Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Tania Prezi

No description
by

Tania Knittel

on 16 June 2013

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Tania Prezi

Objeto
Desequilibração
Equilbração
Acomodação
Assimilação
DTPA
1.1
1.1.1 Visão de mundo
1.1.2 Concepção de homem
1.1.3 Concepção de conhecimento
1.1.4 Percepção de ensino
1.2
1.3
Vygotsky
Ausubel
1 Filósofos
Ideias provinham do mundo das essências (
topus uranus
)
A felicidade era uma coisa futura
Recompensa pelos atos durante a vida
O conhecimento vinha de vidas passadas
Virtude é um conhecimento abstrato a respeito do que é ser virtuoso.
[Nelson Baumgratz]
Idealista
Aprender é, na verdade, "recordar".
Conhecimento e perceção são a mesma coisa.

O mestre faz desabrochar no discípulo o conhecimento que possui dentro de si mesmo.

Conhecimento transcendente, adquirido na contemplação da ideia do Bem.

A educação permite ao homem obter uma concepção política correta por meio do auto-conhecimento, com a ajuda dos bons hábitos
[Nelson Baumgratz]
A natureza do aprendizado é a educação integral do homem
Tem que ser formado no mundo circundante
O aluno é "tabula rasa" a ser preenchida por novos conhecimentos
Sabedoria prática que dirige a ação
Educação parte da imitação
Formação de hábitos Retenção da exposição
Relacionamento dos conhecimentos adquiridos
Exercícios
Integração das faculdades da natureza humana
1.2.1 Visão de mundo
1.2.2 Concepção de homem
1.2.3 Concepção de conhecimento
1.2.4 Percepção de ensino
As ideias provinham das sensações
O mundo ao redor, aqui e agora.
Felicidade é o bem supremo do homem
Virtude deve ser praticada em todos os hábitos que envolvem as ações humanas.
[Nelson Baumgratz]
[Nelson Baumgratz]
2013s1
Realista
Ninguém nasce virtuoso. Se praticada, a virtude tonar-se um hábito, que deve então ser adquirido na escola.
Platão aponta para cima, o mundo das ideias, enquanto Aristóteles aponta "para baixo", sobre o mundo da realidade.
Aprende-se a partir da experiência, e esta é necessária para que se tenha o conhecimento.
Desenvolvimento das Teorias e Práticas da Aprendizagem
1.3.1 Visão de mundo
1.3.2 Concepção de homem
1.3.3 Concepção de conhecimento
1.3.4 Percepção de ensino
O Idealismo Transcendental
Sensibilidade + Entendimento


intuições conceitos


O Conhecimento principia com a experiência
(mas não quer dizer que resulte todo dela)

O conhecimento é possibilitado por condições
a priori
(independentes da experiência) e por condições
a posteriori

(decorrentes da experiência).

Conhecemos

apenas o que está contido no tempo e no espaço - os fenômenos, vistos através da forma da razão
Formação do homem moral, vivendo em um Estado justo
Marta Silva
[Nelson Baumgratz]
NÃO
existe o mundo das ideias
Marta Silva
Todo ser traz em si mesmo sua própria essência


Os seres existem pelo
conjunto de características especificas que os constituem integrantes de uma espécie.
Marta Silva
As pessoas nascem com potencialidades, basta ativá-las.
Marta Silva
Educar é tarefa
de toda sociedade.
Marta Silva
O fim da educação é desenvolver em cada
indivíduo toda a perfeição de que ele seja capaz
Marta Silva
Todos nós trazemos formas e conceitos a priori (aqueles que não vêm da experiência) para a experiência concreta do mundo, os quais seriam de outra forma impossíveis de determinar
Marta Silva
"Só a crítica pode cortar pela raiz o materialismo, o fatalismo, o ateísmo, a incredulidade dos espíritos fortes, o fanatismo e a superstição, que se podem tornar nocivos a todos e, por último, também o idealismo e o cepticismo, que são sobretudo perigosos para as escolas e dificilmente se propagam no público."Kant, Crítica da razão pura, B XXXIV.
Teachers must provide children with miniature tools of the different trades, so that they can use the children's games to channel their pleasures and desires toward the activities they will engage in when they are adults (Laws, bk. 1, 643)
Plato attached much importance to children's games: "No one in the state has really grasped that children's games affect legislation so crucially as to determine whether the laws that are passed will survive or not." Change, he maintained, except in something evil, is extremely dangerous, even in such a seemingly inconsequential matter as children's games (Laws, bk. 7, 795-797).
http://www.faqs.org/childhood/Pa-Re/Plato-427-348-B-C-E.html
Storytelling is the main tool for the formation of character in Plato's view, and begins at an earlier age than physical training. Stories should provide models for children to imitate, and as ideas taken in at an early age become indelibly fixed, the creation of fables and legends for children, true or fictional, is to be strictly supervised.
1.4
“Human behavior flows from three main sources: desire, emotion, and knowledge. ” Plato
Jogos na educação segundo Platão (português):
http://www.cfh.ufsc.br/~wfil/platao3.htm
No século IV, antes de Cristo, Aristóteles (384-322 a.C.), comparou o jogo à felicidade e à virtude, pois estas atividades não são importantes como as que constituem o trabalho e são “escolhidas por si mesmas”(ABBAGNANO, 1998).
http://www.comunidadesvirtuais.pro.br/seminario2/trabalhos/janaina.pdf
Vygotsky (1991) trata o papel dos jogos na aprendizagem e no desenvolvimento infantil, realçando a função do jogo na criança, na medida em que este possibilita a criação de uma Zona de Desenvolvimento Proximal (ZDP) – nível de desenvolvimento, no qual a criança imagina e resolve situações com auxílio de outras pessoas, para mais tarde resolver sozinha –, proporcionando a construção do conhecimento e a interação entre os indivíduos.
Através do jogo a criança internaliza regras e encontra soluções para os conflitos que lhe são impostos na vida real. A criança tende a imitar a realidade no seu faz-de-conta, atuando num nível superior ao que se encontra.
http://www.comunidadesvirtuais.pro.br/seminario2/trabalhos/janaina.pdf
Descartes - Philosophy and The Matrix
Grandes educadores
http://www.fisica.ufpb.br/~romero/pdf/2008SBIERitaRomeroNOA.pdf
O jogo educacional como recurso digital e a aprendizagem significativa de gramática:
O LÚDICO: A SUA IMPORTÂNCIA PARA AQUISIÇÃO DA APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA:
http://www.webartigos.com/artigos/o-ludico-a-sua-importancia-para-aquisicao-da-aprendizagem-significativa/13894/
http://cmapspublic.ihmc.us/rid=1GPFM7DV2-1ZGMPSF-QBH/Ausubel.pdf
http://fisica.uems.br/profsergiochoitiyamazaki/2008/texto_1_referenciais_teoricos_ausubel.pdf
Instrumentos Simbólicos

Para Vygotsky, os signos, a linguagem simbólica desenvolvida pela espécie humana, têm um papel similar ao dos instrumentos: tanto os instrumentos de trabalho quanto os signos são construções da mente humana, que estabelecem uma relação de mediação entre o homem e a realidade. Por esta similaridade, Vygotsky denominava os signos de instrumentos simbólicos, com especial atenção à linguagem, que para ele configurava-se um sistema simbólico fundamental em todos os grupos humanos e elaborado no curso da evolução da espécie e história social.

Um de seus derradeiros trabalhos (escritos entre 1930 – 1931), “História do desenvolvimento das funções nervosas superiores”, publicado em 1960, estuda os remanescentes de antigas formas de comportamento que o homem moderno conservou incluindo-as no sistema de outras formas (superiores) de comportamento.

A Linguagem

A linguagem é uma espécie de cabo de vassoura muito especial, capaz de transformar decisivamente os rumos de nossa atividade. Quando aprendemos a linguagem específica do nosso meio sociocultural, transformamos radicalmente os rumos de nosso próprio desenvolvimento. Assim, podemos ver como a visão de Vygotsky dá importância à dimensão social, interpessoal, na construção do sujeito psicológico.

As suas pesquisas sobre aprendizagem tiveram na sua maior parte enfoque na Pedagogia. Os processos de desenvolvimento chamaram a atenção de Vygotsky, que sempre procurou o aparecimento de novas formas de organização psicológica, ao invés de reduzir a estrutura de aprendizagem a elementos constitutivos.

Na área educacional, a influência de Vygotsky também vem crescendo cada vez mais, dando origem a experiências mais diversas. Não existe um método Vygotsky. Como Piaget, o psicólogo bielo-russo é mais uma fonte de inspiração do que um guia para os pedagogos.

Aprendizagem

As obras de Vygotsky incluem alguns conceitos que se tornaram incontornáveis na área do desenvolvimento da aprendizagem. Um dos conceitos mais importantes é o de Zona de desenvolvimento proximal, que se relaciona com a diferença entre o que a criança consegue realizar sozinha e aquilo que, embora não consiga realizar sozinha, é capaz de aprender e fazer com a ajuda de uma pessoa mais experiente (adulto, criança mais velha ou com maior facilidade de aprendizado, etc.). A Zona de Desenvolvimento Proximal é, portanto, tudo o que a criança pode adquirir em termos intelectuais quando lhe é dado o suporte educacional devido. Este conceito será, posteriormente desenvolvido por Jerome Bruner, sendo hoje vulgarmente designado por etapa de desenvolvimento.

Outra contribuição vygotskiana de relevo foi a relação que estabelece entre pensamento e linguagem, desenvolvida no seu livro "Pensamento e Linguagem". Entre suas contribuições a esse tema destacam a formação de conceitos, ao qual dedica dois capítulos do referido livro, e a compreensão das funções mentais enquanto sistemas funcionais, sem localização específica no cérebro de grande plasticidade e dinâmica variando ao longo da história da humanidade e do desenvolvimento individual. Concepção essa que foi posteriormente bem desenvolvida e demonstrada do ponto de vista neuropsicológico por seu discípulo e colaborador A. R. Luria.

Como bom marxista que domina os princípios da lógica e dialética pós Hegel (1770-1831), o conceito de síntese também pode ser encontrado largamente na sua obra. O autor define a síntese não apenas como a soma ou a justaposição de dois ou mais elementos, e sim como a emergência de um produto totalmente novo gerado a partir da interacção entre elementos anteriores.

Vygotsky particulariza o processo de ensino e aprendizagem na expressão obuchenie, uma expressão própria da língua russa que coloca aquele que aprende e aquele que ensina numa relação interligada. A ênfase em situar quem aprende e, aquele que ensina como partícipes de um mesmo processo corrobora com outro conceito chave na teoria de Vygotsky, a mediação, como um pressuposto da relação eu-outro social. A relação mediatizada não se dá necessariamente pelo outro corpóreo, mas pela possibilidade de interação com signos, símbolos culturais e objetos. Um dos pressupostos básicos desse autor é que o ser humano constitui-se enquanto tal na sua relação com o outro. Para Vygotsky a aprendizagem relaciona-se ao desenvolvimento desde o nascimento, sendo a principal causa para o desabrochar do desenvolvimento do ser.
Vygotsky e o conceito de zona de desenvolvimento proximal
http://walkiriaroque.wordpress.com/2010/11/20/piaget-vygotsky-e-wallon-tripe-teorico-da-educacao-2/
Para o especialista em Psicologia Educacional, o
conhecimento prévio
do aluno é a chave para a aprendizagem significativa
A concepção de ensino e aprendizagem de Ausubel segue na linha oposta à dos behavioristas. Para ele, aprender significativamente é ampliar e reconfigurar ideias já existentes na estrutura mental e com isso ser capaz de relacionar e acessar novos conteúdos.
De acordo com Ausubel, há duas condições para que a aprendizagem significativa ocorra: o
conteúdo
a ser ensinado deve
ser potencialmente revelador
e o estudante precisa estar disposto a
relacionar o material de maneira consistente e não arbitrária
Piaget
BREVE ILUSTRAÇÃO
Reconciliação integrativa
Aprendizagem mecânica
Diferenciação progressiva
Janete
Ana
Uso da tecnologia pela tecnologia...
Behavorismo - Reforço e Punição
Contraposição Comportamentalismo x Construtivismo
[texto Pozo]

Comportamentalismo - o conhecimento é reflexo do mundo, extraído dos padrões (regularidades) que existem no mesmo; já no Construtivismo o conhecimento gera novos mundos, novas formas de conhecer, não se limita a ordem externa e há novas formas de organização do conhecimento.

Modelos de aprendizagem associativa, baseiam-se em elementos associados, aprender neste modelo é detectar com precisão, as relações entre esses elementos ou fatos. Já nas teorias construtivistas, existe um enfoque que percebe o todo, enfoque holista, organicista e estruturalista, há vinculos da aprendizagem ao significado que o organismo atribui aos ambientes, em funções cognitivas e conceituais, interpretando o ambiente.
teorias se distinguem nos dois princípios das teorias associativas da aprendizagem:

- equipotencialidade (os ambientes são computados igualmente) - neste caso as teorias construtivas negam este princípio, já que toda apmente computados.

- correspondência (os conhecimentos ou comportamentos gerados se correspondem com o ambiente, já que são reflexo do mesmo. Neste caso, para o coasnstrutivismo, o processo não pode ser reflexo do mundo, pois estabelece um processo de construção pessoal. A aprendizagem se baseia nos conhecimentos prévios do sujeito, que são específicos de cada sujeito - e não igual
A idéia central do construtivismo epistemológico (em que todo o conhecimento é uma construção mediada pelo psicológico do sujeito) é a negação do princípio de correspondência. Um mapa nunca é exatamente igual ao território que representa. "Toda representação é uma construção"
O ambiente é importante nos dois, mas a forma como ele atua difere as teorias.

Behavorismo - ambiente determinante / indivíduo estático
O ambiente determina e o saber é o resultado de uma reprodução do que o ambiente devolveu pra mim. Quem determina é o externo.
A natureza da mudança é quantitativa, quanto mais informações disponíveis, maior o aprendizado.
Aprendizagem por associação.

Contrutivismo - ambiente provocador / indivíduo dinâmico
O indivíduo é produtivo, busca o conhecimento. Quem determina é o interno.
A natureza é qualitativa, é necessário escolher a informação que traga mais significado.
Aprendizagem por restruturação.
O indivíduo é o centro. Não adianta ter um conteúdo organizado se a individualidade é menosprezada.
Piaget
NURICEL
DA APRENDIZAGEM AO ENSINO: IMPLICAÇÕES DO ENSINO DA TEORIA DA APRENDIZAGEM VERBAL SIGNIFICATIVA
Planejamento
Preocupar-se com a apresentação correta da informação.

Condições estimuladoras, presentes se:
1. idéias centrais precedem conceitos periféricos.
2. concepções limitantes de aptidão de desenvolvimento são observadas.
3. semelhanças e diferenças entre conceitos relacionados são enfatizadas.
4. a necessidade dos alunos reformularem com as próprias palavras os novos conhecimentos é estimulada.
A aprendizagem significativa é produzida quando o aluno e o professor negociam e comparilham com êxito uma unidade de significado.
A organização não exclui a construção do conhecimento pelo aluno, mas facilita e orienta.
Aprendizagem significativa
Condições para a aprendizagem significativa:
1. apresentar primeiro as idéias mais gerais
2. utilizar definições claras e precisas e mostrar as relações existentes entre os conceitos apresentados
3. Pedir aos alunos que reformulem com suas próprias palavras o conhecimento
A ativação de conceitos inclusores capazes de assimilar a nova informação é fator determinante.
Neurociência
Sensorial
Motora
Pensamento abstrato
O mundo é construído a partir de uma representação criada pelo cérebro através da percepção, pela unificação dos sentidos.
Consiste em modificações de conexões entres os neurônios.
Aprendizado
Sistema de recompensa
Novidade - a variação de mídias pode promover a motivação.
Acaso - o acerto por acaso também motiva, é importante trabalhar com feedback positivo.
Porque montamos quebra-cabeças? O cérebro funciona bem encontrando padrões, organizando. A aprendizagem pode ser comparada com a montagem de um quebra cabeça.
Motivação está ligada ao nível de dificuldade
Uma criança se interessa por jogar "jogo da velha", um jogo que possúi uma mecânica simples e estratégia rapidamente evidente, até o momento em que ela domina o jogo. Uma vez dominado o jogo não apresenta desafio, pois sempre dá velha, e a motivação acaba.

Pode passar para o jogo de damas, um pouco mais complexo mas ainda simples, se comparado por exemplo com o xadrez. Uma vez descobertas diversas estratégias eficientes o jogo também pode perder um pouco a graça.

O próximo passo seria então se dedicar ao xadrez, que possúi estratégias tão complexas que pode proporcionar desafios, e consequentemente motivação para a vida inteira.
http://neuropsicopedagogianasaladeaula.blogspot.com.br/2012/09/por-que-e-tao-dificil-sair-do-facebook.html
Para Kormeill, “as pessoas são criaturas sociais que anseiam interação humana, e a mídia social nos permite encontrar informações sobre os outros de uma maneira que é socialmente aceitável e, na maior parte desconhecida para outros. Podemos nos conectar com nossos amigos, familiares, encontrar pessoas com estilos de vida semelhantes aos nossos, o que nos dá a noção de que o mundo não parece ser um lugar tão grande e solitário.”
Carinho
Segundo Suzana, o cérebro precisa de contato físico, de carinho. Mas esse contato precisa necessariamente ser físico? As tecnologias estão mudando a forma do ser humano se relacionar?
A reportagem a seguir cita o Facebook como maneira de suprir a necessidade de contato:
Full transcript