanto na produção inicial, como na primeira reescrita, pois acreditamos que as práticas de produção de texto devem seguir um movimento sistemático e ser eivadas de diálogos entre aquele que está ali para escrever e aquele que tem as ferramentas necessárias para conduzir o processo da melhor maneira possível.
Considerações Finais
Ao manusearmos a ferramenta máquina de quadrinhos, não estávamos apenas brincando de compor HQs, mas estávamos refletindo com os nossos alunos sobre estratégias de construção de sentido que emergem das habilidades de combinar modos semióticos diversos, como o que disponibiliza essa ferramenta que exploramos.


Acreditamos que as práticas de produção de texto devem seguir um movimento sistemático e ser eivadas de diálogos entre aquele que está ali para escrever e aquele que tem as ferramentas necessárias para conduzir o processo da melhor maneira possível.
PRIMEIRO EXEMPLO
O problema de direção de olhares entre personagens durante um diálogo.
TERCEIRO EXEMPLO
1ª Versão
Problemas na relação entre o primeiro e o segundo planos
Os principais problemas que encontramos foram:
1ª Versão
A desproporcionalidade de tamanho na produção inicial e direção da escrita
SEGUNDO EXEMPLO
1ª Versão
2ª Versão
A primeira reescrita e a sensível mudança entre os olhares
2ª Versão
O sucesso na percepção do tamanho dos personagens.
3ª Versão
3ª Versão
A produção final e a maior harmonia entre os planos
2ª Versão
A primeira reescrita e a sensível alteração na relação entre os planos
Considerações Finais
Não analisei aqui questões de inadequação, como repetições desnecessárias de palavras, problemas ortográficos, usos inadequados da pontuação, problemas sintáticos de regência e concordância, além de muitas imprecisões de textualidade, como alguns problemas de coesão, por exemplo. Mas a discussão sobre como o uso pedagógica dessa ferramenta digital foi útil para sanarmos esses e outros problemas é um tema para um novo trabalho.
Obrigado!
Continuamos nosso papo nas redes sociais...
Júlio Araujo
araujo_jc
Full transcript