Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

12 dicas sustentáveis

No description
by

Joab Vasconcelos

on 5 December 2012

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of 12 dicas sustentáveis

Novos processos de fabricação podem satisfazer as necessidades dos clientes? Normas do CONAR para
evitar o Greenwashing O art. 36 do Código Brasileiro de Autorregulamentação Publicitária foi revisado e a partir de 1 de agosto de 2011 passou a conter seis princípios que devem ser atendidos em publicidade de cunho ambiental. 1. Veracidade – as informações ambientais devem ser verdadeiras e passíveis de verificação e comprovação;

2. Exatidão – as informações ambientais devem ser exatas e precisas, não cabendo informações genéricas e vagas;

3. Pertinência – as informações ambientais veiculadas devem ter relação com os processos de produção e comercialização dos produtos e serviços anunciados;

4. Relevância – o benefício ambiental salientado deverá ser significativo em termos do impacto total do produto e do serviço sobre o meio ambiente, em todo seu ciclo de vida, ou seja, na sua produção, uso e descarte. Selos verdes IBD – Instituto Biodinâmica

Certifica alimentos de origem orgânica.

São dez selos diferentes que têm objetivos e finalidades diferentes. Desde o selo Demeter, originário da Alemanha, até o Ecosocial, que analisa o comprometimento social na produção. Fairtrade

A principal intenção desse selo é criar uma relação justa, solidária e sem atravessadores entre os pequenos produtores. Cria um sistema de comodities para produtos orgânicos ou não, desenvolvidos por pequenos proprietários. ABNT Gestão Ambiental

É o selo que certifica os procedimentos que acompanham os princípios do ISO 14001. Não necessariamente a empresa utiliza o selo em seus produtos. Leed - Green Building Rating System

Selo norte-americano para construções sustentáveis.
Entre os princípios estão otimização energética, uso de material reciclado, entre outros. Procel

Selo do Inmetro de eficiência energética de determinado eletrodoméstico.
A classificação vai de A a G, do mais eficiente ao menos eficiente respectivamente. E se popularizou graças a economia na conta de luz com a escolha do produto FSC – Conselho Brasileiro de Manejo Florestal

Certifica as áreas e produtos de manejo florestal. Existem no Brasil cinco certificadoras credenciadas pelo FSC. São, pelo menos, 10 critérios básicos para a obtenção, entre eles, manutenção das florestas e direitos das comunidades tradicionais e/ou rurais. Além dos selos positivos, existe uma série de determinações para avisar o consumidor do perigo ou suposto dano que esse produto pode causar. É o caso da obrigatoriedade de avisar se o produto tem glúten ou é transgênico, por exemplo. As pressões dos diversos grupos em relação aos atributos dos produtos leva a um processo chamado Design-for-x (x factor);


Design-for-enviroment: uma prática pela qual considerações ambientais são integradas nos processos de engenharia e design do produto (KEOLEIAN et al. 1995);
(PUJARI, 2003) Desevolvimento de novos produtos ambientais (ENPD): processo na qual questões ambientais são explicitamente integradas para desenvolver um dos produtos menos danosos ao ambiente;


Eco-performance: engloba os impactos socio-ambientais que vão além da empresa e de seu mercado (PEATTIE, 1995);
(PUJARI, 2003) Diferenças entre o ENPD e o convencional NDP:

Consideração mais ampla da satisfação do consumidor;
Foco no ciclo de vida do produto físico;
Foco no design para aplicações pós uso;
Perspectiva aumentada da cadeia de suprimento.
(PUJARI, 2003) Natura Ekos
Slogan: A conexão entre homem e natureza.
"Unindo o conhecimento tradicional à tecnologia verde, Natura Ekos busca preservar o patrimônio ambiental e cultural brasileiro. Obtidos de forma sustentável, os ativos da linha oferecem benefícios comprovados cientificamente para o corpo e para os cabelos. Surpreenda-se com as cores, fragrâncias e texturas que são verdadeiros convites aos nossos sentidos" "A tecnologia mais avançada não irá contribuir para o alcance da sustentabilidade ao menos que ela possa conquistar parte do market share dos produtos convencionais e mudar a agenda do mercado para o desenvolvimento de produtos e marketing verde."
(PUJARI, 2003) Mundança das cores nas fachadas do McDonald's.
Houve mudança no posicionamento da empresa? Why go green?

Pressões externas:
Satisfação das demandas dos consumidores: McDonalds substituiu a embalagem de isopor dos sanduíches pelo papel em resposta direta ao consumidor preocupado com os efeitos dos CFCs.
Reação à uma ação verde do concorrente: troca de batata frita por uma salada em resposta a entrada de novos concorrentes com preocupação com alimentação (Subway).
Requisição do canal/fornecedor para modificar os inputs: empresas que usam processo limpo pressionam seus fornecedores a fazerem o mesmo (Ex: Normas ISO14000).

(Polonsky e Rosenberger, 2001) Why go green?

Pressões internas:

Custo: mais eficiência nos processos geram menos desperdício e mais lucros.
Filosofia: a empresa reconhece os benefícios das ações verdes e as adota.


(Polonsky e Rosenberger, 2001) "Marketing verde é uma abordagem holística e integrada que reavalia continuamente a forma pela qual as empresas podem alcançar os objetivos corporativos e satisfazer a necessidade dos consumidores enquanto que minimiza os impactos ecológicos de longo prazo."

(Polonsky e Rosenberger, 2001) “Como ser verde, limpo e rentável ao mesmo tempo?”

“Os consumidores realmente necessitam de produtos “próprios” ou existem outras formas de entregar satisfação?”

(Polonsky e Rosenberger, 2001) Why go green?

A adoção de uma filosofia verde pode vir de pressões internas ou externas. E ambas representam vantagem competitiva para a empresa. Implementando o Marketing Verde: estratégias e táticas Segmentação: direcionar a comunicação para um público interessado no tema. Redes sociais ajudam a encontrar esse público.

Design Verde/Desenvolvimento de novos produtos: pensar ações ambientais desde a concepção do produto até o seu descarte, passando pelo processo produtivo (Pegada Ecológica). Pressões externas de outros stakeholders Implementando o Marketing Verde: estratégias e táticas Preço verde: produtos verdes ainda são mais caros, mas não significam que custam menos. Produtos verdes têm custos iniciais mais altos, mas seus benefícios duram mais. Ex: lâmpada fluorescente.

Logística Verde/ Logística Reversa: preocupação com o descarte de produtos, aproveitando para gerar novos insumos. Implementando o Marketing Verde: estratégias e táticas Resíduos: preocupação com resíduos que não podem ser reaproveitados como insumos do produtos originais.
Uso para outros produtos;
Geram novos mercados;
6 Rs da logística reversa (Giuntini and Andel, 1995). Implementando o Marketing Verde: estratégias e táticas Promoção verde: “que informação ambiental dever ser comunicada e como deve ser comunicada?”
Filosofia verde Posicionamento verde
Greenwashing
Ações promocionais de patrocínio: risco de crítica “auto-alimentadora” (Fox and Kotler, 1980) Alianças Verdes: “grupos ambientais podem ser uma fonte valiosa para ajudar a empresa a compreender as questões ambientais, desenvolver soluções adequadas e implementar as ações” (Polonsky and Rosenberger, 2001). Implementando o Marketing Verde: estratégias e táticas Implementando o Marketing Verde: estratégias e táticas Posicionamento Verde: a empresa deve decidir como quer ser lembrada. Os critérios ambientais devem ser considerados tão importantes quanto os critérios financeiros (Polonsky & Rosemberger, 2001).

O desempenho da empresa deve coincidir com o seu discurso e com as expectativas do consumidor (valor percebido pelo cliente). http://globotv.globo.com/rede-globo/pequenas-empresas-grandes-negocios/t/todos-os-videos/v/oficina-mecanica-de-sao-paulo-se-torna-exemplo-de-sustentabilidade/1983143/ AGENDA http://globotv.globo.com/rede-globo/pequenas-empresas-grandes-negocios/t/todos-os-videos/v/empresa-investe-em-artigos-de-material-reciclavel/1994222/ Universidade Federal da Paraíba - UFPB
Centro de Ciências Socais Aplicadas - CCSA
Programa de Pós-Graduação em Administração - PPGA
Curso de Mestrado Acadêmico em Administração
Disciplina: Marketing Gerecial
Professor: Dr. Nelsio Abreu MARKETING VERDE E A PERCEPÇÃO DE VALOR DOS CONSUMIDORES Joab Menezes de Vasconcelos
Suzana Ribeiro da Silva X O que é marketing verde
Sustentabilidade, rentabilidade e entrega de satisfação
Por que ser verde?
Pressões externas e internas
Níveis estratégicos das atividades de marketing verde
Implementando o marketing verde: estratégias e táticas
Considerações finais “É a diferença entre a avaliação que o cliente potencial faz de todos os benefícios e custos relativos a um produto ou serviço e as alternativas percebidas”. (Kotler and Keller, 2006)

Em marketing verde esse valor percebido se refere tanto aos custos dos produtos quanto à imagem que se faz de uma empresa através de suas ações e discursos. Valor percebido pelo Cliente
Full transcript