Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Os papéis temáticos

No description
by

Randália Pereira

on 13 April 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Os papéis temáticos

Notes
UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO SERIDÓ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE LETRAS
1- O que são os papéis temáticos
Os papéis temáticos são mais um dos outros fenômenos semânticos que é tratado mais frequentemente dentro de uma perspectiva mentalista.

A autora apresenta uma lista mais geral e abrangente:
Vários autores, como Fillmore (1968, 1970), Chafe (1970), Halliday (1966, 1967), entre outros, propõem uma extensa lista para classificação dos diferentes papéis temáticos.



Podem ser associados por dois pontos:
A- Por algum tipo de correspondência sistemática entre os papéis e as posições sintáticas;
B- Pela seleção do verbo;

Exemplo de correspondência na ordem canônica: ( agente na posição de sujeito, tema na posição de objeto direto e o instrumento como adjunto da sentença).

a- Sérgio matou essa galinha com uma faca afiada.
b- Uma faca afiada matou essa galinha.

No exemplo: João quebrou o vaso com o empurrão que levou
João seria o agente da ação para Fillmore e para Chafe, mas não seria para Halliday.

Para cada ocorrência da língua, podemos encontrar uma nova especificidade entre as relações lexicais que gerará um novo papel temático.

Percebemos, assim, que nem sempre é fácil atribuir esses papeis.

CANSADO; Márcia. Os papéis temáticos. In: ________ Manual de semântica. Noções básicas e exercícios. São Paulo: Contexto, 2012.p111-125.

CONCLUSÃO
Com o exposto sobre os papéis temáticos, parace evidente que as noções têm um papel crucial no conhecimento do falante sobre a língua e que portanto, são noções que merecem continuar a ser investigadas, mesmo havendo tantos problemas teóricos ainda a serem contornados.
REFERÊNCIAS
DISCIPLINA: ESTUDOS DE SEMÂNTICA E PRAGMÁTICA
PROFESSORA: TATIANE XAVIER DA SILVA

IONARA RÉGIA SILVA GUIMARÃES
IVANILDA SANTOS DA SILVA
JOÃO EVANGELISTA TRAJANO
RANDÁLIA AMARO PEREIRA

Vejamos pois, o que vêm a ser os papéis temáticos:
Os papéis temáticos
Márcia Cansado

Eles também são assumidos como representações mentais quando vistos sob uma ótica semântica.

Noções que dizem respeito à ligação entre conceito mental e sentido.

A noção de papéis temáticos foi primeiramente, introduzida por Gruber (1965), Filmore (1968) e Jackendoff (1972), sob a alegação de que as funções gramaticais de sujeito, objeto são insuficientes para certas relações existentes entre algumas construções do tipo:

(1) a- João abriu a porta com a chave
b- A porta abriu
c- A chave abriu a porta.

Em (1 a, b, c), a porta tem a mesma função semântica de ser paciente de uma ação; mas, em (a) e (c), exerce a função sintática de objeto e, em (b) de sujeito. Já a chave tem a mesma função semântica de ser um instrumento da ação em (a) e (c),
Pode-se perceber então que, apesar de os sujeitos em (1) serem distintos as orações não são distintas e sem relação. Existe algum tipo de dependência nas sentenças acima entre o verbo abrir e as entidades João, porta, e chave.
Essas entidades, relacionadas pelo verbo, assumem uma determinada função semântica de ser o agente da ação de abrir, porta em (1ª,b,c,) tem função semântica de ser o paciente da ação o que sofre a ação de abrir; e a chave em (1 a e c) tem a função semântica de ser o instrumento de abrir.

O verbo estabelece uma relação de sentido com seu sujeito e seus complementos, atribui-lhes funções, um papel para cada argumento.

São essas as funções que chamamos de papéis temáticos.
Não existe apenas eventos relativos às ações como abrir, fechar, quebrar etc. O homem também experimenta sentimentos, sensações tem percepções, é capaz de relacionar coisas.

Ou seja, existem, além dos eventos de ação, eventos mentais e outros que poderíamos classificar como relacionais.

Os eventos mentais expressam uma experiência seja psicológica (2a), seja perceptiva (2b), seja cognitiva (2c).

(2) a- João ama Maria
b- João enxergou a luz no fim do túnel.
c - João acreditou no jornal.

Fica evidente, pois, que as relações semânticas estabelecidas entre os verbos e seus argumentos podem apresentar diferentes tipos de papéis temáticos.
Quanto aos processos relacionais também é impossível pensar no sujeito como tendo o papel de agente do processo, ou mesmo como tendo o papel de experíenciador desse processo. Nesse tipo de oração simplesmente relacionamos dois estados de fato:

a- João é bonito
b- João tem uma casa.
2- TIPOS DE PAPÉIS TEMÁTICOS
a) Agente: o desencadeador de alguma ação, capaz de agir com controle

Ex.: João quebrou o vaso com um martelo.
Maria correu.

b) Causa: o desencadeador de alguma ação, sem controle.

Ex.: As provas preocupam Maria.
O sol queimou a plantação.

c) Instrumento: o meio pelo qual a ação é desencadeada.

Ex.: João colou o vaso com cola.

d) Paciente: a entidade que sofre o efeito de alguma ação, havendo mudança de estado.

Ex.: João quebrou o vaso.
O acidente machucou Maria.

e) Tema: a entidade deslocada por uma ação

Ex.: João jogou a bola para Maria.
A bola atingiu o alvo.

f) Experienciador: ser animado que mudou ou está em determinado estado mental, perceptual ou psicológico.

Ex.: João pensou em Maria.
João viu um pássaro.
João ama Maria.

g) Beneficiário: a entidade que é beneficiada pela ação descrita.
Ex.: João pagou Maria.
João deu um presente para Maria.

h) Objetivo (ou Objeto Estativo): a entidade à qual se faz referência, sem que esta desencadeie algo, ou seja afetada por algo.

Ex.: João leu um livro.
João ama Maria.

i) Locativo: o lugar em que algo está situado ou acontece.

Ex.: Eu nasci em Belo Horizonte.
O show aconteceu no teatro.

j) Alvo: a entidade onde algo se move, tanto no sentido literal, como no sentido metafórico.

Ex.: Sara jogou a bola para o policial.
João contou piadas para seus amigos.

l) Fonte: a entidade de onde algo se move, tanto no sentido literal como no sentido retórico.

Ex.: João voltou de Paris.
João tirou aquela ideia do artigo de Chomsky.

Existe uma grande divergência entre as definições para os vários tipos de papel temático.

Enquanto para Hillmore (1968) o agente é a função desempenhada por um ente animado que é responsável voluntária ou involuntariamente, pela ação ou pelo desencadeamento dos processos.

Já para Halliday (1967), é o elemento controlador da ação.

E, para Chafe (1970), é algo que realiza a ação, incluindo aí animados, forças naturais e inanimados.

3.1- A IDENTIFICAÇÃO DOS PAPÉIS TEMÁTICOS

Uma questão central da teoria de Princípios e Parâmetros, de Chomsky (1988), é o Critério-Theta, que estabelece que deve existir uma correspondência entre os sintagmas nominais e os papéis temáticos. Cada sintagma de sentença recebe apenas um papel temático, e cada papel temático é associado a apenas um sintagma.

Já Janckendoff (1972, 1990), em outra perspectiva, sugere que um sintagma pode ser preenchido por mais de uma papel temático. Sua teoria é composta por dois planos: o plano temático, que descreve relações espaciais, e o plano da ação, que descreve relações do tipo agente-paciente.

Na conclusão de Janckendoff, os papéis que os falantes atribuem às entidades devem ser mais complicados que um simples rótulo, como o de agente, paciente, etc.

4- OS PAPÉIS TEMÁTICOS E POSIÇÕES SINTÁTICAS
Retomando o exemplo, há uma tendência, também, do português, em associar o papel temático de agente à posição sintática do sujeito, o de tema à posição de objeto e o de instrumento à posição sintática de adjunto.
 
Outra possibilidade: omissão e reorganização.
Ex.:
João espatifou o gelo com esta pedra.
Esta pedra espatifou o gelo.
O gelo (se) espatifou.

Muitos autores tem sugerido que esse processo de distintos papéis temáticos ocuparem a posição de sujeito é um processo hierárquico, e não somente em português, contudo em muitas outras línguas.

O princípio da Hierarquia Temática
Na posição de sujeito:
1ª preferência: Agente
2º preferência: Beneficiário
3ª preferência: Tema ou paciente
 
Os dois primeiros são os que tem maior preferência para a posição do sujeito. Contudo Tema/paciente, instrumento e locativo tem uma preferência menor para a posição de sujeito.

Tipos de Sujeito:

Sujeito agente; Sujeito Experienciador; Sujeito Beneficiário; Sujeito Paciente; Sujeito Tema; Sujeito Instrumento; Sujeito Locativo.
Sujeito Agente:
a- O ladrão roubou a jóia
b- O menino pulou a janela

Sujeito Experienciador:
a- João ama Maria
b- João pressentiu o perigo

Sujeito Beneficiário:
a- Maria recebeu o presente
b- Paulo ganhou a corrida

Sujeito Paciente:
a- Fábio morreu
b- O pneu estourou

Sujeito Tema:
a- a bola rolou a montanha
b- a seta atingiu o alvo
 
Sujeito Instrumento:
a- a chave abriu a porta
b- aquela caneta amarela escreveu essa carta

Sujeito Locativo

a- Em Belo Horizonte moro eu
b- À Paris veio Gustavo.
Para concluir, é necessário deixar claro que a proposta de hierarquia é muito aceita pela literatura linguística, no entanto existem várias divergências a respeito da ordem dos papéis e de quais são realmente relevantes para a hierarquia e de outros pontos teóricos.
3-PROBLEMAS COM AS DEFINIÇÕES DE PAPÉIS TEMÁTICOS
Os papéis temáticos tem sido objeto de estudo de várias correntes teóricas.
5 A GRADE TEMÁTICA DOS VERBOS / PAPÉIS TEMÁTICOS DO VERBO

Conceito: as relações semânticas entre os verbos e seus argumentos.

Essas informações a respeito dos papéis temáticos dos verbos fazem parte do conhecimento semântico da língua que o falante adquire. (... pág.: 121)

EXEMPLOS ILUSTRATIVOS:
Randália comeu o queijo.

Meu pai dormiu.

Ionara ganhou um presente do seu filho.

Alguns verbos formam uma classe semântica especifica, de acordo com a sua grade.
Verbos psicológicos – amar, adorar,, admirar ...

Grade temática - < experienciador, Tema>
Verbos de transferência – doar, emprestar, pagar

Grade Temática - <agente, tema, alvo>

Verbos de trajetória – vir, ir , andar, voar ...

Grade Temática - < Agente, fonte, alvo>

6-MOTIVAÇÃO EMPÍRICA PARA O ESTUDO DOS PAPÉIS TEMÁTICOS
Os indícios de que certos aspectos semânticos são relevantes para a sintaxe das expressões corroboram a tentativa de se tratar os papéis temáticos de uma maneira mais rigorosa. [...] além das evidências de que empírica da língua de que existe uma relação de hierarquia entre as posições sintáticas os papéis temáticos, existem outras propriedades sintáticas que parece ter retenções ordem semânticas para ocorrer. (pág. 123)
PROPRIEDADES SINTÁTICAS: ERGATIVIZAÇÃO E PASSIVIZAÇÃO.
Ergativização- o a sujeito, ou o argumento externo da frase é omitido, deixando vaga a primeira posição argumental e alçando, para essa posição, o objeto, ou o argumento interno.
EX:

1) José quebrou/espatifou um vaso de barro.

2) José possui/adora um vaso de barro.


O vaso de barro quebrou/espatifou
O vaso de barro possui/adora

Cançado (1995, 2000) lança a hipótese de que toda sentença, cujo argumento externo tenha como acarretamento a propriedade semântica de controle ou o desencadeamento direto, aceita a propriedade sintática de passivização (Pág. 124)
Ex:
1) O fazendeiro possui cem alqueires de terra.

Cem alqueires de terra são possuídos pelo fazendeiro

2) João recebeu um tapa.

Uma tapa foi recebido por João.
Exemplos onde pressupõe o controle

1) O diabo possuiu o homem.

O homem foi possuído pelo diabo.


TEMAS:
1 O QUE SÃO OS PAPÉIS TEMÁTICOS?; RANDALIA.

2 TIPOS DE PAPÉIS TEMÁTICOS; IONARA.

3 PROBLEMAS COM AS DEFINIÇÕES DE PAPÉIS TEMÁTICOS
3.1 A IDENTIFICAÇÃO DOS PAPÉIS TEMÁTICOS; IONARA.

4 PAPÉIS TEMÁTICOS E POSIÇÕES SINTÁTICAS; RANDALIA.

5 A GRADE TEMÁTICA DOS VERBOS / PAPÉIS TEMÁTICOS DO VERBO; JOÃO.

6 MOTIVAÇÃO EMPIÍRICA PARA O ESTUDO DOS PAPÉIS TEMÁTICOS. JOÃO.
Full transcript