Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

O gênero textual infográfico: leitura de um gênero multimodal por alunos da 1a. série do ensino médio. Revista L@el em Discurso.2011-Apresentação

No description
by

Jeannie Fontes

on 13 May 2014

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of O gênero textual infográfico: leitura de um gênero multimodal por alunos da 1a. série do ensino médio. Revista L@el em Discurso.2011-Apresentação

O GÊNERO TEXTUAL INFOGRÁFICO: LEITURA DE UM GÊNERO TEXTUAL MULTIMODAL POR ALUNOS DA 1a. SÉRIE DO ENSINO MÉDIO
Introdução
Afinal, o que é infográfico?
Dionísio (2006)
1. Explica-o utilizando conceitos da esfera Jornalística
"Criação Gráfica que utiliza recursos visuais (tabelas, fotografias, desenhos etc) conjugados a
textos curtos para apresentar textos jornalísticos de forma sucinta e atraente"
(RABAÇA;BARBOSAapud DIONÍSIO, 2006:138)
2. A autora não o trata como gênero
"Criação gráfica em alto crescimento no jornalismo, telejornalismo e webjornalismo que está alterando a forma de apresentação da escrita em nossa sociedade."
"(...) a leitura de um gênero textual que contém infográfico pode ser realizada de várias formas"


Categoria 2
Por que o gênero infográfico?

1. A crescente popularidade do gênero;
2. O consenso no jornalismo de que se trata de um recurso eficaz, pois torna o
assunto de fácil compreensão;
3. Trata-se de mais um fenômeno da linguagem
4. Por ser um texto multimodal, é um desafio, enquanto novidade, para a análise linguística ;
5. Integra diversas modalidades.

Conclusões
Análise
Versão "Âncoras materiais"
Versão enxuta
Categoria 1
Habilidades
avaliadas
Francis Arthuso Paiva
Objetivo
Contribuir para a distinção do infográfico como um gênero textual autônomo e não um recurso do design gráfico.
3. A autora dá exemplos de como pode ser lido o infográfico:
a. Ler o texto como um todo ( texto verbal principal + infográfico)
b. Pode-se ler apenas o texto verbal principal e olhar as imagens
c. Pode-se ler apenas o infográfico, que possui título e subtítulo próprios.
Na opção C a autora dá pistas de que a leitura independente do infográfico é possível.
Peltzer (apud Teixeira, 2006) considera infográfico "uma expressão gráfica cujo conteúdo são fatos ou acontecimentos, a explicação de como algo funciona, ou a informação de como é uma coisa" . Paiva interpreta esta citação como uma concessão para embasar seu trabalho.
Propósitos para o uso do infográfico, segundo Teixeira(2006):
a. Caráter jornalístico
b. Caráter didático

Infográfico jornalístico
Título do texto verbal + foto
Texto verbal
principal
Infográfico complementar ao texto principal:
coadjuvante de um texto jornalístico.
Infográfico didático
Análise contextual
Figura 1 : Dependente
Figura 2: Independente
Análise discursiva
Figura 2: Gênero independente
Figura 1: Questiona sua dependência pois o infográfico aborda outro tópico, não abordado na reportagem
Análise textual-imagética
Figura 1: A escolha do infográfico para explicar aspectos do texto decorreu da explicitação da relação espaço-tempo. Também é possível entendê-lo sem ler a reportagem
Figura 2:Total integração entre as modalidades visual e linguística. Cumpre a função comunicativa sem dependência de outros textos.
Compreensão global
Interpretar analogias
Perceber posicionamentos opostos
Relacionar partes visuais ( versão 1) e perceber a relção causal
Verificar o grau de familiaridade do leitor com gênero textual
Observar a dificuldade da questão
"Como verdadeiros pedreiros, os Bacteroides, presentes em conjunto com 100 milhões de bactérias a cada ml de saliva, causam placas e cáries nos dentes, devido ao acúmulo de comida."
"Pedreiros
Onde: boca
Quem: Várias bactérias
Cada ml de saliva contém 100 milhões de bactérias! A comida acumulada traz espécies como Bacteroides, que causam placas e cáries nos dentes.
Objetivos do teste 2
Chaves de leitura
Organização conceitual espelhada, um frame organizacional em todos os espaços;
Legendas com o mesmo tipo de organização, a partir do texto incial que propões a analogia;
Uso de metáfora como estratégia de representação conceitual para um assunto pouco difundido entre leigos.
42 alunos
1o. Ano do ensino médio da rede privada
6 duplas realizaram o teste 1
3 grupos de 10 participantes
Grupo 1: Versão original
Grupo 2: Versão "Âncoras Materiais"
Grupo 3: Versão enxuta
Teste 1 ( Doping tecnológico)
Objetivo de verificar a como o leitor integra o infográfico à reportagem que o acompanha

Técnica
Protocolo verbal com seis duplas

Conclusões:
O leitor utiliza o infográfico para entender globalmente o texto;
Considera-o jornalístico, pois auxilia o texto em sua função de informar;
Na análise textual-imagética conclui que poderia ser considerado independente, mas não desligado dos demais que compunham o texto;
Não há predominância de gêneros textuais em textos multimodais e sim, hibridismo ou integração entre eles.
Segundo Duarte ( 2008:19):
"Mais que uma relação de dependência ou predominância de um gênero sobre outro, temos aí um exemplo de integração dos gêneros em uma atividade sócio-discursiva: tornar público um acontecimento mediante a produção da informação."
Testes
Comparar as respostas de perguntas idênticas aplicadas ao texto original (Inquilinos do corpo) e 2 versões, estritamente verbais, desse texto
Texto original
Dados obtidos
Certa autonomia de leitura do infográfico didático;
Sem contribuições quanto a qualidade da leitura produzida quando se lê infográficos ou textos apenas da modalidade escrita;
A modalidade visual contribui para a compreensão do discurso veículado por esses textos;
Estímulos complexos, ou seja, que trazem elementos de diversas naturezas, como o infográfico, parece sincronizar as atividades neurais possibilitando a integração dessas informações (COSCARELLI, 2005)
Considerações Finais
O infográfico é um gêreno textual que integra modalidades semióticas de modo mais ou menos proporcional;
Circula nas esferas jornalísticas e didáticas, integrado a outros gêneros textuais com os quais cumprem um objetivo único ou é utilizado como único gênero na veiculação do discurso;
A integração entre as modalidades visuais e linguísticas, além da sua utilização como recurso visual, deve ser entendida como a recriação do espaço onde acontece o fato apresentado no infográfico. Duarte (2008) observa que os infográficos parecem funcionar como meios de reconstituição de fatos relatados.
Questionamentos levantados a partir dos dados da pesquisa
1. Há diferença entre a qualidade da produção de leitura de um infográfico e um texto tradicional?
2. Leitores não letrados em textos multimodais como os infográficos teriam dificuldades em lê-los?
3. Qual seria a hierarquia criada pelo leitor para ler as partes de um infográfico? Essa hipertextualidade influencia na produção de leitura dos infográficos?
4. Os infográficos digitais, com movimentos e sonoridade, constituem-se em textos diferentes dos infográficos estáticos das publicações convencionais?
PAIVA, F. A. O gênero textual infográfico: leitura de um gênero textual multimodal por alunos da 1ª série do ensino médio. Revista L@el em (Dis-)curso. Volume 3, 2011.
Bibliografia do artigo:
BAKHTIN, Mikhail. 2003. Estética da criação verbal. Trad. Paulo Bezerra. 3. ed. São Paulo: Martins
Fontes.
COSCARELLI, Carla. 2005. Introdução à teoria dos espaços mentais. San Diego: Capes. Mimeografado.
DIONÍSIO, Ângela Paiva. 2006. Gêneros multimodais e letramento. In: KARWOSKI, Acir Mário
et al. (Org.). Gêneros textuais: reflexões e ensino. 2. ed. Rio de Janeiro: Lucerna.
DUARTE, Viviane Martins. 2008. Textos multimodais e letramento: habilidades na leitura de gráficos
da Folha de São Paulo por um grupo de alunos do Ensino Médio. 219 f. Dissertação (Mestrado em
Estudos Linguísticos) – Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos, Universidade
Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.
LIMA, Roberta de Abreu. 2008. Doping tecnológico. Veja, São Paulo, v. 2044, n. 3, p. 80-1, 23 jan.
MILITÃO, Josiane Andrade. 2007. Retextualizações de textos acadêmicos: aspectos cognitivos e
culturais. 230 f. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos) – Programa de Pós-Graduação em
Estudos Linguísticos, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.
SCHNEIDER, Daniel et al. 2008. Inquilinos do corpo. Superinteressante, São Paulo, v. 248, p. 36-7,
jan.
TEIXEIRA, Tattiana. 2006. O uso do infográfico na revista Superinteressante: um breve panorama. In:
SOUSA, Cidoval; FERREIRA, Roberto; BORTOLIERO, Simone (Org.). Jornalismo científico e
educação para as ciências. Taubaté: Cabral, p. 165-80. Disponível em:
<http://www.nupejoc.cce.ufsc.br/paginas/produ/abjc_2004_livro.pdf>. Acesso em 3 jan. 2008.
Obrigada!
O autor analisa o contexto de utilização do infográfico, o discurso que ele realiza e a sua composição textual e imagética.
Apresenta 2 testes de leitura realizados com alunos da 1a. série ensino médio.
Full transcript