Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

PlanejamentoUrbano.com

No description
by

Eduardo Lucas

on 24 April 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of PlanejamentoUrbano.com

.
Dados
Imagens
Crescimento
O Plano
Curtir Comentar Compartilhar
*A primeira lei urbanística é aprovada em 1901, obrigando as cidades com mais de 10.000 habitantes a preparar um plano regulador geral, atualizado a cada 10 anos. Em 1905, o arquiteto holandês Berlage, projeta o plano de ampliação de Amsterdã para o sul, executado em 30 anos.

*O plano regular geral de Amsterdã foi aprovado em 1935 e executado em trinta anos. A maior parte dos novos bairros está situada a oeste da cidade, de modo que se ligam ao centro antigo e ao porto, como as indústrias ao longo do canal que liga ao mar aberto. Os bairros antigos estão compostos de residências de até quatro andares e os bairros novos possuem gabaritos distintos, sendo que os mais altos possuem 12 andares.

Amsterdã tem 761 262 habitantes (2009), enquanto que sua área metropolitana tem cerca de 2 milhões de habitantes. É o centro de uma vasta zona urbana contínua, denominada Randstad, que se estende de Roterdão a Amesterdão e também Utrecht, com cerca de 7,6 milhões de habitantes.

A cidade destaca-se pelo seu setor financeiro, sendo o quinto centro financeiro europeu. Com mão-de-obra qualificada no sector logístico, a cidade destaca-se por sua infra-estrutura que reúne um aeroporto internacional e um moderno porto marítimo.
Expansão
Com o crescimento da cidade, no início do século XVII, projeta-se uma nova intervenção, mais significativa. São abertos três canais concêntricos, começando pela extremidade e prosseguindo até a zona oriental, com cortes sucessivos, onde é instalado um parque público e ocorre a ampliação do canal naval.
Diferente dos canais antigos, os do século XVII são traçados com uma série de troncos retilíneos, para tornar mais regulares os lotes para edificações, as casa possuem sempre a mesma largura, mas as fachadas são desiguais. A cidade tem sua prosperidade no final do século XVII, enquanto termina o plano de ampliação de 1607.
Em 1875 é escavado um canal que liga diretamente ao mar do norte, retornando o desenvolvimento de Amsterdã.
Os muros perdem sua função de fortaleza, e dão lugar a jardins e a sua volta desenvolvem-se, na periferia, bairros medianos em forma de tabuleiro; a estrada de ferro é construída em frente ao porto e a estação é colocada no centro do leque seiscentista, separando a cidade do mar aberto.
Vista aérea da nova expansão dada pelo Plano com base no que já foi feito com base no Plano de HP Berlage Amsterdam Sul de 1905
Educação
Amsterdam possui quatro universidades: a Universidade de Amsterdã(o), Universidade Livre, Universidade para ciências aplicadas de Amsterdão (Hogeschool van Amsterdam) e Universidade Artística para ciências aplicadas de Amesterdão (Amsterdamse Hogeschool voor de Kunsten). Outras instituições universitárias incluem uma academia de arte, a De Rietveldacademie.
O Instituut voor Sociale Geschiedenis (Instituto Internacional de História Social) é um centro internacional de pesquisa que possui um grande arquivo, orientado especificamente à história do movimento operário.
Localização
É a capital, e a maior cidade dos Países Baixos, situada na província Holanda do Norte. Seu nome é derivado de uma represa no rio Amstel, o rio onde fica a cidade.
A cidade é conhecida por seu porto histórico, seus museus de fama internacional, sua zona de meretrício (Red Light District, o "Bairro da Luz Vermelha"), seus coffeeshops liberais, e seus inúmeros canais que levaram Amsterdã a ser chamada de "Veneza do Norte".
Plano de HP Berlage
Cidade de Amsterdam
Amsterdam
Cidade de Amsterdam em 1905
PlanejamentoUrbano.com
Vista aérea geral

Experiência
Imagens
Principais Teorias
Partidos
Curtir Comentar Compartilhar
*
Comercial X Residencia
l - Atividades comerciais e residenciais deveriam compartilhar o mesmo espaço.

*
Segurança
- Os bairros mais seguros são os que a vida urbana fervilha.

*
Urbano
– São melhores as ruas longas e retas do que as curtas e sinuosas.

*
Residencial
– Habitações de baixa estatura é melhor que torres impessoais.

* Característica – Vizinhança não é nada mais que um bairro ou setor urbano onde pessoas conversam entre si.

*
Ruas
– Se a rua da cidade for interessante, a cidade parecerá interessante, se elas parecerem monótonas, a cidade parecerá monótona. A confiança na rua forma-se a partir de inúmeros e pequenos contato públicos nas calçadas.

Autodidata, nunca se formou em Urbanismo, Arquitetura, Jornalismo ou em qualquer outra área, mas inspirada contra a visão modernista do conceito urbanista da época, estudou e apresentou suas reflexões sobre o dia a dia dos bairros americanos.
Livro
Curtir Comentar Compartilhar
* Os olhos da rua
- A segurança nas ruas é feita pelos transeuntes que as ocupam e observam. Para que isso ocorra, as ruas devem oferecer atrativos e as edificações devem comunicar-se com elas.

* O contato na rua e a consciência coletiva
- Os cidadão devem ter confiança uns nos outros para que possuam uma convivência harmoniosa.

* Integração
- A integração de diferentes tipos de edificações e pessoas em determinada área, cria vitalidade no espaço.

Em 1961 teve publicado seu mais famoso livro onde suas reflexões abrangem assuntos como os usos tecnocráticos modernistas, a segregação de usos, a preferência pelas baixas densidades e pelo mundo automotivo que negava as calçadas, os espaços públicos e o comércio de rua.

Preocupação
A escritora se preocupava em tornar a cidade viva. Em transformar a desorganização em ordem, ou algumas vezes em enxergar a desorganização como ordem.
Sobre
Escritora e ativista política,
Jane Butzner Jacobs
, nascida em 4 de Maio de 1916 em Scranton, Pensilvânia, conseguiu, como nenhum urbanista, explicar a cidade com clareza, muita simplicidade e sabedoria.
The Death and Life of Great American Cities
Jane Jacobs
Jane Jacobs
"Morte e Vida de Grandes Cidades Americanas"

PlanejamentoUrbano.com
Jane Jacobs morreu em 25 de Abril de 2006, aos 90 anos em Toronto no Canadá, para onde mudou-se no final dos anos 60, com o marido (o arquiteto Robert Hyde Jacobs) e a família, como forma de protesto à Guerra do Vietnã.



Histórico
Imagens
Traçado
Berço de Grandes Influencias
Curtir Comentar Compartilhar
Viena também é conhecida por ser a capital mundial da Música. A Áustria tem em seu berço grandes pessoas que são lembradas até hoje como exemplo de Mozart, compositor do período clássico, Hitler, líder nazista, Freud, criador da psicanálise.
A história de Viena teve início no império romano. Nascida desde o começo militarista, Viena cresce como um assentamento romano conhecido como vindobona, que viria a ser um importante centro comercial. Viena foi explorada e serviu de acampamento para os militares por conta da sua posição estratégica ao longo do Danúbio
Com o domínio habsburgo do século XIX, a cidade tornou-se capital do império austríaco e depois do império austro-húngaro, caracterizando-se temporariamente uma das maiores cidades da Europa. Desde a primeira guerra mundial, Viena serve como capital da república da Áustria.
Camillo Sitte
Curtir Comentar Compartilhar
As ruas eram irregulares, tendendo para uma organização ortogonal de ruas e de quarteirões. Os quarteirões tinham uma forma retangular alongada, sendo cada um deles constituído por um número idêntico de estreitos lotes urbanos paralelos uns aos outros, com uma frente para uma rua principal e outra frente para uma rua de traseiras. Estruturava-se assim uma hierarquia de ruas de frente e de traseiras, que se alternavam, com diferentes perfis e diferentes características arquitetônicas, cortadas por transversais.

Arquiteto e historiador da arte Austríaco, nascido em Viena. Seus conhecimentos inspiraram-lhe uma teoria e um modelo da cidade ideal que ele desenvolveu no livro, "A construção das cidades segundo seus principios artísticos"
Formação
Viena era formada por uma cidade velha era encerrada dentro de muros medievais, que se tornou uma cidade interna, circundada por uma faixa de 500 metros. Para além desta faixa forma-se uma nova cidade. No início do século xvii constrói-se um segundo muro com uma faixa de 200 metros. Em 1804 torna-se a capital do império austríaco. As muralhas são destruídas em 1850.
Localização
Viena é capital da Áustria, centro cultural e político do país. Com 1.681.469 habitantes, era em 2008 o mais populoso deles dos nove paises, ainda que seus 414 km² façam dele o menor, sendo também uma das maiores cidades sobre o rio Danúbio. Viena é cercada pelo Estado da Baixa Áustria. A sua aglomeração urbana tem 2,3 milhões de habitantes. Segundo a pesquisa "Qualidade de Vida no Mundo", Viena foi considerada nos anos 2007, 2010 e 2011 a melhor cidade do mundo para se viver.
Citações
Vista Geral
Curtir Comentar Compartilhar
Viena
"Não se pode chamar de cidade um lugar que não existem praças e edificios públicos"
PlanejamentoUrbano.com
Imagem aérea da cidade de Viena, via satélite.

Importância
Photos
Colaboração
O embelezamento das Cidades
Curtir Comentar Compartilhar
Surgiu assim como um ideal de renovação e de requalificação urbanas com objectivos funcionais e utilitários, mas que era igualmente investido de motivações estéticas e simbólicas. Motivações estéticas que eram realçadas pela importância dada à harmonia das novas formas urbanas. O simbolismo da intervenção pública na recriação da cidade surgia associado à glorificação do progresso, como foi realçado por Lewis Mumford, quando assinalou os intuitos simultaneamente decorativos e funcionais das novas e amplas avenidas, edificadas no século XIX.
Para ele a cidade e o centro mais importante do nosso tempo, inspirado neste tema escreveu “Stick and Stones” (1924) e “The Brown Decades” (1931), mais tarde sua melhor obra “The Culture of cities” (1938)
Principais Livros
Curtir Comentar Compartilhar
Colaborou em publicações, e seus primeiros textos publicados tanto em jornais quanto em livros, firmaram sua reputação como escritor interessado pelas questões urbanas. Desde a estréia porém, com "A História da Utopia" (1922), sempre situou seus comentários num contexto amplo, que incluía a literatura, a arte e a ação comunitária como meio para aprimorar a qualidade de vida.
Educação
Lewis Mumford estudou na universidade de Colúmbia, estudou a historia da civilização e se especializou na era maquinista, tornou-se discípulo e continuador de Patrik Geddes.
Sobre
Sociólogo, investigador e crítico de arte e arquitetura norte-americano, Lewis Mumford nasceu em 1895, no Estado de Nova Iorque, e faleceu em 1990. Dedicou a sua longa vida ao estudo das consequências da tecnologia na sociedade criticando a desumanização daí resultante.
Arquitetura, Construção e Urbanismo
Lewis Mumford
Curtir Comentar Compartilhar
Lewis Mumford
Lewis Mumford
PlanejamentoUrbano.com
"A tecnologia ensinou uma lição à humanidade: nada é impossível".

Curtir Comentar Compartilhar
Curtit Comentar Compartilhar
www.prezi.com/c6_hyvb3isng/
PlanejamentoUrbano
com/

Criadores da página:
Alisson Valbert
Eduardo Lucas
Keilla Argolo
Kleber Douglas
Thaisa Rocha
Venicius Santos

Supervisão Geral:
Prof° Rooseman de Oliveira

Curtir Comentar Compartilhar
" As cidades têm a capacidade de fornecer algo para todos, só porque, e somente quando, elas são criadas por todos."
"A praça é o elemento mais importante da cidade"
"Vive-se apegado à ilusão de que tudo eve ser visto por todos os lados, que o mais correto é a existência de um espaço vazio e uniforme em torno da construção. Ninguém parece notar que esse espaço vazio monótono por si só, anula qualquer variedade de efeitos."
A Cidade na História
Lewis Mumford
Full transcript