Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Retomando a última aula...

No description
by

Walter G. Lippold

on 29 September 2016

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Retomando a última aula...

Retomando a última aula...
"Rá ou Ré é a principal divindade da mitologia egipcía, Rá é um deus com cabeça de falcão conhecido como o deus do sol, pela impôrtancia da luz na produção dos alimentos.
Ao amanhecer, Rá era visto como uma criança recém-nascida saindo do céu ou de uma vaca celeste, recebendo o nome de Khepri. Por volta do meio-dia Rá era contemplado como um pássaro voando ou um barco navegando. No pôr-do-sol, Rá era visto como um homem velho descendo para a terra dos mortos, sendo conhecido como Atum. Durante a noite, Rá, como um barco, navegava na direção leste através do mundo inferior em sua preparação para a ascensão do dia seguinte. Em sua jornada ele tinha que lutar ou escapar de Apep, a grande serpente do mundo inferior que tentava devorá-lo. Parte da veneração a Rá envolvia a criação de magias para auxiliá-lo ou protegê-lo em sua luta noturna com Apep, ajudando-o a garantir a volta do Sol."

FONTE: http://enciclo-egypthus.blogspot.com.br/2008/10/blog-post_31.html

Totemismo, animismo e politeísmo.
Hieróglifos e escrita cursiva hierática e demótica.
Livros: 1) das Pirâmides (Final da V Dinastia (2493 a.C. a 2344 a.C. = Faraó Unas); 2) dos Sarcófagos (Império Médio); 3) dos Mortos (Novo Império)
Animais sagrados: o Caso do Persa Cambises.
Além-morte: 1º = Rei , 2º funcionários, 3º todos tem o direto à vida eterna.
Imagens e nome nos túmulos.
Tribunal de Osíris.
A rica vida intelectual egípcia: viver a vida.
O faraó e a teogamia.
A lenda de Osíris, Isís, Hórus e Seth.
Magia = amuletos, estátuas curadoras.
Tebas = Amon.
Amenhotep = Amenófis IV = Akenaton: monoteísmo, Aton o disco solar e culto à natureza. O Sol ilumina a todos.
Ptolomeus = Osíris-Ápis = culto helenizado.
EGITO ANTIGO:
EGITO
ÍNDIA
Vedismo.
Bramanismo.
Hinduísmo.
Jainismo
Budismo
Sikhs
CRÍTICAS AO TEXTO:

Religiões primitivas e atrasadas!
Sempre o olhar do europeu sobre as religiões não-europeias: eurocentrismo e orientalismo (ver Edward Said).
HISTÓRIA DA ÍNDIA:

Civilização Monhejo-Daro e Harappa.
Invasões do Indo-europeus ("arianos").
Criação das varnas (tripartite indo-ariana e submissão dos nativos)
Bramanes = sacerdotes; Kshátryas = nobres guerreiros; Váyshias = criadores, agricultores e artesãos; Sudras= nativos de pele escura,

Duas tendências antagônicas:
- fragmentação – grande extensão do território
- centralização – unidade imposta pelo rio
Três linhas expansionistas:
- Núbia
- Líbia
- Siro-Palestina

Império Antigo: linhas essenciais

Durante o I Período Intermédio, o Egito acaba dividido em três áreas:
- Delta – controlado pelos asiáticos
- Egipto médio – autoridade heracleopolitana
- Alto Egipto – domínio dos nomarcas tebanos

VI Dinastia (2350-2170 a.C.)
Tendência para a descentralização do poder
Decomposição do estado
Os nomarcas desligam-se da administração central e fortalecem o seu poder
Templos e grupos sacerdotais tornam-se grupos de pressão
Perturbação na ordem social
Cessa o comércio com o estrangeiro
Pouca actividade construtora
Infiltrações asiáticas

I Período Intermédio (2350-2008 a.C.)

V Dinastia (2500-2350 a.C.)
A mudança de dinastia parece ter ficado a dever-se à crescente influência do clero heliopolitano
Esta influência terá começado a aumentar durante a IV Dinastia
O culto de Ré tornou-se dominante
O Faraó adopta o título de «filho de Ré»
Grande actividade construtora: muitos templos

Império Antigo (2675-2350 a.C.)

IV Dinastia (2625-2500 a.C.)
Snefru.
A Pedra de Palermo refere uma campanha na Núbia: 7.000 cativos e saque
Expedição à Líbia: 11.000 cativos e 13.000 cabeças de gado
Faraó construtor
Exploração das pedreiras do deserto núbio

Na III Dinastia (2675-2625 a.C.), chega ao poder Djoser;
Imhotep surge associado a este reinado;
Imhotep foi divinizado;
Na época ptolomaica, chega a ser transformado em filho de Ptah e mais tarde identificado com Esculápio;
Djoser fez de Mênfis a sua capital.

Império Antigo (2675-2350 a.C.)
Full transcript