Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

A PRÁTICA DO MCS DA RCC

No description
by

Ezeglair de Souza

on 26 August 2018

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of A PRÁTICA DO MCS DA RCC

- ATUAÇÃO DO MCS DA RCC
1
— CONSIDERAÇÕES INICIAIS

2
— DESENVOLVIMENTO

2.1 — Atuação do MCS no Núcleo de Serviço
2.2 — Atuação do MCS na Reunião de Oração
2.3 — Atuação no Pós Reunião de Oração
2.4 — Atuação do MCS no Grupo de Perseverança

6
— CONSIDERAÇÕES FINAIS

9 8807 6841 – Oi

9 8245 7502 – Tim

ezeglair@hotmail.com

NÚCLEO DE SERVIÇO
REUNIÃO DE ORAÇÃO
PÓS REUNIÃO DO ORAÇÃO
GRUPO DE PERSEVERANÇA
REFLETINDO:
As pessoas que passam, quase que diariamente, a poucos quilômetros do local onde acontece a RO, sabem da mesma?
O vizinho de sala na faculdade?
O colega de trabalho?
O vizinho de apartamento ou de casa?
Todos que frequentam a Paróquia?
Essas pessoas sabem da RO do GO?
O objetivo do GO, lugar que cultiva a oração, a partilha, a busca dos sacramentos e todos os outros aspectos da vivência do Evangelho, está fundamentado
"a partir da experiência do Batismo no Espírito Santo para fazer discípulos de NSJC".

Identificamos que o GO possui por três momentos distintos (At 2,1-47,):
Equipe Núcleo de Serviço;
Reunião de Oração;
Grupo de Perseverança.
São urgentes o anúncio e a propagação do GO, lugar onde se pode experimentar um profundo encontro com Deus, que é amor.
Participam do núcleo de serviço:
- Coordenador do GO,
- Coordenadores dos ministérios,
- Coordenadores anteriores,
- Pessoa de discernimento (provado).
O NS é a equipe de discernimento do GO e, na prática, exerce o carisma de governo, sendo responsável pelas seguintes atribuições:
Avaliar
o que Deus fez em cada reunião;
Acompanhar e assistir
os fiéis que estão no GO em suas necessidades especiais e corporal;
Revezar-se
na condução da RO;
Interceder
constantemente pelo GO do qual faz parte;
Preparar / planejar
as reuniões do GO.
O comunicador pode e deve contribuir num fluxo de informações entre o GO e a RCCBRASIL, fazendo chegar os direcionamentos estratégicos e as moções proféticas.
O comunicador é um facilitador para o coordenador do GO acessa o SAVIC, os demais membros tenham contato com a Revista Renovação, o Portal, o IEAD, dentre outros canais de formação e informação.
O comunicador é responsável por contribuir no planejamento do GO. Planejar é implementar ações estratégicas que corroborem para alcançar os resultados estabelecidos. Sugerir ações de comunicação que serão implementadas para ajudar a alcançar os objetivos e as expectativas da comunidade. O comunicador é chamado a desempenhar uma Comunicação Estratégica e Profética.
Havendo um evento
(SVE, EO, OD, retiros ou rebanhões, etc)
, a Comunicação deve pensar formas de atuar nesses eventos. A divulgação sistemática do GO deve estar no planejamento, onde serão disponibilizados
recursos financeiros, técnicos e humanos necessários
. A mensagem do GO, é fiel à identidade da RCC, refleti aquilo que for elencado no Planejamento Estratégico de cada GO. O tema vivido por toda a RCC, em determinado ano, deve ser sempre recordado pelo comunicador ao NS, para que seja fielmente vivido por cada membro do GO.
O que para uns pode ser apenas uma moção, o comunicador pode enxergar uma forma bela e atraente de se achegar a Deus.
"A comunicação não é simplesmente uma ação externa, técnica e sistemática. Toda Comunicação na fé é fruto da Inspiração, e sua natureza é enraizada no Dom criativo do Espírito Criador que permeava, desde o início, a obra da criação" .

Papa João Paulo II.
O comunicador, é chamado a promover uma Cultura do Encontro, auxilia o NS na geração de vínculos entre os membros do GO, pensa em formas de se comunicar com o Povo de Deus. Em tempos tão agitados, sobre tudo nos centros urbanos, o comunicador pode ser um elo de ligação entre o NS e a assembleia, cooperando na missão de pastorear as ovelhas do Senhor e tornando o povo de Deus
"Um só coração, uma só alma"
(At 4,32).
2.2.1 - Planejando a divulgação da Reunião de Oração
2.2.2 - O MCS na Acolhida
2.2.3 - Registro da Reunião de Oração
2.2.3.1 - Texto
2.2.3.2 - Fotografia
2.2.3.3 - Áudio
2.2.4 - Os avisos no Grupo de Oração
2.2.3.4 - Vídeo
"Os ministérios são diversos, mas um só é o Senhor"
(ICor 12,5).
São Paulo coloca todos os diversos serviços em submissão a Jesus Cristo e dentro de um contexto de comunhão eclesial (cf. Ef 4,11-16).
O papel do MCS nesse corpo é essencial reforçar: Ele existe, a partir e para o GO, célula mais importante da RCC.
A missão do comunicador não pode se ater aos limites físicos onde acontece a RO, mas deve atingir toda a comunidade local.
Acolhida a
Palavra Rhema e a moção
da RO, pode preparar material de divulgação, convidando as pessoas da comunidade para a RO.
Após a Reunião do NS, será o momento do comunicador entrar em oração e escutar profeticamente a estratégia de Deus para divulgar a RO daquela semana. O uso de imagens, textos, vídeos, sons, intervenções, é livre.
Os formatos e as formas de anunciar são muitos:
ir às missas da Paróquia; fazer chamadas, vinhetas e convites, de maneira criativa e atraente; providenciar cartazes, panfletos, fichas de inscrição, comunicados e chamados em sites; intensificar a comunicação em aplicativos e redes sociais.

2.2.1 - Planejando a divulgação da Reunião de Oração
O papel da acolhida no GO é responsabilidade do MPH.
O comunicador ajuda na elaboração do material a ser entregue ao participante da RO.
O serviço da acolhida não requer muitas pessoas, mas que sejam comprometidas com a missão que desempenham.
"Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que acolhestes a um desses meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes" (Mt 25,40).
Na Parábola do Filho Pródigo, (cf. LC 15,11-32),
o Pai acolhe com toda alegria em seu coração o filho que chega de uma vida atribulada pelo pecado. O Pai, em sua misericórdia, ensina que não deve ser feita, em nenhuma hipótese, distinção de pessoas.

2.2.2 - O MCS na Acolhida
É a forma mais simples de registro e bastante eficaz. Toma-se nota do que for relevante para o seu conteúdo final.
Na RO, faz-se um resumo do que aconteceu no GO:
contar como foi a acolhida, a animação, quem a conduziu e de que forma conduziu, o que Deus falou no momento de oração; resumir a pregação. Ao final, convidar os leitores a visitarem o GO para também beberem da graça de Deus.
Nas mídias sociais, os textos são, mais curtos,
resumi-se o que aconteceu no GO de forma clara, concisa e objetiva
. Uma boa foto ou um bom vídeo farão toda a diferença, já que atrai ainda mais o olhar do internauta.

Recurso muito utilizado para divulgação do texto é o Jornal Mural, cuja notícia, redigida nos padrões jornalísticos com fotos, é colocada num mural, fixado na parede da Igreja, salão, ou local externo. O mural deve ser colocado somente com a autorização do pároco ou do responsável pela comunidade. Redigir um Jornal Mural não é difícil. Na Internet, existem programas gratuitos para a edição do texto. Pode-se utilizar, também, programas próprios para diagramação de jornais e boletins.
As
câmeras fotográficas
é um objeto presente no cotidiano da sociedade. Os
smartphones com câmeras fotográficas
e com preço em conta também, uma boa fotografia exige um conhecimento mínimo da sua técnica.
A fotografia deve, por si só, comunicar.
Leva a pessoa a visualizar o que Deus quer falar por meio dela. Ao fotografar, o comunicador pensar no texto que será escrito, e a forma que a sua fotografia se encaixada na publicação.
Se a foto não ajuda a evangelizar, ela é descartável.
Este é o critério que deve guiar o comunicador, deve estar atento à técnica, mas também ao que Deus fala durante a ação, para que o resultado final seja eficaz.
O áudio pode ser utilizado para transmissão web rádio
ou, para produzir conteúdo para um podcast ou site. A captação pode ser feita com celular, gravador de voz... O material pode ser editado para publicação posterior ou transmitido ao vivo, sem cortes. Se for ao vivo, deve-se ter cuidado com os ruídos da comunicação, ou mesmo mensagens indesejadas.
O comunicador deverá sempre estar atento, principalmente ao conteúdo.
Vale lembrar, que é fundamental o consentimento explícito das pessoas que estão falando no áudio; toda veiculação deve estar combinada, anteriormente, com as pessoas que estiverem na equipe de música, na pregação da Palavra, etc.
O vídeo é um meio muito utilizado para potencializar as publicações,
na popularização das redes sociais. Pode-se utilizar essa ferramenta no GO para gravar na íntegra ou apenas pequenos trechos, a serem utilizados numa edição posterior.
Seja com um smartphone ou filmadora,
o importante, assim como na fotografia, é saber o que será captado; planejar os enquadramentos e gravar o que realmente será utilizado; otimizar o tempo e os recursos.
FICA A DICA:

Assim como o áudio,
o vídeo proporciona transmissão para a web.
Além dos equipamentos (câmera, cabos, um tablet ou notebook), será necessário, também, sinal de internet banda larga ou através da transmissão de dados, de preferência 3G ou 4G.
Para transmitir ao vivo, pode ser utilizado o Facebook, YouTube
ou, até mesmo, um programa específico para esse fim.

2.2.4 - Os avisos no Grupo de Oração
Tarefa, prioritaria do comunicador, os Avisos finalizam a RO
, espelhando a alegria de toda a comunidade, por ter experimentado o amor de Deus, transmitindo para a assembleia aquele "gosto de quero mais", o desejo ardente de retornar na semana seguinte.
Os primeiros dez segundos são os mais importantes:
eles prendem a atenção do povo. O comunicador deve buscar estabelecer silêncio para iniciar sua fala, que deverá ser breve, sem exageros e prolixidade.
Deve-se falar o necessário.
Agindo com sinceridade e fazendo gestos na medida certa, o ministro de comunicação também precisa apresentar-se com entusiasmo. Lembrando sempre, de informar corretamente - e pausadamente - locais, horários e valores, caso o assunto seja a venda de algo, ou a comunicação de algum evento.

"Pedro, então, pondo-se de pé em companhia dos Onze, com voz forte lhes disse: "Homens da Judeia e vós todos que habitais em Jerusalém: seja-vos isto conhecido e prestai atenção às minhas palavras". (At 2,14).
2.3.2 - A avaliação da comunicação
2.3.1 - Testemunho da Reunião de Oração
2.2.3 - Registro da Reunião de Oração
2.2.3.1 - Texto
2.2.3.2 - Fotografia
2.2.3.3 - Áudio
2.2.3.4 - Vídeo
É extremamente necessário,
a partir da RO e da veiculação do que aconteceu nela,
avaliar se a comunicação que estava no coração do Senhor aconteceu.
A avaliação construtiva visa o bem comum, o crescimento pessoal e comunitário, o aperfeiçoamento da comunicação. Não se pode prescindir de uma autêntica avaliação, com caridade.
Deixar de fazer a avaliação caracteriza uma grave omissão que pode estagnar o GO.
"
Em alguns lugares, este momento de perseverança é chamado de grupo fechado, de abastecimento, de partilha ou de perseverança.
Aqui foi adotado este último, por ser mais próximo daquilo a que ele se destina. Os pastores dos grupinhos devem ter anotados todos os dados essenciais de cada participante: nome, endereço, telefone, estado civil, profissão, local de trabalho, data de nascimento, entre outros. Além disso,
deve registrar bem a frequência de cada pessoa, para melhor acompanhá-las
.”
A prática do MCS não se esgota no que foi apresentado aqui. Muitas outras experiências e possibilidades são encontradas nos diversos GO pelo Brasil. Anunciar o Senhorio de Jesus, semeando a Cultura de Pentecostes no GO, com unção, técnica e experiência, levará o comunicador a uma prática ministerial dinâmica, organizada e, sobre tudo, cheia de sentido.
Full transcript