Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Gêneros e tipos textuais

IFRN - Guia de Turismo
by

Louize Moura

on 27 June 2017

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Gêneros e tipos textuais

Tipos textuais
Gêneros textuais
(ou discursivos)

0
+
-
=
9
8
7
1
2
3
4
5
6
c
Indica ações que devem ser realizadas pelo interlocutor.

Compõe-se de uma série de instruções com um determinado fim.

Geralmente, é caracterizada pela presença de um verbo no imperativo.
Entre os séculos XV e XVII, os gêneros ampliaram-se ainda mais, devido ao florescimento da cultura impressa e da industrialização.

Atualmente, os gêneros são incontáveis. O advento da cultura eletrônica muito contribuiu para essa expansão.
Gêneros e Tipos Textuais
Curso Técnico em Guia de Turismo
Disciplina: Língua Portuguesa
Profa. Ms. Louize Moura Câmara



Referências
BAKHTIN, Mikhail. Os gêneros do discurso. In:
Estética da criação verbal
. São Paulo: Martins Fontes, 1992. p. 277-287.

CEREJA, William Roberto; MAGALHÃES, Thereza Cochar.
Português:
Linguagens. São Paulo: Atual Editora, 2005. v. 1.

MAINGUENEAU, Dominique.
Análise de textos de comunicação.
São Paulo: Cortez Editora, 2008.

MARCUSCHI, Luiz Antonio. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, Angela Paiva; MACHADO, Anna Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora.
Gêneros textuais e ensino.
São Paulo: Parábola Editorial, 2010.

______.
Produção textual, análise de textos e compreensão.
São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

SARMENTO, Leila Lauar; TUFANO, Douglas.
Português:
literatura, gramática, produção de texto. São Paulo: Editora Moderna, 2004.

SAVIOLI, Francisco Platão; FIORIN, José Luiz.
Lições de texto:
leitura e redação. São Paulo: Ática, 2006.

Atividade
Antes de encerrrarmos a aula de hoje, proponho-lhes realizarmos uma atividade, de modo a revisar o conteúdo estudado.

O desafio é o seguinte: identificar, nos textos dispostos a seguir, estes elementos:

gênero textual;
sequência textual;
esfera social;
suporte.
Um homem vem caminhando por um parque quando de repente se vê com sete anos de idade. Está com quarenta, quarenta e poucos. De repente dá com ele mesmo chutando uma bola perto de um banco onde está a sua babá fazendo tricô. Não tem a menor dúvida que é ele mesmo. Reconhce a sua própria cara, reconhece o banco e a babá. Tem uma vaga lembrança daquela cena. Um dia ele estava jogando bola no parque quando de repente aproximou-se um homem e...

O homem aproxima-se dele mesmo. Ajoelha-se, põe as mãos nos seus ombros e olha nos seus olhos. Seus olhos se enchem de lágrimas. Sente uma coisa no peito. Que coisa é a vida. Que coisa pior ainda é o tempo. Como eu era inocente. Como os meus olhos eram limpos. O homem tenta dizer alguma coisa, mas não encontra o que dizer. Apenas abraça a si mesmo, longamente. Depois sai caminhando, chorando, sem olhar para trás.

O garoto fica olhando para a sua figura que se afasta. Também se reconheceu. E fica pensando, aborrecido: quando eu tiver quarenta, quarenta e poucos, como eu vou ser sentimental!
História estranha
Luis Fernando Verissimo
Disponível em: <http://abre-surdo.blogspot.com.br/2004/11/histria-estranha-por-luis-fernando.html> Acesso em 08 mai 2013.
Gênero textual: receita.

Sequência textual: injuntiva.

Esfera social: gastronômica ou domiciliar.

Suporte: papel, livro de receitas ou site de culinária.
Gênero textual: história em quadrinhos.

Sequência textual: dialogal.

Esfera social: escolar, doméstica ou editorial.

Suporte: revista.
Gênero textual: reportagem.

Sequência textual: explicativa.

Esfera social: jornalística.

Suporte: revista ou jornal.
Gênero textual: cardápio.

Sequência textual: descritiva.

Esfera social: gastronômica.

Suporte: papel.
Gênero textual: artigo de opinião.

Sequência textual: argumentativa.

Esfera social: jornalística.

Suporte: jornal.
Gênero textual: conto.

Sequência textual: narrativa.

Esfera social: literária.

Suporte: livro.
A seguir, veremos algumas amostras de gêneros textuais:
Historicamente, o gêneros orais desenvolveram-se primeiro, tendo em vista que o surgimento da escrita ocorreu apenas por volta do século VII a. C., quando os gêneros típicos dessa modalidade multiplicaram-se.
Os gêneros textuais também podem ser classificados em:
São protótipos definidos pela natureza linguística de sua composição (aspectos lexicais, sintáticos, tempos verbais, relações lógicas).

Em outras palavras, trata-se da maneira escolhida para redigir o texto, de forma que esse venha a se tornar coeso e coerente.

São divididos nas seguintes categorias: narrativo, argumentativo, descritivo, dialogal, explicativo e injuntivo.
Tipos (ou sequências) textuais
Apresenta o relato de um fato real ou fictício, apoiando-se em fatos, personagens, tempo e espaço.

O esquema da sequência narrativa pode ser descrito a partir de cinco elementos, que são: situação inicial, complicação (ou conflito), desenvolvimento (ações e reações), clímax e situação final (ou desfecho).

Geralmente, caracteriza-se pela presença de verbos encadeadores da história, dispostos numa relação causa-efeito, flexionados no pretérito perfeito do indicativo.
Geralmente, a argumentação trata de questões polêmicas que possuem diferentes pontos de vista. Por isso, este tipo textual se estabelece, muitas vezes, a partir da contraposição de uma tese defendida anteriormente.

O protótipo da sequência argumentativa apresenta-se como uma sucessão de quatro fases: (1) apresenta-se a tese; (2) apresentam-se os argumentos; (3) apresentam-se os contra-argumentos; (4) conclui-se, aceitando ou refutando a tese inicial.
Os textos descritivos configuram uma exposição de diversos aspectos sobre o objeto que está sendo descrito.

As sequências textuais descritivas surgem comumente articuladas com sequências textuais de outros tipos.

Em textos narrativos, é frequente surgirem sequências descritivas que permitem caracterizar uma personagem ou um espaço social, para motivar o desenrolar da ação.
É as mais comum ao nosso dia-a-dia, pois comporta-se como a "espinha dorsal" de vários gêneros orais. Ao assumir a forma escrita, aparece meio a textos narrativos, de modo a marcar a troca de turno entre os personagens.

Caracteriza-se pela utilização de sinais de pontuação como as reticências, os pontos de interrogação e exclamação (que imprimem ao diálogo tom vivo e pitoresco) e o travessão (que demarca mudança de fala do interlocutor).
Em suas vidas, seja particular, acadêmica ou profissional, vocês necessitarão dominar a leitura e a escrita de diversos gêneros textuais.

Cada gênero requer adequação às suas peculiaridades no que diz respeito ao conteúdo, à estrutura composicional, ao estilo e à função social.
O que é gênero textual?
É uma forma de interação comunicativa realizada na/pela linguagem, em um dado contexto sociocultural.

Por isso, a todo momento surgem novos gêneros, alguns são modificados e outros, simplesmente, desaparecem.
São aqueles que se se desenvolvem através da fala. Exemplos: a aula, a conversa, a reunião de trabalho, o telefonema etc.
Gêneros orais
São aqueles mediados pela língua(gem) escrita. Exemplos: o cartaz, o conto de fadas, a receita, a tirinha, a carta etc.
Gêneros escritos
São aqueles que eclodiram em função da cultura eletrônica. Exemplos: chat (ou bate-papo virtual), e-mail, blog, tweet etc.
Gêneros digitais
Gêneros primários

São aqueles produzidos cotidianamente. Em geral, não são ensinados na escola ou em outras instâncias instrucionais. Exemplos: o bilhete, a carta de amor, a narração de um jogo de futebol etc.

Gêneros secundários

São aqueles que apresentam estrutura mais complexa. Geralmente, são ensinados na escola. Exemplos: o ensaio, o resenha acadêmica, o artigo científico etc.
Gêneros literários

São próprios da esfera artística e cultural. Exemplos: lírico, épico, dramático etc.

Gêneros não-literários

Aqueles que circulam cotidianamente. Exemplos: carta, convite, cartão de visita, placas de trânsito etc
.
Baseadas no senso comum, muitas vezes, as pessoas tendem a confundir "gênero textual" com "tipo textual". Porém, isso não deve acontecer.

É importante lembrar que os gêneros realizam tipos textuais, mas eles não são a mesma coisa. Adiante, veremos

as peculiaridades dos tipos textuais para compreendermos melhor esta distinção.



Narrativo
Argumentativo
Descritivo
Dialogal
Explicativo
Possui macroestrutura dividida em quatro partes: (1) a esquematização inicial - informação aceita pelo enunciador; (2) o problema - formulação de uma questão; (3) a explicação - resposta dada ao problema; (4) conclusão ou avaliação - encerramento da sequência.
Injuntivo
Full transcript