Loading presentation...

Present Remotely

Send the link below via email or IM

Copy

Present to your audience

Start remote presentation

  • Invited audience members will follow you as you navigate and present
  • People invited to a presentation do not need a Prezi account
  • This link expires 10 minutes after you close the presentation
  • A maximum of 30 users can follow your presentation
  • Learn more about this feature in our knowledge base article

Do you really want to delete this prezi?

Neither you, nor the coeditors you shared it with will be able to recover it again.

DeleteCancel

Make your likes visible on Facebook?

Connect your Facebook account to Prezi and let your likes appear on your timeline.
You can change this under Settings & Account at any time.

No, thanks

Dedas Olvs

A família
by

Dedas Olvs

on 7 March 2015

Comments (0)

Please log in to add your comment.

Report abuse

Transcript of Dedas Olvs

A Família
A Família
Introdução
Ao tomar a família como unidade de análise, a sociologia encarou a como um grupo social inconfundível face a outros grupos sociais.
A família assume formas e funções diferentes conforme o tempo e o espaço em que se situa. Tem variado muito desde meados do século XIX nos contextos de implantação da industrialização, mas foi sobretudo nas últimas três décadas do século XX que mais sofreu mutações nas sociedades industrializadas.
A Sua Evolução
Obrigado

A família estabelece relações de parentesco baseadas em laços de sangue, de casamento ou de adoção. Os membros de uma família compartilham o mesmo apelido herdado dos ascendentes diretos, partilham um espaço comum.

Tipos de Familias
Familia Nuclear
É constituída pelo pai, a mãe e os respetivos filhos. É o tipo de família mais comum na sociedade. Os pais têm como função educar os filhos.
É constituída pelo pai ou a mãe e os respetivos filhos. Isto acontece em caso de separação e não se voltarem a casar. Se se voltarem a casar trata-se de uma família reconstruída. O divórcio é a principal razão pelo aumento das famílias monoparentais.
Familia Monoparental
Familias Homossexuais
Refere-se a um casal que já tem filhos de um casamento anterior que se volta a casar ou se junta.
Este tipo de família surge quando o pai ou a mãe morrem, ou quando os pais estão divorciados, e tem tido um crescimento acentuado devido ao número elevado de divórcios.

Família Recomposta
O presente trabalho insere-se no módulo 3, da disciplina de Sociologia, do 3º ano do Curso Técnico de Secretariado.
Este tem por Objetivo o conhecimento da complexidade da família, tendo em conta a sua evolução, os efeitos, as suas funções, os tipos, a sua importância na vida social.

Portanto a
Família
é uma das instituições sociais mais antigas e é o grupo social primário que influencia e é influenciado por outras pessoas e instituições. Dentro da família existe sempre algum grau de parentesco.
A Família
Existem diferentes tipos de família. Está em modificação ao longo da vida. Ao longo dos anos têm surgido diferentes tipos de família.
Atualmente existem vários tipos de família, eis alguns exemplos:

• Família Nuclear;
• Família Recomposta;
• Família Monoparental;
• Família Homossexual.

É o tipo de família mais recente em Portugal. Consiste em duas pessoas do mesmo sexo estarem casadas e partilharem uma vida.
A adoção de uma criança por parte de família homossexual ainda não é legal em Portugal, mas tem sido um assunto muito tratado.

Diversidade
O seu Papel na Socialização
A família é um agente de socialização que educa de forma não determinada e na qual tem no papel do individuo como a “escola” dos afetos.
Até há 1 século atrás a família era portadora da socialização e até em parte da socialização secundária, uma vez que, a criança aprendia não só as atitudes, modelos comportamentais, valores, características da posição social a que a família pertencia mas também o “ofício da família”. Pode-se concluir que a família tinha um papel importante nesta época, tomando o domínio da formação fundamental, básica e afetiva, como também da formação cognitiva.
Atualmente, este agente de socialização tem vindo a perder a sua importância canalizando-a para outros agentes de socialização, particularmente, a escola.
Perdeu a socialização secundária para a escola e outros agentes da socialização.
Contudo, não é na escola que a criança deve ser “ensinada” a distinguir o que é bom do que é mau, o justo do injusto, o que não se tem vindo a verificar, visto que, a família perdeu o seu controlo e domínio enquanto agente de socialização e remete as suas responsabilidades para a escola, levando à “escolarização dos indivíduos”.
Tem o papel de transmissão de cultura que envolve todas as práticas e saberes acumulados de geração em geração.
A família tem um papel imprescindível no processo de socialização de uma criança
É ela que transmite traços culturais e valores próprios do grupo social, bem como modelos de comportamento.
É com a família que aprendemos, por exemplo, as regras básicas da boa educação, os hábitos de higiene e de alimentação, a falar, a exprimirmo-nos, a ouvir musica e a ler um determinado livro.
A família tem um papel fundamental na formação das atitudes sociais e na transmissão de valores.
A Família
Os seus comportamentos

Com esta transformação os laços tradicionais, as crenças e os relacionamentos sociais vão se perdendo e as pessoas vão sendo confrontadas com novas questões. O foco passa a ser o indivíduo e consequentemente, é dada a ele a possibilidade de fazer escolhas pessoais.

Democratização das relações familiares
Na antiguidade, a própria família era o centro, ou seja, os seus membros estavam o tempo todo referenciados a ela. Por um lado, este tipo de família restringia as escolhas pessoais, mas por outro, oferece familiaridade e proteção.

Com o passar do tempo, a família passa a ser vista de forma diferente, o que faz com que se dê início ao processo de individualização de cada membro.
Modificações da família apartir da década de 60:
• O número de separações e divórcios aumenta;
• A religião foi perdendo a sua força;
• A igualdade entre os sexos passou a ser um pressuposto em muitas relações matrimoniais.

Novos comportamentos da família
Com o avançar dos tempos, a família tradicional vai sofrendo alterações também a nível da divisão de tarefas. Ocorre a inserção feminina no mercado de trabalho, o que faz com o que o tempo disponível para os filhos e para as tarefas domésticas diminua drasticamente. Isto leva a que o homem assuma tarefas tradicionalmente femininas. A mulher torna-se mais competente no trabalho, autónoma e competitiva o que leva a que o homem se torne mais cuidadoso nas relações com os filhos.
Os dois lados da Instituição Familiar

Contudo, hoje em dia cada vez mais podemos verificar:

• Casamentos sucessivos com parceiros distintos e filhos de diferentes uniões;
• Casais homossexuais adotando filhos legalmente;
• Casais com filhos ou parceiros isolados ou mesmo cada um vivendo com uma das famílias de origem;
• As chamadas “produções independentes” tornam-se mais frequentes;
• Mais ultimamente, duplas de mães solteiras ou já separadas compartilham a criação dos seus filhos.

Indicadores demográficos em Portugal
Disciplina: Sociologia
Fecundidade
Casamento/Divórcio
Envelhcimento da população
Taxas
A família é o primeiro contexto na qual a criança desenvolve padrões de socialização, deste modo, ela se relaciona com todo o conhecimento adquirido durante sua experiência de vida primária que vai refletir na sua vida escolar. Sendo assim, o sucesso da tarefa da escola depende da colaboração familiar ativa.
A família é, pois, uma experiência central na vida de todas as pessoas (mesmo dos órfãos e solitários), dado que em seu seio são vividas dimensões essenciais da experiência humana: o amor (e o ódio), o acolhimento, a proteção, o cuidado, o abandono, as perdas, os ciclos da vida...
Nesse sentido, a família, com todas as suas alegrias e tristezas, possui enorme influência sobre a formação da personalidade e sobre a saúde psíquica de seus membros.


Conclusão
Portugal tinha em 1971 uma taxa de fecundidade de 3,01 filhos por mulher, Até 2010, o valor segue geralmente descendo, com algumas pequenas subidas e estabilizações, chegando a 1,3 filhos por mulher em 2012, Portugal esta entre os países com os mais baixos níveis de fecundidade na EU.

Portugal não é exceção, sendo mesmo um dos países da União Europeia que está a envelhecer mais depressa: em cinco décadas, a percentagem de portugueses com mais de 65 anos passou de 27,3 por cento para 129,4 por cento.

Trabalho realizado por: Odílio, Letícia, Claúdia, Liliana
Envelhecimento é um grande problema actual da nossa sociedade, este fenómeno tem consequências que fazem dele uma grande preocupação, são elas:

Aumento das despesas com a saúde;















A diminuição da produtividade, espírito criativo e de iniciativa tão característicos dos jovens também diminui;










Aumento das despesas com a Segurança Social;












Pagamento de reformas;














Reduzido número de população activa;
A utilização de métodos contracetivos;











O casamento tardio;












O trabalho feminino, que impede a mulher de ocupar o seu tempo com os filhos;










O aumento dos encargos com a educação dos filhos;












O elevado preço das habitações;








O aumento do número de divórcios;
entre outros.

Fatores que explicam os baixos valores da taxa de natalidade:
Principais causas do Divórcio:
Violência;
Falta de confiança/fidelidade;
Dinheiro;
Uso de Drogas/álcool;

Entre outros.
Full transcript