Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Seminário - Os estruturalismos funcionais

No description
by

Julia Tenório

on 20 September 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Seminário - Os estruturalismos funcionais

- Funcionalismo possui relação com outras correntes linguísticas (estruturalista, formalista, distribucional).

- Sua oposição mais direta é com relação ao FORMALISMO. Funcionalismo Privilégio para as constantes transformações
das formas da linguagem na sociedade. Formalismo Se preocupa com o funcionamento interno
do sistema linguageiro.
"um olhar sobre a linguagem e suas
relações com a organização do mundo" p.115 Funcionalismo é mais que uma corrente teórica: Definição Nasceu dos trabalhos do Círculo Linguístico de Praga, a partir dos anos 20. Nascimento Se desenvolveu de forma mais notável nas teorias de alcance geral. * Nascimento da Fonologia (N. Troubestskoï - Rússia/Tchecoslováquia) * Elaboração da Glossemática (Louis Hjelmslev - interior Círculo de Copenhague) Núcleo fundador: Círculo Linguístico de Praga "verdadeiro cadinho inovador e crítico no campo científico europeu dos anos 20, matriz de uma nova maneira de pensar a linguagem". Círculo Linguístico de Praga (Escola de Praga) Conjunto de linguistas que, em torno de Troubestskoï e Jakobson, elaboraram as "teses de Praga". Inauguram uma linguística de "um novo tipo", se constituindo em uma "revolução epistemológica nos enfoques da língua, nos anos 20". Fundado por Mathesius (1916) - teórico que reuniu diversos pensadores da Europa. * * * * Seus estudos diferenciam-se dos estudos dominantes, voltados para teorias filológicas de perspectiva diacrônica, representada pelos neogramáticos. "Sobre a questão da correção da língua, o linguista que tem
um ponto de vista funcional sobre a língua anda de mãos dadas com o artista que produz criações linguísticas. Não é um acaso. Essa relação estreita entre a nova linguística e as belas letras (les belles lettres) mostra-se de fato proveitosa em outros domínios. A nova linguística contribui colocando as primeiras pedras da nova ciência da forma poética e ela mesma encontra junto aos autores de obras literárias informações sobre as possibilidades da expressão linguística. Aqueles que não são dotados de uma sensibilidade particular para os valores da linguagem não podem tornar-se lingüistas da nova maneira. Tudo isso é uma consequência perfeitamente natural. Como disse logo no começo, a lingüística vindoura aproximará as pesquisas lingüísticas da realidade, e está ai seu mérito inegável" (1983, p. 139) V. Mathesius (1882-1945) Artigo: Functional Linguistics (1929) * Duas pedras angulares do funcionalismo: - escolha da sincronia;
- laços com a arte e criação. com sua poética, assumirá de modo mais firme o laço entre literatura e linguística. Jakobson, "suas concepções fonológicas estão essencialmente
ligadas à sua preocupação com o uso poético da
linguagem" p.117 Foi chamado de "o poeta da lingüística" por Haroldo de Campos (...) e estudou, por exemplo, estudos sobre as obras de Edgar Allan Poe, Fernando Pessoa e Bertolt Brecht. (Wikipédia) Vilem Mathesius Jakobson ATIVIDADES DO CLP - principal traço é a combinação entre o estruturalismo e o funcionalismo - Ideia geral: "a estrutura das línguas é determinada por
suas funções características" (p. 118) "Os funcionalistas são estruturalistas na medida em seu objeto é de fato a língua como sistema, mas eles acrescentam uma outra dimensão, aquela contida justamente no termo funcional, que as classificações históricas retiveram unicamente" (p. 118) Funcionalismo (do Latin fungere, ‘desempenhar’) - "Diante de uma interrogação em termos de SISTEMA e ESTRUTURA, eles acrescentam um questionamento em termos de FUNÇÕES e TAREFAS. As teses de Praga Apresentadas no 1º Congresso Internacional de Haia (1928).
Publicadas como trabalho coletivo no 1º volume dos Trabalhos do Círculo de Praga (1929). 1ª tese "Problemas de método que decorrem da concepção da língua como sistema e importância da referida concepção para as línguas eslavas (o método sincrônico e suas relações com o método diacrônico, comparação estrutural e caráter fortuito ou encaixamento regular dos fatos da evolução linguística" (p. 119) 2ª tese 1- A língua é um sistema funcional orientado para uma finalidade. 2- Privilegiar análise sincrônica, sem negligenciar a diacrônica. 3- Explorar método comparativo de modo sincrônico e diacrônico, ao mesmo tempo. 4- A teoria das mudanças isoladas e aleatórias deve ser substituída pela teoria do
"encaixamento segundo as leis dos fatos evolutivos". "Tarefas necessárias para o estudo de um sistema linguístico, do sistema eslavo, em particular" (p. 119) - primeiras bases da fonologia pragueana (Jakobson/Troubestskoï) - uma teoria da palavra e uma teoria da sintaxe (a 1ª "Gramática funcional" - Mathesius) a) Elementos para uma fonologia sincrônica: afirma-se a necessidade de uma disciplina que separará e estabelecerá claramente duas disciplinas: a fonética e a fonologia; b) Teoria da denominação: afirmação da existência da palavra como "resultado da atividade linguística denominadora"; c) Sintaxe funcional (Mathesius): faz da noção da predicação o centro da sintaxe. 3ª tese As funções linguísticas - 1º ponto: noção central do funcionalismo: função da língua;

- 2º ponto: proposições sobre a língua literária;

- 3º ponto: proposições sobre a língua poética; p. 120-121 p. 122-123 p. 123 A noção de função em Linguística Definição: "... a tarefa atribuída a um elemento linguístico estrutural (classe mecanismo) para atingir um objetivo no quadro da comunicação humana." p. 124 A identificação das funções da língua (natureza das tarefas atribuídas a esses elementos) desembocam na criação de tipologias para "descrever o funcionamento da língua como sistema de comunicação." p. 124 As grandes classificações K. Bülher: 3 funções Cognitiva Expressiva Conativa (1879-1963) (1934) R. Jakobson: 6 funções (1896 - 1982) (1963) Referencial (cognitiva)
Expressiva (emissor)
Conativa (destinatário)
Fática (contato)
Metalinguística (código)
Poética (mensagem) M. Halliday: 3 funções Ideacional (cognitiva - Bülher)
Interpessoal (apelativa (Bülher) e fática (Jakobson)
Textual Troubetskoï "... aquele que permitiu a instauração e a sintetização da fonologia como disciplina, a partir das ideias fundadoras de Saussure..." p. 126 Troubetskoï Hjelmslev Círculo Linguístico de Copenhague - Elaboração de uma Glossemática Prolégomènes à une science du langage - Tese (Le langage): as mudanças linguísticas não seriam devidas nem à necessidade das mleis fonéticas (tese neogramática), nem a causas sociais (ponto de vista defendido por Meillet), mas seriam principalmente imputáveis à modificação das relações lógicas que regem a economia dos elementos de um mesmo sistema. - a linguística "deve tentar apreender a língua não como um conglomerado de fenômenos não linguísticos (físico, fisiológico, psicológico, social) mas como uma totalidade que se basta a si própria, uma estrutura sui generis" (p.132) - língua/fala reinterpretada como esquema/uso (norma)
- a teoria deve servir para descrever e predizer qualquer texto composto em qualquer língua (mesmo as que nunca sejam realizadas). - signo: uma função com 2 variáveis conteúdo (significado) e a expressão (significante) (????) - "forte desejo de formalização caracteriza a Glossemática". (p. 134) GLOSSEMÁTICA - MODELO - Semiótica européia e norte-americana;

- Funcionalismo de Martinet (França);

- A.J.Greimas (partindo de Hjelmslev, formalistas russos,
Círculo de Moscou e Círculo de São Petersburgo, Lógica formal de F. Reichenbach) "exporá os princípios de uma Semântica Estrutural capaz de integrar os diferentes níveis da análise semiolinguística (desde a análise sêmica até o estudo das estruturas narrativas). PAVEAU & SARFATI: Os Estruturalismos Funcionais. IN: As Grandes Teorias da Lingüística - cap. 6. 17) Função de comunicação e função poética.
Full transcript