Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Édipo Rei - Análise

No description
by

Helena Prado

on 4 April 2011

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Édipo Rei - Análise

Édipo Rei
Análise Sinopse A tragédia Édipo Rei se trata da história de Édipo, rei de Tebas, que adquiriu o trono e a mão da rainha ao resolver o enigma de uma esfinge.

E agora, se encontra sendo solicitado por seus súditos pedindo que resolva a praga que aterroriza a cidade. Não acreditando nas palavras do adivinho, Édipo consulta o povo. E, adquirido informações, vai juntando as peças do quebra-cabeça.

Édipo descobre que ele é o assassino do pai e por conta disso e do incesto que cometera, ele é culpa da praga jogada em Tebas. A rainha havia percebido a verdade antes do rei e, por vergonha, ela se mata.

Cercado de tragédias e verdades devastadoras, vendo sua mãe e mãe de seus filhos morta Édipo se recusa a ver mais tragédias e por vontade própria se cega e pede exílio da cidade, deixando Tebas nas mãos de Creontes - irmão da rainha - e longe dos males. Ao consultar o oráculo de outra cidade, é dito que, para retirar a praga de Tebas, era necessário encontrar e punir devidamente o assassino do rei anterior, Laios, para acalmar a ira de Apolo.

Por buscas de mais informações sobre o assassino, Édipo consulta Tirésias, o adivinho cego trazido por seu cunhado, Creonte.

Tirésias insinua e, contra sua vontade, revela que o atual rei é o assassino de seu antecessor. Inspirado pela cólera, conta que Laios era pai de Édipo e que este divide a cama com sua própria mãe, sua atual esposa, Jocasta. Perfil das Personagens Édipo A personagem Édipo é rei de Tebas. Conquistou o trono mostrando bravura e conhecimento, quando enfentrou a esfinge e resolveu seu enigma.

Ele é um personagem com conflitos. Quando criança, foi a um oráculo que lhe disse que mataria seu pai e casaria com sua mãe. Refugiou-se, mesmo tendo suspeita que aquele que o criou não era seu legítimo pai. Tirésias SSincero e direto sobre o que diz. Sábio, não deixa de ser fiel ao rei, ao revelar o que ele pede, contra sua vontade.
Seu objetivo é dar informaçoes através de seu poder adivinho, para ajudar e descobrir quem é o assassino.
Seu obstáculo é o orgulho de Édipo. Jocasta Creonte Irmão de Jocasta, sucessor ao trono. Ele cumpre ordens do rei. Não chega a ter uma função antagônica. Não é submisso.
Seu objetivo é auxiliar a cidade de Tebas a se livrar da Praga.
Seu obstáculo é ser acreditado por Édipo, que o acusa de estar tentando roubar seu trono.
Na tragédia, mostra-se justo ao ter piedade de Édipo. Coro Métron O métron é a medida ideal das ações de um indivíduo. Édipo foge do seu metrón por seu caráter pouco ético, é orgulhoso e impulsivo. Tenta fugir do seu destino, mata seu pai por seu orgulho e, ganancioso, esposa a rainha, sua mãe. Sófocles Desde sua primeira vitória em um concurso teatral Sófocles foi festejado e homenageado como o maior poeta trágico dos gregos, das 123 peças escritas apenas 7 chegaram até nós, entre elas, Édipo Rei, sua obra-prima. A peça mais antiga de Sófocles, "Ájax", ainda apresenta influências de Ésquilo e uma estrutura dramática muito simples.

Sófocles se destaca em relação aos outros dramaturgos gregos, pois inovou a técnica e a construção teatral de seu tempo, com um estilo onde o enredo e a exposição dos fatos chegam a ser idênticos, ou seja, a revelação dos acontecimentos do passado é o próprio enredo, o que ampliava a dramaticidade da peça. Por muitas vezes ele abordou o destino humano, o destino do herói que sofre e mais tarde é destruído, Sófocles acredita que o homem está no centro do mundo, mas também crê no poder irresistível dos Deuses, ainda que não acredite na justiça divina. Não é característico da obra de Sófocles a reflexão diante dos problemas mais profundos da vida. Seus personagens principais, embora repletos de falhas humanas, são heróicos e ambiciosos. Segundo Aristóteles, Sófocles dizia que mostrava as pessoas como elas deveriam ser, enquanto Eurípedes as mostrava como elas eram.

Para Nietzsche, Sófocles é dono de um pessimismo trágico, onde o mundo e a vida estão cheios de injustiça e infelicidade aos inocentes. Se suas peças apresentam certa serenidade clássica, isso se deve à beleza lírica, sobretudo dos coros. E é exatamente por meio desse lirismo que Sófocles releva como o homem pode ser digno também na derrota. Características gerais Na Tragédia, frequentemente se vê, em cena, pelo menos duas personagens.

Elas se passam na cidade de Tebas, dentro de um dia, diante do pálacio de Édipo. Papel dos Deuses e Destino Nessa peça, existe a figura de Apolo, deus do Olimpo, considerado a luz da verdade, tendo como característica fazer os homens conscientes de seus pecados e ser um agente de sua purificação. A imagem de Apolo em Édipo Rei condiz com essa função divina, sendo Apolo o responsável por enviar a praga para a cidade de Tebas em busca do assassino do rei anterior.
Édipo é a razão da praga, mas não ciente disso e nem dos pecados de que se referia a praga serem seus, ele necessita da ajuda de Apolo. Através de Tirésias, adivinho de Apolo, a verdade sobre os crimes de Édipo, o assassinato de seu pai e o incesto com sua mãe, aparecem.
O Deus é a figura responsável pela consciência e a punição dos pecados de Édipo e de Jocasta. O destino é um ponto controverso na peça, tendo início na sua trama com o rei Laios. Ao consultar um adivinho, Laios tem a informação de que será assassinado por seu filho. Aterrorizado pelo pensamento, ele manda matar seu filho recém-nascido. Mas, ao invés de morrer, a criança sobrevive, longe aos olhos dos pais.

A criança era Édipo que, mais velho, descobre também através de um oráculo, que iria matar seu pai e desposar sua mãe. Édipo foge da casa dos pais adotivos em direção ao seu destino, assassinar Laios, a quem crê não ter nenhuma relação, e deposar sua mãe, a rainha Jocasta. O destino de Édipo parece inevitável, apesar das providências contrárias. Mas seu fim trágico se dá por seu caráter, os eventos acontecem inspirados pelos oráculos, não como um símbolo da inevitabilidade do destino dado por eles. Cada ação é influenciada, mas ainda assim, uma escolha do seu agente. Cenas Típicas Catástrofes A cena da praga em Tebas, o coro relata quais são os efeitos da praga na população. A morte de Jocasta também é relatada primeiramente pelo coro. A cena final de Édipo com os olhos perfurados Patéticas A cena logo após Édipo cegar a si mesmo, ele se lamenta de seus infortúnios. Agón ou cenas de enfrentamento As cenas em que Édipo enfrenta o adivinho Tirésias e o cunhado Creont Anagnórisis ou cenas de reconhecimento A cena em que Édipo descobre ser o assassino de Laios e marido de sua mã Édipo se recusa a ouvir a verdade, quando lhe dizem ser o assassino do ex-rei, e chega a insultar o adivinho trazido por Creonte para ajudar.

Tem objetivo e motivo ajudar a cidade de Tebas, que sofre a ira de Apolo, sendo, para isso, necessário descobrir quem é o assassino do rei Laios, seu antecessor.

Seu obstáculo é aceitar que ele é aquele que cometeu o pecado por qual Tebas está sendo punida. Jocasta é a esposa e mãe de Édipo. Possui uma personalidade dominante e com certo autoritarismo.
Ela, no decorrer da peça, se mostra uma figura influente nos momentos de conflito.
Seu motivo é auxiliar Édipo a descobrir quem matou Laios. Tem o papel de comentar a história, resumindo a cena anterior, o que faz com que o leitor saiba exatamente o que está havendo. É ele que faz a mediação entre as personagens e o público ao expressar o sentimento e as sensações presentes na peça. Apoia a personagem de Édipo, ao ser representado pelos anciões Tebas.
O coro que explica a praga que existe em Tebas e anuncia o suicídio de Jocasta. Deuses Destino Perguntas consulte nossos universitários ΤΥΡΑΝΝΟΣ
Full transcript