Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

FILOSOFIA - ENEM

No description
by

José Joaquim Gomes

on 24 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of FILOSOFIA - ENEM

FILOSOFIA - ENEM
A felicidade é, portanto, a melhor, a mais nobre e a mais aprazível coisa do mundo, e esses atributos não devem estar separados como na inscrição existente em Delfos “das coisas, a mais nobre é a mais justa, e a melhor é a saúde; porém a mais doce é ter o que amamos”. Todos estes atributos estão presentes nas mais excelentes atividades, e entre essas a melhor, nós a identificamos como felicidade.
ARISTOTELES. A Política. São Paulo: Cia das Letras, 2010.
Enunciado / Situação-problema
Enunciado / Situação-problema
Para Platão, o que havia de verdadeiro em Parmênides era que o objeto de conhecimento é um objeto de razão e não de sensação, e era preciso estabelecer uma relação entre objeto sensível ou material que privilegiasse o primeiro em detrimento do segundo. Lenta, mas irresistivelmente, a Doutrina das ideias formavase em sua mente.

ZINGANO, M. Platão e Aristóteles: o fascínio da
filosofia. São Paulo: Odysseus, 2012.

Enem 2012
O texto faz referência à relação entre razão e sensação, um aspecto essencial da Doutrina das Ideias de Platão (427 a.C. 346 a.C.). De acordo com o texto, como Platão se situa diante
dessa relação?
Comando
No centro da imagem, o filósofo Platão é retratado apontando para o alto. Esse gesto significa que o conhecimento se encontra em uma instância na qual o homem descobre a
Comando
Ao reconhecer na felicidade a reunião dos mais excelentes atributos, Aristoteles a identifica como
Comando
A)Estabelecendo um abismo intransponível
entre as duas.
B) Privilegiando os sentidos e subordinando o conhecimento a eles.
C)Atendo-se à posição de Parmênides de que razão e sensação são inseparáveis.
D)Afirmando que a razão é capaz de gerar conhecimento, mas a sensação não.
E) Rejeitando a posição de Parmênides de que a sensação é superior à razão.
Alternativas (gabarito e distrator)
a) suspensão do juízo como reveladora da verdade.
b) realidade inteligível por meio do método dialético.
c) Salvação da condição mortal pelo poder de Deus.
d) essência das coisas sensíveis no intelecto divino.
e) ordem intrínseca ao mundo por meio da sensibilidade.

Alternativas (gabarito e distrator)
A) busca por bens materiais e títulos de nobreza.
B) plenitude espiritual e ascese pessoal.
C) finalidade das ações e condutas humanas.
D) conhecimento de verdades imutáveis e perfeitas.
E) expressão do sucesso individual e reconhecimento público.
Alternativas (gabarito e distrator)
ENUNCIADO:
apresenta a situação-problema ao aluno;
ESTÍMULO OU REFORÇO:
pode ser um gráfico, mapa, tabela, tirinha, figura ou outro que reforce ou complemente o enunciado;

COMANDO OU ENUNCIADO:
apresenta ao aluno o que deve ser marcado na alternativa correta e pode ser em forma de pergunta ou uma frase incompleta;

ALTERNATIVAS:
são as afirmações que devem ser julgadas para a escolha daquela que completará o comando corretamente.
Enem - Estrutura das questões
Quanto ao enunciado (Situação-Problema)

Está correto (conteúdo).
Envolve interdisciplinaridade e contextualização.
É adequado à compreensão do estudante.
É adequado à extensão da prova.

Quanto ao Comando:

Apresenta claramente um único problema;
Contém as informações essenciais para a solução do problema proposto, evitando elementos supérfluos;
É adequado em relação à dificuldade pretendida;
É adequado em relação ao tempo disponível para a prova;
É adequado em relação à quantidade de tarefas a serem executadas para a escolha da alternativa;
Não contém afirmações preconceituosas;
Há possibilidade de incluir no enunciado os elementos que se repetem nas alternativas, visando diminuir o tamanho da questão e tornar mais evidente o elemento variante que aparece nas alternativas.
A alternativa correta é indiscutivelmente a única;
As alternativas incorretas (distratores) representam relações possíveis de serem estabelecidas pelo participante, mas não são condições suficientes para a resolução dos problemas;
São adequadas em relação ao tempo disponível para a prova;
Estão colocadas em ordem lógica, crescente ou decrescente, sempre que envolvem valores numéricos;
São homogêneas na forma;
São independentes, sem subentendidos ou referências às alternativas anteriores;
Não contêm “pistas” que possam ajudar o participante na resolução da questão;
Não contêm elementos (pegadinhas) que possam induzir o estudante a erros;
Não contêm certas palavras que induzem a afirmações falsas ou verdadeiras. Frases onde aparecem “sempre” ou “nunca”, “tudo” ou “todo”, “só” ou “somente” são, em sua grande maioria, falsas. As que contêm “alguns” ou “geralmente” são quase sempre verdadeiras;
A alternativa correta não pode ser decidida pelo participante, sem que ele necessite estabelecer qualquer relação com o enunciado ou texto. O mesmo critério vale para os distratores.
Os
distratores
indicam as alternativas incorretas à resolução da situação-problema proposta. Além disso, essas respostas devem ser plausíveis, isto é, devem parecer corretas para aqueles participantes do teste que não desenvolveram a habilidade em questão. Isso significa que o distrator plausível deve retratar hipóteses de raciocínio utilizadas na busca da solução da situação-problema apresentada. Como consequência, se esse distrator retrata uma dificuldade real do participante com relação à habilidade, não devem ser criadas situações capazes de induzi-lo ao erro.
Enunciado / Situação-problema
Afirmando que a razão é capaz de gerar conhecimento, mas a sensação não.
realidade inteligível por meio do
método dialético.
"A Escola de Atenas" é um afresco de Raffaello (1506-1510), de 5,00m x 7,00, no Palácio Apostólico, Vaticano
É uma alegoria complexa do conhecimento filosófico profano. Mostra um grupo de filósofos de várias épocas históricas ao redor de Aristóteles e Platão, ilustrando a continuidade histórica do pensamento filosófico.
"A Escola de Atenas" ("Scuola di Atenas" no original) é uma das mais famosas pinturas do renascentista italiano Raffaello e representa a Academia de Platão. Foi pintada entre 1509 e 1510 na "Stanza della Segnatura" sob encomenda do Vaticano. A obra é um afresco em que aparecem ao centro Platão e Aristóteles. Platão segura o Timeu e aponta para o alto, sendo assim identificado com o ideal, o mundo inteligível. Aristóteles segura a Ética e tem a mão na horizontal, representando o terreste, o mundo sensível.
1: Zenão de Cítio ou Zenão de Eléia
2: Epicuro
3: Frederico II, duque de Mântua e Montferrat
4: Anicius Manlius Severinus Boethius ou Anaximandro
ou Empédocles
5: Averroes
6: Pitágoras
7: Alcibíades ou Alexandre, o Grande
8: Antístenes ou Xenofonte
9: Hipátia (Francesco Maria della Rovere or Raphael's mistress Margherita.)
10: Ésquines ou Xenofonte
11: Parménides
12: Sócrates
13: Heráclito (Miguel Ângelo).
14: Platão segurando o Timeu (Leonardo da Vinci). 15: Aristóteles segurando Ética a Nicômaco.
16: Diógenes de Sínope
17: Plotino
18: Euclides ou Arquimedes acompanhado de estudantes (Bramante)
19: Estrabão ou Zoroastro (Baldassare Castiglione ou Pietro Bembo).
20: Ptolomeu
R: Apeles (Rafael).
21: Protogenes (Il Sodoma ou Pietro Perugino).


finalidade das ações e condutas humanas.
A concepção aristotélica de felicidade estava ligada à ética, ou seja, às boas ações humanas baseadas em regras que nortearão a vida em sociedade. Para Aristóteles, a felicidade não provém de um entretenimento, mas de uma ação, do trabalho e do esforço. A felicidade é assim uma busca e um progresso. Dessa maneira, a felicidade deveria estar ligada à finalidade das ações e condutas humanas.
Referências:

http://www.sabercultural.com/template/obrasCelebres/A-Escola-de-Atenas.html

http://vestibular.uol.com.br/noticias/redacao/2013/08/20/guia-de-estudos-confira-10-temas-essenciais-de-filosofia-e-sociologia.htm

http://download.inep.gov.br/outras_acoes/bni/guia/guia_elaboracao.pdf

http://www.derphilosopher.supralus.com/_dwld/vestibular/Filosofia_Resumo_e_Questoes.pdf

Prof. José Neto
Full transcript