Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Trabalho de Biologia

Poluição atmosférica e outros
by

Camila Ramos

on 25 October 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Trabalho de Biologia

Alterações abióticas

Toda e qualquer contaminação do ar, da água ou do solo por quantidades indesejáveis de matéria ou energia, prejudicando a vida, é considerada poluição ambiental. A queda do equilíbrio ambiental A poluição do ar pode ser causada pelo aumento da quantidade de gás carbônico, que acentua o efeito estufa causando o aquecimento global, pela introdução de partículas em suspensão no ar e pela introdução de gases poluentes;

Dentre esses , merecem destaque monóxido de carbono, dióxido de enxofre, ozônio, dióxido de nitrogênio e hidrocarbonetos como o metano; Poluição atmosférica É sempre necessário extremo cuidado com os gases liberados por veículos parados com o motor em funcionamento em garagens, túneis e outros lugares onde a ventilação é limitada;

Os motores a explosão não são os únicos agentes poluidores da atmosfera. Indústrias siderúrgicas e queimadas de florestas também são importantes fontes de poluentes; Poluição atmosférica Poluição atmosférica A denominação de chuva ácida é utilizada para qualquer chuva que possua um valor de pH inferior a 4,5 unidades;

Robert Angus Smith (climatologista inglês) foi quem usou pela primeira vez o termo “chuva ácida”, em 1872, ao presenciar o fenômeno em Manchester (Inglaterra) no início da revolução industrial. Foi ele, também, o primeiro a relacionar o fenômeno com a poluição atmosférica;


  Chuva ácida Pode também dizer-se que as chuvas "normais" são ligeiramente ácidas, pois apresentam um valor de pH próximo de 5,6. Essa acidez natural é causada pela dissociação do dióxido de carbono em água, formando um ácido fraco, conhecido como ácido carbônico:
CO2 (g) + H2O (l) ---> H2CO3 (aq)

O dióxido de carbono, o óxido de nitrogênio e o dióxido de enxofre reagem com as partículas de água presentes nas nuvens, sendo que o resultado desse processo é a formação do ácido nítrico (HNO3) e do ácido sulfúrico (H2SO4);

Ao se precipitarem em forma de
chuva, neve ou neblina, ocorre o
fenômeno conhecido como chuva
ácida, que, em virtude da ação
das correntes atmosféricas, também
pode ser desencadeada em locais
distantes de onde os poluentes
foram emitidos; Chuva ácida Consequências das chuvas ácidas Chuva ácida Para a saúde:
A chuva ácida liberta metais tóxicos que estavam no solo. Esses metais podem contaminar os rios e serem inadvertidamente utilizados pelo homem causando sérios problemas de saúde.

Nas casas, prédios e demais edifícios:
A chuva ácida também ajuda a corroer alguns dos materiais utilizados nas construções, danificando algumas estruturas, como as barragens, as turbinas de geração de energia, etc.

Para o meio ambiente:

Lagos
Os lagos podem ser os mais prejudicados com o efeito das chuvas ácidas, pois podem ficar totalmente acidificados perdendo toda a sua vida.

Desflorestação
A chuva ácida provoca clareiras, matando algumas árvores de cada vez. Podemos imaginar uma floresta, que vai sendo progressivamente dizimada, podendo eventualmente ser até destruída.

Agricultura
A chuva ácida afeta as plantações quase da mesma forma que as florestas, no entanto, a destruição é mais rápida, uma vez que as plantas são todas do mesmo tamanho e assim, igualmente atingidas pelas chuvas ácidas. Algumas ações são necessárias para reduzir esse problema :

Redução no consumo de energia;

Sistema de tratamento de gases industriais;

Utilização de carvão com menor teor de enxofre;

Popularização de fontes energéticas limpas: energia solar, eólica, biocombustíveis, entre outras. Chuva ácida Fenômeno climático que ocorre a partir da elevação da temperatura de uma área urbana se comparada a uma zona rural, por exemplo. Isso quer dizer que nas cidades, especialmente nas grandes, a temperatura é superior a de áreas periféricas, consolidando literalmente uma ilha (climática);

Cidades que possuem grande concentração de asfalto (ruas, avenidas) e concreto (prédios, casas e outras construções), concentra mais calor, fazendo com que a temperatura fique acima da média dos municípios da região. A umidade relativa do ar também fica baixa nestas áreas;

Devido a esses fatores, o ar atmosférico na cidade é mais quente que nas áreas que circundam esta cidade. Por exemplo, num
campo de cultivo que situa-se nas redondezas
de uma grande cidade, há absorção de 75% de
calor enquanto no centro dessa cidade a
absorção de calor chega a significativos 98%; Ilhas de Calor Ilhas de Calor Medidas para evitar a formação das ilhas de calor urbanas:

Plantio de árvores em grande quantidade nas grandes cidades;
Criação de parques e preservação de áreas verdes.

Medidas para diminuir a poluição do ar:

Diminuição e controle da emissão de gases poluentes pelos veículos e controle de poluentes emitidos por indústrias. Efeito estufa é um fenômeno natural de aquecimento térmico da Terra. É imprescindível para manter a temperatura do planeta em condições ideais de sobrevivência. Sem ele, a Terra seria muito fria, dificultando o desenvolvimento das espécies;

Os raios provenientes do Sol, ao serem emitidos à Terra, têm dois destinos. Parte deles é absorvida, e transformada em calor, mantendo o planeta quente, enquanto outra parte é refletida e direcionados ao espaço, como radiação infravermelha;

Cerca de 35% da radiação é refletida de volta para o espaço, enquanto os outros 65% ficam retidos na superfície do planeta. Isso por causa da ação refletora de uma camada de gases que a Terra tem, os gases estufa. Eles agem como isolantes por absorver uma parte da energia irradiada e são capazes de reter o calor do Sol na atmosfera, formando uma espécie de cobertor em torno do planeta, impedindo que ele escape de volta para o espaço;

Nas últimas décadas, a concentração natural desses gases isolantes tem sido aumentada demasiadamente pela ação do homem, como a queima de combustíveis fósseis, o desmatamento e a ação das indústrias, aumentando a poluição do ar; Efeito estufa Efeito estufa O excesso dessa camada está fazendo com que parte desses raios não consigam voltar para o espaço, provocando uma elevação na temperatura de todo o planeta. Por isso, o nome "estufa" é usado para descrevê-lo;

Os principais gases, oriundos, principalmente, da queima de combustíveis fósseis e o desmatamento são:

- dióxido de carbono (CO2);
- óxido nitroso (N2O);
- metano (CH4);
- cloro-fluor-carboneto (CFC); Em excesso, o efeito estufa causa um superaquecimento, provocando consequências desastrosas, como o derretimento de parte das calotas polares; mudanças climáticas; elevação do nível dos oceanos; maior incidência de fenômenos como furacões, tufões, ciclones; secas; extinção de espécies; destruição de ecossistemas e ondas de calor;

Visando diminuir as emissões dos GEEs, a
  Organização das Nações Unidas(ONU) convocou
vários países para assinar um tratado, em 1997,
denominado “Protocolo de Kyoto“, na ocasião
da Rio-92 ou Eco-92. O acordo determina que os
países industrializados diminuam entre 2008 a
2012 suas emissões de gases poluentes a um
nível 5,2% menor que a média de 1990. Os
Estados Unidos, o país que mais contribui
para esses danos ambientais, o maior poluente
do planeta, porém, não ratificaram o documento;


O Brasil está em 4º lugar no ranking dos países
que mais emitem gases de efeito estufa na
atmosfera. A maior contribuição brasileira fica
por conta dos desmatamentos, cerca de 80% de nossas emissões. Efeito estufa Fenômeno climático que ocorre principalmente nos grandes centros urbanos, regiões onde o nível de poluição é muito elevado;

A inversão térmica ocorre quando há uma mudança abrupta de temperatura devido à inversão das camadas de ar frias e quentes;

A camada de ar fria, por ser mais pesada, acaba descendo e ficando numa região próxima a superfície terrestre, retendo os poluentes. O ar quente, por ser mais leve, fica numa camada superior, impedindo a dispersão dos poluentes;

Este fenômeno climático pode ocorrer em qualquer dia do ano, porém é no inverno que ele é mais comum. Nesta época do ano as chuvas são raras, dificultando ainda mais a dispersão dos poluentes, sendo que o problema se agrava;

Nas grandes cidades, podemos observar no horizonte, a olho nu, uma camada de cor cinza formada pelos poluentes. Estes são resultado da queima de combustíveis fósseis derivados do petróleo (gasolina e diesel principalmente) pelos automóveis e caminhões; Inversão térmica Problemas de Saúde:
Este fenômeno afeta diretamente a saúde das pessoas, principalmente das crianças, provocando doenças respiratórias, cansaço entre outros problemas de saúde. Pessoas que possuem doenças como, por exemplo, bronquite e asma são as mais afetadas com esta situação.

Soluções:
Soluções para estes problemas estão ligados diretamente à adoção de políticas ambientais eficientes que visem diminuir o nível de poluição do ar nos grandes centros urbanos. A substituição de combustíveis fósseis por biocombustíveis ou energia elétrica poderia reduzir significativamente este problema. Campanhas públicas conscientizando as pessoas sobre a necessidade de trocar o transporte individual (particular) pelo transporte público (ônibus e metrô) também ajudaria a amenizar o problema. A fiscalização nas regiões onde ocorrem queimadas irregulares também contibuiria neste sentido. Inversão térmica É o aumento das temperaturas médias do planeta Terra, provocando alterações no clima de algumas regiões, intensificando fenômenos naturais, como furacões e secas, entre outros;

Existem várias evidências que a temperatura do planeta aumentou: os termômetros subiram 0,6ºC desde o meio do século XIX, o nível dos oceanos também subiu e as regiões glaciais do planeta estão diminuindo;

Os cientistas também consideram prova do aquecimento global, a diferença de temperatura entre a superfície terrestre e a troposfera (zona atmosférica mais próxima do solo);

O aumento da quantidade de gases estufa (gás carbônico, metano, etc) lançados na atmosfera provoca uma elevação da temperatura, a emissão desses gases (fruto do desmatamento e da queima de combustíveis fósseis) formam uma barreira impedindo que o calor se propague aumentando a temperatura da terra; Aquecimento global Consequências:

Aumento do nível dos oceanos: com o aumento da temperatura no mundo, está em curso o derretimento das calotas polares. Ao aumentar o nível da águas dos oceanos, podem ocorrer, futuramente, a submersão de muitas cidades litorâneas;

Crescimento e surgimento de desertos: o aumento da temperatura provoca a morte de várias espécies animais e vegetais, desequilibrando vários ecossistemas. Somado ao desmatamento que vem ocorrendo, principalmente em florestas de países tropicais (Brasil, países africanos), a tendência é aumentar cada vez mais as regiões desérticas do planeta Terra;

Aumento de furacões, tufões e ciclones: o aumento da temperatura faz com que ocorra maior evaporação das águas dos oceanos, potencializando estes tipos de catástrofes climáticas;

Ondas de calor: regiões de temperaturas amenas tem sofrido com as ondas de calor. No verão europeu, por exemplo, tem se verificado uma intensa onda de calor, provocando até mesmo mortes de idosos e crianças.  Aquecimento global Buraco na camada de ozônio

Camada de ozônio é uma área da estratosfera (altas camadas da atmosfera, de 25 a 35 km de altitude) que possui uma elevada concentração de ozônio. Esta camada funciona como uma espécie de "escudo protetor" para o planeta Terra, pois absorve cerca de 98% da radiação ultravioleta de alta frequência emitida pelo Sol. Sem esta camada a vida humana em nosso planeta seria praticamente impossível de existir;

Em 1983, pesquisadores fizeram uma descoberta que gerou muita preocupação: havia um buraco na camada de ozônio na área da estratosfera sobre o território da Antártica. Este buraco era de grandes proporções, pois tinha cerca de 10 milhões de quilômetros quadrados. Na década de 1980 outros buracos de menor proporção foram encontrados em vários pontos da estratosfera. Com o passar do tempo, estes buracos foram crescendo (principalmente o que fica sobre a Antártica), sendo que em setembro de 1992 chegou a totalizar 24,9 milhões de quilômetros quadrados; Aquecimento global Buraco na camada de ozônio

Reação:

As moléculas de clorofluorcarbono, ou Freon, passam intactas pela troposfera, que é a parte da atmosfera que vai da superfície até uma altitude média de 10.000 metros;

Em seguida essas moléculas atingem a estratosfera, onde os raios ultravioletas do sol aparecem em maior quantidade. Esses raios quebram as partículas de CFC (ClFC) liberando o átomo de cloro. Este átomo, então, rompe a molécula de ozônio (O3), formando monóxido de cloro (ClO) e oxigênio (O2);

A reação tem continuidade e logo o átomo de cloro libera o de oxigênio que se liga a um átomo de oxigênio de outra molécula de ozônio, e o átomo de cloro passa a destruir outra molécula de ozônio, criando uma reação em cadeia. Aquecimento global Buraco na camada de ozônio

Consequências:

A existência de buracos na camada de ozônio é preocupante, pois a radiação que não é absorvida chega ao solo, podendo provocar câncer de pele nas pessoas, pois os raios ultravioletas alteram o DNA das células;

O buraco na camada de ozônio também tem uma leve relação com o aumento do aquecimento global; Aquecimento global

As doenças mais comuns causadas pela contaminação por gases poluentes, como o monóxido de carbono (CO) , o dióxido de enxofre e o ozônio são as doenças de pele, causada pela chuva ácida, a intoxicação pelo CO, que causa tonturas, desmaios e até a morte, se a pessoa não for tirada a tempo do ambiente contaminado; Doenças Sônia Lopes, professora doutora do Departamento de Zoologia do Instituto de Biociência da Universidade de São Paulo: Edição 1, 2010, volume 3.

Infoescola: Poluição atmosférica. Http://www.infoescola.com/ecologia/poluicao-atmosferica/.

Brasil Escola: Poluição da atmosfera. Http://www.brasilescola.com/biologia/poluicao-atmosferica.htm.

Ciências e poemas: Doenças causadas pela poluição do ar. Http://cienciasepoemas.blogspot.com.br/2011/04/doencas-causadas-poluicao-do-ar.html. Referências Adailton Duarte Lima Júnior
Beatriz Viktor da Cunha
Camila Rodrigues Ramos
Evanio Santos Marinho
José Brunno Duarte Oliveira
Rodrigo Rocha Ramalho
Varley Santos de Sá
Zélio Rodrigues dos Anjos Júnior Componentes Efeito estufa Inversão térmica A aceleração do degelo na calota polar da Groenlândia duplicou nos últimos 25 anos Poluição Atmosférica A poluição atmosférica refere-se a mudanças da atmosfera suscetíveis de causar impacto a nível ambiental ou de saúde humana, através da contaminação por gases, partículas sólidas, líquidas em suspensão, material biológico ou energia. Poluição atmosférica Um dos principais agentes poluidores da atmosfera é o motor a explosão dos veículos automotores. Quando a queima do combustível é completa, libera dióxido de carbono, mas a combustão incompleta libera monóxido de carbono;

O monóxido de carbono é um gás extremamente perigoso, inodoro, que mistura ao ar e acaba sendo inspirado também. Ao passar pelo sangue, associa-se a hemoglobina, pigmento vermelho do sangue e principal responsável pelo transporte de oxigênio em nosso corpo;

A união do CO coma hemoglobina, no entanto, forma um composto relativamente estável: a carboxiemoglobina. A hemoglobina, “ocupada” pelo monóxido de carbono, não pode transportar oxigênio, causando um tipo de asfixia que pode comprometer a vida; As combustões incompletas de alguns combustíveis podem produzir, além do monóxido de carbono, alguns hidrocarbonetos gasosos e óxidos de nitrogênio;

Estes dois subprodutos combinam-se na atmosfera em presença de luz solar, produzindo outras substâncias mais tóxicas: o ozônio e o nitrato peroxiacetilico (PAN). Essas duas substâncias provocam nos humanos desconforto respiratório e irritação nos olhos seguida de lacrimejamentos;

O excesso de O3 determina aumento na taxa respiratória das plantas, que acabam morrendo por consumir desnecessariamente a glicose armazenada. Além disso, o PAN inibe a fotossíntese, causando a morte da planta, uma vez que ela não pode mais sintetizar seus alimentos. Certas
variedades de plantas são muito
sensíveis a esses fatores, e seu
cultivo não tem sido mais possível em
áreas próximas a grandes cidades. Chuva ácida
Esta acidez da chuva é causada pela solubilização de alguns gases presentes na atmosfera terrestre cuja hidrólise seja ácida. Entre estes destacam-se os gases contendo enxofre proveniente das impurezas da queima dos combustíveis fósseis;

A chuva ácida ocorre quando existe na atmosfera um número muito grande de enxofre (SO2) e óxidos de nitrogênio (NO, NO2, N2O5) que, quando em contato com o hidrogênio em forma de vapor, formam ácidos como o ácido nítrico (HNO3), ou o ácido sulfúrico (H2SO4); Efeito estufa Aquecimento global Inversão térmica A principal causa é a reação química dos CFCs (clorofluorcarbonos) com o ozônio. Estes CFCs estão presentes, principalmente, em aerossóis, ar-condicionado, gás de geladeira, espumas plásticas e solventes. Os CFCs entram em processo de decomposição na estratosfera, através da atuação dos raios ultravioletas, quebrando as ligações do ozônio e destruindo suas moléculas. Aquecimento global Aquecimento global As doenças causadas pela emissão de material particulado (principalmente pequenas partículas de carvão), que constituem a fumaça. são principalmente afecções do sistema respiratório, como o agravamento da asma, as rinites, bronquites e tosses. Sabe-se que a exposição à poluição do ar acelera o envelhecimento por aumentar as substâncias oxidantes no organismo. Mas não é só isso. O monóxido de carbono causa lentidão dos reflexos e sonolência. O dióxido de nitrogênio pode agravar a asma e reduzir as funções do pulmão. O ozônio também causa inflamação nos pulmões, diminuindo a sua capacidade enquanto os particulados menores (com menos de 1/2.400 de uma polegada) podem se alojar nos alvéolos pulmonares e provocar enfermidades
respiratórias e cardiovasculares. Além
disso, a poeira pode criar alergias,
irritação da vista e da garganta. Doenças Poluiçao Atmosférica Chuva Ácida Ilha de calor Efeito Estufa Inversão Térmica Aquecimento global Após a assinatura do protocolo de Kyoto, a obrigação da diminuição da emissão de gases poluente que alimentam o Efeito estufa, fez com que surgisse um termo no cenário mundial, denominado Isonomia Carbônica, onde os países têm que manter a igualdade da emissão de carbono no ar;

Diante desse cenário os países se viram obrigados a criar uma forma de continuar poluindo, mas sem pagar multas por isso. Criou se então o “cheque verde”, a saída para alguns países que poluem bastante e não querem pagar multas, esse “cheque” é a compra de determinada porcentagem de poluição de um país para outro;

Exemplo: A Alemanha já polui o suficiente no que diz respeito a sua cota de poluição, então para não perder ou ter que diminuir sua produção a Alemanha compra do Brasil que não polui o tanto que lhe é permitido uma parte de sua cota de poluição. Assim a Alemanha não pagará multas e o Brasil será beneficiado de alguma forma, seja pela construção de hidroelétricas, termoelétricas entre outros ou mesmo por pagamento a essa compra;

OBs: A cota de poluição é dada de acordo com o tamanho do território dos países, visto isso já se tornou praxe à utilização de cheque verde por países industrializados; Efeito Estufa Buraco na camada de ozônio

Aparelhos de ar condicionado que utilizam os chamados refrigerantes naturais, como água, amônia, CO2 e hidrocarbonetos, não prejudicam a camada de ozônio;

Filtros nos escapamentos de ar dos carros;

Substituir carros a gasolina por carros à álcool (renovável e menos poluente), reciclar sempre que possível as embalagens plásticas e diminuir a liberação de gases que destroem a camada de ozônio. Aquecimento Global
Full transcript