Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Autoridade dos dons do Espírito

Lição 10
by

Paulo Costa

on 8 May 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Autoridade dos dons do Espírito

LIÇÃO 10 Palavra introdutória 1. Dons espirituais 2. Manifestação dos dons espirituais 2.1. Dons relacionados à revelação 2.2. Dons relacionados ao serviço 2.2.1. Fé sobrenatural 2.3. Dons relacionados à espressão vocal 2.3.1. Profecia 2.3.2. Variedade e interpretação de línguas Conclusão Próxima Lição Autoridade do Cristão AUTORIDADE DOS DONS DO ESPÍRITO Texto Bíblico básico 1- Acerca dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes.
2- Vós bem sabeis que éreis gentios, levados aos ídolos mudos, conforme éreis guiados.
3- Portanto, vos quero fazer compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema, e ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo.
4- Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo.
5- E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo.
6- E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos.
7- Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil.
8- Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência;
9- E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar;
10- E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas.
11- Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer.
1 Coríntios 12:1-11 Texto Áureo Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.
1 Pedro 4:10 “edificar”, quer dizer construir, estruturar, dar consistência. Quando um dom é manifestado na igreja, se constrói na fé dos irmãos uma fortaleza, pois eles começam a presenciar a confirmação das coisas escritas na Palavra. “exortar”, exortar é alertar, ordenar acerca de algo a se fazer. Pelo uso dos dons o Senhor fala diretamente à igreja alertando, orientando e chamando a atenção para algo que o Senhor quer que se faça. “a fim de edificar, exortar e capacitar”, de início já se observa que os dons tem funções diferenciadas para atenderem a objetivos específicos. “capacitar”, os dons capacitam irmãos e irmãs a fazerem obras específicas. Os crentes chegam a fazer atividades que não fariam se não tivessem certo dom que o capacita. Orar Pregar ensinar Nesta lição, aprofundaremos nosso conhecimento acerca dos dons espirituais, os quais são concedidos aos santos a fim de edificar, exortar e capacitar a igreja (Ef 4:8,12). Esse estudo revela-se muito importante, uma vez que os dons são tão nescessários hoje quanto nos dias da igreja primitiva, pois é por meio deles que o corpo de Cristo exerce sua autoridade e executa o nescessário serviço de Deus. Por isso diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, E deu dons aos homens.
Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo;
Efésios 4:8,12 Os dons espirituais concedidos aos cristãos procedem do Espírito. A palavra dons provém de dois termos gregos: domata, que significa dádivas (Ef 4:2), e charismata, dons gratuitos (1 Cor 12:4). O Espírito Santo é o distribuidor divino (1 Cor 12:11) das bençãos adquiridas pelo Filho (Ef 4:7,8) e ordenadas pelo Pai (Ef 3:1). 1. DONS ESPIRITUAIS
- “procedem do Espírito”, atualmente estamos vivendo o ministério do Espírito Santo, consolando e ministrando a vontade do Senhor na sua Igreja.
- O Espírito Santo distribui os dons aos servos do Senhor que receberam o revestimento de poder, porém o Senhor usa quem Ele quer e da maneira que Ele quer, por isso existem relatos de pessoas que foram usadas em algum dom espiritual sem terem sido batizadas no Espírito Santo. 1.1. Os dons são exclusivos Como estão particularmente ligados ao Espírito, os dons espirituais devem ser diferenciado dos talentos naturais e das habilidades adquiridas (1 Cor 12:28). São capacitações divinas, não resultam de obras humanas nem podem ser produzidos por esforço próprio (Hb 2:4).
Os dons tampouco se relacionam com o status de quem os recebe, nem são distribuídos com base em algum sistema eclesiástico hierárquico ou em razão de prestígio humano ( Rm 9:16). 1.1. Os dons são exclusivos
- “talentos naturais”, são habilidades que normalmente nascem com o individuo e podem ser aprimoradas por ele através do treinamento.
- “habilidades adquiridas”, são habilidades que a pessoa aprende através do estudo e treinamento.
- “não pode ser produzido”, a pessoa não consegue o mesmo efeito imitando o dom. Alguns até imitam, mas não atingem qualquer objetivo além o de enganar os outros
- “tão pouco se relacionam com o status”, status se refere a posição eclesiástica ou social, o dom não tem vínculo com isso, não é por ser um doutor, ou um grande pregador, que receberá mais dons.
- Deve-se lembrar que os dons tem como objetivo o anúncio do evangelho, e em locais extremos do mundo como interior da Índia, África e América do Sul existem bruxos e feiticeiros. Nesses locais os dons são de muita importância, pois lá os bruxos fazem sinais. Lá não adianta muita teologia, tem que ter demonstração do Espírito e de poder. Lá o Espírito Santo distribui muito mais dons do que aqui. 1.2. Diversidade dos dons espirituais O apóstolo Paulo ressalta que tanto os Dons concedidos como a medida de sua concessão e os serviços a serem realizados são diversificados (Gr. diairesis, diferentes, distintos). Dessa forma, os dons espirituais alcançam a maior utilidade possível (1 Cor 12:4-7). 1.2. Diversidade dos dons espirituais
- “alcançam a maior utilidade”, por serem diversificados atingem vários objetivos ao mesmo tempo, enquanto um profetiza, outro cura, outro revela, outro interpreta as línguas, outro discerne os espíritos que estão falando na igreja, etc. Em 1 Corintios 12:10, Paulo usa a palavra grega energemata (operações, realizações) para falar da eficácia do poder que produz sinais maravilhosos. Dessa forma, entendemos que os dons equipam o cristão, a fim de que possa realizar grandes obras em conformidade com o propósito de Deus. Em meio ao debate contra as especulações filosóficas e vãs dos Coríntios, Paulo destaca o dom da palavra de sabedoria (Gr. logos sophia), que significa a capacidade de compreender e de transmitir a palavra de Deus com profundidade, aplicando-a a situações particulares, em que são resolvidos problemas difíceis, mediante o emprego da sabedoria espiritual. 2.1.1. Palavra da sabedoria
- A explicação da revista está muito boa. Aqueles que tem esse dom conseguem encontrar mensagens profundas dentro de passagens que muitos já leram e estudaram. 2.1.2 Palavra do conhecimento O dom da palavra do conhecimento (Gr. logos gnoseos) é expresso a partir da análise profunda da revelação, que tem base nas escrituras. É pela ação do Espírito que os cristãos são enriquecidos com toda a palavra e em todo o conhecimento (1 Cor 1:5) para tornarem-se capazes de progredir na fé (Cl 1:9,10). 2.1.2. Palavra do conhecimento
- É expresso em 1 Co 12.8 como a “palavra da ciência”, ciência significa conhecimento. Dessa forma com esse dom o Senhor revela pela sua Palavra a solução para o problema da igreja, traz ao conhecimento a sua vontade para a congregação. Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência;
1 Coríntios 12:8 2.1.3. Discernimento de espírito Em 1 Coríntios 12:10, discernir (Gr. diakriseis assemelha-se ao vocábulo discriminar, identificar. a ideia é que este dom serve como um fiscalizador das manifestações dos dons ocorridas entre os cristãos, em relação à sua procedência 2.1.3. Discernimento de espíritos

- Significa identificar que tipo de espírito está falando na igreja usando a boca de alguém. Lembre aos alunos que três são os espíritos que falam pela boca do homem:

- O Espírito de Deus, é quando Deus está falando pela boca de alguém.

- O espírito do homem, é quando a pessoa finge que Deus está falando, mas é a própria pessoa falando, fingindo. Não adianta nem expulsar, pois não é demônio, tem que baixar a marreta na doutrina e ensiná-los qual é o fim de quem imita o Espírito Santo de Deus.

- O espírito do maligno, às vezes é a própria entidade satânica falando, pois eles também conhecem a língua dos anjos.



- Se ninguém na igreja tiver esse o dom de discernimento de espíritos, então siga essa fórmula do apóstolo João:

“Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. Nisto conhecereis o Espírito de Deus: Todo o espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus; E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo.” 1 João 4:1-3 Os dons de serviço são: fé, dons de cura e operação de milagres. A fé sobrenatural difere daquelas que todos os seres humanos exercitam ao crer, por exemplo, que o sol nascerá todas as manhãs (fé natural) e da própria fé para salvação (Hb 11:6). Esse dom consiste na capacidade de crer que Deus pode interferir na história para mudá-la com feitos extraordinários, segundo o Seu querer. 2.2.1. Fé sobrenatural
- Conclui-se nesse tópico que existem três tipos de fé.
a) Fé natural, a fé que todas as pessoas manifestam ao acreditar em coisas que não estão vendo, mas esperam que acontecerão a cada dia.
b) Fé para a salvação, fé manifestada ao se crer em Jesus como o salvador.
c) Fé sobrenatural, que é o dom estudado aqui, é dado pelo Espírito Santo e possibilitam a algumas pessoas a fazerem coisas e entrarem em certos lugares que outros irmãos não fazem e não vão. 2.2.2. Dons de curar Em 1 Corintios 2:9, tanto a palavra cura como o termo dom aparecem no plural. Esta é uma indicação clara de que Deus concede aos Seus filhos a autoridade espiritual sobre diferentes enfermidades e de que o exercício de cada uma delas é um dom especial. Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam.
1 Coríntios 2:9 2.2.3. Operação de milagres O texto bíblico básico afirma que o Espírito concede à igreja manifestações sobrenaturais de poder (1 Co 12:10; 19:11; 2 Co 12:12). A ênfase, entretanto, não está naqueles que possuem a capacidade de operar milagres (Mt 7:22,23), mas com que propósito?
O ensino geral dos evangelhos é que todas as operações miraculosas realizades pelos que foram ageaciados por Deus com essa capacitação visam única e exclusivamente à glória de Deus (Jo 11:4) e ao testemunho da verdade da cura realizada (At 14:3). 2.2.3. Operação de milagres
- Esse dom é muito útil para irmãos que estão no campo missionário, ocorre de diversas formas, quando Deus envia a provisão, quando Deus livra alguém da morte, quando envia um anjo a falar com alguém, quando a comida não acaba, o combustível multiplica no tanque, etc. Na Bíblia temos a multiplicação do azeite da viúva, a multiplicação dos pães, a pesca maravilhosa, etc.
- A característica desse dom é o uso dos elementos da natureza para se operar algo sobrenatural. O texto bíblico básico focaliza três dons relacionados à proclamação oral da palavra de Deus: profecia, variedade e interpretação de línguas. “expressão vocal”, são classificados assim por serem relacionados a pronúncia onde o instrumento são as palavras. O dom da profecia capacita os cristãos a transmitir uma palavra ou revelação diretamente de Deus, sob a direção do Espírito Santo (1 Co 14:24,25,29-31). Assim, não se trata de um sermão previamente preparado para ser pregado, mas uma mensagem direta da parte do Senhor. Profecia significa, literalmente, falar ao outro, nesse caso, falar em nome de Deus. 2.3.1. Profecia
- Esse dom foi classificado pelo apóstolo Paulo como o melhor dom, pois fala à igreja para a edificação do corpo de Cristo.
- Porém. ainda exitem muitos irmãos se deixam levar pela soberba, de sorte que inventam profecias e revelações que não existem. O dom de variedade de línguas pressupõe a comunicação do cristão com Deus, sob a influência direta do Espírito Santo, resultando numa oração, louvor ou ação de graças em variados tipos de línguas (At. 2:4; 10:46; 1 Co 14:2).
Para que sirvam ao seu Propósito, as manifestações espirituais sob a forma do dom de línguas precisam ser interpretadas, pois o que fala em língua a si mesmo edifica (1 Co 14:4).
A interpretação garante plena edificação de igreja, pois todos podem compreender a mensagem em sua própria língua. O que fala em língua desconhecida edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja.
1 Coríntios 14:4 2.3.2. Variedade e interpretação de línguas
- Não se sabe quantas línguas são no total. Esse dom é diferente do falar em línguas inicialmente.
- Quando o crente fala em línguas estranhas ele se edifica na graça, é possível inclusive orar em línguas.
- “ser interpretadas”, essa necessidade de interpretação é para evitar a desordem, pois alguns cultos são estranhos, onde muita gente sai sem entender nada do que ocorreu.
- Essa interpretação ocorre como normalmente como se a pessoa fosse um intérprete do idioma estrangeiro. Se você já viu, conte aos alunos como é contemplar alguém falando em línguas e outro irmão interpretando.
- Infelizmente esse dom está um pouco raro hoje em dia, mas ainda se vê. O exercício da autoridade dos dons ministeriais e eclesiásticos ocorre em total dependência do Espírito Santo, o qual é a chave para entender como o Espírito realiza a obra da salvação (Jo 3:6,7), da santificação (Rm 1:4), da renovação (Tt 3:5); também, para compreender as escrituras (Jo 16:13); para orar com eficácia (Rm 8:26); para proseguir na tarefa da evangelização (Ap 22:17); enfim, para obter o revestimento de poder para realizar o trabalho de Deus (At 1:8) (GOMES, Central Gospel, 2010, p. 83).
Acima de tudo, deve haver o entendimento de que todos os dons espirituais devem estar subordinação ao dom mais elevado; o amor. Somente assim o recebimento dos dons ganha sentido e as demonstrações de poder tornam-se, enfim, testemunhos poderosos do agir de Deus (1 Co 13:1-3,13). CONCLUSÃO
- “revestimento de poder”, é vestir por cima da salvação a autoridade para buscar outros a serem salvos. É comparado com o soldado que traja seu uniforme diariamente, porém quando ele vai sair para o combate, ele veste por cima da farda peças diferentes, como colete, capacete, joelheira e o armamento com munição, porém é o mesmo soldado só que agora revestido para o combate ele impõe uma maior autoridade.
- “dom mais importante”, sendo o amor o dom mais importante todos os outros devem estar subordinados a ele. Existem irmãos que recebem uma revelação de algo particular da vida de alguém e resolvem entregar para toda a congregação ouvir, essa pessoa não subordinou seu dom ao amor que procura preservar a vida particular do próximo. Pb. Paulo Costa Lição 11
Full transcript