Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Infertilidade

No description
by

Rosana Martins

on 13 November 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Infertilidade

Infertilidade Introdução Grau Infertilidade Esterilidade Principais Causas de
Infertilidade Masculina Conclusão Principais Causas De
Infertilidade Feminina Todos os seres vivos têm um tempo de vida reduzido. Sendo assim, para garantir a manutenção da espécie é indispensável que se reproduzam. Contudo, isto poder tornar-se um problema.
No âmbito da disciplina Biologia, foi-nos proposto realizar um trabalho sobre a infertilidade. Ao longo do trabalho teremos como objetivo dar a conhecer o que é a infertilidade, as suas causas, como se manifesta no homem e na mulher, a sua prevenção e diagnóstico. A infertilidade pode ser primária ou secundária:

Infertilidade Primária: O casal nunca engravidou antes.

Infertilidade Secundária: O casal já teve uma gestação anterior. A infertilidade é a dificuldade encontrada em gerar filhos depois de um ano de relações sexuais frequentes e sem uso de contraceptivo e a esterilidade é a incapacidade de gerá-los.
A maior parte dos casais que não tem filhos e enfrenta dificuldades para engravidar é considerada infértil e não estéril. Somente os casais que possuem taxa zero de engravidar podem ser considerados estéreis.
Com a realização deste trabalho ficámos a conhecer melhor o conceito de infertilidade, quais as suas principais causas e o que é possível fazer actualmente para alterar essas situações, uma vez que este problema é cada vez mais comum na nossa sociedade não só nas mulheres como também nos homens.
Como estudantes de Biologia, foi-nos muito útil a realização deste trabalho uma vez que é matéria do programa e possibilitou-nos a aprofundar e aumentar os nossos conhecimentos nesta área. Graças à evolução da ciência e da medicina existem vários métodos de reprodução assistida que tornam possível a concepção em casais inférteis. Síndrome dos Ovários Poliquísticos Nos ovários poliquísticos, os quistos impedem a formação de oócitos maduros ou mesmo a ovulação porque, devido aos níveis hormonais, crescem, ocupando o espaço livre necessário para o desenvolvimento do oócito. Endometriose A endometriose provoca a proliferação de focos de endométrio espalhados em várias regiões do corpo (as zonas mais frequentes são os ovários, as trompas e a cavidade abdominal).
Nesta doença, a mulher apresenta dores muito fortes antes da menstruação, durante a menstruação ou nas relações sexuais. Obstrução tubar A obstrução das trompas deve-se geralmente a uma infeção genital, que é assintomática. Por vezes, a infeção das trompas causa uma inflamação aguda seguida de dilatação das trompas. Evitam-se estas infeções com a monogamia da relação fiel e estável. Muco cervical "defeituoso" A cavidade uterina encontra-se protegida pelo muco que reveste o colo uterino. Este muco cervical é também responsável pela limpeza e seleção dos espermatozoides.
Se o muco cervical não for “competente”, os espermatozoides não conseguem penetrar na cavidade uterina. Anomalias do cariótipo A alteração do número ou da estrutura dos cromossomas pode provocar insuficiência prematura do ovário, disfunção ovulatória, produção de oócitos imaturos, malformações anatómicas congénitas dos órgãos genitais, anomalias do desenvolvimento embrionário, falhas na nidação, abortos repetitivos e anomalias fetais. Patologia uterina Os fibromas são tumores benignos do miométrio do útero. Podem impedir a gravidez por ocupação de espaço dificultando a nidação e o desenvolvimento embrionário podendo induzir o aborto.

Hiperplasia do endométrio: Se o endométrio crescer demasiado na altura da nidação, a gravidez dificilmente poderá ocorrer.

Endometrite: As infeções silenciosas do endométrio são frequentes, sendo geralmente causadas por bactérias, ou ainda pelo vírus do papiloma humano. Gravidez ectópica Quando a implantação e a gravidez ocorre na cavidade abdominal ou nas trompas de Falópio. Interrupção voluntária da gravidez O aborto provocado pode originar lesões graves do endométrio, infeções crónicas do endométrio ou infeções tubares. Auto anticorpos As doenças autoimunes são doenças genéticas em que o sistema imunológico da pessoa ataca o próprio organismo.
Um caso particular é o da mulher com anticorpos antiespermatozoide. Alterações da tiróide O desequilíbrio hormonal causado pelas alterações pode se refletir no funcionamento dos ovários. Com o espermograma avalia-se o volume, o pH, a viscosidade, o tempo de liquefação, a concentração, mobilidade, morfologia e resistência dos espermatozóides, as infeções e a presença de auto-anticorpos.
As alterações do espermograma podem ser devidas a causas genéticas ou secundárias. Alterações do Espermograma Criptorquidia Descida incompleta dos testículos para o escroto, ficando na região abdominal.
Isto deve ser corrigido cirurgicamente ou, no caso de uma ausência congénita do testículo, devem ser feitos tratamentos hormonais. Anomalias endócrinas Os défices do desenvolvimento sexual tratam-se com testosterona e a estimulação da produção de espermatozóides faz-se com FSH e LH. Ejaculação retrógrada Nos operados à próstata, o sémen durante a ejaculação pode refluir para a bexiga urinária em vez de ser expelido para o exterior. Anomalias do cariótipo A alteração do número ou da estrutura dos cromossomas pode causar perda da qualidade do sémen.
As anomalias nos espermatozóides podem causar incapacidade de fecundação, falhas na nidação, abortos de repetição ou fetos com anomalias estruturais. Anejaculação As lesões da espinal medula ou dos nervos pélvicos, as doenças vasculares, determinadas medicações e distúrbios psicológicos podem causar ausência de erecção e/ou de ejaculação. Azoospermia obstrutiva Deve-se a uma obstrução ou a ausência congénita dos canais genitais excretores (epidídimo, canal deferente). Azoospermia secretora O paciente apresenta azoospermia porque o testículo não produz espermatozóides ou produz espermatozóides em número insuficiente. Anomalias anatómicas Alteração da morfologia dos genitais externos.
Alterações do tamanho e forma do pénis. Causa desconhecida (idiopática) Cerca de 10% dos casos de infertilidade são de causa desconhecida.
Nestes casos, existem anomalias moleculares ou genéticas dos gâmetas, para os quais não existem exames.
Frequentemente, estes só se descobrem durante a fecundação in vitro. Tumores malignos Os tumores malignos obrigam frequentemente à remoção cirúrgica do órgão, a quimioterapia (QT) e a radioterapia (RT). Ambas são agentes esterilizantes dos testículos. No caso dos tumores malignos atingirem os órgãos genitais, pode haver necessidade de remoção cirúrgica do testículo. Diagnóstico de infertilidade masculina Diagnóstico da infertilidade feminina •Estudo hormonal;
•Estudo imunológico;
•Estudo do muco cervical;
•Avaliação do útero (ultrassonografia transvaginal);
•Diagnóstico de endometriose, (quando há suspeita, envolve exames de sangue e de imagem). • Espermograma
• DNA do espermatozóide – o Teste da Estrutura da Cromatina do Espermatozóide (TECE)
• Estudo imunológico do sémen
• Espermocultura
• Estudos hormonais e genéticos Técnicas de
Reprodução assistida A Reprodução Assistida consiste na utilização de várias técnicas que possibilitam que um casal infértil consiga ter filhos.

Somente após 1 ano de tentativas naturais para engravidar sem sucesso, recomenda-se as técnicas de reprodução assistida. Prevenção da infertilidade • Prevenção, diagnóstico e tratamento das DST's;
• Rastreio do cancro do colo do útero;
•Identificação de fatores de risco como a exposição excessiva a radiações, problemas genéticos ou doenças crónicas;
• Ir a consultas de ginecologia.
• Vacinas controladas.
A alimentação deve ser variada e equilibrada - os alimentos ricos em vitaminas antioxidantes melhoram o desempenho dos espermatozoides.
Evitar todos os produtos contendo ingredientes químicos, pois contêm hormonas e antibióticos.
O tratamento de desordens alimentares deve preceder o tratamento da infertilidade.



Evitar o uso de roupas apertadas, ficar sentado muito tempo ou trabalhar perto de fontes de muito calor. Nutrição Roupa O professor Alan Trounson, de uma das mais importantes clínicas de pesquisa do mundo, na Austrália, disse que progressos estão sendo feitos em direção a uma solução.
- "Tenho certeza de que, no longo prazo, poderemos ajudar a todos", disse ele.
- "No futuro, poderemos reconstruir óvulos e esperma a partir de células. Isso é teoricamente possível". Notícia Curiosidade http://www.origen.com.br/blog/?tag=intertilidade

http://www.apfertilidade.org/web/o-que-e-a-infertilidade

http://www.minhavida.com.br/saude/temas/infertilidade

http://pt.wikipedia.org/wiki/Infertilidade Bibliografia Infertilidade Trabalho realizado por:

Alexandre Castro nº 2 12ºA
Ana Sapalo nº 3 12º A
Mª do Rosário Rocha nº 21 12ºA
Rosana Martins nº 25 12º A

Data de entrega: 06/11/12 Agrupamento das Escolas de Ílhavo

Escola Secundária Dr. João Carlos Celestino Gomes

Disciplina: Biologia
Professora: Isabel Castanheira ? O milagre da vida
Full transcript