Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Sou Maçom, e agora?

Kick-off do maçom.
by

Erick Caniso

on 30 September 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Sou Maçom, e agora?

O que é Templo e Loja?
Loja:
É uma entidade jurídica que congrega um numero ilimitado de maçons, sujeita a leis e regulamentos da sua
potência
e aos princípios da maçonaria universal.
Templo:
Lugar em que uma Loja se reúne.

Porque nos vestimos de preto?
Basicamente, o uniforme visa à harmonização do ambiente e das pessoas, gerando um clima favorável à integração. Na prática dos trabalhos em nossos Templos, buscamos dentre outras coisas, esotericamente, captar energias cósmicas, ou fluidos positivos ou forças astrais superiores para nosso fortalecimento espiritual.
Da física temos o conceito de que o preto não é cor, mas sim um estado de ausência de cores. As superfícies pretas são as mais absorventes de energias de qualquer natureza.
Então, a indumentária preta nos tornará um receptor melhor e mais que isso, nos tornará também um acumulador, uma espécie de condensador deste tipo de energia.
Por outro lado, a couraça formada pela nossa roupa preta, faz com que as eventuais energias negativas que eventualmente possam entrar no Templo conosco, não sejam transmitidas aos nossos Irmãos.
Quando se fala em traje maçônico, logo se pensa em paletó, gravata, sapato preto, entretanto, temos de levar em consideração que o traje maçônico mesmo é o
Avental
, sem o qual o obreiro é considerado nu.
Outra explicação é que como somos denominados “filhos da viúva”, estamos em estado permanente de luto.
Importância do padrinho.
1ª Regra: Cautela ao MM. Longa e paciente análise do candidato.
2ª Regra: Responder com convicção as seguintes questões:
“Se iniciado esse profano será ele um Irmão participativo e atuante na Loja?”
“Tem ele condições intelectuais para assimilar o simbolismo e filosofia maçônica destinada ao seu aperfeiçoamento e à sua contribuição para o bem estar da Humanidade?“
“Estou conscientemente convencido, como Apresentador, de poder assumir a responsabilidade moral perante o VM e Ir.'. de minha Loja quanto a minha intervenção isolada junto ao Candidato para que ele cumpra com presteza e exatidão todas as obrigações maçônicas inerentes ao seu grau, que lhe forem exigidas?”

Agenda
Livro da Lei.
Na maçonaria, o Livro da Lei é o livro que se localiza no altar dos juramentos, que pode estar no centro da Loja ou em outras posições, dependendo do rito praticado.
Sua presença simboliza o Grande Arquiteto do Universo, e nenhuma reunião pode ser iniciada sem antes acontecer a abertura ritualística do Livro da Lei.
O Livro da Lei possui esse nome genérico para se evitar qualquer tipo de sectarismo, pois, ao nominar o livro sagrado de uma reunião maçônica de qualquer título, seja Bíblia, Alcorão, Torá, ou outros, automaticamente estar-se-ia limitando o caráter ecumênico da Ordem.
Assim sendo, qualquer um que não seja da crença dominante de uma loja maçônica e queira prestar seu juramento em algum outro volume de Sagradas Escrituras que não o usual, pode requisitá-lo para seu uso.
A única restrição é que o volume deve conter, realmente, as Sagradas Escrituras de uma religião conhecida, e fazer referência a Deus, o Grande Arquiteto do Universo.

"Sou Maçom, e agora?"
É uma palavra de origem da língua francesa (MAÇON) que significa pedreiro.
Como funcionam as Lojas e a Grande Loja?
As
Lojas
têm características próprias e independência de gestão, são dirigidas pelo VM, 1º e 2º vigilantes e possuem um quadro de oficiais para compor seus cargos. Elas devem está ligadas a uma potência, e são organizadas por nome, número e título. Elas funcionam com seus obreiros, e são sustentadas por eles.

A
Grande Loja
é dirigida pelo Sereníssimo Grão Mestre, e os Grandes 1º e 2º vigilantes e demais Grandes Oficiais. Uma Grande Loja agrupa as Lojas de um Estado.

O que são os Graus Maçônicos de Aprendiz, Companheiro e Mestre?
Estes Graus são denominados “Simbólicos”, e são atribuídos universalmente em todas as obediências maçônicas, além de denominar uma hierarquia escalonada de evolução dentro dos Ritos existentes dentro da Maçonaria.
A divisão em graus foi herdada das guildas medievais.

Porque a venda?
A venda nos olhos do candidato simboliza as trevas e os preconceitos do mundo profano que o cega mostrando também a necessidade que tem o ser humano, de procurar a luz entre os iniciados.
Outra explicação é que a venda é para remeter o iniciado ao tempo que era feto, e por não ver o que se passava, tem tempo para a devida reflexão sobre sua vida e o que quer ao renascer e poder ver a luz.

Kit de Sobrevivência.
Loja Maçônica Obreiros da Paz - Nº 19
M.'. M.'. Erick Caniso

Definições;
A Iniciação e
Curiosidades.
O que significa a palavra Maçom?
O que a Maçonaria não é?
Ela não é Religião ou Seita.
Além disso, não é uma instituição de caridade ou de auxílio mútuo. Em síntese não promete em qualquer hipótese vantagens a seus membros.
Então o que ela é?
A Maçonaria, uma Ordem Universal formada de Homens de todas as raças, credos, nacionalidades e classes sociais, acolhidos por iniciação e congregados em Lojas, nas quais, por métodos ou meios racionais, auxiliados por símbolos e alegorias, estudam e trabalham para a construção da sociedade humana. Nela pratica-se a caridade em todas as suas formas, desde que dentro de suas possibilidades e invariavelmente no anonimato, salvo quando se patrocina entidades beneficentes.
O que se entende por Landmarks?
Os landmarks são considerados como as mais antigas leis que regem a maçonaria universal, caracterizando-se por sua antiguidade.
São as “Marcas na Terra”.

Qual a duração dos Landmarks?
São eternos e imutáveis. Enquanto a maçonaria existir os landmarks serão os mesmos, como o eram há séculos.
Quantos são os Landmarks?
São 25 (vinte e cinco) e foram colecionados pelo irmão Albert Gallatin Mackey.
Definições:
INICIAÇÃO:
CURIOSIDADES:
E o que é Potência Maçônica?
É o nome que se dá ao organismo maçônico representante nacional da
Grande Loja Unida da Inglaterra
ou de um organismo maçônico também de caráter nacional e que possua com a Grande Loja Unida da Inglaterra o Tratado de Mútuo Reconhecimento e seja por esta declarado como um organismo regular.
"25º: O último LANDMARK é o que afirma a inalterabilidade dos anteriores, nada podendo ser-lhes acrescido ou retirado, nenhuma modificação podendo ser-lhes introduzida. Assim como de nossos antecessores os recebemos, assim os devemos transmitir aos nossos sucessores.
NOLOMUS LEGES MUTARI
."
E quem foi Albert Mackey?
Albert Gallatin Mackey nasceu em 12/03/1807 em Charleston – Carolina do Sul. Formado em medicina no ano de 1832, abandonou a prática em 1844 e se dedicou a escrever livros e estudos de línguas, Idade Média e Maçonaria. Fundou a primeira revista maçônica em 1849.
Foi Grande Orador e Grande Secretário da Grande Loja de Carolina do Sul, e Secretário-geral do Conselho Supremo do Rito Escocês Antigo e Aceito da Jurisdição Sul dos Estados Unidos.
Ele morreu em Fortress Monroe – Virginia em 20/06/1881.

Porque o peito nu?
O braço e peito desnudos significam que o candidato dará o seu braço em defesa da Ordem e o seu coração a todos os seus Ir.'.. As pontas do Compasso, sobre o peito, mostram que se em sua vida profana, os seus sentimentos e as suas ações não foram reguladas por esse instrumento da exatidão, isso deverá acontecer a partir de sua Iniciação.
Outra explicação é que essa prática vem da antiguidade, onde isso era feito para verificar se realmente o iniciado era um homem, e não uma mulher, pois assim o seio ficaria a amostra e se saberia se era ou não uma pessoa dissimulada, procurando somente descobrir os segredos da Ordem.
Porque o pé descalço?
O pé descalço, além de demonstração de respeito ao adentrar o Templo, provocará uma marcha claudicante , que simboliza o árduo caminho do candidato, em direção à luz.
Câmara de Reflexão
É um local discreto, meio escondido, sem janelas, pouca luz, quase escuro, parecido com uma caverna, semelhante às antigas iniciações, onde o candidato fica só um determinado tempo, para sua reflexão, com sua iniciação em andamento, realizando a primeira prova à chamada
prova da terra.

Nem em todos os Ritos a Câmara de Reflexão é igual. A de alguns ritos é mais simples. Mas principalmente a do REAA tem uma simbologia alquímica, esotérica e hermética.
Conduz à meditação, permitindo ao homem o acesso à sua própria alma e à sua consciência. A meditação profunda é o único caminho capaz de levar o homem a um reencontro consigo mesmo. Oferece a sensação de silencio, penumbra e paz, além de um conjunto de símbolos capazes de levar o postulante mais rápida e profundamente à meditação.
Ali morre o homem para os vícios e as paixões e nasce para praticar a virtude, a sabedoria e o bem.
Outra explicação é que ali é a representação do útero da mãe, aonde o candidato vai para uma reflexão e ao entrar na sala tem a chance de refletir sobre a morte e o renascimento que o aguarda.
O Galo:
O galo é considerado o arauto do sol e também o anunciador da ressurreição do sol. O galo simboliza a Vigilância, lembrando que o maçom deverá ser vigilante na função que desempenhar na sociedade. Também simboliza as forças adormecidas que a iniciação tenta despertar nos neófitos anunciando a luz que ele irá receber.
V.I.T.R.I.O.L.
: Significa "
Visita Interiorem Terrae, Rectificando, Invenies Occultum Lapidem
", que quer dizer: Visita o Centro da Terra, Retificando-te, encontrarás a Pedra Oculta (ou Filosofal).
O Pão e a Água
: São alimentos para o corpo e para o espírito respectivamente. Eles são os alimentos com os quais o homem pode manter-se vivo e que dariam, simbolicamente, forças ao Candidato para enfrentar as provas a que irá ser submetido.
O Enxofre
: é o símbolo do Espírito, representa o ardor.
O Sal
: O símbolo da Sabedoria e da Ciência sugere moderação.
O Sal e o Enxofre Apresentados ao Candidato em taças separadas na Câmara das Reflexões indicam que ele deve estar sempre cheio de entusiasmo, mas que também deve moderar este entusiasmo a fim de que o ardor não o leve a cometer prováveis excessos.
A Ampulheta
: Antigo instrumento destinado a medir o tempo; parece sugerir ao Candidato à necessidade de uma decisão rápida de seus propósitos.
O Testamento:
é moral e filosófico e não se refere à disposição de bens após a morte. Trata-se, isto sim, de uma afirmação de novos princípios segundo os quais o Candidato deverá renunciar à sua Vida Profana.
Os Símbolos da Morte
: Não são usados para assustar ou meter medo, mas sim, para indicar o Fim da Vida, quando tudo aquilo que é motivo de preocupação e cuidados do Homem: Riqueza, Glórias, Aplausos, Miséria, Fome, Tristeza, Tudo, Tudo terá um dia o seu Fim e o Homem terá o seu corpo reduzido a uns poucos ossos. Só o espírito portador das qualidades morais revestidas das virtudes permanecerá eternamente vivo!
A Vigilância e a Perseverança:
Significam que todo Maçom deve ter uma Vigilância constante e uma atenção aguçada para aprender, através de acurada investigação, todos os sentidos dos diversos símbolos com que lhe é dado. Esta Vigilância necessita também para a sua completa aquisição, de uma Férrea e Inabalável Perseverança!
As Frases de Advertência:
Espalhadas pelas paredes são estímulos que servem para instruir e reanimar o Candidato, fazendo-lhe vislumbrar os Princípios Maçônicos que terá de aceitar, caso persista no propósito de se tornar Maçom, sendo dado a ele, inclusive oportunidade de retirar-se, não prosseguindo, então, a Iniciação, evitando assim tornar-se um mau Maçom, o que não é de forma alguma a vontade da Maçonaria!

Viagens
Depois de colocado entre colunas, fazem-no praticar três viagens, para que se recorde das dificuldades e atribulações da vida. As três viagens simbolizam a conquista de novos conhecimentos. Elas oferecem à consideração dos maçons a personalidade do candidato que procede dos planos das trevas e da ignorância em busca da Luz e do verdadeiro Saber.
Significam, fisicamente, o caos e, moralmente, os primeiros anos do homem e os primeiros tempos da mocidade. Representa a idade da ambição, os combates que a sociedade é obrigada a sustentar, às lutas que o homem trava.
Porque mostra o estado de paz e tranquilidade quando se está protegido pelos irmãos.
São João
No
ano de 550 D.C. nasceu
um menino na ilha de Chipre ao sul da Itália, motivado por sua formação cristã e caridosa, o mesmo se
encaminha a Jerusalém
, com a intenção de
montar um hospital que atendesse aos peregrinos que viajavam à Terra Santa
, visitar o Santo Sepulcro. O garoto faleceu no ano de 619, na cidade de Amatonto, na ilha de Chipre. Após a sua morte, o Papa em reconhecimento ao seu desprendimento e amor incondicional, o canonizou com o nome,
São João Esmoleiro
, que ficou mais conhecido como S
ão João de Jerusalém
.
Ao sair de sua terra natal,
o garoto levou o quinhão da fortuna de seu pai
, que lhe era de direito. Ao invés de viver uma vida sossegada, ele
deslocou-se para Jerusalém
, onde c
onstruiu
com enorme dificuldade, um
hospital para socorrer os enfermos
. Porém, a
época era das Cruzadas
, e os povos viviam em guerra.
Baseado nos princípios da Cavalaria Templária
, ele
fundou a Ordem dos Cavaleiros Hospitalares
, que tinha por
principal função
,
defender os hospitais e prestar socorro à quem se achava enfermo
.
A Ordem dos Cavaleiros Hospitalares logo foi transformada na Ordem dos Cavaleiros de Jerusalém, que agora não só tomavam conta dos hospitais, mas corriam em socorro dos doentes e dos necessitados, onde se encontrassem.
São João retornaría a sua pátria
, na Ilha de Chipre, por saber que a mesma
estava à mercê de invasão dos Turcos
, e o seu povo necessitava de ajuda. Para isso, ele contou com sua experiência em Jerusalém, e
fundou a Ordem dos Cavaleiros de Malta
, que tinha a
dupla função
:
Proteger os hospitais, ajudar os enfermos e feridos, e lutar pela manutenção da paz e preservação da independência de sua pátria
.
Juramento
O altar dos juramentos é a parte mais sagrada de uma Loja. Representa um altar de sacrifícios, quando do seu juramento, o neofito deixa todos os seus vícios e as suas paixões e oferece ao Grande Arquiteto do Universo viver uma nova vida.
O juramento é um compromisso de honra selado pelo coração aberto e a consciência livre, um corolário de discrição e fidelidade.
É a lembrança da promessa feita, onde se prefere ter a g.'. c.'. do que revelar os segredos da ordem, ou trair um Ir.'., ou seja, a honra de guardar o segredo revelado ao profano que agora pode ser reconhecido como irmão.
Sinal de Ordem
Porque as duas Colunas?
Estas colunas demarcam o local de trabalho dos Aprendizes e dos Companheiros e recordam as colunas que adornavam a entrada do Templo de Salomão, em Jerusalém.

Eram totalmente ocas e, em sua parte posterior, para que não fossem observadas desde a entrada do Templo, tinham 3 pequenas portas, uma sobre a outra, que serviam como caixas para os arquivos, para guardar o Livro da Lei e outros documentos.
Porque as luvas brancas trazidas pelos Maçons?
Elas são o símbolo da pureza e significam que o maçom deverá Ter sempre suas mãos limpas de qualquer impureza depois da purificação na Iniciação através da água e do fogo.
Avental
Porque a beta para cima?
A tradição afirma que os aprendizes carregavam pedras junto ao peito. Por isso o aprendiz usa o avental com a parte superior levantada. Outra explicação é que o avental com a beta levantada serve para proteger o 3º chakra (chakra umbilical), assim como protegeria a de uma criança recém-nascida, que precisa de uma cobertura no umbigo para a proteção.
Porque batemos no avental quando finaliza a sessão?
É uma forma de nos acordar.
Quando o VM pergunta "os IIr.'. estão satisfeitos?", ele está se referindo aos salários que nos são pagos pelo Irmão 1º V.'., mas vale lembrar que nossos salários são pagos em ensinamentos maçônicos, e que somos pagos por estarmos desbastando a Pedra Bruta do nosso "eu". Somos pagos em alimentos para nossa mente. Simbolicamente, estamos respondendo nós mesmos:
Será que merecemos o pagamento deste Salário?
Será que estamos conscientes de que conseguimos melhorar o nosso "eu" durante as sessões?
Aclamação
Não há registros de quando se começou a usar “Huzzé” nas Lojas, mas remonta à Maçonaria Operativa.
O termo Huzzé parece vir do árabe, e significa “
Viva
”, tendo sido um dos tantos termos incorporados pelos europeus como consequência da dominação e ocupação árabe na Europa, que durou quase 800 anos (711 a 1492). É adotado em substituição ao termo latino “Vivat” e ao que foi tão utilizado na monarquia francesa “
Vive
”. O termo Huzzé entrou para o vocabulário inglês com o escrito “
HUZZAH
” e seu significado nos dicionários da língua inglesa é “aclamação medieval equivalente a Viva!”. Trata-se de uma tríplice aclamação de alegria: “Huzzé, huzzé, huzzé!” significa o mesmo que “Viva, viva, viva!”. Uma das variações derivada da tríplice aclamação Huzzé ficou popularizada como “
Hip Hip Hurrah
”, usado em aniversários e jogos, com o mesmo sentido original “Viva, viva, viva!”.
A tríplice aclamação de Viva era oficialmente utilizada quando da coroação de um novo Rei, tanto na França quanto na Inglaterra.
Ao que tudo indica o escrito “Huzzé” nos rituais de língua portuguesa surgiu para garantir a correta pronúncia do termo. Em Loja do REAA, a tríplice aclamação é usada como forma de render graças ao GADU, e por isso é realizada logo após a abertura e o fechamento do Livro da Lei. A tríplice aclamação também ocorre no Rito Moderno, no Adoniramita e no Brasileiro, como herança da influência do REAA nos mesmos. Porém, a tríplice aclamação nesses ritos varia para “Liberdade, Igualdade, Fraternidade!” no Rito Moderno, “
Vivat, Vivat, Vivat!
” no Adoniramita e “
Glória, Glória, Glória!
” no Rito Brasileiro.
Obrigado
Full transcript