Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Copy of Copy of Vias de administração de medicamentos

No description
by

Larissa Silva

on 4 March 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Copy of Copy of Vias de administração de medicamentos

Vias de administração (VA)
Absorção e vias de administração
Área de absorção
Tempo de contacto
Intimidade de contacto
Intensidade de irrigação
Espessura da estrutura absorvente
PRINCIPAIS VA
Principais vias de administração
Via Oral
Via Sublingual
Via Dérmica (Ou Percutânea)
Fatores que determinam a
escolha da via de administração:

• Rapidez de ação desejada

• Natureza e quantidade de medicamento

• Condições do paciente

CAMINHO
SUBSTÂNCIA
ORGANISMO
Enteral
Parenteral
Tópica e Mucosas
http://www.fda.gov/Drugs/DevelopmentApprovalProcess/FormsSubmissionRequirements/ElectronicSubmissions/DataStandardsManualmonographs/ucm071667.htm
VIA ORAL
Vantagens
Segura, conveniente, econômica;

Overdose – propicia retirada da droga;

Absorção e início de ação lentas;

Disponível em várias formas farmacêuticas;

Indolor;

Desvantagens
Absorção variavel e ineficiente;

Metabolismo de primeira passagem;

Interação com alimentos e estado emocional;

Absorção e início de ação lentas;

Interação medicamento / fluidos digestivos;

Drogas prejudiciais aos dentes;

Imprópria em caso de vômito.

oral
sublingual
retal

inalatória
cutanea
genitourinária
ocular
auricular
intramuscular
subcutânea
intradérmica
intravenosa
intratecal
Vias de administração de medicamentos
UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO
FACULDADE DE MEDICINA

Mestranda: Larissa Irene da Silva
Orientador: Prof. Dr. Domingos Tabajara de Oliveira Martins

Absorção por difusão passiva
pH baixo
Esvaziamento
VIA SUBLINGUAL
Vantagens
Casos especiais;

Absorção rápida na mucosa oral;

Evita a passagem pelo fígado;

Evita a ação do suco gástrico;

Penetração direta na corrente sanguínea;



Desvantagens
Imprópria para substâncias irritantes e de sabores desagradáveis;

Absorção muito rápida para substâncias lipossolúveis.

EXEMPLOS
Nitroprussiato de Sódio





Dinitrato de Isossorbida
Fármacos usados em emergências hipertensivas
Via Retal
VANTAGENS:

Pacientes inconscientes, com náuseas e vômitos;

Lactentes;

Quando a via oral não é indicada;

Evita degradação do fármaco pelas enzimas digestivaas e baixo pH;

DESVANTAGENS:

Superfície reduzida;

Menos irrigada;

Irritação da mucosa.
ABSORÇÃO
Plexo hemorroidário
Veia cava
Coração
Circulação
ABSORÇÃO
Absorve em toda sua extensão;

Mucosas envolvidas:

1. Mucosa nasal: Usuários de cocaína e heroína, descongestionantes nasais;

2. Mucosa Traqueal e Brônquica: Inaladores com dosímetro;

3. Alvéolos pulmonares: rica vascularização e extensa superfície de contato.

Aerossóis / Nebulizadores.

VANTAGENS
Administração localizada de pequenas doses para ação rapida;

Membranas biológicas de fácil travessia;

Grande superficie de absorção;

Rica vascularização sanguínea;

Redução dos efeitos adversos sistemicos.

Desvantagens
Controle insatisfatório da dose;

Método de administração pouco prático;

Fármacos voláteis e gasosos provocam irritação do epitelio pulmonar




VIA INALATÓRIA
VIA TÓPICA OU CUTÂNEA
Aplicação na pele ou mucosas;

Efeito localizado e sistêmico;

Formas Farmacêuticas: loção, creme, pomada, emplastos, pasta,
pó ou spray.

As preparações tópicas podem ser usadas para
VANTAGENS
Fácil administração;

Não dolorosa;

Poucas reações alérgicas;

Menor reações adversas que as vias sistêmicas.

DESVANTAGENS
Pode causar irritação;

Estimula a auto-medicação.

As preparações tópicas podem ser usadas para
VIAS GENITOURINÁRIAS
VIA INTRAVAGINAL
Tratamento de infecção
e inflamação;

Ação local


Esta via evita os efeitos adversos sistemicos dos esteroides;

É utilizada no caso do DIU;

Liberação de baixas doses da droga diretamente no orgão alvo.
VIA INTRA-UTERINA
VIA URETRAL E PENIANA
Utilizada para o tratamento de disfunção eretil;

Medicamentos aplicados na uretra;

EXEMPLO: Xilocaina em geleia

VIA INTRA-OCULAR
VIA INTRA-OCULAR
Finalidade diagnostica e terapêutica:

-Dilatar a pupila,
-Anestesia,
-Lubrificação,
-Tratamento de disturbios oculares.

-Formas Farmaceuticas: gotas (colirios) e
pomadas oftalmicas.

Usa-se injeções, para atingir o sitio intra-ocular, após a tentativa de administração local ou quando não obteve-se concentração terapeutica da droga na aplicação direta


VIA OTOLÓGICA
Tratamento de infecções e inflamações localizadas no ouvido.

VIAS PARENTERAIS
VIA ENDOVENOSA
VIA INTRADÉRMICA
VIA INTRAMUSCULAR
VIA SUBCUTÂNEA
OUTRAS VIAS
Injeção de drogas diretamente num compartimento ou cavidade do corpo,
a fim de evitar os obstÁculos da pele e mucosa

Efeito sistêmico; recebe-se a substância por outra forma que não pelo trato digestivo
Local da injeção
Tamanho e tipo da agulha
Volume da injeção
Efeito terapêutico desejado
Domínio da técnica da injeção

Fatores importantes no uso da via parenteral
Pacientes inconscientes e com nauseas/vômitos;

Ação imediata da droga;

Situações de emergência;

Efeito localizado e sistêmico;

Drogas ineficazes, fracamente absorvidas ou inativas por via oral
Pessoal adequadamente treinado;

DOR;

Hipersensibilidade, intolerância ou toxicidade;

Incoveniente quando as aplicações se tornam frequêntes



VIAS PARENTERAIS
Ação do medicamento imediata;

Disponibilidade completa do medicamento;

Controle absoluto sobre a dose administrada;

Dose mantida no sangue do paciente;

Medicamentos liquidos: soluções, emulsoes, contrastes diagnósticos, sangue ou hemoderivados


Vantagens:

-Efeito imediato;
-Escolha emergência;
-Absorção sanguínea
direta e completa;
-Controle da dose;
-Sem efeito da primeira
passagem

Desvantagens:

-Aplicação dolorosa;
-Manter assepsia;
-Custo elevado;
-Não aceita todos tipos de medicamentos;
-Infecção, flebite, formação de vesículas ou necrose.

-Efeito imediato;
-Escolha emergência;
-Absorção sanguínea
direta e completa;
-Controle da dose;
-Sem efeito da primeira
passagem

Vantagens:
Desvantagens
-Efeito local;

-Pessoal competente;

-Equipamentos específicos.

Deposita o medicamento profundamente no
tecido muscular;

Penetração rápida na circulação sistêmica;

Absorção completa;

Aplica-se de 2mL da medicação;

Drogas com liberação
prolongada, ate 30 dias.

VANTAGENS
Efeito rápido com segurança;

Via de depósito ou efeitos sustentados;

Fácil aplicação;

Medicamentos de sol. aquosa - absorção rápida
sol. oleosa - absorção lenta;

Não passa pelo TGI;

Maior biodisponibilidade do fármaco;

Pacientes desacordados, dificuldade de deglutir, com obstruções gastrointestinais ou com vômitos.

DESVANTAGENS
-Dolorosa;

-Substâncias irritantes ou com pH diferente;

-Não suporta grandes volumes;

-Absorção relacionada com tipo de substância;

-Trauma ou compressão acidental de nervos;

-Pessoal treinado;

-Injeção acidental em veia ou artéria;

- Lesão do músculo por soluções irritantes

-Abcessos
- Absorção lenta (capilares) de forma contínua e segura;




Usada para administração de vacinas
(anti-rábica e anti-sarampo); anticoagulantes (heparina)
e hipoglicemiantes (insulina);

VIA SUBCUTÂNEA
Intra-arterial
Intratecal
Intraperitoneal
Intrapleural
Intra-articular
Utilizada em tratamentos específicos
VIA INTRAVESICAL
Ex: Tumor de bexiga
Intra-óssea
VIA TRANSDÉRMICA
Hormônios, anestésicos opióides, drogas neoplasicas.

PELE
CORRENTE SANGUÍNEA
VANTAGENS
-Evita o efeito de primeira passagem;

-Via alternativa ao trato gastrointestinal;

-Fácil adesão ao tratamento.

DESVANTAGENS
-Alergias e irritações na pele ou sistêmicas

-Tempo para droga agir;

-Limitação da droga.
Bioadesivos;

Pró-drogas;

Transportadores macromoleculares de drogas;

Transportadores celulares de drogas;

Microparticulas e nanoparticulas;

Dispositivos para liberação controlada da droga;

Sistema para liberação controlada de peptideos e proteinas;

Anticorpos monoclonais;

Administração de genes.

BIOADESIVOS
-Controlam a liberação da droga;

-Melhoram a eficácia terapêutica

-Inibição de enzimas;

-Modulação da resposta imunológica;

PRÓ-DROGAS
-Largamente utilizada;

-Reduz dor ou irritação no local da injeção;

-Direciona a droga para seu alvo especifico;

-Modificação de propriedades biológicas

TRANSPORTADORES MACROMOLECULARES DE DROGAS
Proteínas e conjugados, hormônios, DNA

SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE DROGAS EM MICROPARTICULAS
Novos sistemas de administração de drogas:
Vantagens
-Células bio-compatíveis;

-Não antigênicas;

-Podem ser dirigidas com imunoglobulinas
marcadoras;

-Uso no interior do sistema circulatório

O produto terapeutico é imobilizado, absorvido, ligado, dissolvido ou encapsulado na partícula, permitindo o controle preciso da liberação da droga
DISPOSITIVOS PARA LIBERAÇÃO CONTROLADA DE DROGAS
-Droga direcionada para um compartimento do corpo, reduzindo a concentração sistêmica;

-Redução da necessidade de acompanhamento do paciente

-Aumento do conforto.

SISTEMA PARA LIBERAÇÃO CONTROLADA DE PEPTIDEOS E PROTEINAS
Os sistemas poliméricos são usados para liberar muitas proteínas, como a isulina, fatores de crescimento e inibidores da angiogênese.

ANTICORPOS MONOCLONAIS
-São utilizados em radioimunoensaios, histoquímica e terapêutica;

-Utilizada para alcançar seletivamente celulas-alvo;

ADMINISTRAÇÃO DE GENES
-DNA exógeno que vai codificar e produzir uma proteina numa celula;

-Ex: tratamento de doenças hereditarias e adquiridas

“O que eu ouço, esqueço; O que eu vejo, eu me lembro; O que eu faço, compreendo” (CONFÚCIO, 2500 a. C).
Full transcript