Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Metrificação: o poema como um objeto musical.

No description
by

Pedro Henrique Reis

on 26 February 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Metrificação: o poema como um objeto musical.

Metrificação:
O poema como um objeto musical.

ÃO
ÃO
A poesia e a música são dois gêneros que, no começo da língua portuguesa, se confundiam. Tanto uma como a outra faziam parte do mesmo contexto e, por sorte, usavam das mesmas regras e estruturas: Métrica,
Rimas
e
Ritmo
.
ÃO
ÃO
1 2 3...
1 2 3...
1 2 3...
Métrica
RIMAS
Número de sílabas poéticas do verso
Semelhança sonora entre as palavras
RITMO
1 2 3...
1 2 3...
1 2 3...
Regularidade de compassos entre os versos do poema.
Quando medimos um verso, usamos a sílaba poética como régua. Ela é bem parecida com a sílaba gramatical, no entanto, tem a fala como princípio de separação.
Repare nesse poema de Manuel Bandeira:
Cantiga

Nas ondas da praia
Nas ondas do mar
Quero ser feliz
Quero me afogar.

Nas ondas da praia
Quem vem me beijar?
Quero a estrela-d'alva
Rainha do mar.

Quero ser feliz
Nas ondas do mar
Quero esquecer tudo
Quero descansar.
BANDEIRA, M.
Cantiga
In. Estrela da manhã. São Paulo: Global, 2012.
Nas
|
on
|
das
|
da
|
prai
|
a
Quem
|
vem
|
me
|
bei
|
jar?
Que
|
ro
|
a
|
es
|
tre
|
la
|
-d'
|
al
|
va
Ra
|
i
|
nha
|
do
|
mar.
sílabas gramaticais
Cada palavra possui alguns conjuntos de sons que podem ser seprados.
O que foi feito?
As palavras foram separadas uma a uma;
Para cada sílaba, uma vogal ou um ditongo;
Não há relação sonora entre uma palavra e outra.
6
5
9
5
Pela contagem, temos:
Sílabas poéticas
Cada verso é analisado como uma unidade sonora fragmentada de acordo com a fala.
Nas
|
on
|
das
|
da
|
prai
|
a
Quem
|
vem
|
me
|
bei
|
jar?
Que
|
ro a es
|
tre
|
la
|
-d'al
|
va
Ra
|
i
|
nha
|
do
|
mar.
5
5
5
5
Pela contagem, temos:
Repare que, pela contagem de sílabas poéticas, todos os versos possuem 5 sílabas. Você cosegue identificar quais são as regras que são utilizadas para alcançar esse número?
|
|
|
|
Nas
|
on
|
das
|
da
|
prai
|
a
Quem
|
vem
|
me
|
bei
|
jar?
Que
|
ro a es
|
tre
|
la
|
-d'al
|
va
Ra
|
i
|
nha
|
do
|
mar.
Regras usadas:
Junta-se sílabas com vogais próximas;
A contagem sempre termina na vogal tônica da última palavra do verso;
O restante das sílabas é descartado.
Que
|
ro a es
|
tre
|
la
|
-d'al
|
va
|
Nas
|
on
|
das
|
da
|
prai
|
a
|
|
|
|
Que
|
ro a es
|
tre
|
la
|
-d'al
|
va
|
E por que o último verso não segue as regras?
Dependendo do verso, o poeta escolhe a contagem silábica sem a junção das vogais. Isso ocorre, principalmente, pela presença de hiato
(Rainha = ra -
i
- nha) ou por razões estilísticas.
De que tamanho é esse verso?
Métrica
Dependendo do número de sílabas poéticas, os versos recebem nomes diferentes. Os mais conhecidos são:
Redondilha maior - 7 sílabas poéticas
Escansão
Redondilha menor - 5 sílabas poéticas
Verso decassílabo - 10 sílabas poéticas
Verso dodecassílabo (ou alexandrino) - 12 sílabas poéticas
As
|
ar
|
mas
|
e os
|
ba
|
rões
|
as
|
si
|
na
|
la
|
dos
|
10
9
1
8
7
6
5
4
3
2
Luiz de Camões
Que
|
ro a es
|
tre
|
la
|
-d'al
|
va
1
2
3
4
5
Manuel Bandeira
Verso livre - sem regularidade de sílabas no poema.
Mi
|
nha
|
ter
|
ra
|
tem
|
pal
|
mei
|
ras
1
2
3
4
5
6
7
|
|
Gonçalvez Dias
Um
|
a
|
mu
|
lher
|
ao
|
sol
|
so
|
bre
|
quem
|
me
|
de
|
bru
|
ce
Vinícius de Morais
12
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
|
Rimas
Rimas
As rimas são coincidências sonoras que há entre palavras resultando em musicalidade para o poema.
Show humorístico que usa das rimas para construir humor.
Sempre nomeamos as rimas do poema para podermos organizá-las por ocorrência:
Vênus

À flor da vaga, o seu cabelo verde,
Que o torvelinho enreda e desenreda...
O cheiro a carne que nos embebeda!
Em que desvios a razão se perde!

Pútrido o ventre, azul e aglutinoso,
Que a onda, crassa, num balanço alaga,
E reflui (um olfato que se embriaga)
Como em um sorvo, murmura de gozo.

O seu esboço, na marinha turva...
De pé flutua, levemente curva;
Ficam-lhe os pés atrás, como voando...

E as ondas lutam, como feras mugem,
A lia em que a desfazem disputando,
E arrastando-a na areia, co'a salsugem.

Camilo Pessanha In.
Clepsidra
Observe como referenciamos as rimas.
À flor da vaga, o seu cabelo v
erde
,
A
Que o torvelinho enreda e desenr
eda
...
B
O cheiro a carne que nos embeb
eda
!
B
Em que desvios a razão se p
erde
!
A
Pútrido o ventre, azul e aglutin
oso
,
C
Que a onda, crassa, num balanço al
aga
,
D
E reflui (um olfato que se embri
aga
)
D
Como em um sorvo, murmura de g
ozo
.
C
O seu esboço, na marinha t
urva
...
E

De pé flutua, levemente c
urva
;
E
Ficam-lhe os pés atrás, como vo
ando
...
F
E as ondas lutam, como feras m
ugem
,
G

A lia em que a desfazem disput
ando
,
F
E arrastando-a na areia, co'a sals
ugem
.
G
Esquema de rimas final:
A
BB
A

C
DD
C

EE
F

G
F
G
Tipos de
rimas

Rimas Internas
O mesmo som aparece no fim do verso e no meio do próximo.
De teu canto a graça p
ura
E a tern
ura
não cons
igo
Pois comm
igo
a dôce l
yra
Mal resp
ira
os sons do amor
[...]
ALVARENGA, Manuel Ignácio da Silva. Anacreonte In:
Poemas Eróticos
Rio de Janeiro: Companhia Nacional Editora, 1889.
Emparelhadas
As rimas finais de dois versos próximos são iguais.
Ó mar salgado, quanto do teu s
al
São lágrimas de Portug
al
!
Por te cruzarmos, quantas mães chor
aram
,
Quantos filhos em vão rez
aram
!
Quantas noivas ficaram por cas
ar
Para que fosses nosso, ó m
ar
!
[...]

PESSOA, Fernando. X. Mar Português In:
Mensagem
.
Intercaladas
Dois versos opostos, em uma mesma estrofe, rimam.
Bela e traidora! Beijas e assass
inas
...
Quem te vê não tem forças que te oponha:
Ama-te, e dorme no teu seio, e sonha,
E, quando acorda, acorda feito em ru
ínas
...

[...]
A
BB
A
BILAC, Olavo. Abyssus In.
Antologia : Poesias.
São Paulo : Martin Claret, 2002.
Alternadas
As rimas, dentro da estrofe, vão se alternando.
Quando Ismália enlouquec
eu
,
Pôs-se na torre a sonh
ar
...
Viu uma lua no c
éu
,
Viu outra lua no m
ar
.

[...]
A
B
A
B
Alphonsus de Guimaraens
Versos Brancos
Quando não há regularidade de rimas no poema.
Quadrilha

João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.
Carlos Drummond de Andrade
Ritmo
O ritmo, dentro do poema, se apresenta pela regularidade de sílabas tônicas em posições determinadas.
A música We will rock you, do Queen, é um exemplo clássico de como um ritmo pode ter força em uma música.
AA
BB
CC
Mu
|
dam
|
-se os
|
tem
|
pos,
|
mu
|
dam
|
-se as
|
von
|
ta
|
des,
Mu
|
da
|
-se o
|
ser,
|
mu
|
da
|
-se a
|
con
|
fi
|
an
|
ça:
To
|
do o
|
mun
|
do é
|
com
|
pos
|
to
|
de
|
mu
|
dan
|
ça,
To
|
man
|
do
|
sem
|
pre
|
no
|
vas
|
qua
|
li
|
da
|
des.
Luís de Camões
I
I
I
I
O ritmo, dessa estrofe está na 4ª e 10ª sílabas poéticas.
REViSãO
O poema é um gênero textual que tem como base algumas estruturas musicais;
Entre elas, temos
Métrica
: número de sílabas poéticas;
Rimas
: semelhanças sonoras entre as palavras;
Ritmo
: regularidade de compasso.
Dividimos os versos em sílabas poéticas. Para isso, é necessário três regras básicas:
Nos casos de vogais próximas, juntá-las na mesma sílaba poética;
Sempre parar a contagem na última sílaba tônica do verso;
Excluir o restante das sílabas para a contagem.
Classificamos as rimas de acordo com a posição em que elas se encontram
Rimas internas
: a última palavra do verso rima com a palavra do meio no verso seguinte;
Rimas emparelhadas:
A última palavra do verso rima com a também última palavra do verso seguinte (
AA
, BB, CC);
Rimas intercaladas:
A última palavra do primeiro verso rima com a última palavra do último verso da estrofe (
A
BB
A
);
Rimas alternadas:
As últimas palavras dos versos rimam alternadamente (
A
B
A
B);
Verso branco
: sem regularidade de rimas.
O ritmo é a recorrência de compassos dentro dos versos. É pela localização das sílabas tônicas mais marcantes do verso que demarcamos o ritmo do poema.
Gênero
Métrica
Há 5 nomes para as principais métricas encontradas:
Redondilha menor
- 5 sílabas;
Redondilha maior
- 7 sílabas;
Decassílabo
- 10 sílabas;
Dodecassílabo
- 12 sílabas;
Verso livre
- sem métrica regular.
Rimas
Ritmo
Full transcript