Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

BERGSON: memória e intuição - parte 1

No description
by

Elizabete Silva

on 17 December 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of BERGSON: memória e intuição - parte 1


Memória e Intuição
1ª Parte

O PROBLEMA
Qual a importância da memória na evolução do espírito?


Em que consiste a intuição?
OBJETIVOS
Distinguir o método da Ciência e o método da Metafísica.

Perceber o que é tempo científico e a duração da substância (espírito, consciência).

Reconhecer a intuição como faculdade espiritual por excelência.
Casos de Afasia
"Perda da capacidade de transmitir ideias ou conceitos não por lesão dos órgãos da fala, mas por perturbação nervosa"


1- A IMORTALIDADE DA ALMA
MATÉRIA
CORPO
MEMÓRIA
ESPÍRITO
Onde estão as lembranças?
Relação
BERGSON:
As lembranças não estão no cérebro
Localizam-se no espírito
O cérebro não explica o espírito
"Na consciência humana há infinitamente mais do que no cérebro correspondente."
Bergson
Assume os dados das descobertas de Psicofisiologia.

Análise aprofundada da atividade da consciência.
Constatação dos Casos
Vítimas de lesão cerebral
CONSERVAÇÃO DA MEMÓRIA
Pacientes sem lesão cerebral
PERDA DA MEMÓRIA
"Se o trabalho do cérebro correspondesse à totalidade da consciência, se houvesse equivalência entre o cérebro e o mental, a consciência poderia seguir os destinos do cérebro e a morte seria o fim de tudo [...].
Se o cérebro limita-se a traduzir em movimento uma pequena parte do que se passa na consciência, então a sobrevivência da alma torna-se tão verossímil que a obrigação da prova cabe àquele que nega, mais que àquele que afirma."

Bergson
2- CIÊNCIA E FILOSOFIA
Parte da fenomenologia para provar a realidade do espírito.
A Ciência possui uma visão parcial do espírito.
A Metafísica contem os meios adequados ao conhecimento da natureza do real espiritual.
Crítica ao "Cientismo"
"Atitude segundo a qual a Ciência dá a conhecer as coisas como são, e resolve todos os problemas da condição humana e é suficiente para satisfazer as necessidades legítimas da inteligência humana.
Segundo o Cientismo o método científico deve estender-se sem exceção a todos os domínios da vida humana."
Busca provar a possibilidade da experiência metafísica.

À Ciência cumpre conhecer o mundo fenomênico e material.

À Metafísica cabe atingir a realidade do espírito com método adequado.
"Ao lado da experiência que oferece à Ciência seu objeto concreto não vivemos uma experiência interior, tão direta, tão irrecusável quanto a primeira?"
Bergson
A Intuição
Assim como
espírito

e

matéria

desenvolvem-se em uma experiência comum,
Metafísica

e
Ciência
devem igualmente encontrar-se para a apreensão do real.
"A Ciência experimental será sempre insuficiente a despeito das vantagens que oferece e das conquistas que realiza, se não for completada pela intuição."
Léon Denis
Erro da Metafísica Tradicional
Divergências que o raciocício mal formulado criou;
Pragmatismo da inteligência: pensar a partir das percepções das coisas materiais;
Divisão no espaço;
O espaço é o reino da uniformidade;
Fundamento bergsoniano: Dimensão do tempo.

3- TEMPO CIENTÍFICO E A DURAÇÃO
Intervalo objetivo.
Mensurável pelo relógio.
Sucessão
Tempo Científico
Instantes iguais.
Duração: fluidez contínua.
Imensurável.
Interpenetração.
Tempo Real
Momentos heterogêneos.
"O meu estado de alma, avançando no caminho do tempo, se entumesce continuamente com a duração que recolhe: Ele forma por assim dizer, uma bola de neve consigo mesmo."

Bergson
"A consciência capta imediatamente o tempo como
duração
.
Duração quer dizer que o eu vive o presente com a memória do passado e a antecipação do futuro
. Fora da consciência, o passado não existe mais e o futuro só podem viver em uma consciência que os liga no presente. A duração vivida, portanto, não é o tempo espacializado da mecânica."

Reale e Antiseri
4- O INTUICIONISMO BERGSONIANO
O que é um objeto?
Análise
Síntese
Indução
Dedução
Penetração no íntimo
Imediatez
Conhecimento
Intrínseco
Intelectualismo
Extrínseco
Ciência e Filosofia
INTELIGÊNCIA
INTUIÇÃO
Vai além do que é visto;

Apreende a essência, o particular.

Comunica intimamente com o objeto.
Percepção das coisas materiais;

Trabalho analítico espacializado.
Ciência e Filosofia são como duas pontes, entre cujos pilares corre a corrente da realidade viva;
Conhecer por intuição é viver por dentro; viver em si mesmo o objeto por contato, simpatia, sintonia com a realidade.
"Entre nossa consciência e as outras consciências, a separação é menos rígida que entre nosso corpo e outros corpos, pois é o espaço que faz divisões claras. A simpatia e antipatia irrefletidas testemunham uma interpenetração possível entre as consciências."

Bergson

Próxima aula continua a parte 2:
5- A teoria do impulso vital
6- Espírito e Memória
7- Moral fecha e moral aberta
8- Religião estática e religião dinâmica
9- Correlação com a Filosofia Espírita
Bibliografia:
CUNHA, Antonio G. da. Dicionário etimológico da língua portuguesa.
IEEF, Apostila do 1º ano - Curso: O Espiritismo e os Filósofos.
MONDIN, Battista. Curso de Filosofia v.3.
REALE, G; ANTISERI, D. História da Filosofia. V.6.
Expositora: Elizabete C. Silva
Full transcript